Cantores que venderam a alma!

Por Renato Vargens

Se não bastassem os altos cachês cobrados pelos artistas do denominado movimento "gospel", é comum observarmos que boa parte destes, trazem no bojo de suas apresentações  inúmeras exigências contratuais, que vão da hospedagem em um hotel 05 estrelas, a um camarim recheado de frutas tropicais, alimentação  requintada e bebidas especializadas. Junta-se a isso, o fato de que muitos cantores evangélicos, exigem a contratação de seguranças e carros blindados, cujo objetivo final é não permitir com que os "fãs" se aproximem do artista e do seu staff.

Caro leitor, lamentavelmente temos visto muita gente boa vendendo a alma para as gravadoras e rádios, negociando conceitos e valores, abandonando suas vocações e chamado cristão, pagando assim um preço altíssimo pela fama e o sucesso.

Sinceramente este mercado gospel me enoja! O simples fato de saber que homens e mulheres em nome de Deus se tornaram "artistas gospel" mercadejando a mensagem da Salvação Eterna, me deixa escandalizado. Confesso que não suporto mais ver a paganização do cristianismo, nem tampouco a comercialização da fé. Infelizmente em nome de Cristo, os chamados artistas de Deus se perderam no caminho, optando por atalhos que definitivamente os afastaram do centro da vontade do Senhor.

Diante do exposto pergunto:  Qual a diferença dos chamados artistas gospel para os artistas seculares? Ambos não cobram cachês? Qual a diferença das músicas cantadas? Ambas não são para entretenimento do ouvinte? Qual a diferença entre seus fãs clubes? Ambos não adoram seus ídolos? E quanto as suas canções? Não são ambas antropocêntricas? Ora, vamos combinar uma coisa? Esta historia de artista gospel é uma verdadeira vergonha. Afirmar que seus shows fazem parte de um ministério cristão é no mínimo afrontar o conceito bíblico de serviço.

Ah! Que saudade da boa música, ministrada, cantada, com unção, cujo interesse era simplesmente engrandecer o nome de Deus! Que saudade, do louvor apaixonado, que brotava do peito dos adoradores como um grito de paixão e amor.

Definitivamente a coisa está feia! Minha oração é que o Senhor nosso Deus nos reconduza a sala do trono e que lá possamos adorá-lo integralmente entendendo assim, que a glória, o louvor, a soberania pertence exclusivamente a Ele.

Pense nisso!

Renato Vargens

44 comentários:

Pior não é isso... pior é eles se autointitularem "levitas"...

13 de julho de 2010 11:04 comment-delete

Não me permito entrar no mérito da vida de cada um destes cantores gospel, tal como eu, cada um deles dará contas de si mesmo a Deus.
Entretando, no que depender de mim, na Igreja onde eu estiver atuando, se precisar pagar cache, NENHUM deles se fará presente.
Não tenho dificuldade em providenciar transporte, acomodação digna (não luxuosa), permitir vendas de material, sejam CDs, DVDs, mas, pagar cache, de forma alguma.
Aliás, como pastor, sinto-me muito constrangido quando, ao ser consultado para algum evento, alguém me pergunta quanto eu cobro para fazer alguma coisa, tipo celebrar casamento, visitar alguém, conversar.
Se quiserem pagar meu transporte, bem, se não, não fará diferença, pois o Senhor a quem amo e sirvo me sustenta.

13 de julho de 2010 11:17 comment-delete

Meu amigo Renato!
O problema não é termos esses prostitutos que se vendem, mas os que os compram. Culpa de nós pastores que, à cata de audiência, de "animarmos" e atrairmos, ainda convidamos (entenda-se contratamos) esses bandidos, cantores-gospel, palestrantes e pregadores que são a versão atual dos vendilhões do templo, gente que recebe o desprezo de Deus, coisa que nem o mais vil pecador, recebe. Há bem pouco tempo, soube de um grupo que apareceu em Manaus, a convite de uma igreja e que, na saída do hotel que exigiram por contrato, deixaram contas a pagar e a notícia de uma festa feita com prostitutas nos quartos e que trouxera problemas ao estabelecimento.
O pior, não são os "Beira-mar" da vida, mas os que se usam do Evangelho para explorar e obter lucros. Pau neles. Não valem o ar que respiram.

