O que fazer diante da calamidade?

Por Renato Vargens

Durante os difíceis dias de junho de 1940, Winston Churchill, primeiro-ministro da Inglaterra, voou até à sede temporária do governo francês em Tours e esforçou-se para incentivar seus hesitantes aliados a continuarem a resistência contra o holocausto nazista. Infelizmente seus esforços foram infrutíferos. O exército francês praticamente deixara de existir, e o governo estava à beira do colapso e o futuro parecia inevitavelmente desesperador.

Retornando à Inglaterra, Churchill relatou ao seu gabinete a gravidade da situação com as seguintes palavras: "Nós agora enfrentaremos a Alemanha completamente isolados. Estamos sós." A seguir, olhando desafiadoramente ao seu redor, acrescentou: "Mas para mim isso é até inspirador!" A coragem daquele homem, diante de avassaladoras desvantagens e derrota quase certa, foi contagiosa. Sua atitude mobilizou o povo britânico levando-o à ação e, como todos sabemos, prosseguiu para a vitória final.

E você? De que forma enfrenta os obstáculos? Quais são as suas atitudes diante das oposições que a vida lhe faz? Desiste dos seus objetivos, ou faz das dificuldades catapulta para a vitória?

Por acaso você já percebeu que quando aparentemente chegamos ao fim da linha, somos tentados pelo o inimigo de nossas almas a nutrir no coração o sentimento de frustração e derrota? Entretanto, sem que percebamos, são em situações assim aonde a esperança fraqueja, que obtemos a oportunidade de transformar nossos dilemas e problemas em vitória. Quem sabe ao ler este texto, você esteja passando por situações onde o sentimento reinante em seu coração seja de que seu casamento, família ou outra coisa qualquer, chegou ao fim? Lembre-se de que quem escreve a história da sua vida não é o diabo nem tampouco as circunstâncias, até porque Satanás não tem o poder de decretar o fim de nenhum filho de Deus.

Caro leitor é imprescindível com que você entenda que nada acontece em nossas vidas sem a permissão de Deus. Ele é o Senhor, Ele é poderoso e nada foge aos seus olhos! Portanto, não se deixe levar pela murmuração ou pelos queixumes da vida, antes, creia num Deus soberano, entendendo que ele cuida detalhadamente de cada um de nós, fazendo-nos habitar no esconderijo do altíssimo, à sombra do Onipotente. Lembre-se: No final, vai tudo certo!

Pense nisso!

Renato Vargens

1 comentários:

Pratico artes marcias à 42 anos, de onde tirei proveito nos seus ensinamentos de disciplina, respeito, humildade, compromisso, pontualidade, simplicidade etc; especializeime em jiu-jitsu/judô, se observarmos uma luta de vale tudo aos olhos de quem é leigo, aquele lutador que sai a socos e chutes até ferindo seus oponentes a sangrar pensa que ele está em vantagem, mas o lutador de jiu-jitsu assimila todos os golpes violentos e não desiste do combate e quando menos esperamos na primeira oportunidade reverte-se o quadro e o oponente é imobilizado com um golpe de finalização sem causar traumas ao oponente, assim é na vida nos impressionamos com o que vemos a primeiro momento, mas devemos com inteligencia reagir às dificuldades, e ai pergunto-lhe: Qual o tamanho do seu gigante ?, lembremos que o nosso DEUS pode tudo, mas o ordinário cabe a nós, lute.
Gilbert Raposo, um aprendiz em Cristo Jesus.

Gilbert Raposo
24 de novembro de 2009 11:04 comment-delete