A falência dos púlpitos brasileiros.

Por Renato Vargens

Os púlpitos brasileiros encontram-se em petição de miséria.

Lamentavelmente, do Oiaopoque ao Chuí o que mais vemos são pregadores despreparados assumindo os púlpitos de suas igrejas. Na verdade, ouso afirmar que encontrar um bom pregador cuja teologia seja saudável é quase uma missão hercúlea. Confesso que estou cansado de ouvir pregações vazias, superficiais, materialistas, humanistas e triunfalistas, de gente que contraria totalmente o ensino bíblico.

Infelizmente o que mais se ouve em nossos púlpitos é "Você vai obter vitória", "Você é um vencedor", "tome posse da bênção", "Use a palavra para trazer à existência as coisas que não existem" e muito mais. Pois é, toda essa parafernália é oriunda das leis de visualização e reprogramação mental que vêm das filosofias e religiões orientais, carregadas também de aspectos inerentes ao Gnosticismo, heresia grega que exalta o conhecimento para a libertação do Homem. Se não bastasse isso, nossos púlpitos estão impregnados de falsos profetas que ensinam os valores da teologia liberal, pregando de forma desavergonhada que o diabo não existe, que a criação é um mito, que Jesus não fez milagres, que o Mar Vermelho não se abriu diante a ordem de Moisés e muito mais. Para piorar a situação, eis que surge no cenário brasileiro, teólogos do teísmo aberto, cujo ensino descaradamente afrontam as verdades bíblicas. Para tais individuos, o Senhor é um deus que abriu mão da sua soberania em prol do amor. Para esta gente transloucada o Deus da história se transformou num tipo de divindade EMO, que chora pelo sofrimento do homem, sem contudo, poder intervir nos dramas e dilemas da humanidade.

Caro leitor, acredito que essa loucura toda se deva em parte a dois fatores. Primeiramente ao fato inequívoco de que os nossos seminários teológicos encontram-se falidos.  

Há pouco passei em frente a uma igreja evangélica deparando-me com uma faixa que dizia: "Venha estudar gratuitamente em nosso seminário teológico."

Confesso que ao ler o conteúdo da faixa fiquei intrigado de como aquela igreja de aparência simples, poderia custear um seminário teológico, até porque, como todos sabemos os custos e despesas relacionados a manutenção de um seminário não são nada baratos.

Pois é, assim como o seminário em questão, existem inúmeros seminários esparramados pelo Brasil, oferecendo aos evangélicos um curso básico de teologia. A questão é que boa parte destes seminários não possuem a menor condição de capacitar, formar e qualificar líderes ao ministério pastoral, isto sem falar é claro, de que não possuem em sua equipe pedagógica professores capazes de ensinar aos seus alunos os conceitos mais básicos da fé cristã. Em contra partida, os grandes seminários das igrejas históricas experimentam a mais profunda crise ensinando em suas classes heresias sutis e destruidoras. Se não bastasse isso, tais seminários são tendenciosos ao extremo pregando aos seus alunos as aberrações do liberalismo teológico ou defendendo com unhas e dentes uma volta litúrgica ao século XVI, cujo fundamentalismo é a principal caracteristica.

Para piorar a situação, a maioria dos seminários abandonaram a confessionalidade, ensinando conceitos dúbios e confusos aos seus também confusos alunos. Em nome de uma fé interdenominacional, negocia-se a sã doutrina, o que por consequinte, contribui em muito para a idiotização da igreja de Cristo.

Quanto aos professores, o que se percebe é que ainda que possuam formação acadêmica, suas doutrinas não possuem uma linha teológica definida. Sinceramente confesso que não entendo como liberais dão aula em seminários confessionais, ou como neopentecostais ministram em seminários reformados e calvinistas. Para agravar mais a situação, boa parte destes professores ensinam um evangelho humanista, cuja ênfase principal é a psicanálise e auto-ajuda.

