Papa afirma que a vida de Jesus terminou em um fracasso

Por Renato Vargens

O papa Francisco continua a criar polêmicas em suas a América. Durante uma homilia proferida em Nova York na catedral de São Patrício para sacerdotes e religiosos uma fala da entidade religiosa causou muita polêmica. 

Durante seu discurso o papa afirmou: “a vida de Jesus, humanamente falando, acabou como um fracasso. (Para ler o conteúdo completo da reportagem clique aqui, aqui  e aqui)

Caro leitor, a homilia do Papa sem a menor sombra de dúvidas fere as verdades inquestionáveis do Cristianismo, e antes que alguém me acuse de proselitismo protestante, vale a pena ressaltar que sites católicos também rejeitaram a fala do bispo de Roma. ( aqui, aqui)

Diante dessa infeliz declaração de Francisco, resta-me lamentar profundamente. Ao afirmar que a vida de Jesus terminou em fracasso o Papa negou sua fé em Cristo e em sua obra expiatória.

Ora, eu penso diferente! Os cristãos creem diferente!

Como bem afirmou John Stott, qualquer pessoa que investigue o cristianismo pela primeira vez ficará impressionada pelo destaque extraordinário que os seguidores de Cristo dão a sua morte. No caso de todos os outros grandes líderes espirituais, a morte deles é lamentada como fator determinante do fim de suas carreiras. Não tem importância em si mesma; o que importa é a vida, o ensino e a inspiração do exemplo deles. Com Jesus, no entanto, é o contrário. Seu ensino e exemplo foram, na verdade, incomparáveis; mas, desde o princípio, seus seguidores enfatizaram sua morte. Além disso, quando os evangelhos foram escritos, os quatro autores dedicaram uma quantidade de espaço desproporcional à última semana de vida de Jesus na terra – no caso de Lucas, um quarto; de Mateus e Marcos, cerca de um terço; e de João, quase a metade.

Oh! Quão maravilhosa é a mensagem da Cruz! Como diz a clássica canção: "Sim eu amo a mensagem da cruz, até morrer eu a vou proclamar, Levarei eu também minha cruz, até por uma coroa trocar."

Pense nisso!

Renato Vargens

12 comentários:

Falso profeta, e anti Cristo

27 de setembro de 2015 23:47 comment-delete

Também não é pra tanto achar o Papa é o AntiCristo. Seria muito óbvio.

28 de setembro de 2015 00:31 comment-delete

Ué, "humanamente falando" foi um fracasso.

Os discípulos fugiram quando o Mestre foi preso e depois morto porquê? Porque foi "HUMANAMENTE" um fracasso.

Porém ELE RESSUCITOU. E aí que Cristo TRIUNFOU. A morte não o pode reter. ELE VIVE!
E por ELE VIVER, Ele é GLORIOSO.

Simples assim de entender.

HP
28 de setembro de 2015 05:37 comment-delete

Não é querendo defender o catolicismo, mas ele não queria fazer uma referência a visão humana sobre fracasso? Por exemplo, para o povo da teologia da prosperidade a pobreza e a doença podem ser um "fracasso", mas quem conhece as escrituras não vê bem assim. O que o irmão Renato Vargens acha?

28 de setembro de 2015 06:23 comment-delete

Entendo que honestidade intelectual é o mínimo necessário para a crítica sadia. Basta ler a totalidade da homilia para depreender que Francisco, de quem, aliás, não sou simpatizante, exprimiu que as ideias de sucesso e fracasso, humanamente falando, estão relacionadas à celeridade e a explicitude imediata dos resultados ante os espectadores. Nesse sentido, SIM, o sacrifício de Cristo foi um fracasso. Até os discípulos assim pensavam. Outrossim, basta ver o relato daqueles discípulos que estavam retornando de Jerusalém pela estrada que conduzia a cidade de Emaús, para notar claramente que a expectativa desses em relação à Jesus havia completamente frustrada. É por isso que a Cruz é escândalo para os Judeus e loucura para os gentios, pois o que parecia ser o maior fracasso tornou-se o maior trinfo. É simples quando se quer entender.

28 de setembro de 2015 08:41 comment-delete

não adianta querer defender ....nossas palavras descrevem o que sentimos e pensamos

28 de setembro de 2015 08:55 comment-delete

(I) Creio que o Papa separou o que não devia: O Jeusus humano do Cristo divino. Não é concebível compreender, hoje, a morte da cruz "pelo lado humano" sem levar em consideração o lado divino do mesmo ser. Jesus é um só, homem-Deus.

