sexta-feira, fevereiro 17, 2012

O rompimento de Ricardo Gondim com a Igreja Evangélica Brasileira.

Por Renato Vargens

Ricardo Gondim, pastor da  Assembleia  de Deus Betesda em São Paulo escreveu nesta semana um texto onde comunicou o seu rompimento com a Igreja Evangélica Brasileira. (Leia o texto aqui)

Confesso que no inicio da minha caminhada cristã as pregações do pastor assembleiano em muito me abençoou. Tive a oportunidade de ouvi-lo pregar algumas vezes, de vê-lo defender a fé apaixonadamente, bem como de ler alguns dos seus livros. Entretanto, de um tempo pra cá, Gondim enveredou-se  por caminhos perigosos, abandonando na esquina da vida, conceitos absolutamente indispensáveis a saúde cristã. Nesta perspectiva, ele abraçou o Teísmo Aberto, negou a Soberania Divina e relativizou as Escrituras. Para piorar a situação ele negou a volta eminente de Cristo, poetizou a Bíblia, além de questionar doutrinas fundamentais ao cristianismo.

Caro leitor, a carta de Gondim bem como o seu desabafo me entristece profundamente. Lamento o fato de que aquele que outrora dizia andar por caminhos  seguros, hoje  tenha optado por trajetos obscuros. Lamento  em saber que aquele que antes pregava as verdades do evangelho, hoje tenha apostatado, negado a ortodoxia bíblica em detrimento de uma fé subjetiva e relativista.

Termino este texto, reproduzindo uma fala  do jornalista Paulo Lopes, que afirmou que José Geraldo Gouveia, um ateu confesso, declarou que Gondim não tem para onde ir a não ser para os braços do ateísmo.

Espero sinceramente que José Geraldo esteja errado. 

Rogando a Deus que reconduza Gondim a verdade.

Renato Vargens


Jefferson Marques disse...

Oro por essa geração outrora inflamada pela cruz agora hipnotizada com os encantos,filosofias desse mundo!!!

oremos

jeffo-jefferson.blogspot.com

Gilvan de Castro disse...

Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios;
1 Timóteo 4:1

Muitos falavam muito bem do Ricardo Gondim, espero que ele não leve muitos com a desistência dele.

Maranata!

HermannVargens disse...

As observações de Ricardo Gondim acerca da atual realidade evangélica é verdadeira.

Daniel Junior disse...

Sinceramente? Especialmente no texto publicado pelo Ricardo não vi nada que pudesse servir de escândalo a não ser aquilo que de fato é escândalo: o retrato falado (e visível) que o pastor cearense fez da igreja atual é mentiroso? Não vivemos momentos desleais no âmbito eclesiástico, por que não dizer, desastrosos? Este blog não é uma ferramenta que denuncia diariamente as tolices, bobagens e babaquices que ouvimos e vemos em todos os lugares. Por que criticar o pastor por não querer aliar-se ao status quo cristão?

Desta vez não concordo com a opinião do pr. Renato, embora não tenha me aprofundado muito nas questões levantadas pelo Ricardo. Das vezes em que ouvi suas pregações (via internet), não fiquei chocado por nenhuma declaração, entendendo que, muito do que ele diz (e prega) tem com pressuposto um achismo pessoal. Dos termos considerados INADIÁVEIS para saúde espiritual, não percebi no pr. Ricardo, nada (de verdade) que o fizesse hoje, principal alvo de caça às bruxas.

Concordo que devemos estar alertas contra o que é pregado e dito, mas não vi (repito) nada que me mudasse meus sentimentos e crenças no Deus Todo Poderoso a partir dos pensamentos divulgados do pr. Ricardo.

Há um gesso no pensamento eclesiástico, que trata a bíblia não como sagrada, mas como absurdamente restrita das interpretações que temos desde então. Não digo que esta é uma característica do pr. Renato, por quem tenho admiração, mas não me privo de ler, ouvir e procurar entender o que de fato tem sido dito.