13 de julho de 2010 11:22 comment-delete

Renato, leio inúmeros textos apontando esses exageros dos artistas no meio gospel, mas nenhum texto cita quem são esses artistas. Na sua opinião, isso é realmente uma atitude ética? Por que não citar quem são esses artistas?

Tenho pra mim que quando esses artistas forem citados, perderão vários convites, o que os obrigará a mudar de postura. O que acha?

Abraço, Marcos.

13 de julho de 2010 11:43 comment-delete

Eu entendo, mas...

O que farão os que estão sendo sinceros?

13 de julho de 2010 13:31 comment-delete

Concordo com o Pr Renato, além disso, ainda temos que ouvir " A chuva" "incendeia" "faz chover", e outros adjetivos que não nos enchem de nada. Cadê os versos abençoados baseados na Palavra de Deus?

Anônimo
13 de julho de 2010 13:31 comment-delete

Jesus disse: De graça recebestes, de graças dais... Mas essa não é a proposta de hoje...
Esses dias discutindo isso com uma pessoa, ela me falou mas o grupo investe na Africa ou afins nao lembro agora, mas uma coisa não justifica a outra ou justifica???
Minha alma doeu ao ler o que o Rubinho escreveu sobre isso de Manaus... Senhor tenha misericordia disso tudo... e destronize tais idolos do meu de sua igreja....
Nunca fui a show gospel e nunca irei... jamais pagarei ou convidarei alguem a ouvir a Palavra de Deus onde ela tenha q pagar...
Voltemos ao Senhor e o adoremos em espirito e em verdade... e Ele se compadeça de nós... por que concordo com o Rubinho... nao teriamos tais prostitutos se nao houvessem os pagantes...

13 de julho de 2010 13:32 comment-delete

Meu marido é músico e evangélico. As pessoas se escandalizam quando digo que prefiro que ele cante música secular ou 'do mundo', como alguns dizem. A música não é um hobby nem uma religião - a música é seu ofício, seu trabalho. Aí, se ele canta em igrejas, ele tem que 'trabalhar de graça'. Basicamente é isso. Porque se ele cobra, é visto como um mercenário. E se decidi cantar música secular para sustentar sua família também é visto como mercenário. E aí, o que fazer? Músico não é um trabalhador como outro qualquer? Sua profissão precisa estar ligada à sua religião? Se cobra para cantar nas igrejas metem o pau, se vai cantar 'no mundo' para trazer o sustento de sua casa, metem o pau. Me diz, fazer o que? Viver 'pela fé' ou mudar de profissão? Ou ser músico não é profissão, é vagabundagem? Conselho para as meninas que estão lendo esse texto: não case com um músico que seja protestante. Ou você vive esmolando 'ofertas de amor' ou esteja preparada para as críticas caso seu marido seja cristão mas precise cantar 'música do mundo' para pagar as contas.
@veronicaporto

13 de julho de 2010 13:53 comment-delete

A paz a todos os santo eleitos do Senhor, querem boas canções que exalta a Cristo e enchem os nossos corações e alegria ai vai. Vencedores por Cristo, Gerson Borges, www.gersonborges.com e Marinaldo cardozo, www.marinaldocardozo.com e muitos outros que apartir desses ficaram conhecendo, um grande abraço a todos.

Anônimo
13 de julho de 2010 14:30 comment-delete

Parabéns pela postagem, Pr. Renato! Infelizmente, o mundanismo entrou no meio evangélico, trazendo dentre outros a necessidade imperiosa de sucesso. Assim, os cantores passaram a gravar suas músicas em prol de riqueza, fama e sucesso e não mais pelo simples desejo de adorar ao Senhor. E o pior: a qualidade das letras, tanto do ponto de vista bíblico quanto referente ao vernáculo é sofrível. Ah que saudades das músicas antigas, como as do Pr. Feliciano Amaral!!!!

Graça e Paz!

Pr. Ricardo.
http://apenas-para-argumentar.blogspot.com

13 de julho de 2010 14:47 comment-delete

Querido Rubinho,

Que relato chocante é esse meu amigo? Aonde vamos parar?

Que Deus tenha misericórdia da sua igreja.

