Aparecida, Padroeira do Brasil ou fonte de idolatria?

Renato Vargens

O dia 12 de outubro é caracterizado pela idolatria religiosa que ainda domina boa parte do nosso país.

É comum nesta época do ano observarmos centenas de romeiros caminhando em direção a Aparecida do Norte. Tais pessoas na expectativa de milagres fazem imensos sacrifícios físicos, andando quilômetros a fio, carregando nos ombros cruzes, imagens, objetos e réplicas da basílica.

Ora, as Escrituras Sagradas terminantemente afirmam de que não podemos fazer para nós mesmos imagens esculpidas. (Ex 20; Lv 19.4, Lv 26.1). Deus proibiu ao seu povo a confecção e o culto a estátuas. No entanto, O catolicismo Romano ao longo dos séculos tem ensinado o culto à imagem, inventando assim uma teologia absolutamente contrária à Bíblia.

Prezado leitor, confesso que ao ver cenas como as relatadas acima, sinto-me duramente impactado pela triste realidade desta gente sofrida e iludida, a qual devido as dores e sofrimentos da alma, buscam desesperadamente respostas através de sacrificios que não os levam a nada.

Diante de fatos como estes torna-se impossível esquecer-me das palavras do Apostolo Paulo as quais nos exortam:

“Como Ouvirão se não há quem pregue?”

O que temos feito diante da idolatria de milhões de brasileiros? Temos anunciado o Evangelho integral de Cristo Jesus, ou temos andado preocupados com a nossa satisfação e realização pessoal?

Amados, não nos esqueçamos que os campos estão prontos, Deus nosso Senhor nos redimiu e nos comissionou a noticiarmos as boas novas da salvação a todos quanto pudermos! É imprescindível que apregoemos a esta geração a verdade absoluta de que "há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem" (1Tm 2:5), e que "não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos" (At 4:12).

Prezado leitor, nós não precisamos da intercessão de Maria ou de quaisquer santos, nem tampouco tem eles poder para tal. A obra de Cristo é suficiente para a nossa salvação. Maria e todos os demais herois da fé só puderam ser salvos pela graça e mediação eficaz do nosso Senhor.

Solus Christus

Renato Vargens

10 comentários:

Oremos por estas pessoas que não conhecem a palavra de DEUS, pois estão cegas, muitos de nós passamos por ali, e hoje libertos temos que testemunhar o nosso DEUS verdadeiro e unico, a quem devemos dobrar nossos joelhos, e dar Glórias a DEUS !!!!!!
Sejamos sempre auxiliadores para que haja união e amor.
Gilbert Raposo, um aprendiz em Cristo Jesus.

GILBERT RAPOSO
30 de setembro de 2009 06:53 comment-delete

A SENHORA APARECIDA


A Senhora Aparecida,

que é um ídolo hinduista,

há meses fora imergida

com um propósito em vista.

Achada por pescadores

pra pessoa interessada,

hoje recebe louvores

como deusa entronizada.

Ela usa um manto belo,

como as deusas do Hinduísmo,

e é tratada com desvelo

por todo o Catolicismo.

Ela não é a Maria
de quem Jesus foi nascido,

porém a estátua fria

de um ídolo esculpido.

Não passa de muita asneira

de quem é ignorante,

chamar de Medianeira

esse ídolo aberrante.

Se o Brasil fosse nação

consagrada ao nosso Deus,

não lhe faria oração,

e lhe daria um adeus!

Porém o povo enganado

pela falsa hierarquia

adora um ídolo pescado

dizendo que ele é Maria!

Muita grana vai correndo

pra Catedral dessa “santa”,

muitas crianças morrendo

de fome - e ninguém se espanta.

Adorar ídolos mudos,

surdos, cegos e inativos

é seita tipo Canudos

e não serve para os vivos.

O povo é supersticioso,

acreditando em lorotas

e, sendo religioso,

adora até as marmotas.

Meu amigo brasileiro,

não seja tão inocente.

Adore o Deus verdadeiro

que nunca falha nem mente.

Nenhum ídolo ou “santo”

merece ser adorado,

pois só trazem desencanto,

sem nunca dar resultado.

O Messias dos judeus,

Salvador e grande amigo,

É Jesus, o nosso Deus,

que nos livra do perigo

de vivermos no pecado

e irmos para o inferno,

pois seu sangue derramado

tem um valor sempiterno.

Deixemos a idolatria,

pra Deus abominação.

