quinta-feira, julho 30, 2009

Carta aberta ao Conselho Federal de Psicologia

Sobre a punição da Psicóloga Rosângela Justino

Prezados senhores,

Manifesto publicamente minha preocupação quanto à possibilidade deste conselho em punir a Psicóloga Rosângela Justino por descumprir a resolução CFP 01/99 de 22 de março de 1999 que proíbe tratamento de homossexuais por psicólogos.

Pelo que sei a Dra. Rosangela simplesmente atende àqueles que incomodados por sua homossexualidade a procuram voluntariamente pedindo ajuda profissional quanto à crise existencial vivenciada. Assusta-me o fato de que o Conselho de Psicologia Federal considere a atitude de Rosângela discricionária e equivocada. Isto posto pergunto: Porventura não tem direito o que vive a homossexualidade desistir dela? E se o tem, não possui também o direito de receber ajudar profissional de um terapeuta quando solicitado? Ao afirmar que não, o CFP age de modo arbitrário aplicando sobre milhares de cidadãos brasileiros uma imposição de conceitos e valores absolutamente antagônicos a liberdade.

Prezados senhores a Carta Magna assegura a garantia dos direitos constitucionais conforme os termos dos Arts. 3º, IV; 4º, II; e 5º, IV, V, VI, VII, VIII, IX, X, XIII, XIV, XV, XVI, XVII, XVIII da Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em 5 de outubro de 1988, que nos assegura o direito de:a) PENSAR (liberdade de consciência);b) EXPOR NOSSAS IDÉIAS (liberdade de expressão, intelectual e científica);c) ASSOCIAR PARA APOIAR OS QUE QUEREM SER APOIADOS (liberdade de atuar e/ou fornecer informações à sociedade).

Sendo assim, manifesto meu repúdio a possibilidade de qualquer tipo de punição a psicóloga Rosângela Justino, como também a proibição deste respeitado órgão em não permitir que seus afiliados exerçam liberdade científica, de pensamento, e expressão.

Atenciosamente,

Renato Vargens
Filipe Degani disse...

Concordo em gênero, número e grau.

Anamaria disse...

Pr. Renato, concordo com todas as suas palavras e acredito que as pessoas que foram procurá-la pedindo ajuda, como explicado, foram por própria vontade. Estas pessoas deveriam tomar a palavra em defesa ao caráter profissional dela e que os métodos por ela utlizados estão de acordo com a teoria freudiana e que foram aceitos pelos pacientes, o direito de aceitar ou não é deles,engraçado como denegrir a imagem de alguém no Brasil é tão fácil, defender já não tem o mesmo ímpeto.

Snubber disse...

Nos últimos anos estamos vivendo uma ditadura homossexual, onde simplesmente temos que aceitar "guela abaixo" tudo o que nos é imposto. Nosso filhos na escola aprendem que teem de optarem por uma orientação sexual, e não que Deus os criou como são.
Misericórdia de nosso povo Senhor!

Hélder Lima Gusso disse...

Olá Renato,

O problema não é dar suporte aos que buscam mudar orientação sexual por opção própria... (Se é que alguém busca esse tipo de ajuda sem ser por pressão social...)

O problema é tratar a homosexualidade como uma doença e ofertar um serviço de "cura" dessa doença, como foi divulgado. Isso é discriminação sexual. E o código de ética da Psicologia proibe esse tipo de conduta.

Se ela o fizesse como um tipo de "serviço religioso" talvez não tivesse problema. Mas se apresentar como psicóloga e que faz terapia para "curar homosexualidade" é, de fato, um crime.

O caso precisa ser bem avaliado pelo Conselho Federal de Psicologia e, se for o caso, punir a psicóloga por exercício ilegal da profissão. Mas enfatizo que o caso precisa ser avaliado com muito cuidado. Não podemos atacar pedras ou fazer acusações sem clareza sobre o que de fato essa mulher fazia em nome da psicologia...

abraço!