Abraços,

Renato VArgens

13 de julho de 2010 15:34 comment-delete

Prezado Marcos,

Se for colocar todos aqueles que cobram cachê preços nababescos para tocar em igrejas ou eventos evangélicos, talvez faltasse espaço no meu blog.

Abraços,


Renato VArgens

13 de julho de 2010 15:38 comment-delete

Prezada Verônica,

Não combato àqueles que vivem da música, nem tampouco condeno os músicos profissionais que vivem disso recebendo da igreja. O que combato, são aqueles que vivem nababescamente da musica cobrando em alguns eventos cristãos e "evangelísticos" 35 mil reais para ministrar ao Senhor. Estes sim combato. Quanto ao seu marido tocar na noite, não vejo nenhum problema.

Abraços,

Renato Vargens

13 de julho de 2010 15:44 comment-delete

É orrível pensar algo assim,mas parece que o "artista gospel" deve pensar o seguinte ,antes de entrar para o "espetáculo";Senhor,encosta aí no cantinho do palco ,porque agora sou eu a estrela!Quero o aplauso para mim,as adorações são para mim,todos se prostarão para mim.Sem contar o $$$$, e que é absurdo!.Vale ressaltar mais uma vez o livro de Amós 5.23!!!!

13 de julho de 2010 15:53 comment-delete

35 mil para algumas 'igrejas-empresas' não é nada, concorda? O 'mercado da fé' é bem lucrativo - acompanhei isso de perto. Prefiro que meu marido cante aí fora (no mundo), ganhe seu salário e se dê 'ao luxo' de adorar a Deus sem barganhar um cachê milionário cantando de graça em alguma igrejinha humilde lá no Antares.
Parabéns pelo post!
Grande abraço.
@Veronicaporto

13 de julho de 2010 16:09 comment-delete

O que eu gostaria de dizer que não eh soh musico, o que dizer dos Pastores tambem, este negocio de dizer que não cobram eh pura mentira, e a oferta que eh levantada depois dos cultos para eles tambem nao eh cachê

Anônimo
13 de julho de 2010 16:19 comment-delete

Acho lindo quando usam o "De graça recebestes, de graças dais". Penso que quando estiver no caixa do supermercado para pagar o leite da minha filha vou dizer: 'Olha, meu marido é músico. Ele tem que dar de graça o que de graça recebeu (o dom). Então pede ao Ivan Zurita (presidente da Nestlé) para passar esse recado à vaquinha que deu esse leite, ok?'

13 de julho de 2010 16:26 comment-delete

Acho um pouco radical dizer que o músico gospel vende a sua alma para gravadoras e etc. É possível que aconteça, mas não se pode generalizar. É importante lembrar que este é o EMPREGO do músico. Dificilmente um músico pode conciliar uma carreira musical com outra qualquer. Por sinal, muitos de nós não aguentariam o ritmo que muitos desses músicos tem. A música é um dom que nem todos tem e por isso é muito valorizado. Além disso, na Bíblia está escrito que "Digno é o trabalhador do seu salário" (Lucas 10.7). Concordo que muitas vezes os valores cobrados por estes artistas pode parecer um pouco alto, mas alguém tem idéia de quanto trabalho, equipamentos e profissionais especializados não necessários para fazer uma apresentação de grande porte???
O fato de um músico cristão cobrar para se apresentar em algum lugar não fere a sua credibilidade, pois não é o evangelho nem a mensagem que estão sendo cobrados e sim a estrutura para que estes sejam transmitidos da melhor e mais bonita forma possível.
Ninguem faz nada de graca. A nossa própria salvação teve um preço, e esse preço foi pago por Jesus na Cruz. Portanto, pensem bem antes de sair criticando.

13 de julho de 2010 17:11 comment-delete

Irmão, honestamente essa visão mercantilista do evangelho também me enoja, mas, nos ultimos paragrafos do seu belo texto está o grande problema: a deturpação do que é meramente artistico com o que é ministério (servir). Particularmente não tenho nada contra artistas, eles comercializam seu produto, tem gente que compra e até aí tudo bem, o grande problema é quando esse tipo de comercio invade a igreja, pra mim também é inadmissivel servo que quer ser tratado como artista, se ele quer ser artista então abandone o ministério, servir é outra coisa.