Vamos a um exemplo: em momento nenhum de qualquer discurso recente do pr. Ricardo (que conheço pessoalmente das vezes em que pregou em minha igreja), o vi descartar a soberania de Deus ou menosprezá-la. A retórica dele (seja que nomenclatura queiram dar) é contra esse conformismo covarde de dizer que "Deus está por trás de tudo", inviabilizando as nossas culpas e responsabilidades no caos e/ou bem aventuranças que este planeta (e nossas vidas) tem vivido. O Todo Poderoso é Todo Poderoso sim e não está distante das escolhas que decidimos fazer, mas foram escolhas NOSSAS, não dele. Em minha fé, acredito que a pre-ciência de Deus está ligado à sua onisciência e não manipulação da lida, da vida, das coisas, o que o tornaria um Deus cruel, sádico e imperador das nossas razões.

Pode ser que esteja passando desapercebido pela minha consciência cristã (talvez pelo carinho que reservo a um homem que tanto abençõou tantas vidas) alguma heresia destruidora.

Eu não penso e nem vejo assim.

semeador12 disse...

Desculpe, mas estamos perdendo tempo demais com um velho que nunca conheceu a Cristo verdadeiramente. Ele conseguia escrever alguns textos legais, e esteve ao lado de pessoas brilhantes. Mas o tempo dele passou, ele não conseguiu se adequar as novas mudanças no cenário evangélico nacional, e foi deixado de lado, esquecido. Então, querendo atenção, revelou aquilo que estava escondido em seu coração: "Completo desconhecimento do Evangelho". Nos últimos anos tem feito declarações e mais declarações polêmicas somente para chocar e ver seu nome aparecendo na mídia, com isso conseguiu alguma visibilidade, gostou dos resultados e continuou se distanciando de Cristo. Nele se cumpre a palavra que diz: "Porque é impossível que os que uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo,e provaram a boa palavra de Deus, e os poderes do mundo vindouro,e depois caíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; visto que, quanto a eles, estão crucificando de novo o Filho de Deus, e o expondo ao vitupério." (Hebreus 6:4-6).
A melhor coisa que podemos fazer por esse indivíduo é deixá-lo de lado, e orar por ele, pois isso é o nosso dever, amá-lo sim, mas ficar atento ao que ele diz é perda de tempo.
Acorda Igreja, temos problemas mais urgentes para serem tratados.
A Deus seja a Glória!

semeadores disse...

Precisamos de oração principalmente nós que permanecemos. Nós que constantemente corremos o risco de nos desmovimentarmos da real vivência cristã por conta do evangelicalismo que vivemos em nosso país. Que oremos pelo Gondim e principalmente por nós.

Blog Cruz Vazia disse...

Bom dia,

Tudo ou quase tudo que Ricardo Gondim disse nesse texto é verdade. O Evangelho tem sido pregado de maneira desastrosa. Na verdade, o verdadeiro evangelho não é pregado na maioria das igrejas.

Na verdade, ele já havia "largado" o evangelho com diversos textos e heresias que pregava. Agora ele tornou oficial.

Mas, apenas dando um exemplo: Se você torcer para um time de futebol e torcedores do mesmo time começarem a fazer "bobagens" você deixará de torcer para ele.

A Bíblia fala "maldito o homem que confia em outro homem". Veja que ele só cita fraquezas e erros de homens. Você não pode olhar para homens. Sua fé tem de estar em Deus e na Sua Palavra. Apenas essa!

Opiniões, filosofias, ideias e tudo que não se encaixar nas Escrituras, te prejudicam e não te edificam!

Só uma dúvida: Como a Igreja Assembléia de Deus vai tratá-lo? Como alguém que apostata da fé pode continuar exercendo seu ministério? Não entendi ainda...

Marcelo Cardoso disse...