Anônimo disse...

PARABÉNS. Lúcido, corajoso, oportuno. Deus o abençoe

Regina Lopes disse...

Estavam procurando o "Bode Expiatório" e encontraram. Ela não é a única que será caçada. Tem muito mais psicólogo cristão na lista do CFP. Este caso foi o estopim para aquilo que era velado se tornar público. Muitas questões virão a baila. Que sejamos de fato simples como uma pomba e prudente como uma serpente. Muitos de nós já estão sendo contactado para falar sobre a questão da homossexualidade e não é para trazer esclarecimento, luz ao assunto, mas são verdadeiras arapucas.

Sandra Santos disse...

Renato,
Já visitei o blog de tal psicóloga, ele é pouco profissional (talvez até por ser um blog), mas há ali uma política distorcida de impor princípios cristãos à sociedade, coisa que convenhamos nem Deus o fez assim. Ele nos deu o livre arbítrio.
Claro que para os evangélicos é pecado ser homossexual... O que eu considero uma pena. Estive até pensando se a bíblia diz que é mesmo pecado, ou se é igual a julgar, apenas uma recomendação. Mas isso para mim não tem importância. Se alguém quiser deixar de ser "homossexual", tá no seu direito... Mas acreditar ir para o inferno por causa disso é lamentável. Outra coisa que gostaria de acrescentar é que ser homossexual não é e nunca foi sinônimo de ser promíscuo. Coisa que não foi citada no seu texto, mas só exponho para esclarecimento.
Enfim, o papel do psicólogo não deve se confundir com religião.
Sei que meus comentários fogem à regra aqui no seu blog... mas gosto de algumas coisas que escreve. E espero não ofender às pessoas que aqui deixam seus comentários. É apenas uma opinião pessoal minha.

xxxxxx disse...

Olá,
Meu nome é Claudemiro Soares, tenho 34 anos, sou Especialista em Políticas Públicas e estou cursando um Mestrado em Saúde Pública. Eu venci o incômodo da atração pelo mesmo sexo. Embora tenha vivido plenamente no mundo gay, praticado assiduamente o homossexualismo e sentido a atração pelo mesmo sexo desde a mais tenra idade, estou há 12 anos livre dos pensamentos e desejos homossexuais. Sou casado com uma bela mulher, tenho uma filha maravilhosa e sou plenamente feliz (principalmente no que diz respeito à sexualidade).Diante disso, acho uma pena que o CFP seja tão obtuso nessa questão. Em todo caso, acho que a verdade prevalecerá.
Claudemiro Soares
Distrito Federal
e-mail: luzesal@gmail.com

Dougllas knnor disse...

Esse mundo esta sego pelo maligno e acham que essas pessoas tenham doenças físicas ou psíquicas . Isso e meramente espiritual
A doutora esta certíssima e tentando dar suporte a esses doentes espirituais

PAULO VENTURA disse...

Ola Pr Renato, receba meu apoio na carta aberta ao Conselho Federal de Psicologia. Aproveitei para publica-la no Blog do Ventura (www.apventura.blogspot.com) e em nosso site. (www.igrejaevangelhopleno.com.br).
A comunidade homossexual jamais vai implantar sua ditadura gay, enquanto houver pastores que não se rendam às pressões desta minoria errante, que odeia aqueles que não comungam suas idéias e costumes.
Um abraço. E continue firme nesta sua caminhada.
Ap Paulo Ventura

Marcia MOldero disse...

