Uma história de amor entre uma princesa e um sapo

Por Renato Vargens

Era uma vez uma linda princesa que morava num próspero e belo reino.

Certo dia, ao levantar bem cedo ela disse com seus botões: Eu nasci pra ser feliz! Eu preciso de um marido! Eu quero um príncipe para chamar de meu e aqui no reino do meu pai, não existe ninguém que preencha os requisitos de um homem perfeito. Imediatamente ela procurou o rei e disse: - "Pai, eu vou embora! Eu vou sair pelo mundo a procura do meu príncipe encantado."

O pai, que de bobo não tinha nada disse a intempestiva princesa: - "Filha, não faça isso! Em nosso Reino existem moços tão prendados, tão bonitos, inteligentes e capazes.

Mas a menina teimosa interrompeu seu pai dizendo - "Que nada! No nosso reino só tem bocó! Eu quero um homem diferente! Charmoso, rico e descolado.

Sem pensar nas palavras do rei a moça arrumou suas malas e foi embora a procura do príncipe encantado.

Numa tarde, ao entrar numa cidade chamada "Mundolândia" a moça se encantou com um lindo rapaz! Ele era tudo aquilo que ela desejava. Era bonito, charmoso, malhadão com um tanquinho definido e principalmente descolado.

A moça encantada com o que viu deixou-se levar pela aparência e lá foi ela curtir a vida na "Mundolândia.". Pois é, como não podia deixar de ser ela foi seduzida por aquele que pensava ser o seu príncipe, no entanto, o que ela não sabia era que o seu príncipe encantado era na verdade um grande e mal encarado sapo.

Numa noite de verão depois de ouvir os galanteios e elogios do suposto príncipe a moça entregou-se ao rapaz beijando-o copiosamente. Para sua surpresa, ao tocar os seus lábios nos lábios do galanteador, os seus olhos se abriram e a apaixonada menina descobriu que o  príncipe encantado não passava de um feio e asqueroso sapo."

Ao descobrir a realidade a moça chorou copiosamente lembrando dos conselhos de seu pai que com sabedoria havia lhe aconselhado a não sair dos domínios de seu reino.

Caro leitor, a história em questão é uma ficção que muito tem a ver com moças e rapazes que no desejo de casarem abandonam a Igreja saindo pelo mundo em busca daqueles que supostamente lhes farão felizes. No entanto, como não poderia deixar de ser, se frustam copiosamente descobrindo as duras penas que fora do reino o que se encontra é sapo.

Isto, posto, afirmo sem titubeios que uma aliança não aprovada por Deus proporciona consequências terríveis para o cristão. Como bem disse o meu amigo Mário Freitas, não existe pecadinho e pecadão e sim "Consequênciazinhas e consequêciazões".

Pense nisso!

Renato Vargens

0 comentários: