Singelas diferenças entre Cristo e Alá

Renato Vargens

Certa vez ouvi uma história muito interessante cujas protagonistas eram duas moças, uma cristã e outra mulçumana:

Houve um dia que diferentemente do que comumente faziam, elas começaram a conversar sobre a fé que processavam. A cristã, falava de Cristo para a amiga e a mulçumana contrapunha os argumentos da colega cristã fazendo a apologia a Alá. Só que num determinado momento enquanto discutiam sobre os atributos pessoais de seus deuses, a que professava a fé muçulmana fora tomada por enorme sentimento de culpa. Isto porque, em meio ao debate ela ousou dizer que amava o seu deus. Depois de havê-lo feito, ela se sentiu imensamente culpada, isto porque, os muçulmanos desenvolvem a crença de que Alá é o Todo-Poderoso que está sentado em seu trono, e que não sente absolutamente nada pelo ser humano, nem tampouco se importa com ele, e que ninguém pode se dirigir a ele como a um amigo e muito menos desenvolver nenhum tipo de relacionamento pessoal com ele. A simples ousadia de alguém pensar nisso ou tratá-lo como uma pessoa, é considerada blasfêmia e infidelidade ao islamismo. Segundo o Islã aquele que age desta maneira, merece ser severamente punido.

No Alcorão existe uma lista de nomes que apontam para a personalidade de Alá. Na verdade, os muçulmanos possuem 99 definições de quem seja o seu deus. Contudo, existem duas definições as quais nós cristãos usamos que os mulçumanos jamais poderão usufruir, isto é, que Deus é Amor e Pai. Alguns acreditam que a maneira mais eficaz de se ganhar um muçulmano para Cristo é lhe dizer que Deus revelou a Si mesmo na Bíblia como agente de amor e paternidade. Na verdade a mensagem do cristianismo se contrapõem em muito a aquilo que outras religiões pregam e ensinam. O Deus da Bíblia está pronto a ter um relacionamento pessoal com você, ouvindo você, falando com você e amando a você.

Oh quão maravilhoso é conhecer o Senhor, bem como desfrutar de seu amor e cuidado. Como é bom saber que em Cristo, por Cristo e através de Cristo, tornamo-nos filhos e amigos de Deus!

Pense Nisso!

Renato Vargens

7 comentários:

"SÓ O AMOR CONSTRÓI PARA A ETERNIDADE, DEUS É AMOR".
OBRIGADO SENHOR JESUS.
GILBERT RAPOSO, UM APRENDIZ EM CRISTO JESUS.

GILBERT RAPOSO
1 de outubro de 2009 18:00 comment-delete

Imagino a situação em que ficasse inerte, desligado do mundo e, num dia qualquer da existência humana acordasse, sem nada conhecer da vida ou de Deus. Ainda assim, certamente me convenceria intimamente da Sua existência, tenho certeza. Não há outra divindade, em sua essência teoricamente conhecida, que se compare a Javeh. Ele, além de Todo Poderoso, é misericordioso e bom, justíssimo e amoroso. E ainda nos deu o Seu único filho para nos permitir chegar á Sua presença, posto que, por nossos méritos, não seria possível. Bendito seja o nome do Senhor!

1 de outubro de 2009 21:43 comment-delete

Faço Minhas as suas palavras pastor Renato:Como é bom saber que em Cristo, por Cristo e através de Cristo, tornamo-nos filhos e amigos de Deus!

Glória a Deus Aleluia!
Abraços
Armando Marcos

2 de outubro de 2009 01:28 comment-delete

Pastor Renato,

O problema está quando se fala do conceito de filiação para os muçulmanos. Se falarmos da nossa adoção, talvez eles torçam o nariz, mas eles não aceitam a filiação divina de Cristo porque para eles é blasfema: eles presumem que se deva ao resultado de uma relação carnal entre Deus e Maria.

Assim, os crentes devem explicar bem a filiação de Cristo para os muçulmanos, para evitarem que eles a vejam como basfêmia, o que seria contraproducente para a evangelização.

2 de outubro de 2009 07:44 comment-delete

Sim Sim...como é bom sabermos q temos um PAI e q podemos a qualquer momento desenvolvermos mais a nossa intimidade com Ele... É saber q existe algo maior...existe um Deus..criador do seu Céu e da Terra... com Ele é maravilhoso... You are Amazing God!!!

2 de outubro de 2009 13:08 comment-delete

Senhores, criticamos tanto o preconceito, enaltecemos tanto o amor de Deus !!! Então, vamos realmente pregar esse amor, que deve ser seguido de tolerância, não critiquemos outras religiões e/ou crenças. A nossa fé não pode ser imposta e, o respeito que exigimos para ela, temos que dar de volta.
Aliás, quem somos nós para saber quem tem razão? A fé não pode ser provada...ela é sentida, e provém de nossos corações e mentes...
Somos meros mortais...não temos o poder de afirmar sermos detentores da verdade absoluta.....mas temos FÉ..
Abraços

2 de outubro de 2009 20:57 comment-delete

Terrível esse texto(e o outro de Jesus X Maomé) que no fim só quer mostrar como os cristãos são melhores. Cada um tem sua fé, e esta é algo inexplicável e inalcansável. A única prova sobre a Verdade é aquela que temos dentro de nós e que não faz sentido fora da nossa própria consciência.

Se você gosta do seu deus, o ama e se sente privilegiado pela sua relação de intimidade com ele, ótimo, fico muito feliz por você, mas saiba que deves guardar isso apenas para ti e para os outros que explicitamente compartilham do mesmo pensamento.

Comparar as qualidades de seu deus com as dos outros e querer superpor a sua fé a uma outra pessoa completamente crente de seus princípios deveria ser considerado um pecado grave. Por causa desse tipo de relação é que tivemos as cruzadas, a inquisição, as jihads, a fundamentalismo cristão na Irlanda...

Você tem certeza de que prefere ficar convencendo os outros de que a sua religião e seu deus são melhores ou você quer ajudar a construir um mundo de paz onde todos se entendem independente da fé religiosa?

26 de janeiro de 2011 20:56 comment-delete