Vamos respeitar Maria,

mas sem fazer-lhe oração.

Só Deus nos ouve os pedidos

em o Nome do Seu Filho

e seremos atendidos;

pra Deus não há empecilho!

Quem quiser ser atendido

por Deus em sua oração,

deixe o ídolo esculpido

largue a prostituição.

Adorar ídolos diversos

é para Deus um horror,

e então seremos imersos

em fogo consumidor.

Praticar idolatria

é atentar contra Deus

pra recebermos, um dia,

todos os castigos seus.

Sempre que um povo carrega

seus “santos” sobre um andor,

das mãos de Deus escorrega

para um abismo de horror.

País que adora uma imagem

e não o nosso Senhor,

só se baseia em miragem

e afunda sempre na dor!

Meus irmãos, a idolatria

é morte espiritual.

E nesse ponto, Maria

é a deusa universal!


Mary Schultze - 12/10/98

Anônimo
30 de setembro de 2009 14:44 comment-delete

POR QUE NÃO SOU CATÓLICO?!

Por Thelmo Vieira

Católico é um substantivo de origem grega que significa ‘universal’, o que é contrário à formação eclesial ínsita no Novo Testamento, cujas igrejas se espalhavam por toda a Ásia Menor com autonomia; o que pode ser confirmado nas diversas Cartas do Apóstolo S. Paulo.

As palavras católico, cardeal e papa não existem em toda a Bíblia, bem como purgatório, hóstia, dogma, Fátima, limbo, etc.etc.

A IC ainda há apenas 50 anos proibia a leitura da Bíblia, invocando que os crentes não sabiam interpretá-la. Foi o Papa João XXIII que alterou tal obscurantismo no Concilio Vaticano II. Agora incentivam a sua leitura mas é certamente por razões comerciais, pois nunca vi fazê-lo nas homilias de modo explícito.

O Catolicismo não é uma religião nem uma igreja, mas sim uma indústria religiosa, aliás, altamente lucrativa, como se verifica nos diversos santuários existentes em todo mundo, com proveitos de muitos milhões de contos.

A Basílica de S. Pedro em Roma foi construída pelo Papa Leão X (1513-1521) com o produto da venda de indulgências (lugares cativos no céu). Consequentemente o papado corrupto perseguiu com ferocidade Martinho Lutero, entre muitos outros, por protestarem contra a lascívia e opulência do Vaticano.

A IC queimou na praça pública o Frade Giordano Bruno, apenas por ele ter afirmado o princípio heliocêntrico; o mesmo esteve para acontecer a Galileu Galilei, pelas mesmas razões, acabando por falecer em prisão domiciliária, depois de ter sido obrigado a abjurar para não morrer na fogueira. A IC levou mais de 400 anos a reconhecer um erro tão evidente.

Por ser de origem judaica, e sob a acusação de ‘comer carne à sexta-feira, o escritor Damião de Góis foi perseguido pela Inquisição, mas como se tratava duma figura pública de grande prestigio foi assassinado dentro de sua casa, morrendo, barbaramente, dentro da lareira. Garcia de Orta teve de fugir para Goa e, mesmo depois de sepultado, foram os seus restos mortais exumados para serem queimados na pira de Inquisição.

Os crimes da IC, sem incluir os famigerados Bórgias, têm natureza despótica. O chão do Rossio e do Terreiro do Paço em Lisboa, entre muitos outros, estão ensopados em sangue de vítimas da Inquisição, julgadas tiranicamente no Palácio dos Estaus onde hoje se encontra o Teatro D. Maria II.

A Opus Dei é uma organização católica tão tenebrosa que os respectivos membros apenas são fotografados de costas. O autor, Mons. Escrivá de Balanguer, era um espanhol, franquista confesso, que o falecido Papa beatificou recentemente, e destacou na Praça de S. Pedro com uma estátua monumental digna do seu alto farisaísmo.

A IC esteve sempre ao lado das ditaduras de extrema-direita; nazismo, fascismo, franquismo, salazarismo, etc. etc., nunca tendo levantando um dedo contra Hitler, Mussolini, Pinochet, etc. Nem mesmo quando Salazar deportou o Bispo do Porto, D. António Ferreira Gomes, apenas por este prelado lhe ter endereçado uma carta de cariz político, a IC portuguesa não teve a mais leve manifestação de repúdio, ou não fosse Cerejeira um acólito do execrável regime político de então.