13 de julho de 2010 17:25 comment-delete

Paz irmãos. O quê importa é que o evangelho está sendo pregado, se as gravadoras quiseram investir, eu prefio deixar o diabo financiar pois tenho visto na palavra que Deus tira dos ímpios para dar aos que o agradam. Se os irmãos "artistas" se iludem que é por causa deles e resolvem usar o dinheiro para benefício próprio, Deus julgará amem? Vamos louvá-lo pois isto tudo é dito pelo Mestre, o evangelho está sendo pregado em massa AMEM E AMEM!! A paz para todos!!

Anônimo
13 de julho de 2010 18:10 comment-delete

REnato não persiga os músicos, eu sou compositora e até hoje não gravei porquê custa uma fortuna uma boa produção +m estúdio, tocarei em Pouso Alegre mês que vem e pagarei do meu bolso as passagens e os dois outro irmãos que tocarão comigo além de $100 reais para cada um. Sou professora de Inglês e faõ isso por amor ao Senhor, mas se eu colocar os anos de aula de musica - canto e guitarra + piano - a conta fica muito alta. O Senhor propôe então que os estádios fiquem lotados, que não exista bilheteria, que a igreja pague o aluguel, toda a produção sem cobrança. Que os músicos saiam com uma oferta de amor e não paguem seu aluguel? Que os músicos não ensaiem e arrumem um trabalho para se sustentar. Sou da Assembléia de DEus e posso dizer que este radicalismo e desvalorização dos musicos nos leva a uma mediocridade e baixa uqalidade do louvor. Vale lembrar que os Levitas do antigo testamento recebiam parte dos dízimos e ofertas. Hoje vocês querem boa, excelente música, criticam todos os detalhes... mas não acham bom colaborar para que isto cresça. Já está fora da palavra a o seu julgamento, veja a medida com que medes... DEIXA O EVANGELHO SER PREGADO E SE FICAR MUITO IRADO COM A BENÇÂO DOS IRMÂOS ESTUDE MUSICA E BOA SORTE!!!

Anônimo
13 de julho de 2010 18:22 comment-delete

Prezada anônimo,

Vc não está entendendo. Não sou contra o músico receber pelo seu trabalho. sou contra a exploração e ao mercantilismo da fé. A senhora acha justo, um cantor sozinho ganhar 40 mil por apresentação?

Leia por favo estes artigos:

http://renatovargens.blogspot.com/2009/09/os-cantores-gospel-seus-caches-e.html

http://renatovargens.blogspot.com/2009/06/mamae-eu-sou-gospel.html

Abraços,

Pr. Renato Vargens

13 de julho de 2010 18:44 comment-delete

Prezados,

Uma nota importante:

Eu sou favor do musico tocar profissionalmente fora da Igreja. Do ponto de vista teologico não existe diferença entre musica do mundo e musica da igreja. Musica é musico e ponto final.

Renato Vargens

13 de julho de 2010 18:50 comment-delete

Meu irmão (Marco Moldero) é um profeta levantado por Deus para edificar com salmos e cânticos espirituais ao corpo de Cristo. Não cobra cachê, recebe com o coração aberto aquilo que lhe é oferecido como oferta em suas ministrações, porém concordo com a fala da Verônica, pq vi bem de perto esta realidade na vida de minha família.
O músico cristão que milita na Causa também precisa comer e manter dignamente sua casa...

13 de julho de 2010 19:59 comment-delete

Excelente o comentário do Israel! Disse tudo e mais um pouco.

13 de julho de 2010 20:26 comment-delete

Olá Pastor Renato! Muito boa a sua matéria. Aliás, seu blog é muito bom também. Bem organizado e consistente.
É realmente muito preocupante essa situação dos cantores gospel. Sou a favor de que cada igreja deva aprender a valorizar seus próprios talentos. Digo isso com base no modelo das igrejas primitivas, onde o que era valorizado era a comunhão e a edificação através dos dons individuais. O resultado das igrejas que investem em ministérios externos, a meu ver, não é o crescimento, mas o inchaço.
Um abraço!
Wesley Pinto

Anônimo
13 de julho de 2010 23:28 comment-delete

Olá Pastor Renato.

Quanto a questão de um músico ganhar sozinho 40 mil reais...

