Algumas razões porque você deve orar pelo seu pastor.

Por Renato Vargens

Algumas pessoas pensam que exercer o ministério pastoral é fácil. Talvez elas não entendam a complexidade do cumprimento de tão árdua tarefa. Na verdade, muitos não sabem a responsabilidade e a pressão que o ministério exerce na vida do pastor. Para piorar a situação, a Igreja do Senhor não trata de seus pastores como devia. Infelizmente conheço inúmeros casos de pastores marcados por igrejas intransigentes, que exigem de seus líderes atitudes sobre-humanas, levando-os a exaustão espiritual.

Uma pesquisa feita nos Estados Unidos afirma que cerca de 90% dos pastores estão trabalhando entre 55 a 75 horas por semana. O percentual de esgotamento está no máximo, com somente 50% dos pastores cumprindo seus anos de trabalho como pastor. A pesquisa também afirma que mais de 50% dos graduados nos seminários deixam o ministério depois de 5 anos. Mais de 1200 pastores a cada mês deixam o ministério devido a tensão ou situações relacionadas com a igreja, assuntos familiares ou falha moral.

O divórcio entre os ministros subiu em mais de 65% nos últimos 20 anos. Cerca de 94% dos ministros sentem a pressão de ter que ter uma “família perfeita”. Pesquisas revelam que 71% dos pastores dizem que estão tendo problemas financeiros. Cerca de 67% das esposas de pastores dizem que não estão satisfeitas com seu matrimônio e 33% dos casamentos pastorais sofrem de tensões causadas pela quantidade de trabalho.

Mais de 90% dos pastores levam para casa “bagagem mental e emocional do trabalho ministerial. Dados confirmam que 75% dos pastores dedicam menos de uma noite por semana a seu cônjuge e amizades. Cerca de 80% dos pastores crêem que o ministério afetou suas famílias de uma maneira negativa. 70% dizem que não têm alguém que consideram como amigo mais chegado e 97% dizem que não foram preparados adequadamente para enfrentar assuntos que encontram na igreja. Com uma realidade como esta, mais do que nunca, precisamos orar pelos nossos pastores.

E você? De que forma tem lidado com seu pastor? Em suas orações você tem lembrado dele? E se você fosse pastor? Gostaria de ter uma ovelha como você?

Pense nisso!

Renato Vargens

7 comentários:

Realmente os indices das pesquisas neste artigo apresentadas são altos no sentido de dificuldades que os pastores encontram para administrar sua própria vida pessoal, no entanto quando o camarada é vocacionado e durante o namoro/noivado a sua futura esposa está acompanhando toda trajetória e vendo como será a vida com seu marido pastor, e quando o irmão já casado chega ao pastorado deve haver um entendiemento entre o casal e se a esposa não aceitar é complicado, porque a cobrança em cima das esposas de pastores é grande, o pastor é um homem igual a todo mundo, tem emoções, tem altos e baixos, tem dúvidas, falham também, e vivem na alça de mira porque o que tem de genteobservando para meter o chicote na primeira oportunidade não é pouca gente não, então oremos pelos nossos pastores e sejamos ajudadores no que sentirmos no coração, que DEUS os abençõe.
Gilbert Raposo, um aprendiz emCrsto Jesus.

GILBERT RAPOSO
28 de agosto de 2009 18:34 comment-delete

Excelente texto Pastor Renato.
Deus o abençoe!

28 de agosto de 2009 23:24 comment-delete

Excelente artigo. Nós, ovelhas que às vezes somos lobos dos nossos pastores, precisamos aprender a amar e entender o líder que Deus instituiu sobre nossas vidas. Entender isso nos leva a orar e clamar por nossos pastores todos os dias, além de trazer à nossa mente a clareza de que somos co-responsáveis e devemos ser facilitadores na obra que nos foi confiada.
Semíramis

Anônimo
29 de agosto de 2009 08:52 comment-delete

Realmente a missão é muito árdua. Precisamos sim, orar por nossos pastores. Há também, os que colocam a família em terceiro plano e vão sofrer as consequencias. Porém, acredito que muitos, muitos mesmo, se atrevam a aceitar esta missão em troca de status, estabilidade financeira,(o mercado de rabalho está cada vez mais competitivo), etc... Deus não obriga ninguem, se alguem quer ser pastor, tenha certeza do chamado e pague o preço...

29 de agosto de 2009 09:31 comment-delete

Caro Renato,
Envio um texto parte de um texto meu que vai nesta direção.
Um abraço!
Pr Evaldo Rocha

Confissões do pastor

Aprendi que existe um preço alto a pagar no ministério pastoral e que nem todos desejam enfrentar este custo. Aprendi que existem pessoas que não ficam à vontade com seu sucesso. Aprendi que alguns “pastores” são lobos disfarçados de ovelhas: somente usufruem das benesses que o ministério pode trazer ou àquilo que eles de forma desonesta, conseguem abocar (Jr 23.1-2; Ez 34.2-3). Aprendi que nem todos são ovelhas. Aprendi que alguns podem ser bem piores na igreja do que os que estão fora dela (I Co 5.11). Aprendi que enquanto alguns fazem tudo para fortalecer a obra de Deus, outros fazem para prejudicá-la. Por isso que Charles Swindoll disse que “os bons líderes devem ter a pele grossa”. Aprendi que alguns transformam a causa de Deus em um brinquedo que eles montam e desmontam sem nenhum temor diante do Pai. Aprendi que alguns são irreconciliáveis por teimosia. Aprendi que nem todos são honestos. Aprendi que alguns, mesmo desfrutando do ambiente da comunidade de fé permanecem amofinando a si mesmos e aos outros (Hb 12.14-15). Aprendi que perdoar como princípio bíblico é algo fora de questão para muitos (Lc 17.3-4). Como disse de forma enfática John F. MacArthur: “A igreja está repleta de impostores”. Aprendi que pastorear - por todos os motivos mencionados acima - está distante de ser uma coisa fácil e tranqüila (I Co 4.10-13).

Descobri que existem pessoas - ovelhas – amáveis (Fl 4.14-17). Descobri que os melhores anos de minha vida têm sido no ministério pastoral. Descobri que pastorear é abençoar pessoas. Descobri que pastorear é participar da construção de vidas (I Pe 2.25). Descobri que pastorear é crer que Deus supre todas as minhas necessidades quando estou olhando para as necessidades dos outros (Fl 4.13;19). Descobri que pastorear é ser um exemplo para os fiéis (I Tm 4.12). Descobri que pastorear é compartilhar o evangelho que transforma todo aquele que crê (Rm 1.16). Descobri que pastorear é fazer diferença na vida do outro. Descobri que pastorear é depender totalmente de Deus. Descobri que pastorear é olhar com os olhos de Deus para os que não estão sendo vistos pelo mundo...".(evaldo.rocha.zip.net)

Pastor Evaldo Rocha – PIB em Seropédica -RJ

Evaldo Rocha
29 de agosto de 2009 10:56 comment-delete

Pastor Evaldo.

Excelente reflexão. Parabéns!

Pr. Renato Vargens

29 de agosto de 2009 10:58 comment-delete

é verdade pastorear hoje não é uma tarefa facil.nos ovelhas temos que orar mto por nossos pastores nehuma ovelha sabe na realidade o fardo que um pastor carrega, somente quem é pastor de verdades,que paga um preço pelas almas que sabe!eu como esposa de um pastor sei bem como é.

Anônimo
31 de agosto de 2009 15:28 comment-delete