sexta-feira, outubro 09, 2009

Tentando entender e superar os conflitos entre as gerações

Renato Vargens

O nascimento dos filhos é sempre uma alegria. No entanto, na medida em que eles vão crescendo, os problemas vão surgindo. Na verdade nem sempre pais e filhos se entendem bem, e o resultado de seus problemas relacionais são os chamados conflitos de gerações.

O médico inglês Ronald Gibson começou uma conferência citando quatro frases:

1) “Nossa juventude adora o luxo, é mal-educada, caçoa da autoridade e não tem o menor respeito pelos mais velhos”. Nossos filhos hoje são verdadeiros tiranos. Eles não se levantam quando uma pessoa idosa entra, respondem a seus pais e são simplesmente maus."

2) "Não tenho mais nenhuma esperança no futuro do nosso país se a juventude de hoje tomar o poder amanhã, porque essa juventude é insuportável, desenfreada, simplesmente horrível."

3) "Nosso mundo atingiu seu ponto crítico. Os filhos não ouvem mais seus pais. O fim do mundo não pode estar muito longe."

4) "Essa juventude está estragada até o fundo do coração. Os jovens são malfeitores e preguiçosos. Eles jamais serão como a juventude de antigamente. A juventude de hoje não será capaz de manter a nossa cultura."

Após ter lido as quatro citações, ficou muito satisfeito com a aprovação que os espectadores davam às frases, e somente então, revelou a origem delas:

A primeira é de Sócrates (470-399 A.C);
A segunda é de Hesíodo (720 A.C);
A terceira é de um sacerdote do ano de 2000 A.C;
A quarta estava escrita em uma vaso de argila descoberto nas ruínas de Babilônia e têm mais de quatro mil anos de existência.

Amado irmão, é importante que entendamos de que não existem receitas mágicas para superar os Conflitos relacionais entre pais e filhos. O que na verdade devemos observar são alguns princípios práticos, que se trabalhados de forma efetiva poderão nos ajudar a construir uma familia mais saudável.

Algumas sujestões práticas:

1) Invista tempo na companhia de seus filhos.
A única lembrança que Salomão registra sobre a sua infância é o fato de o seu pai ter gastado tempo com ele. “Porque eu era filho tenro na companhia de meu pai, e único diante de minha mãe. E ele me ensinava e me dizia: retenha o teu coração as minhas palavras; guarda os meus mandamentos, e vive (Pv 4:3-4)”.

2) Não tenha medo em estabelecer limites. Depois do amor, disciplina é a coisa mais importante que você dá para ele.

3) Desenvolva a arte de soltar pipa.
Isto significa de que no processo de educação de Filhos é absolutamente necessário dar e puxar a linha. Até porque, é no equilíbrio de puxar e soltar que a pipa sobe aos céus. Certa vez perguntaram a mãe de Martin Luther King, o que ela tinha feito para que o seu filho se tornasse o que se tornou. Ela sem titubeios respondeu: dei-lhe asas e raízes.

4) Desenvolva uma relação de cumplicidade e amizade com seus filhos.
Não é preciso possuir dons especiais para afirmar que a correria do dia a dia traz sobre cada um de nós uma enorme pressão emocional. Na verdade, trabalho, contas a pagar, aborrecimentos no trânsito, além das preocupações e tensões relacionadas à existência, tem proporcionado a uma significativa camada da sociedade brasileira um relevante adoecimento relacional.

Infelizmente as relações familiares estão cada vez mais desprovidas de afetividade, cumplicidade e alegria. Ouso em afirmar, que a agitação da modernidade, bem como as preocupações desta vida, tem contribuído em muito para o esfriamento das relações. Isso se percebe, pela ausência da festa, do riso, do toque, e da celebração em nossos lares, até porque, pra muitos torna-se absolutamente impossível, viver e expressar alegria, experimentando situações de pressão e adversidade.

A ansiedade é um tipo de sentimento que comumente toma conta de nossos corações em situações com estas. Não tenho a menor dúvida em afirmar que a ansiedade pode ser considerada como um dos mais poderosos ladrões da alegria. Na verdade, ela tem a capacidade de nos roubar momentos únicos e expressivos na relação familiar. Quantos em virtude da “pré-ocupação” extensiva e exagerada, não tem jogado pelo ralo da existência momentos especiais de celebração com a família?

Amados, entenda que por maiores que sejam seus problemas, eles não têm o direito de promover na relação com cônjuge, pais e filhos o esfriamento do amor. Não deixe, que inquietações da cotidianidade, bem como as apreensões com o dia de amanhã roube da sua família momentos únicos onde o riso, a festa e alegria façam-se presentes.

Que tal, instituir o dia do riso? Porque não estabelecer o momento piada? Que tal jogar as almofadas no chão da sala, chamar os filhos pra perto, contar e ouvir histórias? Já pensou numa boa guerra de travesseiro?