Em segundo lugar, acredito que o fato das Escrituras Sagradas terem deixado de ocupar o centro dos nossos cultos contribuiu em muito para a multiplicação de heresias e distorções teológicas. Infelizmente, a baqueta tomou o lugar da exposição da Palavra de Deus, a música ocupou o espaço que deveria ser destinado ao ensino bíblico, o que por consequinte, porporcionou o aparecimento de um novo tipo de evangelho, cujo foco principal é satisfação do homem.

Pois é, como já escrevi anteriormente creio que boa parte dos nossos problemas eclesiásticos se deve ao fato de termos abandonado a margem da existência as Escrituras. Não tenho a menor dúvida de que somente a Bíblia Sagrada é a suprema autoridade em matéria de vida e doutrina; só ela é o árbitro de todas as controvérsias, como também a norma para todas as decisões de fé e vida. É indispensável que entendamos que a autoridade da Escritura é superior à da Igreja, da tradição, bem como das experiências místicas adquiridas pelos crentes. Como discípulos de Jesus não nos é possível relativizarmos a Palavra Escrita de Deus, ela é lâmpada para os nossos pés e luz para os nossos caminhos. 
 
O reformador João Calvino costumava dizer que o verdadeiro conhecimento de Deus está na Bíblia, e de que ela é o escudo que nos protege do erro. 
 
Prezado amigo, em tempos difíceis como o nosso precisamos regressar à Palavra de Deus, fazendo dela nossa única regra de fé, prática e comportamento, até porque, somente assim consiguiremos corrigir as distorções evangélicas que tanto nos tem feito ruborizar.

Soli Deo Gloria,

Renato Vargens

19 comentários

  1. É simples . Basta pregarmos o Evangelho de Jesus , como Jesus ensinou . Peter Mendeley já dizia : " NAS QUESTÕES ESSENCIAIS - UNIDADE ; NAS NÃO ESSENCIAIS - LIBERDADE ; MAS EM TUDO - O AMOR !!

    O grande problema que percebo , é que cada um acha que sua visão é única e axiomática . Podemos divergir sobre temas não tão essenciais , como : Predestinação e Livre-Arbítrio , Milenismo ou Amilenismo , Pre´-Tribulação , Mid-Tribulação ou Pós-Tribulação , Eleição , Graça Premente ou Graça Irresistível , etc...

    Pra mim nada disto levará ou não a pessoa para o Céu , mas sim , a pregação simples do Evangelho de Jesus .

    Vejo em muitos Pregadores contemporâneos o velho e antiquíssimo problema , ou seja , COAM UM MOSQUITO MAS ENGOLEM UM CAMELO !!!

    ResponderExcluir
  2. Discursos avivados em emoção, o crente não é preparado para as aflições e quando acontecem culpam DEUS e isso tudo por falta de conhecimento biblico, Mateus 22:29, e alguns cultos parecem sessão de umbanda terrivelmente assustador, mas o povo gosta.
    Gilbert Raposo, um aprendiz em Cristo Jesus.

    ResponderExcluir
  3. Quanto aos seminário gratuitos de "teologia básica", eu diria: "cegos guiando cegos".

    Conheço de perto situações assim aqui em Joinville, SC.

    Paz!!!

    ResponderExcluir
  4. Renato, você muitas vezes é uma pessoa sensata. Mas, às vezes, você se confunde nas suas razões e se torna um extremista. Será que sobrou alguém diante de tanta crítica? Atacou os fundamentalista, liberais, históricos e pentecostais. Só faltou atacar a você próprio! Mas claro, você não faria isto. Será que seu modo de interpretação bíblica não passa por uma dessas linhas? Muitas vezes temos a tendência de cuspir no prato que comemos. Afinal, sua óptica bíblica tem fundamento em uma dessas vertentes que você atacou. E, pense bem, muitas vezes queremos nos destacar em detrimento do outro. Cuidado, Renato, volte à sua sensatez! Não somos detentores da verdade. Seja mais direto em sua crítica e não fique "atirando" para todo lado. Deus seja contigo!

    ResponderExcluir
  5. Por isso nao abro mão de uma boa pregação expositiva.