Apenas gostaria de dizer que dificilmente o músico irá receber tanto dinheiro sozinho em uma única apresentação. Quase sempre este valor se refere a despesas com viagem, montagem de palco, equipamentos, iluminação e para pagar toda a equipe que executa essas atividades além da banda, cantores, etc... Em muitos casos, desses 40 mil, o músico ganha uma pequena parcela que nem sempre é muito significativa.

Não nego que existem verdadeiros "mercenarios", afinal a igreja é composta de seres humanos pecadores, mas tem muita gente comprometida com o ministério e o evangelho que não merece entrar no "bolo" dessa discussão.

Todo evento de grande porte que envolve música,iluminação e etc é caro. Aqui ou em qualquer outro lugar.

14 de julho de 2010 11:44 comment-delete

A Paz do Senhor.

Não é necessário colocar os nomes. Basta verificar os mega-shows para descobrir.

14 de julho de 2010 12:57 comment-delete

SÓ NÃO ENTENDO UMA COISA, POR QUE NÃO SE DÁ NOMES AOS BOIS? JÁ NÃO É HORA DE DENUNCIAR ESSES MERCADORES, DANDO-LHE NOMES, PARA QUE AS PESSOAS OS BOICOTEM?
JAS
FORTALEZA-CE

Anônimo
18 de julho de 2010 09:43 comment-delete

Boa Tarde Pastor ! A minha opinião é a seguinte : Esse mercado existe e tem muita gente enriquecendo por conta disso . Isso é um ponto porém a distorção da palavra de Deus e mega valorização que é dada pelas igrejas e pelos membros a essas pessoas são a causa de muitos chegarem ao extremo de se sentirema mais importantes do que Deus .
Existem igrejas que tem excelentes músicos e compositores com músicas inspiradas por Deus que não tem valor por que todos preferem as músicas que tocam na rádio ,mais uma vez valorizando essas pessoas que chegam a esse extremo . Vejo pessoas comprando cds e dvds piratas de filmes e lançamentos, mas na hora de comprar os desses artistas , acham que é pecado comprar o pirata ai compram o original para abençoar o sujeito , pagam uma grana para ver um show gospel , mas não tiram uma grana de oferta para ajudar na obra do telhado da Igreja e por ai vai , existe o otário e existe o esperto e infelizmente esse mundo é dos espertos .
Mas fico tranquilo quanto a isso , porque existe um lugar de sofrimento eterno onde a carne arde eternamente e lá quem adora e quem se sente adorado poderá ser surpreendido no dia da balança . Jesus está voltando , abram os olhos .

Um abraço
Roberto Lopes

24 de julho de 2010 14:56 comment-delete

A Paz do Senhor Jesus seja contigo Pr. Renato, com sua família e igreja!

1º - Sugiro ao amado a colocação de sua foto e nome de forma clara no seu site, pois tenho combatido este tipo de atitude no meio evangélico na Web. Com isto o amado não estará se enaltecendo, mas se identificando (somos a luz do mundo, disse Jesus). Também tenho um site e dou meu testemunho da forma mais clara possível.

2º - O pastor Walter Macalister (o filho), na antiga e saudosa rádio relógio, já dizia que a música é uma força pedagógica avassaladora, seja para o bem ou para o mau.

3º - Eu entendo a sua indignação para com os que se autodenominaram “levitas” ou a geração dos “verdadeiros adoradores”. Claro que digno é o obreiro do seu salário, mas realmente o que está acontecendo é, como diria Bores Casoy: “Uma vergonha!”

4º - É por causa dos estrépitos nos templos que pouco, muito pouco, tenho participado de cultos realizados pelas igrejas, pois quando eu era do mundo (só me converti aos 27 anos) eu nunca fui a bailes ou cassinos barulhentos do mundo, mas agora, aos 48 anos, tenho que expor meus ouvidos já cansados pela idade a uma rápida degradação auditiva se eu quiser participar dos cultos. É pena que as igrejas, não todas, mas a maioria delas, estão se prestando a fazer (pagar) para encherem os templos, mesmo em detrimento a Santa Palavra de Deus.

