O que leva uma pessoa a se autointitular apóstolo?

Por Renato Vargens

Ultimamente no Brasil, o que mais vemos em nossas igrejas é a multiplicação de pastores que tomaram para si o título de apóstolo.

Confesso que estou absolutamente impressionado com quantidade de líderes eclesiásticos que acreditam que foram comissionados por Deus ao ministério apostólico. Nessa perspectiva é possível encontrar em quase todas as denominações brasileiras gente que advoga que foram ungidos por Cristo para o desenvolvimento de um ministério diferenciado dos demais pastores. 

Isto posto, gostaria de elencar quatro motivos que podem levar um pastor a se autointitular apóstolo:

1-) Ignorância bíblica/teológica.  Acredito que boa parte dos que se autointitularam apóstolos o fizeram por desconhecer a Palavra de Deus. Na verdade, penso que existam muitos irmãos que tomaram para si este título por ignorarem o que as Escrituras dizem a respeito do ministério apostólico. Digo mais, creio que os irmãos em questão tivessem conhecimento bíblico jamais teriam sido "consagrado" apóstolos.

2-) Modismo eclesiástico. Infelizmente devido a falta de profundidade bíblica, parte da Igreja brasileira se move influenciada por modismos diversificados. Repare que a inconsistência teológica de muitas pastores tem contribuído para o aparecimento periódico de revelações, comportamentos e doutrinas escalafobéticas, cujo objetivo final é impactar a igreja. Um claro exemplo disso é uma última onda neopentecostal cuja ênfase se encontra no ministério apostólico.

4-) Uma eclesiologia errada.  Muitos dos pastores possuem uma visão errada do conceito bíblico  "Eclesia". Para estes, a essência da Igreja deve ser fundamentada numa estrutura hierarquica e não a "Communion Sanctos". Para os líderes em questão, o fundamento e a base de uma Igreja bem sucedida é uma forte hierarquia ministerial cujo foco se encontra na obediência inquestionável de seus pastores. Nessa perspectiva não existe espaço para o desenvolvimento do sacerdócio de todos os santos, bem como o relacionamento desprovido de títulos, pompas e domínio eclesiástico.

4-) Mau-caratismo -  Muitos dos pastores tomaram para si o titulo apóstolos não porque desconhecem as Escrituras, ou pela ingenuidade de se deixarem levar pelos modismos eclesiásticos., nem tampouco por possuírem um eclesiologia errada. Não. Muitos destes, o fizeram por mau-caratismo e desonestidade. Na verdade, tais líderes em questão sabem que estão errados, todavia, preferem continuar no erro  apostólico a arrepender-se de seus delitos e pecados.

Caro leitor, vale a pena ressaltar que acredito que os motivos elencados acima podem agir na vida do líder separadamente e em alguns casos conjuntamente.  Nessa perspectiva é até possível o pastor se autointitular apóstolo por ignorância, como também pelo modismo eclesiástico de seu tempo. Todavia,  se o faz por mau-caratismo isso automaticamente exclui todas as razões anteriores.

Que Deus tenha misericórdia da Igreja evangélica brasileira.

Renato Vargens

P.S: Os que desejarem ler mais sobre os "apóstolos da Modernidade sugiro a leitura do livro: "Reforma Agora. O antídoto para a confusão evangélica no Brasil." publicado pela editora Fiel (aqui)

17 comentários:

Tudo se resume em falta de conhecimento da palavra. Posso colocar também a questão dos "pastores ungidos", não tem nenhum respaldo bíblico para tal ação. Na minha humilde opnião para ser pastor primeiramente tem que ter vocação, depois estudar (para saber se realmente tem vocação) e aí sim ser ordenado, não simplesmente sair colcoando a mão na cabeça da pessoa e "ungir pastor".

11 de outubro de 2013 10:32 comment-delete

Concordo plenamente com a postagem do Pr. Renato e ate mesmo a sua André, o pior que infelizmente todo e qualquer tipo de "consagração" ou obreiro "ungido" hoje é mais pela "amizade","consideração" e "tempo de casa", do que pelo próprio chamado e vocação, isso desde as pequenas ate as "grandes".

11 de outubro de 2013 11:04 comment-delete

Concordo e adiciono se me permitem, pessoas hoje são "ungidas" ou "consagradas" em qualquer "cargo"mais por: amizades, parceria, tempo de casa, posição financeira, para agradas homens, por ser esposas ou maridos de alguém importante, etc. Quem tem o chamado e vocação muitas vezes fica no banco esperando a sua vez, sendo que homens estão interessados em aparecer para homens e agradar homens, infelizmente!

E por tudo isso acontecer, o que presenciamos hoje são pessoas pervertendo evangelho e despreparadas, ensinando o povo de maneira errada e envergonhando o cristianismo ou os evangélicos.

11 de outubro de 2013 11:17 comment-delete

quem se intitula apostolo simplesmente não sabe nada de Biblia!!