Como se viu ainda recentemente, a ingerência da IC na actividade politica é uma constante, chegando a pedir o derrube de um governo eleito democraticamente em Timor, e a pedir uma sublevação de funcionários em Espanha, a propósito dos casamentos homossexuais.

continua...

Anônimo
30 de setembro de 2009 14:54 comment-delete

Continuação do post anterior...

Uma igreja que proíbe o preservativo num mundo que se debate com uma pandemia como a SIDA deveria ser julgada na A.G. da ONU ou no TPI. Um dia aparecerá a pedir perdão às famílias das vítimas da SIDA que vão morrendo por não usarem preservativo em obediência ao Papado. Primeiro matam. Depois pedem perdão como fez João Paulo II no muro de Jerusalém em Maio do ano 2000.

A IC adulterou sistematicamente os princípios do Novo Testamento, de tal maneira que o seu cristianismo nada tem a ver com a Igreja primitiva que qualquer pessoa pode observar lendo o Novo Testamento. A adulteração é tal que, durante séculos, caluniou Maria Madalena chamando-lhe prostituta, com o mesmo à-vontade com que hoje exclui os católicos que tiveram a infelicidade de se divorciarem.



A IC patrocina a idolatria e a superstição em todo o mundo, lucrando monetariamente com isso; sentindo-se bem com o paganismo que Constantino lhe impôs. Daí a aparição de Fátima em 1917, para combater a República Portuguesa, a qual é teologicamente errónea e iníqua face à mensagem de Cristo no Novo Testamento.

As mistificações religiosas da IC é tal que consegue pôr ao colo do sr. Fernando de Bulhões (vulgo Santo António) nascido cerca do ano 1200, o Messias que nasceu, portanto, doze séculos antes.

A IC é uma ditadura machista que não recebe jovens deficientes como sacerdotes, e muito menos mulheres que trata como seres inferiores e demoníacos na continuação das afirmações fanáticas de Santo Agostinho.

Anônimo
30 de setembro de 2009 15:01 comment-delete

continuação...

A IC não paga as indenizações às vítimas dos pedófilos os quais mantém ao seu serviço, dando-lhes cobertura ao tentar sistematicamente abafar a realidade.

A IC é responsável pelo machismo que condena criminalmente mulheres por abortarem, emiscuindo-se na consciência de cada um, como acaba de fazer um famigerado padre no próprio funeral duma criança barbaramente assassinada próximo do Porto.

A IC parou na Idade Média, e só avança quando é inevitável. O Concilio de Trento foi uma fábrica de invenções apócrifas. Os sacerdotes progressistas, cujo comportamento cívico deveria ser dado como exemplo numa sociedade sem valores como a nossa, são sistematicamente afastados das suas funções, e, tal como Lutero transformados em inimigos. Naquele concilio inventou o celibato obrigatório até aí inexistente, após o que teve inicio a maior luxúria, inspiradora de obras como ‘O Crime do Padre Amaro’ de Eça de Queiroz, entre tantas outras.

A IC está quase sempre ao lado dos poderosos, sendo um estado dentro de outros Estados, com regalias que ninguém mais tem, nomeadamente no que concerne à isenção de impostos.

O Papa João Paulo II que em breve será beatificado com direito a altar desterrou em 1995 o Bispo Jacques Gaillot da diocese de Evreux (França) para a extinta diocese de Parténia no deserto da Argélia. O referido bispo cometeu o ‘crime’ de estar ao lado dos mais desprotegidos da sociedade e de ter denunciado a corrupção do Vaticano.

A IC deveria ser a primeira a alijar os privilégios de que desfruta em todo mundo, regressando à humildade evangélica, para assim ter autoridade moral.

A IC é uma superestrutura que não tem quase nada de cristã. Está a um abismo da Igreja de Jerusalém revelada no Livro dos Actos dos Apóstolos.

A IC tem perseguido outros cristãos até à morte, vide o recente livro ‘Madeirenses Errantes’ de autoria do Jornalista Ferreira Fernandes.

A IC só não tem hoje o comportamento que tinha na Idade Média porque não tem força para isso, uma vez que o poder político ocidental tem hoje um discernimento que faltou aos déspotas do passado.

A este tipo de religiosos Jesus Cristo chamava ‘sepulcros caiados’ e ainda ‘cegos e condutores de cegos’.

A Revolução que Cristo provocaria hoje, neste mundo, levá-lo-ia de novo à pena capital, e certamente teria de começar por denunciar a hipocrisia da IC como fez na Galileia denunciando os fariseus, os quais o condenaram a morrer no Gólgota pendurado numa cruz.

