O embuste de Fátima

Por Renato Vargens

O Ex-sacerdote católico pastor Barbosa Neto escreveu relatando a verdade sobre a aparição da Virgem Maria em Fátima, o qual compartilho abaixo:

“Fátima, além de ficar situada numa região montanhosa, que na época das ‘aparições’ estava desprovida de bons e eficientes meios de comunicação, encontra-se numa zona onde se consome vinho de elevada graduação alcoólica, com uma população na sua quase totalidade, analfabeta e supersticiosa. É preciso não esquecer que o que nesta gente ignorante se conserva com o nome de ‘religião cristã’ não é mais do que superstição nas suas exteriorizações mais grosseiras e inferiores.

A mãe de Lúcia, lia aos filhos episódios do Velho Testamento, nos quais a divindade está em contato direto e permanente com os homens e Lúcia, por conseqüência, considerava fato trivial a ‘aparição’ nos seus dias de entes sobrenaturais a qualquer pessoa. Os padres, que naquela região gozavam de grande prestígio e autoridade e, seguidos às cegas, eram escutados e obedecidos pela população, e ‘espertos’ como bem se pode dizer que eles eram, orientavam e guiavam a vida toda na sua paróquia. Não tenham a menor sombra de dúvidas que os padres daquela região diante deste meio propício, no mais alto grau, à crença no sobrenatural, que fizeram agir as três crianças no sobrenatural, utilizando os três pequeninos videntes tais como suas marionetes, que em 1917 tinham dez, nove e sete anos de idade, respectivamente. A cúpula da Cúria Romana, a bem da verdade, no princípio não acreditou durante 13 anos nas ‘aparições’ da ‘senhora’ de Fátima, artimanhas engendradas pelos então padres de Fátima, mas quando verificou que milhares e milhares de pessoas acorriam a Fátima, entre 13 de maio a 13 de outubro, de cada ano, dando-lhes altos lucros financeiros, políticos e prestígio eclesiástico, apressou-se a reconhecê-las, em 1930, como fenômeno sobrenatural, oficialmente.”

No dia 15 de Julho de 1999, o canal 1 da RTP transmitiu um debate entre dois padres católicos sobre Fátima. Eram eles, o padre monsenhor José Geraldes Freire, a favor de Fátima e o padre Mário de Oliveira, contra Fátima. Este debate, ou frente-a-frente, foi moderado pela jornalista Judite de Sousa.

À pergunta feita pela jornalista, sobre a beatificação dos pastorinhos Jacinta e Francisco, o padre Mário respondeu que "todas as crianças são inocentes e a melhor expressão do reino de Deus é que estas crianças foram vítimas de exploração e maus tratos e ainda agora estão a ser exploradas".

Ao ser questionado se ainda se considera um padre católico, ele responde que «procura seguir o Deus revelado em Jesus de Nazaré e em Maria; não o Deus da Senhora de Fátima. "O cristianismo de Fátima tem mais de paganismo do que de Jesus". E Nossa Senhora não é o mesmo que Maria, mãe de Jesus ? - pergunta a jornalista. "Senhor, na Bíblia, quer dizer Deus. No santuário de Éfeso também havia uma divindade e Paulo insurgiu-se contra ela. Senhora, é um título divino e isto é idolatria. Ela diz que é a escrava do Senhor e não a Senhora do Senhor. As aparições de Fátima são demoníacas, não está ali a marca de Jesus."

A escritora Mary Schultze compartilha que diante da falácia do Catolicismo o famoso pregador C. G. Spurgeon afirmou:

"Não encontro palavras por demais severas. Se cada frase minha fosse um trovão e cada palavra, um relâmpago, mesmo assim não seriam fortes demais para protestar contra a maldito sistema que tem degradado a terra inteira, levando-a a beijar os pés do papa e que ainda continuar a rebaixar a nossa nação, e isso através de uma igreja dita protestante. Ó Deus Todo Poderosos, Tu que é o Deus de Latimer e de Ridley, o Deus dos mártires, cujas cinzas ainda se encontram entre nós, será que vais tolerar que este povo volte aos falsos deuses, aos santos e santas, às virgens e crucifixos, às relíquias e às baforadas de fumaça e ao domínio tenebroso? Pois a isso ele vai chegar, se a Tua graça não prevalecer. Ó, meu ouvintes, Jesus é o único Salvador dos filhos dos homens. Creiam nele e vivam. Este é o único evangelho e vocês estarão correndo perigo se não o receberem, por amor a Cristo”.

Caro leitor, a fé evangélica não se fundamenta em aparições descabidas de santos ou anjos. Para os crentes o que importa é a fé exclusiva no Filho de Deus. Em Cristo, por Cristo e através de Cristo é que somos salvos, junta-se a isso o fato de que as Escrituras Sagradas afirmam que só existe um mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus.

A Ele toda glória!

Renato Vargens

4 comentários:

Segue texto absolutamente elucidador sobre a Virgem de Fátima.

http://www.cpr.org.br/Fatima_a_Deusa_do_Cascalho.htm

Anônimo
19 de outubro de 2009 14:39 comment-delete

Olá.

A dissimulação é algo incrível. A cúpula católica quer fazer crer, mistificando, claro, que apenas "veneram" Maria. Como se venerar tivesse grande diferença com "adorar". Isso, segundo eles mesmos, é hiperdulia, logo, só a Deus cabe.
Na medida em que oram para a tal, como também para os seus centenas ou milhares de santos ocos, tornam-nos intercessores, intermediários ou mediadores entre eles e o Pai Celestial. É a mais pura idolatria! E Deus não admite dividir a sua glória, conforme bem sabemos. Quanto a mediadores, só há um.

Em Cristo.

19 de outubro de 2009 18:04 comment-delete

Renato fio de Deus!

Tú vai ficar sem poder passar na frente de paroquia nenhuma! kkkk

E eu que vou atras te publicando não vou poder nem ir na Betesda conhecer, pois tenho de passar na porta do PAdre Marcelo! kkkk

19 de outubro de 2009 19:43 comment-delete

Caro Pr Renato
Incrível mesmo é como um ser humano, privilegiado com raciocínio,se abastarda a tal ponto, prostrando-se diante de ídolos que a Bíblia Sagrada chama de demônios(1Co 10.1-21; Ap 9.20).
DEUS o abençoe.
Moysés Magno

28 de junho de 2010 10:00 comment-delete