È triste e lamentável a o posicionamento do pastor Ricardo Goldim em relação ao seu posicionamento bíblica e cristã. Porem quero ressaltar que infelizmente ele esta totalmente certo em relação à igreja de hoje. Não podemos esconder o sol com a peneira. A igreja está em decadência sim,quando falo de igreja não estou falando da igreja como corpo de cristo e sim da organização,instituição. Instituição esta falida por falsas doutrinas, falsos obreiro, falsos profetas etc. Que infelizmente engessaram a igreja de cristo fazendo dela uma empresa, que só visa lucro, e o engrandecimento do ‘eu’. A elite é quem manda, os pequenos é que sofre a pena. Alguns tempos a traz julgávamos com razão a mercantilizarão da igreja Romana, hoje somos piores. Faço as minhas palavras a palavra do apostolo Paulo, a Igreja ainda dorme. Infelizmente o posicionamento do Goldim impactou muitas pessoas, porem isso é mais antigo do que andar para frente,há uma multidão de pessoas saindo pelas portas de trás das igrejas para outros segmentos religiosos;os piores espíritas são tudo ex. isso e aquilo,para não falar de cargos eclesiásticos em que exerciam.Que Deus nos guardem e nos desvie deste caminho que o PR Ricardo e outros milhares escolheram ir.

Hellen Taynan disse...

Ricardo está coberto de razão em quase tudo. Cada comentário aq que dizem que Ricardo não conhecxe o evangelho (os livros e artigos que ele escreveu e que todo mundo elogiava foram psicografados?) mostra a quantas andam o evangelicalismo tupiniquim. Isso só confirma sua razão como disse e repito em "quase" tudo.

semeador12 disse...

Que Ricardo não conhece Deus, isso é fato, ou será que a Bíblia está errada? Com relação aos livros escritos pelo tal Gondim, bom Silas Malafaia já escreveu vários livros, e a maioria deles não vale um tostão furado, e antes dele o Jorge Linhares era o pastor que mais vendia livros, que por incrível que pareça "inspiraram" várias pessoas. Mas esses tres sabem menos do que nada com relação a Cristo. Não há discussão com relação a isso. Contra evidencias não há argumentos.
Reitero o que eu disse no comentário anterior.
A Cristo seja a glória.

Aprendiz disse...

Noto que o desvio é generalizado.

O que mais me impressiona é o fato de que basta um desviado apontar os pecados de outros para "ficar imune" a críticas. Assim, basta Gondim "denunciar" os desvios dos discipulos de Mamom, para que seus próprios erros fiquem invisíveis aos olhos de muitos.

Alguns defensores de Gondim confundem o debate, querendo fazer parecer que é um debate entre calvinistas e arminaianos. Ocorre que Gondim sempre foi pastor da Assembléia de Deus, na qual 99% dos pastores são arminianos, e nem por isso era chamado de herege, porque não se trata disso. Wesley e Armínius devem estar se revirando nos seus túmulos, por serem comparados com esse sujeito...

Gondim é teista aberto e, segundo tudo indica, um marcionita em formação, e isso é bastante claro para quem procura entender as suas palavras com um pouco mais de profundidade. Mas como gosta de confundir as pessoas com frases de sentido duplo, os incautos se confundem, e logo saem atirando em todos aqueles que ousam critica-lo. Ele usa uma tática bastante semelhante à dos petistas, afirmando e depois desmentindo o que afirmaram, e usando esse diz-não-diz contra seus próprios críticos.

É irritante ver como gente supostamente inteligente cai fácil em um truque tão pueril.

Carlos Roberto da Silva disse...

..assino em baixo Aprendiz.

PAULO GUILHERME disse...

Ao tomar conhecimento do dito texto fui ao site do Pr.Gondim, li sua carta e deixei um comentário. Como já tinha sido alertado por um outro irmão blogueiro, os comentários contrários ao aludido pastor ficam aguardando moderação e dificilmente são divulgados, para não dizer nunca. Outros posteriores ao meu já estão no site, claro rasgando de elogios o seu texto e sua messiânica postura. E olha que o que escrevi não foram ofensivos, foram tão somente críticos à sua argumentação. Isso, infelizmente, se apresenta como inicio de qualquer seita ou doutrina antibiblica: a aversão ao contraditório. Certamente o Pr. Gondim será uma grande perda para o evangelho legitimo e puro. Sempre foi uma grande benção em minha vida. Tenho certeza que o Senhor chora por aquela alma mas pelo pregador não, Ele sempre levanta outro. A verdadeira mensagem da cruz jamais será calada. Graça e paz.