Tenho amigos homossexuais, para os quais exponho, com regularidade, o desagrado do Pai ante tal comportamento.
Um em especial,nascido e criado em lar evangélico, vindo de uma denominação histórica onde seus pais desempenham importante função, "saiu do "armário" há pouco tempo atrás, já adulto.
Como cristã, não posso aceitar tal comportamento, mas não deixei de amá-lo.
Não me considero homofóbica, racista ou arbitrária, assim como não o é Rosângela Justino, uma batalhadora que merece ser respeitada e apoiada por todos nós que cremos na Bíblia como regra de fé e prática.
Embora tentem imprimir a ferro e fogo em nossa mente que "o mundo é gay", temos, além do dever cristão de discordar desta premissa, o direito constitucional de rejeitá-la.

Renato Vargens disse...

Resultado do julgamento de Rosângela Justino.

Conselho pune psicóloga que oferecia terapia para curar homossexualismo

*Com informações da Agência Brasil

--------------------------------------------------------------------------------

O Conselho Federal de Psicologia (CFP) decidiu, nesta sexta-feira (31), aplicar uma censura pública à carioca Rozângela Alves Justino, psicóloga que oferecia terapia para curar o homossexualismo. Ela já havia sido condenada à censura pública no Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro em 2007. Resolução do CFP de 1999 proíbe os psicólogos de tratar a homossexualidade como doença, distúrbio ou perversão e de oferecer qualquer tipo de tratamento.

A terapeuta estava sujeita à suspensão do exercício profissional por 30 dias ou, até mesmo, à cassação do registro. Entretanto, os conselheiros decidiram, por unanimidade, que a censura pública era a medida mais adequada no caso. O advogado Paulo Fernando, contratado pela psicóloga, disse que vai recorrer na Justiça Federal contra a decisão do CFP.

Para Igo Martini, presidente do Centro Paranaense de Cidadania, um das entidades filiadas a ABGLT (Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais), a não cassação do registro de Rozângela significa afirmar que é possível curar um homossexual. "Vamos recorrer da decisão em todas as instâncias. Precisamos que essa senhora pare de atuar. Já temos, inclusive, notícias de outros profissionais que têm atuado de mesma forma que ela, principalmente ligados a religiões", disse.

A psicóloga, no entanto, não dá sinais de que parará tão cedo. "Com certeza, vou continuar. Vejo que as pessoas têm direito de procurar esse apoio. É a pessoa que define o quer dentro da psicoterapia. Não sinto vergonha e nunca sentirei de acolher pessoas que querem deixar voluntariamente o estado de homosseuxalidade", afirmou.

Em seu blog na internet, Rozângela, que é evangélica, se diz perseguida pelo Conselho Federal de Psicologia, no que ela chama "Ditadura Gay". Para o julgamento no CFP, ele foi de óculos escuros e máscara, por medo de sofrer represálias nas ruas.

Para Rozângela, as pessoas não são homossexuais, mas "estão" homossexuais. Para defender sua tese, ela cita a classificação da Organização Mundial de Saúde que divide a orientação sexual em bem aceita/assumida pela pessoa (egossintônica) ou mal aceita (egodistônica). "Então, em pessoas cuja homossexualidade seja egodistônica, respeitando a motivação individual para efetuar as mudanças que elas mesmas desejarem, o estado homossexual é passível de mudança", escreve.

Para a militância LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais), tal opinião contribui para o preconceito e a negação do homossexualismo tanto pela pessoa quanto pela família, ao postular que existe cura. "Esse tratamento é charlatanismo, pois tanto OMS quanto o Conselho Internacional de Psiquiatria declara que o homossexualismo não é doença nem transtorno mental. Mesma coisa dizer que vai curar a Aids", fala Igo. "O sofrimento vem da pessoa não aceitar sua condição, não viver bem consigo mesma. Os homossexuais sofrem ainda mais por conta de profissionais como essa senhora e de religiosos que dizem que isso é pecado. Essa postura contribui para que cada vez mais pessoas não saiam do armário", continua

Cleber 33 disse...

Eu sei que o meu redentor vive (Jesus), e espero que um dia, essas pessoas, inclusive, os "homens da lei" também descubram que Deus pode curar, libertar, perdoar e salvar.


