Sorria, você está sendo filmado!

Por Renato Vargens

Por todos os cantos e em todos os lugares é comum observamos fixados em murais e paredes advertências como esta: "Sorria, você está sendo filmado!” Na verdade, para alguns a vida se transformou numa grande exibição pública onde vigiam e são vigiados na expectativa de flagrar alguma coisa que satisfaça suas taras e curiosidades.

Acredito que estejamos experimentando um alavancamento do voyeurismo, que é na verdade uma “necessidade explicita” pelas quais muitas pessoas aliadas ao exibicionismo de outras, procuram saber o que acontece na vida de indivíduos os quais nunca viram ou até mesmo se relacionaram. Com o advento das câmeras acopladas aos computadores, a tão falada “webcam”, tornou-se absolutamente possível acessar serviços pela internet de tudo quanto é tipo, desde pessoas que simplesmente querem ver ou mostrar o seu dia a dia, até aqueles de cunho sexual.

A curiosidade pela vida alheia é tamanha que um dos programas de maior audiência da TV brasileira é o famigerado Big Brother Brasil (BBB), onde por aproximadamente três meses, algumas pessoas ficam confinadas em uma casa, com câmeras espalhadas por toda a parte filmando-as 24h por dia. Ora, o Sucesso do BBB diagnostica que a sociedade a qual fazemos parte, encontra-se profundamente adoecida, além de culturalmente empobrecida. Confesso que o burburinho da mídia e a agitação do povo diante deste inócuo programa, produzem em meu coração uma profunda inquietação quanto ao rumo que a sociedade brasileira tem tomado. Na verdade, programas como este retrata o real quadro desta geração o qual sente um prazer em mostrar a todos suas ambigüidades, promiscuidades e anomalias.

Infelizmente essa geração entra para a história como a geração que definitivamente perdeu a vergonha. Isto porque, o que antes era considerado imoral de até mesmo ser mencionado, agora em virtude da inversão de valores e do relativismo ético pela qual vive a sociedade pós-moderna, tornou-se chique e atrativo.

Dentre tantas crises vivemos intensamente uma significativa deficiência de moralidade, onde valores e conceitos até então inegociáveis, tornaram-se insignificantes à uma sociedade desprovida de integridade, decência e moralidade.

Pense nisso!
Renato Vargens

1 comentários:

Acho as Câmaras um fator positivo.Elas possuem o papel de inibir a prática do delito e do pecado.

Anônimo
22 de agosto de 2009 09:40 comment-delete