5º - Se é verdade que Satanás era regente no céu, é natural que esta seja, depois do ministério da Palavra, o ministério mais atacado por ele. E descordo da senhora acima que justifica, mesmo que de forma indireta, a permanência desta “bagunça” nas igrejas para que os cantores possam sustentar suas famílias em detrimento da destruição espiritual das outras por meio de letras não inspiradas, sim, não inspiradas, pois se realmente fossem inspiradas o irmão, eu e muitos outros certamente não estaríamos postando nossas considerações sobre este desagradável assunto, mas um abismo chama outro abismo, a saber: Letras ruins, mesmo que melodicamente bonitas, somadas a ritmos que mechem com a emoção, mas que afastam a razão, tem se sobreposto acima da própria Palavra em si.

Para terminar creio que estas coisas que estão acontecendo na maioria das igrejas é o cumprimento da profecia que diz:

“Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;" (2ª Timóteo 4 : 3)

Bem, é isso. Fiquem todos na santa paz do Senhor Jesus, pois a sua volta certamente está próxima!

Seu irmão na fé e na esperança em Jesus Cristo: André M. dos Santos

7 de agosto de 2010 22:41 comment-delete

A paz do Senhor pastor Renato, excelente matéria!! Infelizmente há mesmo os interessados em tirar mesmo um proveito da obra do Senhor. Mas a grande alegria e satisfação nossa é que QUANDO DEUS ORDENA ATÉ O DIABO OBEDECE!!! entao o Senhor muda toda esta situação, e quando chega ao ouvido de um necessitado, chega em forma de um apelo. E transforma mesmo vidas. Que Deus abençoe a todos, e coloque em cada coração amor pelas almas. Kelly

20 de agosto de 2010 15:03 comment-delete

Eu sou músico, amador. Sou guitarrista na minha igreja. E sou funcionário público. É disso, serviço público, que eu tiro o meu sustento.
Eu não concordo com essa atitude de cobrar valores exorbitantes para cantar "louvores". Mas, mesmo não concordando, eu sou obigado a entender.
Muitas vezes, para dizer a verdade, na esmagadora maioria dos casos (99,99%), o músico não é reconhecido. Os "arteiros gospel", os "medalhões" são uma minoria. A grande maioria, simplesmente, não é reconhecida. Para cada "arteiro 'medalhão' gospel", devem existir uns 300 dos quais nem se ouve falar... E existem pessoas que se revoltam com isso.
Em muitas igrejas, onde o pessoal não "chega junto" nos seus dízimos e ofertas, os músicos são o último detalhe a ser observado, e tem que se virar com instrumentos velhos, e aparelhagem em más condições.
Ter uma simples oportunidade (uma em um milhão...) de tocar com um "arteiro 'medalhão' gospel", é um sonho para essa enorme legião de mal-amados. Significa ser visto, ser notado, ser "amado". ter a oportunidade de tocar instrumentos decentes. É por isso também que, lamentavelmente, muitos tem "chutado o balde", e ido para o mundão. Não tem suportado a falta de amor.

23 de agosto de 2011 18:34 comment-delete

Nào aguento mais ouvir/ler: "O que importa é que Cristo está sendo pregado"
Esse povo não prega a Cristo, prega o genio da lampada!
Um cantorzinho desses, cobrou um cache para cantar (R$ 3.000,00), e aconteceu que o pregador da noite não foi e o pastor da igreja pediu que esse cantor desse a palavra. Quando acabou e ele foi pegar o cheque do pagamento, ele disse que o valor passou para R$ 5.000,00 por conta da palavra. o pastor rasgou o cheque e botou ele pra correr!! Sinceramente, não tenho estomago para ouvir rádio, não dá para ouvir essas musicas onde se louvam a amiga o periquito e o papagaio..Não dá!! E nem culpo os pastores/empresários que convidam esses cantores, pois são todos iguais!Lamentável!!

19 de dezembro de 2011 21:16 comment-delete

eita genteee...rssss nao é só eu q penso dessa forma graças a DEUS pela vida do renato

19 de dezembro de 2011 21:22 comment-delete

Ah, por favor!! O pessoal usa o argumento de que é necessário muito dinheiro para que as apresentações dos cantores 'gospel' tenham a estrutura que têm. Afinal, para Deus tem que ser o melhor não é? Aí eu pergunto: o melhor para Deus tem a ver com a iluminação de um palco, ou com a perfeita sonorização ou quaisquer outros detalhes estruturais??
Por que cantores cristãos como Stenio Marcius e Gladir Cabral não fazem essa reivindicação que a maioria dos "levitas" fazem??
"Ah, é muito caro gravar um cd." Não é porque Deus te deu o dom do canto e da música que necessariamente você tem que gravar um cd ou dvd!
Quanto ao comentário acima que dizia que no Antigo Testamento os levitas recebiam parte dos dízimos e ofertas, digo apenas isto: quem disse que cantores cristãos são levitas?
A bíblia diz "de graças recebeste, de graça dai". A quê as Escrituras se referem? À mensagem evangélica! Se você recebeu a mensagem da salvação de graça, com que direito você vai passá-la para frente através de comércio?
A gente dá desculpa para tudo! Que DEUS nos ajude!