    Triste ver Pastores e Lideres precisando aprender que mesmo com a morte de um querido irmão, precisamos pregar as escrituras expositivamente e nunca pensar que estamos nos aproveitando do momento de dor dos Familiares presente, pois as escrituras nos ensinam que devemos louvar a Deus até mesmo nesses momentos dificeis da vida. Soli Deo Gloria.

    ResponderExcluir
  6. Não entendi o Posicionamento do comentário do Sr. André.

    Afinal de contas esse texto é uma boa reflexão para Pastores e Lideres.

    ResponderExcluir
  7. Amado, falar de falência nos púlpitos é fácil. E a crítica ao pr. Malafaia sobre a tal Limousine?

    Até agora não pediste desculpas aos seus leitores?

    Cuidado com o 'sepulcro caiado' !!!

    Amado, perdeu a graça, seus textos. Sinceramente!!!

    ResponderExcluir
  8. Prezado anônimo,

    O que escrevo eu assino. Vc não. Vc é frouxo e não tem coragem de assinar o seu nome. É fácil se esconder atrás do anonimato, não é verdade?

    Pr. Renato Vargens

    ResponderExcluir
  9. Pastor Renato Vargens , percebo pelos textos correntes de vossa autoria , a total e explícita antipatia por Igrejas Neo-Pentecostais . Há um enfoque generalizado de críticas e numa leitura superficial , dá-se a entender que todas as Igrejas Neo-Pentecostais , advogam as mesmas Doutrinas , e empregam a mesma Liturgia sincretista , beirando ao paganismo ou mesmo a Religiâo de Mistério dos tempos do Império Romano . Ledo engano caro Pastor , há muitas Igrejas Neo-Pentecostais sérias e que primam pela Palavra , a Igreja que Pastoreio por exemplo é uma delas . Embora seja um Pentecostal Clássico , desde muito tenro na minha caminhada cristã , tenho a Bíblia acima de tudo : de Dons e Talentos .

    Sou um denfensor veemente da intelectualização e promoção de uma Cosmovisão Cristã em todas os seguimentos da Sociedade . Defendo que os cristãos devem ter presença na Ciência , Engenharia , Astronomia , Advocacia , Magistratura , etc...

    Eu penso que todo cristão deve antes de tudo ser um Pensador . Se possuimos de fato a Mente de Cristo , precisamos aprender a Arte do Pensar .

    Enfim , mesmo sendo um Pentecostal Clássico , não abro mão da Erudição , e é o que ensino também na Igreja que Pastoreio .

    Sigo na verdade simplesmente o que Jesus advertiu : ERRAIS NÃO CONHECENDO AS "ESCRITURAS" E NEM O "PODER DE DEUS" .

    A minha base foi presbiteriana , mas por perceber uma lacuna muito grande daquilo que se prega com o que se vive , preferi sair deste ambiente religioso , encontrei muitos erros sim nas Igrejas Pentecostais/Neo-Pentecostais , é verdade , mas encontrei muito mais gente buscando viver aquilo que prega do que nas Igrejas tradicionais pelas quais passei .

    Obs: Para não cometer o mesmo erro de que lhe chamo a atenção , eu disse acima " das Igrejas Tradicionais pelas quais passei " .

    Fica na Paz de Cristo - Deus continue te abençoando neste Ministério de Atalaia !!!!

    Não entenda como uma acusação , mas um idéia divergente , ok !!!

    ResponderExcluir
  10. Caro Renato Vargens,

    Outro dia um certo pastor disse mais ou menos isso numa conversa:

    "Não há necessidade gastar tempo com a pregação. A igreja não quer te escutar. Precisamos dar ao povo o que eles querem ouvir"

    Isso é lamentavel!

    Estou preparando um e-book (livro digital)sobre o redescobrimento da pregação cristocêntrica e expositiva.

    E nesse livro faço essa recomendação para que os nossos pastores e líderes se esmerem mais em seus sermões, se debrucem sobre as Escrituras e preguem todo o conselho de Deus. Não aguentamos mais tanta superficialidade, preguiça e descompromisso com a Palavra de Deus.

    Que haja um profundo e verdadeiro avivamento em nossos púlpitos brasileiros!.

