Algumas percepções sobre o Papa Francisco I

Por Renato Vargens

Confesso que fiquei surpreso com eleição de um Papa argentino. Eu até imaginava a possibilidade de um papa latino americano, contudo, jamais poderia pensar que o os Cardeais romanos elegeriam uma papa portenho. 

Pois bem, logo depois da notícia resolvi pesquisar sobre o cardeal Bergoglio e cheguei as seguintes informações:

"O Papa Francisco enquanto Cardeal  tornou-se conhecido por humildade pessoal, um conservadorismo doutrinário e compromisso com a justiça social. Um estilo de vida simples, contribuiu para sua reputação de humildade. Segundo reportagens ele vivia em um pequeno apartamento, em vez de na residência do bispo palaciano. Afirma-se também que ele desistiu de sua limusine com motorista em favor do transporte público, e que supostamente preparava suas próprias refeições. Em resposta a uma lei do casamento homossexual em seu país natal, ele foi citado como dizendo: "Não vamos ser ingênuos, não estamos falando de uma simples batalha política. Nós não estamos falando sobre um projeto de lei simples, mas sim uma maquinação do Pai da Mentira, que procura confundir e enganar os filhos de Deus." Quanto as suas percepções politicas ao invés de articular posições sobre questões de econômicas, politicas e sociais, Bergoglio prefere enfatizar a espiritualidade e santidade, acreditando que isso irá naturalmente levar a uma maior preocupação com o sofrimento dos pobres."

Li também algumas frases cunhadas por ele extremamente interessantes:

"Quando caminhamos sem a cruz, edificamos sem a cruz e confessamos com Cristo sem cruz, não somos discípulos do Senhor. Somos mundanos, bispos, padres, cardeais, papas, mas não discípulos do Senhor."

“O aborto não é uma solução. Devemos escutar, acompanhar e compreender daqui a fim de salvar duas vidas: respeitar o menor e mais indefeso ser humano, adotar medidas que possam preservar sua vida, permitir seu nascimento e logo ser criativos na busca de caminhos que o levem a pleno desenvolvimento.”

"Se não confessamos a Jesus, somos uma ONG, não a igreja".

Caro leitor, ainda é cedo para afirmarmos que o Papa Francisco desenvolverá um governo mais conservador. Suas posturas, suas falas e seus discursos apontam para isso, no entanto, somente o futuro poderá confirmar essas  percepções. 

Renato Vargens

12 comentários:

Creio que a informação mais relevante sobre o novo Papa é que ela é da ordem dos jesuítas, os mais ardorosos defensores do Papa, como "substituto (vigário) de Cristo" sobre a terra! Deus nos livre!

Abraço

http://simvemsenhorjesus.blogspot.com.br/

15 de março de 2013 11:44 comment-delete

Ezequiel e demais irmãos,

Quando a sucessão apostólica defendida pelos católicos sugiro a leitura de um texto escrito pelo meu amigo Augustus Nicodemus:

http://tempora-mores.blogspot.com.br/2013/03/pedro-paulo-e-francisco.html

Abraços,

Renato Vargens

15 de março de 2013 11:51 comment-delete

Renato, o papa portenho é humilde e tem duas características marcantes: Crê na presença de Jesus entre a igreja e crê no diabo. Grande começo!!!!!!!!!!

15 de março de 2013 11:59 comment-delete

obrigado pela dica! lerei com prazer!

Maranata

15 de março de 2013 12:39 comment-delete

A minha oração é que Ele obedeça a Deus, e que também obedeça. Não é fácil pra ele, não é fácil pra mim, nem pra ninguém. Mas TEMOS QUE OBEDECER, Jesus é o nosso SENHOR.

15 de março de 2013 13:16 comment-delete

Será um bom papa para os católicos, evangelizador e fundamentalista. Mas, principalmente, um "faxineiro ético", coisa que a Curia precisava há muito tempo.

15 de março de 2013 14:38 comment-delete

Mesmo que tenha bons conselhos e seja humilde, não quer dizer que tenha comunhão com Deus, pois sua igreja é cheia de misticismo e de doutrinas demoníacas! Quero ver ele abolir a adoração as imagens, o celibato, o purgatório, a adoração a Maria, destituir os pedófilos e ter Cristo como Senhor e único mediador entre Deus e os homens. De boa intenção e humildade, sem Cristo, o inferno da cheiinho.

15 de março de 2013 15:59 comment-delete

Renato e irmãos só o tempo vai dizer,sobre o quanto ele vai lutar a favor do povo em uma politica social e verdadeira.
O mais interessante é umas das frases deles "Se não confessamos a Jesus, somos uma ONG, não a igreja". isso serve tb a nós que desejamos agradar a Deus em espirito e em verdade .
Imaginem uma igreja sem Cristo ........

16 de março de 2013 06:14 comment-delete

Olá amigos deixo aqui um convite Acesse - Divulgue e cadastre-se no meu blog

http://prandersonribeiro.blogspot.com

Desde já obg. por visitar .

16 de março de 2013 06:17 comment-delete

Concordo João Neves, realmente acho uma missão difícil para o líder dos católicos conseguir realizar tal missão. Contudo fico pensando que mesmo ocorre conosco, evangélicos, antes protestantes, nos apegamos a defesa de que não apoiamos a veneração as imagens, mas sorrateiramente nossas igrejas protestantes se encheram de misticismos, doutrinas de demonios, e ao invés de celibatários e pedófilos, temos uma igreja com muitos líderes avarentos, preguiçosos e adúlteros. Muitos destes cheios de boas intenções. Estamos numa situação bem difícil também!

16 de março de 2013 09:27 comment-delete

Concordo com você Alexandre! Infelizmente estamos nos tornando o que a igreja católica era no tempo de Lutero!

16 de março de 2013 13:15 comment-delete

Tá aí, gostei!

16 de março de 2013 14:51 comment-delete