quarta-feira, agosto 21, 2013

Os tristes números do adultério entre os evangélicos

Por Renato Vargens

Assustado com o número de divórcios entre os cristãos resolvi pesquisar sobre o adultério entre os evangélicos.  

O portal  americano The Christian Post publicou em o8 de junho de 2011 uma pesquisa feita pela Bureau de Pesquisa e  Estatística  Cristã (Bepec) números extremamente preocupantes.

A pesquisa denominada  “O Crente e o Sexo” revelou que entre os evangélicos pesquisados, 11,96% das mulheres, disseram que já traíram, enquanto para os homens a porcentagem foi de 24,68%. A pesquisa mostrou ainda que entre as diferentes denominações, a maior porcentagem dos que já traíram pertenciam aos grupos dos Neopentecostais (26,51%), depois Batistas (22,47%), Pentecostais (21,43%) e por último os Reformados (19,41%).

Caro leitor, de fato os números revelados pela pesquisa são preocupantes. Confesso que fiquei impressionado com a quantidade de cristãos que afirmam terem praticado o adultério. Na verdade, ouso afirmar que possivelmente o número de irmãos que tenham cometido esse pecado seja bem maior do que o relatado pela pesquisa, mesmo porque, por medo, alguns dos entrevistados, tenham tido receio de expor suas traições.

Pois é, com números tão elevados fica a pensar com os meus botões como é que alguns possuem a coragem de advogar que o Brasil está experimentando um avivamento?  Ora, que avivamento é esse que relativiza o pecado? Que avivamento é esse cujos relacionamentos se desfazem com tanta facilidade? Que avivamento é esse onde a traição, o sexo ilícito e promiscuidade sexual continuam a fazer parte daqueles que se dizem discípulos de Cristo?

À luz de números tão elevados confesso que temo pelo futuro de nossas famílias.  Sem sombra de dúvidas a igreja evangélica brasileira precisa rever seus conceitos, regressar as Escrituras, proclamar a  mensagem do arrependimento , bem como a necessidade de conversão entre aqueles que se dizem evangélicos.

Que Deus tenha misericórdia do seu povo!

Pr. Renato Vargens
 

Pr José Carmo disse...

Sei que pecado e pessoas humanas caminham juntos, no mesmo espaço, na mesma pessoa, seja dentro ou fora da Igreja, onde houver pessoas humanas, ali o pecado vai estar, oculto ou declarado. O grande problema é a hipocrisia de muitos que arrotam santidade, condenam sem misericórdia, mas vivem na oculta promiscuidade. Penso que, conforme aumenta o número de evangélicos, os escândalos aumentam na mesma proporção, alguns caem por fraquezas, outros optam em viverem caídos por safadezas. Nos resta vigiar e orar e ao caído que deseja ajudarmos a levantar. Gosto muito de refletir sobre essa palavra paulina: "Irmãos, se algum homem chegar a ser surpreendido nalguma ofensa, vós, que sois espirituais, encaminhai o tal com espírito de mansidão; olhando por ti mesmo, para que não sejas também tentado. Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo. - Gálatas 6:1-2"

Krull disse...

No caso, a pesquisa fez do "jeito certo", perguntando se as pessoas traíram APÓS a conversão, ou simplesmente se já traíram "seja lá quando for"?...

Ivo Gomes do Prado disse...

Se for pesquisar a percentagem real de jovens que se casam virgens, os números vão ser absurdos. E isso talvez não esteja computado nos números apresentados acima.

Magalhães disse...

Gostei muito da sua colocação...
como vc falou, existem 2 categorias de Cristãos...
1 - "...por fraquezas"
2 - "...optam em viverem caídos por safadezas."

1• Porque não somos nada, porque somos pecadores! sempre...
Os que não pecam com adultério pecam com outras categorias de pecado...
e o versículo de Gl 6 , nos mostra o perigo das nossas fraquezas e o que estamos sujeitos.

2• Poque existem pessoas que não se importam em viver na prática do pecado...

abs


Magalhães disse...

Pr Renato
Pergunto...e os que são verdadeiramente cristãos e salvos,
irão cometer, ou poderão cometer, esse tipo de pecado?

fica na Paz

Luis Ribeiro disse...

Olá Magalhães,
Gostaria apenas de fazer uma contribuição. Os verdadeiramente cristãos não irão cometer e nem poderão cometer este tipo de pecado caso siga rigorosamente as orientações bíblicas. A natureza humana é pecaminosa e negar isso já é perigoso. A bíblia orienta que devemos fugir da aparência do mal e resistir ao diabo e não o contrário... qdo isso não é observado, as chances de cometer tal pecado aumenta consideravelmente.
Tenha um restante de semana abençoado...

mandigo1758 disse...

Acho lamentável haver adultério em um casamento, mas antes de qualquer tipo de acusação tenho uma pergunta por que as vezes essas pessoas procuram sexo fora do casamento? na minha opinião em casa de adultério a culpa pode ser de ambas as partes digo isso como exemplo sou casado há 10 anos sou um homem frustrado sexualmente ( minha esposa não gosta de sexo e como ela mesma diz não sente falta ) tentei procurar ajuda pra nos mas não deu certo hoje simplesmente não me divórcio e nem traiu por que é pecado mas me questiono se a cada dia me tornar um homem mais frustado não seria pior.

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only