5) Aprenda a elogiar e ajude seu filho na construção de uma boa auto-estima.
No final de uma tarde ensolarada de verão, depois de um dia exaustivo eu estava no meu gabinete pastoral quando tive a idéia de mandar um torpedo para o meu filho de 13 anos. Imediatamente peguei o celular e comecei a digitar algumas palavras de elogio e amabilidade. Falei que o amava, que ele era extremamente inteligente, esperto, bonito, além de grande amigo. Cinco minutos depois ele respondeu minha mensagem através de outro torpedo dizendo: “Papai eu gostei!” Confesso que ao ler aquelas 03 pequenas palavrinhas fui tomado por um desejo enorme de continuar falando coisas boas para o meu filho. Naquele instante, deixei de lado tudo o que estava fazendo e continuei a enviar-lhe mais torpedos, elogiando-o, falando de suas inúmeras qualidades, da sua amizade e carinho para comigo e etc. Sem que déssemos conta, ficamos nessa troca de mensagens por quase meia hora, elogios daqui, respostas alegres e felizes de lá e fortalecimento da relação.

Não preciso nem lhe dizer que saímos do nosso “bate-papo” mais amigos, mais cúmplices, mais apaixonados.

Querido leitor, acredito piamente que os elogios sinceros e verdadeiros que brotam do peito de alguém que ama a vida tem um enorme poder de criar e construir relações saudáveis. Você já se deu conta de que na nossa existência muitas das vezes demonstramos uma grande dificuldade de falar bem ou elogiar alguém? Como é que você lida com o elogio? E as suas relações pessoais, como são? Amáveis? Fraternas?

Preste atenção no que vou lhe dizer:

Se desejar, você poderá ter uma vida muito mais frutífera e feliz se aprender a cultivar o hábito de falar bem das pessoas e para as pessoas. Afetividade, amabilidade, elogio sincero contribuem para relações abençoadas e amigáveis.

6) Combata a febre da Precocidade infantil.
Essa geração a qual denomino geração fast-food tem como uma de suas marcas a precocidade infantil. A cada ano que passa, as crianças desse novo tempo vem abandonando praticas da meninice em detrimento de uma maturidade abstrata e superficial. No afã da maturação, muitas vezes incentivados por seus pais, tais crianças, cedo, param de brincar de boneca, de botão, de bola, de pique, e outras coisas mais. É claro e notório que o lúdico, a fantasia, e as brincadeiras possuem um papel fundamental no desenvolvimento da psique humana. Na verdade, os momentos em que as crianças passam se divertindo brincando umas com as outras, contribuem para se desenvolverem tanto emocionalmente como intelectualmente.

Infelizmente a mídia tem tido um papel absolutamente desagregador em nossa sociedade, desconstruindo assim valores indispensáveis à saúde humana.

É inegável que os meios de comunicação ao longo dos anos imprimiram cada vez mais em nossas crianças a aceleração do descobrimento e afloramento precoce da sensualidade e sexualidade. Basta repararmos nas meninas que cada vez mais cedo, abandonam a brincadeira de boneca em detrimento do namoro com um menino. Em contra-partida ao focarmos na garotada logo percebemos que as brincadeiras saudáveis cederam lugar aos vídeos games e jogos eletrônicos que corroboram para o adoecimento da mente e do corpo.

Criança tem que ser criança! Viver o lúdico, a fantasia, desfrutar do riso, da alegria. Até porque, quando isso não acontece, a criança emocionalmente adoece.

Acredito que os pais possuem papel fundamental no resgate de valores da moralidade. E para tanto é indispensável que entendamos que a televisão foi feita para entretenimento do povo e não para ser babá eletrônica de nossos filhos. É imperativo e necessário também que entendamos que queimar etapas em vez de significar promoção social, representa regressão emocional para muitos de nossos infantes.

Quero incentivá-lo a nutrir na garotada o prazer pela vida. A vida é bela, é deve ser vivida momento a momento. Criança deve ser criança, até porque é sendo criança, vivendo como criança, não queimando etapas, nem tampouco ultrapassando os limites naturais da vida é que poderão no futuro construir um mundo melhor.

7) Assuma o papel que Deus lhe deu de pai e mãe, e não transfira a responsabilidade primordial de educar seus filhos para a escola ou igreja.

Pense nisso!

Renato Vargens
Anônimo disse...

OLÁ PASTOR! COMO VAI? PARABENIZO AO SENHOR POR ESSA MANSAGEM SOBRE CONFLITOS FAMILIARES... CONCORDO EM GÊNERO, NÚMERO E GRAU, FICO FELIZ PORQUE ESTAMOS SEGUINDO O CAMINHO CERTO QUANTO A EDUCAÇÃO DO LEANDRO. CONVERSAMOS SOBRE O AMOR EM FAMÍLIA, ELE É NOSSO AMIGÃO E PROCURAMOS SER AMIGOS DELE TAMBÉM, PASSEAMOS JUNTOS, BRINCAMOS JUNTOS E SEMPRE FALAMOS "EU TE AMO" UNS AOS OUTROS... HOJE MESMO QUANDO ESTÁVAMOS ALMOÇANDO FIZEMOS UM BRINDE COM O GUARANÁ E DESEJAMOS SAÚDE E AMOR UNS AOS OUTROS. ISSO QUE É FELICIDADE!!! LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR POR NOS PROPORCIONAR ESSA ALEGRIA!!! CONTINUEMOS A ORAR UNS PELOS OUTROS. ABRAÇOS PARA TODOS!

favourite category

...
test section describtion

Whatsapp Button works on Mobile Device only