11 de outubro de 2013 13:34 comment-delete

Enquanto houver quem siga aos mercadores de falsas promessas e aos ilusionistas da fé, haverá um apústula vaidoso, pronto a assumir o cargo.

11 de outubro de 2013 21:35 comment-delete

Concordo plenamente com o artigo e gostaria de acrescentar mais um motivo para alguns (para não dizer muitos) supostos obreiros buscarem o título de Apóstolo: Ganância por poder e intuito de estar no topo da hierarquia como se fossem papas...
Que Deus tenha misericórdia da Sua Igreja!

11 de outubro de 2013 21:43 comment-delete

Segundo o Dicionário Bíblico Universal, o termo apóstolo “significa mais do que um ‘mensageiro’: a sua significação literal é a de ‘enviado’, dando a idéia de ser representada a pessoa que manda. O apóstolo é um enviado, um delegado, um embaixador” (Buckland & Willians, p. 35) . A Bíblia de Estudo de Genebra também aplica esta descrição, dizendo que apóstolo “significa ‘emissário’, ‘representante’, alguém enviado com a autoridade daquele que o enviou”
Acredito na humilde opinião que o mais importante e o evangelho ser anunciado e a obra sendo feita, E fácil criticar virou moda pena que os mesmos que criticam não fazem nada pelo reino de Deus!

12 de outubro de 2013 17:18 comment-delete

A igreja correta é uma igreja Pastoral??
Os cinco ministérios são lenda??

12 de outubro de 2013 18:31 comment-delete

Conheço um apóstolo que ainda nem sonhava com um ministério apostólico, e o Senhor lhe deu uma revelação tremenda de como seria seu ministério. Hoje é muito mais fácil acreditar em teoria do que na revelação do Espírito. Temos que ser maduros para entender que todo cargo ou dom ministerial, é para aperfeiçoamento dos santos. Pois estou cansada de ver pessoas doentes dentro da igreja, por não terem quem os confronte com a palavra de sabedoria, que trás crescimento maduro, trata o caráter e liberta.

13 de outubro de 2013 00:26 comment-delete

Pb. Marcio Soares, tenho um jornal evangélico e gostaria de publicar esta matéria com alguns comentários. Acho que assim como na época de Lutero, já está na hora de uma reforma evangélica e estabelecer um carácter consensual equilibrado com base bíblica. Chega de auto-promoções e essa moda de '' adaptar a igreja aos costumes do mundo para inchar as igrejas'' Aconteceu no passado esse e comunismo e agora está acontecendo novamente. Acham que por ter ''titulo'' podem ditar as leis, Deus já estabeleceu as leis , agora devemos obedecer e aguardar a vinda de Jesus. Pb. Marcio Soares - Paranaguá -Paraná.

13 de outubro de 2013 02:07 comment-delete

Sem mais definições, excelente palavra, mt edificante.

13 de outubro de 2013 12:40 comment-delete

Excelente palavra.

13 de outubro de 2013 12:42 comment-delete

Considerando que Deus convoca as pessoas para trabalharem na Sua obra, e não para se outorgarem títulos e honrarias pessoais, é ridícula e demonstração de mau-caratismo ou profunda ignorância destas auto-entitulações. Como se o sujeito chamar-se de apóstolo, trouxesse alguma vantagem ao ministério exercido... lembrando que todos estes pseudo-apóstolos amealharam inexplicavelmente grandes fortuna se vivem no luxo... incompreensível que um cristão caia neste conto do vigário. Admitamos que o joio prefere o que é esdrúxulo!

14 de outubro de 2013 11:05 comment-delete

Pastor Marcio, boa noite, o seu jornal tem link online, se tiver nos passe sempre é bom partilhar de boas coisas! Abraço e Paz.

14 de outubro de 2013 18:55 comment-delete

muito boa postagem,ate a publiquei no meu blog http://rubemsilva-oficial.blogspot.com.br/

21 de outubro de 2013 19:02 comment-delete

Esse seu Apóstolo foi testemunha ocular de Jesus? andou com ele na época,o último comissionado foi Paulo...se está aparecendo novos Apóstolos vamos colocar mais um livro na Bíblia depois do Apocalipse ,com esse Título NOVOS APÓSTOLOS DA TEOLOGIA DA PROSPERIDADE,eles não andaram com Jesus,mas tem uma nova revelação!!!!são espíritos de demônios essas tal(revelações)...

6 de janeiro de 2015 05:06 comment-delete

Concordo plenamente com a ingenuidade e falta de uma hermeneutica para se saber que , (apostolo) não é cargo . A palavra no seu original é o enviado.Tendo em vista tal coisa , podemos dizer que a apostasia esta à porta , pois se entendermos que o nosso Senhor Jesus fez foi comicionar os que andaram com ele para fazerem dicípudos do Deus triúnico.

Ob Fábio Cardoso.

4 de maio de 2016 18:23 comment-delete