19 de dezembro de 2011 21:36 comment-delete

Existe realmente cantores que exageram e concordo quando o Renato diz que mercantilizam a mensagem.
E sendo assim, porque não dar nome aos bois? Das duas uma: ou todos os cantores vendem a mensagem e portanto não é logico citar nomes, ou parte dos cantores peca - e portanto seria necessário apresentar nomes - ainda que somente como exemplo. Ou no mínimo citar aqueles que não cometem tal erro.

Sinceramente - creio que o caminho para os músicos seria seguir o modelo norte americano: Gravar CD e se apresentar - fazer shows mesmo para o público que goste da música. São profissionais da música. E quem vai sabe perfeitamente que está comprando um produto, está ouvindo a música ao vivo. Se apresentam em casas de Show. e as poucas igrejas que vão, são mega Igrejas e que dispoem de local apropiado pra música. E justamente cobram o ingresso - é uma apresentação que está acontecendo ali. Não um culto.

Agora na questão das bandas que são "ministérios" na igreja aonde congregam, a solução seria ficar ali mesmo - e cabe a igreja deles ajudar ou não, financeiramente os músicos e sua equipe. E se a congregação gosta de determinado cantor ou banda, que os músicos aprendam a música e toquem na Igreja. Quem quiser ver a própia banda tocar que vá ao Show da mesma. Culto não tem que servir de lugar pra financiar artista algum. é somente pra ADORAR A DEUS.

Marcos Lourenço
19 de dezembro de 2011 21:47 comment-delete

Pr, falta coragem ou vergonha para admitir essa verdade.

Estelio
19 de dezembro de 2011 22:30 comment-delete

Na verdade não passam de pessoas q exploram a música gospel porque não possuem talento pra fazer sucesso na industria secular. O resto é estória pra boi dormir, há vários exemplos no Brasil e no mundo de cantores que depois de fazerem sucesso, abandonaram a música gospel. Paulo

Anônimo
20 de dezembro de 2011 01:17 comment-delete

Para mim quem esta querendo ganhar espaço e reconhecimento sao esse blogueiros das trevas que so sabem criticar os que levam a palavra de Deus. Nao usam o blog para gloria de Deus mas sim para fazer o que satanas faz, que é criticar, afim de difamar o evangelho de Cristo.
Paulo o grande homem de Deus nos deixou conselhos para reagir diante de alguns cantores gospels, e o conselho dele nao foi para criticar mas para se alegrar. Flipenses 1:18 Todavia, que importa? Uma vez que Cristo, de qualquer modo, esta sendo pregado, quer pro pretexto --por interesses--, quer por verdade, tambem com isto me regozijo,--ele nao disse: tambem com isto eu os critico porque sao bandidos, mas completou pra nao deixar duvidas--, sim, sempre regozijarei.
Pare de querer ganhar destaque na NET criticando, vai pro Hospital orar pelos enfermos, pras ruas pregar que assim voce ganha mais.
Deixe o Espirito de Deus agir em sua vida. Sejam blogueiros do Reino dos Ceus nao das Trevas.

Marlon Souza
20 de dezembro de 2011 10:22 comment-delete

Muito barulho por nada.

Primeiro ponto: O mundo artístico tem que funcionar não importa se no meio gospel ou secular. Quem promove os shows, geralmente, promove profissionalmente, ou seja, pra ganhar dinheiro. Se um artista cobra 50 mil reais por um show, ele não ganha isso. Paga músicos, técnicas, estrutura, manutenção da banda (salários, ensaios, estudios) e digamos que sobra 5 mil pro artista no show. Quanto o organizador do evento ganhou? Na grande maioria das vezes, muito mais que isso!