Senhora Sandra, me perdôe mas não consigo deixar de ver a homosexualidade como promisqüidade. Não sou preconseituôso, conheço e me relaciono com pessoas que sofrem esse mal, trato o homem como homem e a mulher como mulher, igualzinho aos que Papai fez. Graça e paz irmã!

Antinin disse...

Conheço o meu Senhor e sua palavra há 29 anos, sei que a Biblia nos diz que fomos feitos a imagem e semelhança daquele que nos criou, sei a mesma diz que homem deve ser homem e mulher dever ser mulher. Entendo que o principe deste mundo segou o conhecimento e não permite que aqueles que andam em trevas enxerguem o seu erro e procure sair da cova em que cairam. Sei que o nosso Senhor Jesus está voltando e que importa que sua palavra seja pregada a tempo efora de tempo, se o preço para isto for o que estamos prestes a passar em nosso pais que seja. Talvez troquemos de lugar, isto é em vez de sermos aqueles que são respeitados por falar o que lhes é de direito falar, por aqueles que são punidos por falar a verdade. enquanto outros vivem uma mentira como se fosse a única verdade e são cobertos de razão pela nossa sociedade. Nós cristãos temos obrigações de pagar impostos e tudo que nos é imposto, mas perdemos o direito de falar o que cremos abertamente. Infelizmente o nosso país tornou~se um país da minoria e n´so como cristão muitas vezes não percebemos que chegou a hora de sairmos ca concha de nosso comodismo e lutarmos por aquilo em que acreditamos e cremos ser a verdade absoluta. Que Deus tenha misericordia de sua Igreja e nos encoraje a pregar o evangelho sem nos importar com a punição.
No amor de Cristo.
Jane

George & Elvira disse...

meu nome é George Sou advogado e entendo que a liberdade de expressão é uma das maiores coonquistas da humanidade. O fato de tratar o homossexualismo como um fato consumado, e não dar as pessoas o direito de opção. No meu entendimento gera uma anomalia no direito, visto que ser homossexual passa ser uma regra e não um direito de opção. Assim me dsculpem os movimentos gys, não é justo impor sua vontade como se fosse liberdade. E liberdade como se fosse discriminação.
Abraços.

Anônimo disse...

A liberdade de consciência religiosa só existe no Brasil para os que estão em proeminência no governo, nas lideranças que, infelizmente são apoiadas pelo povo brasileiro com retrato falado que insulta os princípios morais, espirituais de uma socieda sadia.
Liberdade sem responsabilidade é anarquia, gera indisciplina, desobediência não só aos valores cristãos (maioria brasileira), mas também aos valores civis de tradição dos povos mais evoluidos neste planeta. E o que vemos nos países onde o inimigo do homem tenta desvirtuar as características de homem e mulher, de seu sexo,por nascimento tem sido desastroso. Desencadeia-se comportamento sob influência estranha ao bom senso e à dignidade do ser humano.
Será que os que aceitam não ser homem, não ser mulher já pensaram no pós morte?
A natureza é sábia e por certo tudo aquilo que a violenta terá resposta sábia, justa !
O mundo está se desmoronando e é pena que grande parte da humanidade não pare para reconstrui-lo de forma a respeitar as proprias leis da natureza, para viver mais feliz em comunidade.
Apoio a Psicóloga Rosangela Justino, uma das poucas vozes defendendo o direito de alguém ser tratado, quando, uma distorção da sua personalidade incomoda e quer ser libertado. Não se trata de religião (embora a maioria cristã brasileira, silenciosa, deva conhecer os valores cristãos para viver a eternidade, após a morte, em condições de bem-aventurança!).
Aqui, principalmente, trata-se de liberdade de exercer profissão quando uma pessoa procura o profissional. A quem querem realmente cercear esse direito???
Lou refletiu e diz:
A JUSTIÇA muitas vezes parece tardia, mas vai prevalecer: Aqui, agora, amanhã, no futuro...para alcançar todos que infringirem as leis naturais e também as religiosas, colunas de moralização, de dignidade hummana, dos reais valores para se honrar a oportunidade de ter nascido homem ou mulher (verdadeira natureza humana).