Os países mais miseráveis do mundo são católicos, v.g. Portugal, Brasil, Colômbia,Venezuela, Perú, Equador, Bolívia, Filipinas e, de um modo geral, toda a América Latina, vidé A Riqueza e a Pobreza das Nações de David Landes, cujas razões são ali explicitadas.

Estão muito escandalizados com o romance ‘O Código da Vinci’ de Dan Brown, e têm tentado censurar o filme que está a ser realizado, mas deveriam estar bem mais incomodados com a ostentação e pedofilia em que estão atolados.

Vem agora o Papa declarar que só a IC é igreja dado que, alega, só ela tem tido continuidade desde Cristo. Esquece o Sr.Ratzinger que durante muitos anos e mais de uma vez a IC teve um papa em Roma e outro em Avinhão e teve mesmo uma papisa Joana que pariu em plena Praça de S. João de Latrão.

Isto é que é uma continuidade… ..como se alguma vez Cristo tivesse proferido o termo Católico ou o Apostolo Paulo tivesse ensinado tal princípio! Ao contrário, Cristo ensinou que onde estivessem dois ou três reunidos em seu nome, ele estaria no meio deles, sic.

http://thelmovieira .blogs.sapo. pt/2250.html

Anônimo
30 de setembro de 2009 15:03 comment-delete

E triste saber que apesar de estar na biblia que não devemos ter ídolos, eles continuam mesmo tendo a mesma biblia.
Mas tambem é triste saber que nos CRENTES/EVANGELICOS (ALGUNS) tambem tem seus ídolos cantores/pastores/apóstolos etc.etc. mais etc.

Anônimo
30 de setembro de 2009 15:13 comment-delete

Em uma das conversas que realizamos uma vez por semana em minha casa,daqueles cafés da vida, estavamos falando sobre a questão das pessoas que sofrem e não sabem.Olha,podem falar o que quizer ,mas no meu ponto de vista,satanás para arrastar multidões investe no catolicismo para tentar desviar a atenção da verdadeira palavra de Deus,visto que ele não cria nada,a não ser a mentira,sendo assim,é o pai da mesma,contudo a idéia do maliguino é mudar a conduta que o Senhor espera do homem.O esperitismo e as práticas católicas caminham de mãos dadas.Quando eu vejo aquela quantidade de pessoas quase que incontáveis seguindo uma procissão,cortejo religioso sei lá,eu fico pensando o quanto seria bom se as escamas desse povo caíssem.Eles ficam presos aos grilhões!Vão caminhando com muita fé em uma coisa que é feita de barro ou de gesso.Po! Jesus é Deus vivo!Aleluia!Hoje falei com ele!Não existe coisa mais interessante do que lermos em ISAIAS 44;22 quando Deus fala assim:DESFAÇO AS TUAS TRANSGRESSÕES COMO A NÉVOA,E OS TEUS PECADOS COMO A NUVEM:TORNA-TE PARA MIM,PORQUE EU TE REMI e tantas outras coisas maravilhosas,como SÓ EXISTE UM ÚNICO MEDIADOR ENTRE O HOMEM E DEUS,QUE É JESUS O NOSSO SALVADOR,LIBERTADOR,DEUS VIVO,AQUELE QUE CURA,QUE LIBERTA,TRAZ A PAZ ,restitui o anos que foram consumidos pelo rabudo,capiroto,enganador,sujo e que queria me colocar na frigideira,sai fora!A minha oração é para que as escamas dos olhos desse povão caiam por terra e que ao invés de adorar as Marias,Aparecidas e coisas assim,ADOREM AQULE QUE MORREU PARA NOS SALVAR E RESSUSCITOU AO TERCEIRO DIA QUEBRANDO TODA IDÉIA DE QUE O HOMEM E satanás PODEM INTERVIR NOS PLANOS E PROPÓSITOS DE DEUS!
AMÉM!!!!!!