    Abs.
    Marcos Sampaio
    http://conversaprotestante.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Muito bem colocada a sua exposição sobre esse triste fato.
    Irmão Renato, infelizmente são poucos homens hoje em dia que se baseiam no verdadeiro evangelho para pregarem nos púlpitos de nossas igrejas.
    Dou graças a Deus porque todos os cursos de teologia que cursei até agora me custaram razoavelmente caro, mas o resultado foi de igual valor para o meu ministério.. Tambem não acredito nesse cursinhos gratuitos de teologia.
    Deus continue te usando irmão Renato. abrçs

    ResponderExcluir
  12. Caro Pr Renato e leitores do blog

    vejo muita paixão nos textos escritos, nas respostas e comentários e espero não chover no molhado com minhas palavras

    sabes que sempre que posso comento tuas mensagens
    entendo teu grito... às vezes o desespero nos bate no coração e queremos clamar na intensão de que pessoas despertem e a situação mude

    bem
    ao ler seu texto fiquei pensando em Pulo, Timóteo e as pessoas da igreja naquela época...
    Pensei no zelo de Paulo, como líder de líderes e na admoestação que fez a Timóteo: "Prega a palavra a tempo e fora de tempo, insta, exorta..." "Seja como obreiro aprovado que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade..."

    e também pensei no que ele diz a respeito do povo: " não suportarão ouvir a sã doutrina... se voltarão às fábulas"

    também penso em Pedro, orientando aos pastores que não liderassem as ovelhas por ganância.

    Caro Renato e demais irmãos. Temos de agir para mudar.
    Aproveitar bem cada vez que subirmos em um púlpito. Honrar a glória de Deus exaltando a Cristo e a Palavra Escrita,
    Conversar com os irmão de forma santificada em amor e disciplina cristã
    Exortar as pessoas a que preguem fundamentados na Bíblia e na sã doutrina
    sermos rígidos na disciplina a pregadores que fogem destes princípios

    e acima de tudo vigiar " Aquele que está de pé cuide para que não caia"
    soli Deo glória
    "Ao que vencer dar-lhe-ei a coroa da vida"

    ResponderExcluir
  13. Bem, pelo que li não vi nada de contraditório no texto do irmão Renato. Ele disse o que na verdade acontece em boa parte das igrejas. Ensinamentos que visam mais encher igrejas, mesmo que isto custe os valores eternos do Evangelho de Cristo. Parabéns. Gostei.
    Agora, comentário de anônimo, meu Deus. Porque não assinar?
    Waldir Martins Machado

    ResponderExcluir
  14. A coisa está "acinzentada" ou "marron".
    HEREZIAS E DISTORÇÕES DA PALAVRA DE DEUS SÃO FORTALECIDAS NO MOMENTO EM QUE VAI SE AGIGANTANDO O PÉSSIMO ENSINO DOS HOMENS RESPONSÁVEIS POR PREPARAR AQUELES QUE CERTAMENTE ESTARÃO NOS PÚLPITOS PREGANDO A VERDADE DE DEUS,PELO MENOS QUE DEVERIA SER UMA VERDADE.A FALTA DE CONHECIMENTO LEVA O POVO AO PECADO,ATÉ PORQUE DEUS NOS ALERTA SOBRE ESSA QUESTÃO NAS ECRITURAS.AS CONSEQUÊNCIAS DESSAS COISAS TÃO NEGATIVAS LEVAM AS PESSOAS A TEREM AS SUAS MENTES COISAS DUBITÁVEIS,INSEGURANÇA E TOTAL DESPREPARO PARA PRGAR,FALAR E SE COMPORTAR DIANTE DAQUELES QUE NÃO CONHECEM A PALAVRA DE DEUS.HÁ UM ENORME CRESCIMETO MUITO RUÍN DOS ENSINAMENTOS DISTORCIDO COMO FOI FALADO ACIMA,POIS O DIABO GOSTA DO MÁ FUNCIONAMENTO EM SE TRATANDO DAS COISAS DO ALTÍSSIMO.ACONTECIA MANIFETAÇÕES MALIGNAS QUANDO CRISTO EXPLANAVA A VERDADE(SEM GRITARIA E SEM BATIDA DOS PÉS NO CHÃO),NADA MAIS ERA DO QUE A ABORDAGEM DA VERDADE.OS PÚLPITOS SÃO POBRES EM CONHECIMETO PORQUE ELES FORAM PREPARADOS PELOS QUE NÃO TIVERAM NEHUM CONHECIMENTO.LAMENTÁVEL!O HOMEM QUER FAZER AS COISAS DO GEITO DELES E NÃO TENHO DÚVIDAS EM REALÇÃO A ALGUM BENEFÍCIO PRÓPIO.UMA OUTRA CONSEQUÊNCIA E QUE É PREOCUPANTE É O CONFORMISMO COM ESTE SÉCULO ADOECIDO PELO PECADO DA IMORALIDADE E OUTROS.SABEM PORQUE?NOS PÚLPITO "POBRES" NÃO HÁ COMBATE,NA HÁ OPOSIÇÃO A ESTE SÉCULO,NÃO HÁ UMA BASE.

