sábado, janeiro 10, 2009

O Meu Santo não Cruza com o Dele...

Renato Vargens

Certa vez ouvi um irmão dizer o seguinte a respeito de outra pessoa comum ao nosso circulo de relacionamento:

- “O meu santo não cruza com o dele!”

Intrigado com aquilo perguntei: - Como assim? Não entendi o que você quis dizer! Sem titubear ele replicou dizendo: - "Posso até conversar com ele, no entanto, jamais “trocaremos figurinhas”, até porque, não gosto dele."

Fico pensando na lição deixada pelo Senhor Jesus nos momentos que antecederam o inicio de seu sofrimento. As Escrituras afirmam, que depois de haver ceado com os seus discípulos, ele cingiu-se de uma toalha, passando a lavar os pés de seus amados.

Ao ler o relato bíblico, sou levado a imaginar de que não deve ser muito difícil lavar os pés de gente como João, até porque, relacionar-se com pessoas as quais nos identificamos não é nem um pouco complicado; no entanto, sou obrigado a concordar que em contraste ao discípulo amado, não deve ser nada fácil lavar os pés de pessoas como Pedro, Tomé ou até mesmo Judas o traidor. Contudo, Jesus nos ensinou a lição de que ao adentrarmos a comunidade da fé, não nos é possível vivermos escolhendo aqueles aos quais desejamos servir e nos relacionar. Na verdade, o simples fato de termos nos tornado seus discípulos, deverá nos levar ao entendimento de que fomos chamados a amar e servir mutuamente uns aos outros.

Na perspectiva do reino, não nos é permitido respeitarmos uns e desprezarmos outros, nem tampouco valorizarmos alguns desmerecendo outros. Na vida cristã, não nos é lícito, criar círculos estigmatizados de relação, antes pelo contrário, somos desafiados a viver um cristianismo simples, altruísta e dignificador!

Pense nisso e amemos uns aos outros!

Soli Deo gloria!

Renato Vargens
Anônimo disse...

OLá, Pastor Renato Vargens,
Sou cristã, mas vou pouco à igreja, frequento a Igreja da Graça. Conheço seu blog há pouco tempo, mas considero suas palavras muito sábias e coerentes com a Palavra do Senhor. Fico muito feliz em lê-lo. Paz do Senhor.

tubalcain disse...

shalon adonai! CRUZAMENTO DE SANTOS, seria mais fácil CRUZAMENTO DE DEUSES, Oh! PODEROSO DEUS, tem pastores delirando!. VAMOS AMAR A TODOS, VAMOS ORAR, mas tem gente que as almas foram feitas com sinal trocado, SE REPELEM,somente JESUS pode harmonizá-los. Por que sou sincero tem gente que não cruza no meu caminho, porem quando precisa de favores ao meu alcance, esta lá como um cordeiro. Na pscicologia e na psiquiatria tem fatos paranormais, que um não foi feito para o outro , entretanto são casados.ALELUIA!

Anônimo disse...

Prezado Pr Renato,

Após ler o artigo em questão, não posso deixar de lhe parabenizar pela eficácia com que ele chegou ao meu coração. Ao deixar que a mensagem confrontasse as minhas ações, percebi que preciso mudar alguns procedimentos com relação a algumas pessoas do meu círculo de relacionamento.
Ensinei, uma certa vez, que devemos sempre nos questionar: "em meu lugar, o que faria Jesus?", porém, não me questionei assim quando me afastei de algumas pessoas por achá-las inconvenientes (difíceis) para mim. Em meu lugar, Jesus as serviria...

Muito obrigado por se dispor a edificar as pessoas com o Dom que o Senhor lhe concedeu.

Paz!

Cassio

Renato Vargens disse...

Prezado Tubalcain,
Parece que o irmão não entendeu o post.

Abraços,

Pr. Renato Vargens

GILBERT RAPOSO disse...

Costumo dizer que não sou diferente de ninguém e sim um aprendiz, no entanto sei que dentro de nossas limitações temos mais afinidades com algumas pessoas mas longe de fazer separação, mas já experimentei em minha igreja uma atitude de um irmão que sempre me comprimentava e derepente parou de faze-lo então fiquei curioso e ao mesmo tempo chateado pois acho que temos
que ter boa convivencia, então aproveitei um momento onde esse irmão estava observando livros dos pastores da igreja e tinha uma irmã ao lado então lhe perguntei porque ele não me comprimentava mais, ele ficou sem ação e eu insisti me diga em que errei com você para que eu corrija
ele disse nada, eu falei por favor
volte a falar comigo e por um tempo ele o fez e parou pouco tempo depois, naturalmente conclui a antipatia gratuita existe, mas em compensação o que ganho de sorrisos, comprimentos na rua, nas
casas onde vou prestar serviço, na
escola onde dou aula de judô e jiu-jitsu, que bom que temos o bom relacionamento por onde pisamos, temos nossas compensações.

Anônimo disse...

Um dia o amor virou-se para a amizade e disse:

- Para que existes tu se já existo eu?

A amizade respondeu:

- Para repor um sorriso onde tu deixaste uma lágrima.

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only