(II) Sim, os discípulos fugiram, mas o fizeram por que, na sua ignorância, não compreendiam, ainda, o que Jesus estava logrando com Sua morte vicária. A conversa deles no caminho de Emaús nos ensina exatamente isso, mas certamente, isso não mais deve ser replicado hoje. Ao contrário, devemos perceber e pregar justamente acerca dos resultados da Sua morte:

"porque aprouve a Deus que, nele, residisse toda a plenitude.

e que, havendo feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, quer sobre a terra, quer nos céus". (Colossenses 1:19-20).

A fala do Papa traz confusão. Ela não se encaixa bem com o contexto da sua homilia: o resultado do nosso labor em meio as provações.

O problema não são sa verdades que ele fala, mas os enganos que são inseridos em meio as verdades que ele diz.



28 de setembro de 2015 10:30 comment-delete

Não li a homília completa e nem sou simpatizante do papa, pelo contrário o desaprovou completamente, não só pelo romanisno, mas pelos indícios de que ele seja um comunista. No entanto, na frase proferida usando o "humanamente falando", não vejo erro algum, morrer no madeiro era um fim trágico e vergonhoso pra qualquer ser humano. Se ele errou em outras colocações, que se destaquem as outras em relação a essa, mas nessa ele não errou.

28 de setembro de 2015 11:30 comment-delete

Essas coisas me deixam com certas dúvidas a pensar em seguir o cristianismo. A Igreja sempre impôs a religião, mas hoje as pessoas podem seguir o que querem. Porém... Suas culturas e famílias n lhe deixam. Vamos lá! Coloque-se no lugar do Papa... Ele pode até ter falado"besteira", mas coloquem-se no lugar dele! Se ele falou isto pode ter um outro sentindo. Não defendendo-o só quero dizer que ele pode ter pensado em outra coisa, ou melhor, pode ter pensado em outro sentido... Vamos buscar mais longe antes de sairmos criticando. Sei o que é isso, mais ou menos, "Não pode-se fazer nada pois tudo é polêmico". Cara... Ele pode ser o Papa, mas de vez em quando ele pode errar involuntariamente... Vai saber os motivos dele ter falado disso, mas ele também é HUMANO. Posso ainda ser adolescente, mas sou um blogueiro CULTO e sei muito bem como é esse tipo de pressão... Ah! Isso é chato! Vamos ver o que ele tem a dizer sobre isso... Ele pode pensar não lá o que vocês compreenderam... Vamos refletir!CONCLUA: O Papa teve seus motivos para falar isso, e não é só porque ele é o Papa que devemos sair o criticando. A HUMANIDADE hoje só sabe reclamar, reclamar, reclamar!

28 de setembro de 2015 22:40 comment-delete

Ele, em sua homília, esta comparando anacronicamente, os fracassos dos lideres mundias ( humanos) com o " fracasso " de Jesus na cruz. Ainda que, temporariamente, os que conviveram e ouviram Jesus ao vê-lo crucificado, ao lado de dois salteadores se frustraram porque pensavam, erradamente, que ele iria libertar Israel do Imperio Romano. Pensaram, sim, que tudo tinha acabad e se dispersaram mas, após a ressurreição e os "frutos" ( conversões e milagres ) realizados em nome de Jesus, o crucificado, apagaram qualquer resquício de fracasso.
Os planos humanos são e serão sempre frustrados e precisarão ser modificados, rejeitados, emendados, reavaliados. Novos lideres terão que surgir, exatamente por causa do fracasso de outros ( o próprio papa atual é um exemplo). Novas ONUs, novos tratados de paz, novas OTANs surgirão. Mas a VITORIA de Cristo na Cruz venceu todos os planos e sistemas de justiça, deste mundo, para humanidade. Cristo satisfez, humanamente, a justiça de Deus.

29 de setembro de 2015 18:42 comment-delete

Sou pastor evangélico e não concordo com o falso testemunho levantado aqui contra o papa Francisco. Estão usado uma parte do vídeo fora de contexto! O Papa fala que "Humanamente falando" Jesus Cristo fracassou, ou seja, para aquelas pessoas a morte foi o fim, só depois da ressurreição é que os próprios discípulos e a humanidade entendeu o propósito de sua morte que é a nossa salvação. Até eu já falei isso em muitas pregações contra o "evangelho" da prosperidade q advoga que o sucesso pessoal deve ser visto por todos, pois, caso contrário a pessoa fracassou! Gente, vamos dar a César o que é de César.

30 de setembro de 2015 14:37 comment-delete

Graça e paz, pastor Renato.

Gostaria de expressar meu comentário, com base apenas na Palavra de Deus:

"E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória.
Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória?
Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei.
Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo.
Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor."

1 Coríntios 15:54-58

17 de outubro de 2015 20:22 comment-delete