    ResponderExcluir
  15. Agnaldo
    O que vemos hoje é um evangelho de favorecimentos, transformaram o reino de Deus em fast-food; Pastores se aliaram ao mundo e suas praticas anti biblicas, homens amantes de si propios olham somente para os seus entereces.
    Mas eu creio que ainda existe um povo que não se contaminou com esses hipócritas, vamos continuar a pregar o evangelho simples e puro de Jesus Cristo, pois assim como vc, eu não me conformo com o que estão fazendo com a igreja de Cristo.
    Que Deus o abençoe.

    ResponderExcluir
  16. Concordo Renato,
    Porém acho que já é passada a hora de pararmos de nos lamentar e orarmos por mudanças, e estarmos dispostos a sermos usados como resposta as nossas orações. Vendo a igreja católica romana antes da reforma quem teria esperança que as coisas iriam mudar, mas Deus levantou Lutero, Calvino.
    Mesmo na igreja primitiva vemos que sempre haviam heresias.
    Devemos parar de olhar para o homem e olhar para Deus que pode transformar até um bando de ossos secos em um poderoso exército.
    Ivan

    ResponderExcluir
  17. Parabéns pastor pela coragem de falar de um assunto complexo, que inquieta algumas lideranças cristãs, mas que é uma grande verdade. Levei este seu artigo para discutir com professores do nosso seminário, e foi muito enriquecedor.
    Abilene

    ResponderExcluir
  18. Por não entender o sistema postarei como anonimo, porem assino em baixo.

    Gosto de ler seus artigos que já me inspiraram pregações para os pastores da minha denominação, a IDPB-Igreja de Deus Pentecostal do Brasil, da qual sou um dos supervisores aqui no Amazonas.

    Sou pastor há quarenta e um anos,e confesso que tambem estou um tanto decepcionado com o que vejo no meio evangélico, ou seria gospel?

    Continue na luta!

    nericampos@vivax.com.br

    Rev. Neri Campos
    Manaus - Amazonas

    ResponderExcluir
  19. Pastor Renato. Perdoe-me a discórdia. A VERDADEIRA Igreja JAMAIS falirá. O que irá à falência, e esta será estrepitosa, são as "empresas eclesiásticas". Os verdadeiros pastores prosperarão (não necessariamente em finanças), mas os "empresários eclesiásticos" vão tomar na cabeça. Eles serão estraçalhados na vinda do SENHOR JESUS!!!!

    ResponderExcluir

Caro leitor,

(1)Reservo o direito de não públicar criticas negativas de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada? Identifique-se. (2) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com educação. Sem palavrão! (3) Ofereça o seu ponto de vista, contudo, a única coisa que não aceitarei é esta doutrina barata do “não toque no ungido” do Senhor. Querendo aprender sobre o direito de julgar, leia estes artigos:

Não julgueis para que não sejais julgados. Como é isso?

Julgando os críticos ou criticando os juízes?

O conselho de Gamaliel e o pensamento Cristão

Nele,

Renato Vargens