Paulo Gustavo disse...

Que pena ele foi caindo e nem acreditando mas na palavra de Deus... Vejo nele um homem angustiado, Deus o sustente.

LUCIANE FELICIANO disse...

Graça e paz

Posso até concordar que o Gondim, possivelmente, tenha andado por "caminhos tortuosos" em suas reflexões. Entretanto, muitas vezes ele é mal compreendido mesmo. Os ataques que lhe são feitos, para mim,na maioria das vezes, parecem muito mais uma tentativa desesperada de desviar o foco das denuncias que ele faz. Muitos tentam desqualifica-lo para, assim, não ter que responder aquilo que se denuncia. Creio que falta uma aproximação para um dialogo mais saudavel.

Lucas Santos disse...

Renato, triste mesmo o caminho que o pr. Ricardo Gondim tá seguindo, apesar de já ser um caminho previsto pelas decisões dele no passado, como você rogo pra ele possa voltar ao Pai.

Outra coisa, sim muito do que ele fala é a realidade da igreja, mas isso não justifica uma apostasia... Se for por isso muitos dos ateus estão justificados e com salvação garantida, pois conheço alguns e em sua lógica e razão de nào crerem em Jesus são compreensíveis quando reclamam dos evangelicais de hoje. Paulo já fala isso em Romanos 2.24: por causa de vocês o nome de Deus é blasfemado.

Pois não é a discordância de ideias que o afasta mas a adulteração da fé.

Teologia Entre Amigos disse...

Não sei porque blogs e sites decidiram publicar este texto do Gondim agora como se fosse um manifesto recente de sua decisão de deixar o movimento evangélico brasileiro.

O mesmo fou publicado há mais de dois anos em seu site e também em ULTIMATO se não me angano.

Landim disse...

Paz e Graça a todas e todos!

Gente, acabei de ler a postagem do sr. Gondim(nem sabia que ele é de minha terra, o estado do Ceará) e penso que talvez estejamos tirando conclusões precipitadas a respeito.

É verdade que nos decepciona ver lideranças cujas pregações e ensinos enveredarem por caminhos diferentes dos que o SENHOR preparou para elas - diga-se de passagem isso é mais comum do que se imagina, ocorre independente da denominação e independente até dos posicionamentos doutrinarios. Todavia, temos de considerar duas coisas importantes que pude identificar no manifesto do sr. Gondim: 1º a sua afirmação de firmeza da sua fé em Jesus Cristo. Seja ele quem for e o que quer que tenha feito, tal cobnfissão não pode ser desprezada; 2º sua indignação com as coisas erradas que ele proprio presenciou e testemunhou em forma de postagem. Coisas aviltantes, horrorosas, porém conhecidíssimas de todos nós que somos evangélicos. Aliás, eu mesmo venho vendo que aqui no Brasil nós prostituímos o termo 'evangélico'. Eu mesmo já nem me considero evangélico, quando me perguntam a respeito de minhas convicções, respondo: "Considero-me um cristão reformado".

É verdade que assusta, escandaliza, mas vamos esperar primeiro. Não foram também os primeiros reformadores que romperam com o cristianismo vigente por não aceitarem que se passava em seus bastidores? Quem eu poderia citar? Martinho Lutero, John Wesley, João Calvino? Por um acaso ele ficaram na igreja católica, ou no caso de John Wesley na igreja Anglicana?