30 de setembro de 2009 22:12 comment-delete

B R A S I L UM PAÍS SEM DEUS
Uma Nação De deuses

“BEM-AVENTURADA É A NAÇÃO CUJO DEUS É O SENHOR, E O POVO QUE ELE ESCOLHEU PARA A SUA HERANÇA”
Salmos 33:12

A degradação moral e espiritual tomou conta do Brasil e isto vem de longe, muito longe! Colonizado pelos portugueses católicos convictos, Dom Pedro I, logo após a declarar a independência achou que o Brasil precisava ter um “santo protetor”(?), reconhecido pela igreja e também autorizado pelo Papa. Assim, solicitou ao Vaticano que fizesse de São Pedro de Alcântara o Padroeiro do Brasil. A indicação foi pela devoção especial que ele tinha por ele e por trazer, como imperador, o próprio nome do santo, assim ele decidiu escolhê-lo com padroeiro principal de todo o Império. Isso foi feito a 31 de maio de 1826 tendo o Papa concordado, embora ele, Dom Pedro I, já tivesse feito a consagração do Brasil a Nossa Senhora Aparecida. Ela que em 1717, no rio Paraíba que nasce em São Paulo, foi resgatada por três pescadores recebeu o nome de Nossa Senhora da Imaculada Conceição“Aparecida”. Em 1929, ela foi proclamada Rainha do Brasil e sua Padroeira Oficial, por determinação do papa Pio XI, sendo coroada. O catolicismo cumpriu o seu papel e nós evangélicos tivemos que digerir a tal santa milagrosa que ainda hoje atrai milhares ao seu santuário na cidade que leva o seu nome.

Passados tantos anos sob a suposta proteção de “Aparecida” o que vemos é uma degradação moral espiritual que assola o Brasil e se alastra rapidamente; a nação está em decadência absoluta em todos os aspectos. O hedonismo, do grego hēdonē "prazer" que é uma teoria ou doutrina filosófico-moral que afirma ser o prazer individual e imediato o supremo bem da vida humana tornou-se numa obseção levando o País a bancarrota; a ética desapareceu dando lugar à corrupção; principios elementares de comportamento e de relacionamentos estão sendo desprezados; a religião permitiu aos seus seguidores o exercicio do narcisismo como modelo de conduta; a cultura do sexo, da bebida, das drogas e da imoralidade estão sendo aos poucos institucinalizadas; o que era ilegal está recebendo das autoridades o aval para serem usados abertamente e lamentavelmente nós evangélicos estamos fazendo parte deste mal. Ao invés de nos tornarmos médicos espirituais, nós temos contribuido para a deteriorização social e moral do País. Lamento que nós, povo de Deus, estejamos produzindo muito pouco impacto na sociedade e nos governantes; na cultura, na educação, nas diversões, e na familia a nossa participação tem deixado a desejar, pois nos tornamos reféns de uma religiosidade omissa ou no mínimo conivente com as mazelas deste mundo. Somos o País das seitas e das heresias; da religião “Bom Bril” de mil e uma utilidades, mas que a ferrugem tomou conta; da graça barata; das igrejas voltadas para seus interesses e os de seus líderes e não os do Reino.

A igreja se institucionalizou e transformou Jesus num “ídolo de templos”. Nossos objetivos e valores mudaram, já não buscamos mais uma comunhão na comunidade junto com todos os homens; estamos vivendo segundo o espírito mundano do individualismo e da fama. Do individualismo sim, pois nos fechamos entre as paredes dos templos; endeusamos líderes que buscam os seus negócios e não os de Deus. É assim que vivemos.

Continua...

12 de outubro de 2009 10:58 comment-delete

Continuação...

Os “deuses” assolaram o Brasil e a população se tornou refém por comodidade e por falta total da presença veradeira da igreja de Jesus Cristo no seio da sociedade. São “Santos Padroeiros” de cidades, estados, agremiações, hospitais, dioceses e vai por ai. O “DEUS” verdadeiro está sendo substituído por um materialismo selvagem onde as imagens são instrumentos de adoração, de integração e de aproximação entre o homem e o Criador como se Deus precisasse de alguém para secretariá-lo no atendimento aos sofrimentos do cidadão. Uma nação que tem uma “santa”(?) como padroeira jamais poderá ser abençoada; uma nação que se dobra a imagens inanimadas feitas por homens coim certeza não receberá a aprovação de Deus para as suas aspirações e necessidades.

