Damares e o erro teológico da música "Alto preço"


Antes de qualquer coisa, vale a pena ressaltar que o texto que escrevi refutando a canção "Alto Preço" não possui cunho pessoal, nem tampouco visa desqualificar ou denegrir a cantora Damares. Na verdade, o post visa tratar de aspectos teológicos relacionados à música que do ponto de vista doutrinário, afrontam os ensinos das Escrituras.

Isto posto e esclarecido, vamos a canção:

A música em uma de suas estrofes diz: 

" Eu to pagando, eu to pagando
O preço pra morar no céu eu to pagando
Eu vou lutando, eu vou chorando
Cada detalhe o Senhor está somando
Eu to pagando, eu to pagando
O preço pra morar no céu eu to pagando
Eu vou lutando, eu vou chorando
A santidade tem um preço, eu to pagando" 

Como assim? Pagando para ir para o céu? Ora, afirmar isso é um grave erro teológico, mesmo porque ninguém pode comprar a salvação. Lamentavelmente na canção supracitada, Damares comete o desatino em afirmar que Deus soma os nossos méritos e nós “pagamos o preço para morar no céu”.  

Prezado amigo, vamos combinar uma coisa? Nossos méritos e justiça não passam de trapos de imundície. (Isaías 64:06)   Não existem nada que façamos que possa nos conceder a vida eterna.  Na verdade, somos merecedores do inferno, contudo, Deus por graça, bondade e misericórdia nos concedeu através de seu Filho, Jesus Cristo, salvação. Ademais, vale a pena ressaltar que as Escrituras ensinam que o homem é totalmente depravado, isto é, incapaz de redimir a si mesmo, e que necessita desesperadamente de salvação. Do ponto de vista bíblico afirmar que a salvação se dá por esforço e não por graça é acreditar que alguém pode ser salvo por obras, o que Bíblia diverge e condena. (Efésios 2:1-10)

Pense nisso!

Renato Vargens

6 comentários:

À luz da Bíblia, a canção é herética! E sinceramente, não se trata de um pensamento arminiano, nem tão pouco calvinista, pois ainda que ambos tenham divergências soteriológicas, eles concordam que o crente é salvo exclusivamente pela Graça.

22 de junho de 2016 21:46 comment-delete

Uhuuul adorei... quero mais.

22 de junho de 2016 21:53 comment-delete

Engano seu, querido irmão! A essêncua do arminianismo (embora neguem), é a anulação da graça! Para um arminiano a salvação é obtida pelo esforço humano, sendo assim de caráter meritório! A cantora Damares só está reafirmando aquilo em que ela crê, nessa canção completamente desprovida de base bíblica! O preço da salvação de todos os eleitos já foi pago por Jesus na cruz do calvário!

23 de junho de 2016 06:27 comment-delete

A MUSICA NADA TEM HAVER COM SALVAÇÃO, TRABALHO NESTA ÁREA A 7 ANOS DE PESQUISA DE LETRA DE LOUVORES COM HERESIAS E ESTA CANÇÃO NADA TEM HAVER COM SALVAÇÃO E SIM COM SANTIDADE, observem o texto no final.. "santidade tem um preço, eu to pagando" a Bíblia diz que sem santificação ninguém verá a Deus, portanto quem escreveu a canção afirma que pra morar no céu paga-se o preço de ser santo e isto convenhamos não é facil para ninguém...

23 de junho de 2016 08:27 comment-delete

Irmão Wanderlei, creio que as nossa convicções teológicas não devem ser baseadas em pensadores como John Calvino ou em Jacobus Arminius, porém na Palavra de Deus. Isto posto, quero deixar claro que não sou calvinista extremista, e menos ainda arminiano extremista. Porque, enquanto o primeiro isenta totalmente o homem dos seus deveres, o segundo anula a Graça de Deus. Não há dúvidas que somos salvos ''pela graça e por meio da fé'' Ef 2.8, mas existe um caminho a percorrer, e que só pode ser percorrido pela graça de Deus (Mt 7.13, 14). Todavia, nunca tiraram de nós as responsabilidades de lutar para se manter nesse caminho (1 Co 9.24-27). Creio que a parábola do filho pródigo retrate bem isso, pois o filho sai da casa do pai e depois decide voltar, de sorte que quando ele dá um passo em direção ao pai, de longe, o pai o vê e corre ao seu encontro, e lhe peedoa. Isso mostra que a graça (favor imerecido - o pai restitui aquele homem à posição de filho) de Deus é que nos coloca na posição de filho, mas em todo caso, não tirou a responsabilidade do filho dar, ao menos um passo, em direção ao pai.
Agora, dizer que, depois de salvo, temos de continuar pagando um preço para alcançar a salvação, não tem, a meu ver, espaço nem na filosofia arminiana quanto na calvinista. Abraço!

23 de junho de 2016 08:52 comment-delete

O grande problema que eu vejo nesta estrofe não é nem o preço mas o tanto eu cantado nesta musica. Infelizmente no meio pentecostal são poucos que compõem cânticos que exaltam o Senhor

27 de junho de 2016 18:49 comment-delete