Jorge Luiz José da disse...

Sou paciente da Drª. Rozangela, que é uma excelente profissional e competente. É um absurdo fazer o que estão fazendo com ela. Lamentável. Peço que o sobrenatural de Deus aja sobre a vida dessa excelente profissional.

Oliveira disse...

Homossexualismo

5 de agosto de 2009

Antigamente, quando alguém era contaminado pela lepra, imediatamente era confinado ao isolamento. Nesse caso, misericórdia e compaixão davam lugar às censuras, críticas e até condenações. Os religiosos eram os pilotos da condenação. Usavam e abusavam em nome de Deus para julgar e condenar os aflitos.

Os tempos mudaram. Mas o espírito condenatório se mantém. Hoje, muitos “cristãos” têm tratado os homossexuais como os leprosos do passado. Por quê? São eles mais santos? Mais justos?

Nosso Senhor foi claro e objetivo a respeito desse tipo de comportamento: “Aquele que dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro que lhe atire pedra.” (João 8.7)

Deus não nos tem dado autoridade espiritual para julgar e condenar ninguém! Ao contrário! Se alguém considera ser de Deus, então sabe perfeitamente que sua missão é para ajudar o semelhante. Não julgá-lo ou condená-lo!

Se queremos respeito à nossa fé, respeitemos a fé e opção de vida alheia! Se nem Deus impõe Sua escolha, quanto mais nós, meros mortais?

Poucos sabem que a hipocrisia é o pior de todos os pecados. E é justamente dentro de instituições religiosas que mais a encontramos.

Será que as palavras “…com o critério com que julgardes, sereis julgados; e, com a medida com que tiverdes medido, vos medirão também.” (Mateus 7.1,2) não significam nada?

Publicado por Edir Macedo (http://blog.bispomacedo.com.br/)

JOSE J. AZEVEDO disse...