Segundo ponto: Os camarins, hotéis, etc, fazem parte de um "todo". Qual o problema em ter conforto sendo que o mesmo é fruto do seu trabalho, e trabalho lindo de evangelizar, levar a palavra ao povo!

Terceiro Ponto: em todas (EU DISSE TODAS) as classes (evangélicos, católicos, funkeiros, metaleiros, forrozeiros) tem pessoas que perdem a linha (e não me venham com hipocrisia de que 100% dos evangélicos possuem educação de realeza) e isso influencia SIM na segurança e na preservação da integridade das pessoas. Muita gente ainda nã aprendeu que artistas são feitos de carne e osso e os veneram..

Opa!... veneram?

Pois é! Então que tal analisarmos que o excesso de segurança pode ser por pessoas que esquecem quem o único digno de adoração e perdem a compostura?

Amigo Renato, admiro seus textos, parabéns pela escrita.

Forte Abraço.

Wesley Teixeira

Wesley Teixeira
20 de dezembro de 2011 10:27 comment-delete

Bom dia!

Na minha humilde opinião, vejo que o fato da arte musical hoje em dia ser um mercado milionário, e levo para o lado que é o seguinte: não sou contra os cantores evangelicos ganharem muito dinheiro, até porque os cantores seculares ganham MUITO dinheiro, e nós servos de Deus tambem temos o direito de ganharmos até mais do que eles... o que temos que levar em consideração que o mercado musical é isso ai... se nós formos pensar que os evangelicos tinham que ser diferentes, estaremos sendo preconceituosos, qual a diferença? pelos vistos vc leva para o lado espiritual, mas a realidade é outra... estamos falando de mercado musical, que é um dos mercados mais competitivos hoje em dia, e a valorização da musica gospel causa isso... claro que como tudo nesse mundo, vemos exageros... mas e dai? os que pagam os luxos é porque tem retornos maiores.. os produtores de eventos gospel são os que mais estão faturando hoje em dia... por isso eu acho que se os filhos do Diabo ganham muito dinheiro, os filhos de Deus tem que ganhar muito mais... e a maioria dos cantores gospel são abençoados e atraves da musica deles tem alcançado muitas almas, eu mesmo sou fruto de um... me converti ouvindo musicas gospel!... então criticar sem conhecer é facil... mas a questão não é avareza... é mercado... se voce não se valorizar, vc vai ficar entre as pessoas mediocres... e o principal.... vendo um cristão criticar, massacrar, caluniar... etc... isso me preocupa, porque o Papa uma vez disse em um depoimento que não se preocupa com os evangelicos, porque eles se auto-atacam, se alto-destroem... na minha humilde opinião... AMAR O PROXIMO COMO A TI MESMO... isso é mandamento que ja não existe na classe evangelica, pq o que mais se vê é um querendo engulir o outro, em blogs, televisão... etc

20 de dezembro de 2011 12:00 comment-delete

de tudo que li, gostei muito do que cantores "gospel" se intitulem levitas. parece que nunca leram a palavra. o comentarista é arretado.
virou febre nacional cantores gospel. a maioria não canta nada, alguns imitam as vozes de cantores populares celebres, e tem cantoras cantando sexy e eroticamente para Yeshua=Jesus o Salvador, pode? perderam toda a noção de quem é Deus, o Eterno e quem é seu filho, o propósito de salvação e tudo que envolveu sua entrega.
o cristianismo evangélico, se tornou uma piada. Só não acredito que Jesus está voltando por agora, pois para isso acontecer, a igreja, o povo de Deus terá e será perseguido. Esse cenário está se formando e breve acontecerá. E o próprio povo de Deus está colaborando com isso, por falta de sabedoria e discernimento. Vejam que a homofobia, os gays e lésbicas, estão ganhando terreno contra as instituições familiares, e se legalizando e formando novas formas de "famílias", e isso tudo foi a partir do PT do LULA e agora a DILMA, em quem as igrejas votaram maciçamente para eleição e reeleição. Então, não serão achados como inocentes, diante do trono de Deus.

SHAUL IVRIN
20 de dezembro de 2011 18:37 comment-delete

O que você Renato escreve no texto é simplesmente o que penso e sou muito criticada por eu não correr atrás desses artistas gospel...

7 de maio de 2013 21:54 comment-delete