A última foto de Miele e a incerteza da vida

Por Renato Vargens

O Jornal Extra do Rio de Janeiro publicou o último registro fotográfico do produtor, ator e compositor Luiz Carlos Miele, vítima de um mal súbito nesta quarta-feira. 

A foto foi tirada na madrugada da última terça-feira, durante o jantar de aniversário de um amigo, no Rio de Janeiro. O aniversariante era o produtor musical Luiz Paulo Assunção, que diz que Miele estava bem e mostrando a alegria de sempre.

Poucas horas antes de morrer, Miele sem saber do destino que lhe estava destinado comemorava o aniversário de um amigo.

Pois é, o Poeta Mário Quintana escreveu um poema sobre o tempo o qual reproduzo abaixo:

 "A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa. Quando se vê, já são seis horas! Quando se vê, já é sexta-feira! Quando se vê, já é natal... Quando se vê, já terminou o ano... Quando se vê perdemos o amor da nossa vida. Quando se vê passaram 50 anos! Agora é tarde demais para ser reprovado... Se me fosse dado um dia,      outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.  Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho      a casca dourada e inútil das horas... Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo... E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.  Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz. A única falta que terá será a    desse tempo    que,    infelizmente, nunca mais voltará."  

Caro leitor, a Bíblia está cheia de textos que nos advertem a observamos com diligência o nosso tempo. O salmista com muita propriedade escreve: “O homem é como pó, cuja existência na terra passa rapidamente diante de Deus. Os anos vêm e vão diante do Deus eterno... A vida do homem, em média de 70 a 80 anos, é breve. Tiago em seu epistola, nos alerta: "Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois apenas como neblina que aparece por instantes e logo se dissipa".

Prezado amigo, tudo neste mundo é incerto e passageiro. A vida passa com uma rapidez enorme e numa velocidade espantosa. Por acaso você já parou para pensar que a vida que Deus nos deu é como que um sopro diante da eternidade? Ora, como costuma cantar Lobão "vida louca, vida breve".

Diante disto somos e fomos desafiados a aproveitar cada momento, entendendo que tempo perdido é tempo desperdiçado e que além disso, prestaremos contas diante do Eterno sobre tudo aquilo que fizemos ou deixamos de fazer.

Isto posto, cuide bem de sua vida, converta-se a Cristo, porque talvez essa noite o Criador peça a sua alma.

Renato Vargens

4 comentários:

È forte, pastor REnato .Segundo a p´rpria esposa,Miele tinha medo da morte. AMados leitores, o medo que talvez ele nutria,diz respeito ao estado que virá após este corpo der o último suspiro. Ora, aquele que diz que teme a morte por estas razões, falo com toda autoridade bíblica, através da certeza que o Espirito Santo nos garante,que este que teme nossa "última inimiga( João 11:11-14) não está salvo em Cristo Jesus.E com meus 44 anos de vida, um filho de 3 anos e um no ventre de minha esposa,se partir hoje,não temo nada diante da surpresa da morte, e tenho a certeza de que irei contemplar a face do Criador ,pela Sua infinita Graça e misericórdia!

15 de outubro de 2015 15:57 comment-delete

Lembro-me agora, de uma canção de um dos grandes artistas assim como Miele,que era também compositor, interprete,de uma voz sem igual, e embora tudo isso, sabia que era "pó' diante do Altissimo e assim converteu-se a Cristo antes de partir.Seu nome era Nelson Ned, morto em 2014 .


PROCURE ESTA PAZ
" Às vezes medito na cruz que Jesus foi ferido
Às vezes eu sinto a tristeza em minha alma entrar
Às vezes eu sinto o meu ser transformado e voando
Eu vejo no brilho da estrela o rosto de Deus

Coro
Tenho uma casa no céu
Um mansão sem igual
Amigo pensa agora pra onde vais
Quando partir daqui
O que te aguarda ali
A eternidade virá
Procure esta paz

II
As ruas da minha cidade são todas de ouro
Os anjos passeiam e atendem a Deus o maior
No trono o Senhor assentado que glória infinita
Eu sei andando com Ele nunca estou só

Procure esta paz, voce que ainda nao achou...

15 de outubro de 2015 16:03 comment-delete

Acho que quem cantou essa musica "vida louca, vida breve " foi cazuza e nao lobão. ...mas, é apenas um pequeno detalhe no meio de muitas palavras sabias...

16 de outubro de 2015 22:17 comment-delete

Alexandre,

Sim ele cantou. Mas, depois eu descobri que quem a compôs foi Lobão.

Abraços,

Renato Vargens

16 de outubro de 2015 22:37 comment-delete