Hoje qualquer calamidade, qualquer situação de risco ou de individamento entram e cena o ”santos”, e tem para todos os problemas e gosto e assim o povo brasileiro vai tocando o seu misticismo religioso deixando “DEUS” relegado a um segundo ou quem sabe ultimo plano. Se chove muito, da-lhe “santo”; se a seca é brava lá vem um outro para “socorrer” o povo. Tem até o das ”causas impossíveis”. Eu pergunto: Onde Deus entra nesta farra dos milagreiros? Até onde se sabe “DEUS” não delegou a nenhuma “imagem” feita pela mão de homens, o que é óbivio, autoridade para representá-lo ou atender a alguém; isto ele fez com os “HOMENS” dando a estes poderes para curarem enfermos, expulsar demônios entre outras coisas. Mateus 10:7 a 9

“Confundir-se-ão de vergonha os que confiam em IMAGES de escultura, feitas por homens e dizem a elas:Vós sois deuss” - Isaías 42:17

Continua...

12 de outubro de 2009 10:59 comment-delete

Continuação...
Uma nação bendita descrita pelo salmista busca um DEUS vivo, e vive sob o dominio Dele; Uma nação bem-aventurada não corre atrás de atalhos via “santos” para encontrar Deus; não se vale de quebra galhos para terem as suas preces e orações atendidas até porque com Deus aligação é direta, do contrário estaremos duvidando da sua onipresença, unipotência e oniciência, dando poderes imagens para que possam nos acessorar nas nossas dificuldades e nos nossos problemas. Ou DEUS é de fato DEUS ou então abrimos mão disto e deixamos para seres inanimados as ações de socorrernos nas nossas aflições. Ou deixamos os nossos problemas aos ”pés da cruz” ou então os depositamos acompanhados de uma vela aos “pés de uma imagem” qualquer.

Deus prefere obediência a sacrifícios disse Samuel ao rei Saul. Até a alguns dias atrás não via nesta frase um significado tão gracioso, mas hoje a vejo e a interpreto como uma das frases mais fantásticas e reveladoras do que Deus busca em nós. Tudo depende de nós e de nossa relação com o Criador!

O Brasil está assim e nós evangélicos somos culpados, isto porque as nossas igrejas estão com os tanques de combutível vazios, por esta razão os crentes vão ao mundo buscar alternativas para suprirem as suas necessidade espirituais. Lá encontram produtos de baixa qualidade ou falsificados e acabam trazendo estes para dentro de nossas igrejas.

O despertamento espiritual, normalmente não vem para ricos ou prósperos. O avivamento nasce de lutas, de tribulações, de infortúnio e de circunstãncias adversas, quando as pessoas em desepero, já não sabem a quem recorrer, e aí se voltam para Deus. Uma de minhas passagens favoritas está registrada em I Samuel 30, quando Davi e seus soldados retornam a Ziclague e vêm os Amalequitas que tinham invadido as suas terras, incendiado a cidade, levado cativos as mulheres e os filhos deles. É dificil imaginar o quadro encontrado por eles, mas em lugar de se lamuriarem e de se envolverem em panos de saco, a Bíblia afirtma que Davi se fortaleceu no Senhor. O final é da história é só ler o restante do capítulo... Um líder que estabelece a sua confiança no Deus verdadeiro obtém sucesso nas suas investidas. O povo está confundindo bagunça religiosa com avivamento, barulho com a presença do Espirito Santo, falar em líguas com santificação.

No meio evangélico percebe-se, hoje, um comodismo e uma estagnação por parte dos fiéis. Muitos crentes enxergam e vivem a fé e a espiritualidade como algo do tipo freqüentar cultos. Todas as igrejas “sem exceção” adoram fazer festas, congressos, shows, espetáculos, encontros, palestras e mais um monte de coisas que só aumentam as agendas das mesmas. Não podemos mudar a sociedade porque não conseguimos mudar a nós mesmos. O “Espírito Santo” não aprecia coisas desta natureza, se ele não pode ser “SOBERANO”, ele prefere retirar-se e ai a fonte de água viva acaba secando e os crentes buscam no mundo válvulas de escape para as suas necessidades. Precisamos entender que o campo de batalha favorito de Satanás são os bancos da igreja e como ele tem derrotado muita gente ali.

Festas enobrecem o ego, mas não acrescentam nada no caráter cristão. Espetáculos só servem para mostrar que ofertamos a Deus a oferta de Caim, pois se estivéssemos preocupados em ofertar o melhor para Deus, nunca realizaríamos tais eventos ou gastaríamos nossas ofertas com shows, antes sairíamos ao encontro dos pobres, dos marginalizados, dos doentes e dos fracos. No entanto, diante do que Deus busca em nós, uma pergunta fica sem resposta, será que de fato pensamos no céu alguma vez?

Carlos Roberto Martins de Souza
crms2casa@hotmail.com

12 de outubro de 2009 10:59 comment-delete