Será que não é de nós mesmos que temos de lamentar? Será que não é por nossa causa que homens, às vezes grandes lideranças e e renome em nosso meio, se prostituem com o mundo e apostatam da fé? O que é que a Bíblia ensina a respeito do nosso irmão que apostata debaixo de nossas ventas? Será que nós não temos nenhuma responsabilidade com quem sai do nosso meio? Temos sim. Pior seria descobrir que eles que saíram é que são os santos e nós os religiosos, porque foi isso que aconteceu com os católicos da época do Renascimento: por causa da corrupção e religiosidade frívola destes, muitos homens saíram de sua congregação, até então a Santa Igreja Universal do SENHOR para criar um cristianismo reformado, retornando às Sagradas Escrituras. Já pensou se, a esta altura do campeonato, descobríssemos que, ao longo das gerações, nós nos transformamos em verdadeiros neo-fariseus e neo-saduceus, cognominados respectivamente calvinistas e arminianos? E que os qu conosco rompem querem apenas uma verdadeira simples comunhão com o Pai, sem corrupção, sem religiosidade, sem disputas, nem troca de acusações. Quem vocês acham que estará nas mansões celestiais, os que mesmo rompendo conosco perseveram em santidade e Graça,ou nós que, nos misturamos nas nossas richas, picuinhas, para não falar da corrupção que viceja em muitas de nossas denominações!

Que o SENHOR tenha misericórdia de nós!

Pai da fé disse...

Ricardo Gondim é apóstata e ponto final, não vamos ficar botando panos quentes na situação:

Todo aquele que prevarica, e não persevera na doutrina de Cristo, não tem a Deus. Quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto ao Pai como ao Filho.
Se alguém vem ter convosco, e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis.
Porque quem o saúda tem parte nas suas más obras.
(2 João 1:9-11)

Vamos parar de dar uma de diplomatas, com este tipo de situação, que nossa falar seja sim sim e não não.

Thiago Lima Barros disse...

Resumo da ópera: ao prosseguir em seu caminho rumo à apostasia total, Gondim se torna tão repreensível aos olhos de Deus quanto aqueles a quem critica com boa dose de razão. Na verdade, o teismo aberto (toda e qualquer teologia relativista, aliás) e a confissão positiva são duas faces da mesma moeda, pois ambos pretendem relegar Deus a uma posição secundária.

Anônimo disse...

Caro Renato,

Vou reproduzir seu texto abaixo e colocar minha questão a você. Ok?

Entretanto, de um tempo pra cá, Gondim enveredou-se por caminhos perigosos, abandonando na esquina da vida, conceitos absolutamente indispensáveis a saúde cristã. Nesta perspectiva, ele abraçou o Teísmo Aberto, negou a Soberania Divina e relativizou as Escrituras. Para piorar a situação ele negou a volta eminente de Cristo, poetizou a Bíblia, além de questionar doutrinas fundamentais ao cristianismo.


Explique sua contrariedade descrita acima, seja mais claro para, se você quiser, discorrermos sobre o assunto.

Abraços.
Marco Araujo

Ivo Gomes de Lima disse...

"Não, não abandonarei a vocação de pastor. Não negligenciarei a comunidade onde sirvo. Quero apenas experimentar a liberdade prometida nos Evangelhos. Posso ainda não saber para onde vou, mas estou certo dos caminhos por onde não devo seguir."

Liberdade de pensamento e de expressão são (pelo menos por enquanto no Brasil) direitos assegurados a todo cidadão; respeite-se a pessoa. Mas os que puderem exercer misericórdia para com os fracos, orem em meu favor (minha rudeza e meninice são grandes) e me esclareçam: Afinal de contas, o ministro está informando que está saindo do quê e entrando em quê? A quem ele está informando isto? Por quê ele está tornando pública (não entendi qual é o "vínculo" que ele está rompendo nem com o quê) sua decisão? Se o ministro não abandonará sua missão pastoral, como é que está sem saber para onde ir? O serviço no corpo de crentes, onde a misericórdia de Deus o tem colocado, não permite a ele - sendo ministro no rebanho - que ele experimentasse a liberdade prometida nos Evangelhos?

netinho Melo disse...

Pr. renato Vargens você esta distorcendo totalmente o texto de Ricardo Gondin, ele deixa claro que está rompendo com o "movimento evangélico" e não com os princípios bíblicos. Por Favor tenha respeito a autenticidade do que as pessoas escrevem!

favourite category

...
test section describtion

Whatsapp Button works on Mobile Device only