Spurgeon, os copiadores de sermão e o fracasso do púlpito moderno

Por Renato Vargens

Conta a história que num domingo Spurgeon encontrava-se extremamente deprimido. Na verdade, devida a GOTA que o vitimava, o principe dos pregadores volta e meia sofria de depressão. 

Não se sentindo bem e inadequado a pregar a Palavra naquele dia, Spurgeon comunicou aos diáconos do Tabernáculo Metropolitano, que não iria ao culto e que outra pessoa deveria pregar a Palavra de Deus. 

O Principe dos Pregadores saiu então pelas ruas e resolveu entrar numa Igreja Metodista. Sem que ninguém aparentemente o reconhecesse ele se sentou em um dos bancos  esperando ouvir a Pregação do Evangelho. 

Para sua surpresa o pastor começou a pregar um dos sermões pregados por Spurgeon. Ao final do culto, o príncipe dos pregadores foi ao encontro do ministro agradecê-lo pela mensagem. O pastor ao ver que o homem que o felicitava era o próprio Spurgeon, foi tomado de grande constrangimento dizendo: "Senhor Spurgeon, perdoe-me por usar seu sermão, é porque eu não tive de tempo de me preparar adequadamente." Charles  ao ouvir as escusas do constrangido pastor replicou dizendo: "Sua mensagem foi muito boa, obrigado por pregar a Palavra de Deus."

Caro leitor, a história de Spurgeon me faz pensar em inúmeros pastores que não preparam suas mensagens optando por extirpar do Google o esboço usado por outros ministros. Ora, vamos combinar uma coisa? Pastores que agem assim não são dignos de subir ao pulpito de suas igrejas.  

Até entendo aqueles que possuem o hábito de consultar  o que outros homens de Deus pregaram em suas comunidades, no entanto, ouso afirmar que os que copiam na integra a mensagem de um ministro aplicando-as em seus púlpitos agem com desonestidade.

Prezado amigo, Spurgeon levava horas preparando seus sermões, e ao contrário destes, muitos ministros, tem optado em copiar o trabalho de outros. A consequência disso é que os ministros da atualidade, diferentemente de Spurgeon que era bem sucedido em suas pregações, tem fracassado na sublime missão de pregar o Evangelho.

Pense nisso!

Renato Vargens

15 comentários:

Pastor Renato,

Porque chamam Spurgeon de "Príncipe dos Pregadores"?

Obrigado
HP

HP
16 de julho de 2014 06:10 comment-delete

Pastor eu poderia colocar na pagina do face que tenho alguns dos seus posts (claro q informando a fonte)?

16 de julho de 2014 08:57 comment-delete

HP, Por ter sido ele um dos maiores e mais brilhantes pregadores da Inglaterra em todos os tempos. Abraços,

Renato Vargens

16 de julho de 2014 09:28 comment-delete

Douglas,

Fique a vontade!

Renato Vargens

16 de julho de 2014 09:29 comment-delete

A fala central: "Até entendo aqueles que possuem o hábito de consultar o que outros homens de Deus pregaram em suas comunidades, no entanto, ouso afirmar que os que copiam na integra a mensagem de um ministro aplicando-as em seus púlpitos agem com desonestidade".

16 de julho de 2014 20:20 comment-delete

Ao dizer "Sua mensagem foi muito boa, obrigado por pregar a Palavra de Deus.", Spurgeon abdicava de todo e qualquer direito sobre suas pregações, pois não as considerava como suas, mas como palavras de Deus.

18 de julho de 2014 07:11 comment-delete

ou envaidecia-se ao dizer que o pastor apenas pregou a Palavra de Deus porque foi um sermão escrito por ele...

Nunca saberemos... por isto não julguemos. Nem para bem, nem para mal.

HP
18 de julho de 2014 10:20 comment-delete

"Sede meus imitadores assim como eu fui de Cristo"

CREIO que o Spurgeon ficou feliz por ver que pessoas se inspiravam nele, com a grande sabedoria que ele teve, ele não foi irônico naquele momento

23 de agosto de 2015 18:43 comment-delete

Quando se prega a Palavra de Deus, não temos nada de reivindicar como nosso sermão ou se alguém cópia ou deixa de copiar. Louvado seja sempre Deus.

13 de fevereiro de 2016 11:08 comment-delete

Então isto significa que nenhum pregador pode pregar o que Jesus pregou, o que Ap. Paulo pregou, pow isto seria plágio.....

12 de julho de 2016 09:56 comment-delete

O que dizes então das palavras ditas pelo mesmo:
"As velhas verdades que Calvino pregou, que Agostinho pregou, que Paulo pregou são as verdades que eu devo pregar hoje, ou, de outro modo, serei falso a minha consciência e a meu Deus. Eu não posso fabricar a verdade. Eu nada sei a respeito de como abrandar as ásperas arestas de uma doutrina. O Evangelho de John Knox é o meu Evangelho. Aquele Evangelho que ribombou através da Escócia deve ribombar através da Inglaterra outra vez" (Charles Haddom Spurgeon - Príncipe dos Pregadores Batistas do Século XIX). Ainda, Spurgeon escreveu: "Deleito-me em proclamar estas velhas e fortes doutrinas apelidadas de Calvinismo, porque são certa e seguramente a Verdade revelada de Deus, como ela está em Jesus Cristo".

E mais, Sede meus imitadores, como eu o sou de Cristo! ... Eu vejo que as coisas boas devemos copiar sim... Assim não deveríamos usar os salmos... pois muitos deles são orações de outros...

20 de julho de 2016 15:03 comment-delete

Prezados... Tenhamos Paz com o Santo Espírito do Sr. Jesus.
Primeiramente, eu creio que Toda a Palavra do Senhor Jesus tem por Referência básica o próprio Jesus. Assim sendo, creio que as boas pregações podem e até certo ponto devem ser repetidas sim, sempre deixando como referência a Bíblia e os ensinamentos do Sr. Jesus.
Creio também que os pregadores devem sim procurar na Bíblia novas interpretações, novas pregações, enfim novos enfoques para crescimento continuado dos Cristãos. Uma cópia pura e simples das pregações de outros, tendo por motivo o desleixo de procurar a Bíblia e ver o que o Sr. fala, parece-me de fato um erro. Inclusive porque o Sr. deixou na Bíblia falas diferentes dependendo dos destinatários da palavra e suas necessidades. Vemos isto nas epístolas do Novo Testamento.
Com o intuito de contribuir, deixo esta mensagem, cuja oportunidade eu agradeço.

Marcelo Miranda

25 de julho de 2016 17:02 comment-delete

Resumindo, Spurgeon disse "Pregarei a Palavra de Deus"
Porque era isso que estes homens faziam. Ele não copiava sermões, claro que fazia citações (Como é natural que se faça assim como citamos Spurgeon hoje) mas, creio que uma cópia na integra não era oque ele fazia!

CS
28 de dezembro de 2016 16:02 comment-delete

A questão não é pregar o oque a bíblia diz, seja através de Jesus, Paulo ou Pedro mas, de copiar um sermão, de pregar por exemplo o que Augustus Nicodemus pregou na integra e isso por ser negligente e não estudado, não ter feito a exegese do texto. Assim fica faci né? Pra que ir pro seminário, pra que aprender grego, hebraico e etc.

CS
28 de dezembro de 2016 16:17 comment-delete

A questão é alguém ser negligente com suas ovelhas, com o ministério que Deus deu a ele. Não preparar um sermão por se debruçar sobre as escrituras mas, por comodismo copiar de outrem!

CS
28 de dezembro de 2016 16:21 comment-delete