Consideramos a punição imposta a psicóloga psicóloga Rozangela Alves Justino um atentado a dignidade da profissão. O que ela diz - salvo alguma expressão menos feliz - é a reprodução do pensamento não apenas dela pois, como hábil articulista (veja seu blog) denota uma pessoa sinceramente interessada na promoção humana de clientes e de pessoas que buscam os consultórios de psicologos ou de psiquiatras para exporem seus dramas e buscarem uma solução,na busca de sua alma pela integridade. Dentro da Democracia - que, felizmente ainda vigora constitucionalmente em nosso País - há vez e vóz para a livre expressão do pensamento e, de acordo com a DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS - da qual o Brasil é signatário - é amplamente defendida. Tentar proibir uma profissional que ama a sua profissão e busca uma ética cristã para as dificuldades humanas e afetivas de seus clientes é um exagero que, realmente, nos fazem pensar que há, em curso, um movimento habilmente orquestrado de impor à sociedade um padrão que a mesma rejeita. Toda a nossa geração lutou contra o regime autoritário que perdurou durante décadas em nosso País. Nossas atitudes devem honrar o esforço da mesma. Idéias como a PL 122, por exemplo ferem totalmente a Constituição de nosso País - todo ser humano é igual diante da lei, independente do credo, posição política, opção social ou sexual, etc - no entanto querem impor padrões de comportamento a instituições cuja fé e prática são baseadas em outros valores. Nesse sentido toda a radicalização é nociva e atenta contra os principios éticos que norteam a sociedade democraticamente organizada - e verdadeiramente civilizada!
No mundo onde vivemos - as manchetes constantemente revelam - as crianças e adolescentes tem sido alvo da perversa e perniciosa manipulação; do abuso dentro e fora das fronteiras do lar. Cremos que grande número de pessoas querem mudar uma orientação sexual para a qual foram jogadas pela violência, arbítrio, exploração comercial (tráfico de seres humanaos!!! por exemplo). Essa conversa de que "não existe pecado do lado debaixo do equador" tem feito da atual geração um joguete onde quem lucra são os traficantes, os profissionais eticamente delirantes, os que querem impor a libertinagem como se fosse liberdade real, os que querem impor a indefesos as suas taras - em nome de um ideal corrompido e corruptor.
Minha gente, vamos botar a mão na consciência - se ela existir ainda - e não se deixar levar pelos modismos superficiais - em busca de uma sociedade realmente justa e solidária que veja no ser humano sua dignidade inerente e seu direito de crescer de forma sadia, e fazer suas opções - sejam quais forem - de forma tranquila, sem coerções, sem imposições de grupos de pressão, sem serem vitimas daqueles que querem impor sobre os outros seu inferno particular.Cremos que o CFP - Conselho Federal de Psicologia - tem um papel, repetimos, importatíssimo diante de um País tão carente e, por outro lado, tão promissor. Podemos e devemos conviver com as diferenças, porém a liberdade não pode ser negociada em bastidores pois ela é inerente ao ser humano e atributo essencial da sua dignidade. A Nação brasileira há séculos vem sendo vitima de tantas imposições de cima (elite economico/política) para baixo - levando a gritantes contrastes e injustiças inomináveis - especialmente contra os menores pobres - que acabam sendo massa de manobra. Aqueles qe tiveram oportunidade de estudar, cursas faculdades e doutorados têm a grave responsabilidade de promover o verdadeiro progresso social que o Brasil tanto anela. Que todas as decisões desse Conselho sejam norteadas pela justiça, a ética e cristalina lucidez!
Fraterna e respeitosamente
José J Azevedo (Jornalista/PR)

Maria disse...

Acho um absurdo o termo discriminação sexual, como se homossexualismo fosse um terceiro sexo. Só existem dois sexos e alterações genéticas que causam hermafroditismo, por exemplo.
FALA-SE MUITO EM TRAUMAS DE INFÂNCIA E ATÉ MESMO EM TRAUMAS INTRA-UTERINOS causados por rejeição materna e muitos procuram inclusive a hipinose como meio de se descobrir a causa de seus problemas. Mas para o homossexualismo não pode existir um trauma! Sou médica e já tive pacientes meninas vestidas pelas mães como meninos e meninos literalmente tratados como meninas.
Não vou mais encaminhar meus pacientes aos psicólogos, pois eles podem ser punidos além de serem profissionais intimidados por um conselho que não é digno de respeito e de confiança. Eu mesma vou orientar meus pacientes ou encaminhá-los a um psiquiatra. Tenho pacientes que foram abusados por parentes próximos e alguns que sofreram omissão por parte dos pais e que estão claramente com transtornos psicológicos e se encaminho para um psicólogo um menino que foi abusado por seu próprio pai, o psicólogo é obrigado a dizer que o comportamento homossexual do menino é normal e que ele deve aceitar isto!!! Francamente! É o final dos tempos!
Os servos de Deus sabem que o reino do anti-Cristo está próximo. Dá para sentir o seu cheiro no ar. O mesmo só intenta distruição! Com certeza ele não terá um comportamento que agrade à Deus e já está preparando o seu terreno.
NOTA ZERO PARA O CRP! Os seus atuais diretores estão comprometidos com o que não é bom.

Anônimo disse...

pois é,... o conselho esta agindo arbitrariamente ao inferir nas escolhas. os srs. conselheiros e aqueles que por " um acaso" estavam votando as normas e condutas seguramente não possuem capacidade para descidir o que se deve fazer. condeno a forma como as camaras estão sendo dirigidas hoje. sei que são profissionais apenas querendo projetar-se, recem formados e " se achando".

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only