terça-feira, janeiro 05, 2010

Eu não acredito no Deus do teísmo aberto.


Por Renato Vargens

Acabei de assistir um vídeo onde o teólogo inglês Tom Honey, afirma que Deus não pode intervir ou abortar tragédias como a provocada na sul da ásia por um tsunami em Janeiro de 2005. No vídeo Tom Honey chega a declarar que o conceito cristão de Deus como  Todo-poderoso precisa ser revisto. Para ele, Deus não está no controle de todas as coisas. Honey chega a questionar se Deus de fato tem domínio sobre o vento e as ondas do mar e se verdadeiramente possui controle sobre todas as coisas.

Caro leitor, Eu não acredito no Deus de Tom Honey. Eu não acredito em um Deus que seja surpreendido por imprevistos, nem tampouco em acontecimentos que fujam aos propósitos eternos do Criador. Nosso Deus reina e tem controle sobre todas as coisas, e absolutamente nada foge aos seus desígnios. As Escrituras afirmam que o governo está em suas mãos e que Ele possui domínio sobre tudo aquilo que acontece no céu e na terra. O Deus Todo-Poderoso governa o mundo, Ele é o Rei dos reis, o Senhor dos senhores, o Altíssimo Deus. A Ele pertence todo poder e toda autoridade para fazer o que lhe agrade. O mundo e tudo que nele há é o seu mundo e toda criatura que nele vive é controlada por sua soberana vontade e poder.

Isto posto, afirmo sem titubeios que as tragédias da vida não fogem ao controle e domínio do Criador. Os desastres naturais, não podem em hipótese alguma surpreender ao Todo-Poderoso. Como Senhor, Ele rege os acontecimentos, fazendo dos dramas da existência um profícuo instrumento de amplificação, cujo propósito é falar ao coração dos homens sobre a brevidade da vida e a sandice de viver sem Cristo.

Tenho plena convicção de que o meu Redentor governa sobre tudo e todos. Tragédias como o do Tsunami, ou do Morro do Bumba ou da Haiti, em hipótese alguma surpreenderam ao Senhor. As Escrituras nos revelam um Deus que sustenta e governa o universo SOBERANAMENTE e que nada foge ao seu controle.

A Ele toda glória.

Renato Vargens
Dump de Memória disse...

Querido e Amado Pr. Renato :

Graça e Paz.

Não concordo, eu acredito sim no deus do teólogo Tom Honey.

Simplesmente porque o deus dele é assim, deus, ou seja, um deus fraco e principalmente quase-podoroso.

Estes deuses estão cheio por aí.

Mas o nosso Deus não é este. Nosso Deus é o Deus que criou tudo e todos.

Forte abraço

Prof. MsC. Dalton Gerth

Música, Ciência e Teologia disse...

Pr Renato, eu também não creio no Deus apresentado pelo Teísmo Aberto.

Marcos

Gilbert Raposo disse...

Muitas das tragedias causadas por acontecimentos na natureza nada mais é por causa do prejuizo que o homem causa ao eco-sistema, mas com certeza a onisciencia de DEUS se faz presente, portanto é mais uma abobrinha que vemos por ai o que diz esse Tom Honey.
Gilbert Raposo, um aprendiz em Cristo Jesus.

porele disse...

Eu chamo este tipo de postura, como a de Tom Honey, de choradeira teológica.

Choradeira, pois pessoas como Tom Honey, frente as adversidades da vida, tomam a pior das atitudes. Imagino até a cena:

- "Buaaaaaaaaaaaaaa!!! 'deus' assegurou que eu não tropeçaria em pedra alguma! No entanto, eu cai e esfolei os joelhos!! Mimimimi... 'deus' feio, cara de mamão!"

Por conta disto, sentem-se desconfortáveis por acharem que o Senhor não foi bom o suficiente para com elas... Dai surgem estas ideias "brilhantes"...

- "Não vamos negar a bondade de 'deus', vamos negar qualquer um dos seus atributos, só assim poderemos racionalizar 'deus', torna-lo palatável..."

Misericórdia!

Ricardo Mamedes disse...

Caro Pr. Renato,

Eu não somente não creio nesse "deus" menor, como também não o quero. Eu o rejeito sumariamente!

Certamente Tom Honey não leu o salmo 104, tampouco o resto das Escrituras Sagradas.

Essa teologia relacional (teísmo aberto) em certo momento também foi abraçada pelo Gondim, o que surpreendeu a todos (parece que ele voltou à razão).

Esse é um deus menor do que o Deus Jaweh. Um deus construído pelos incrédulos, por aqueles que não têm no coração o Espírito Santo, posto que os que O têm são por ele convencidos da completa soberania do Altíssimo.

Por outro lado, o pequeno deus dos teístas abertos não poderia ter construido o universo do nada.

Para o Eterno é muito pouco o que ocorre neste mundo efêmero. A existência terrena para Ele é fugaz. A eternidade é o que de fato conta - pouco importando como a matéria cesse de existir e volte à sua origem: o pó.

Em Cristo,

Ricardo Mamedes

Vivendo Profeticamente disse...

Vamos dar nomes aos bois , quem esta divulgando este video, ao menos no twitter é o open teista mor do Brasil o pastor(sic) Ricardo Gondim, eu disse a ele que o video me deu nojo,raiva e pena. Pois este vigario da inbglaterra nada conehce do Deus da biblia. Eu creio no TODO PODEROSO

Anônimo disse...

Teologia Relacional ou Teísmo Aberto
O que falta aparecer na arena teológica? Alguns teólogos modernos se apresentam agora com as suas ideais moderníssimas, querendo transformar Deus num ser comum, igualzinho a todos nós, expondo a sua chamada “Teologia Relacional” (ou “Teísmo Aberto”), na qual o nosso Deus é retratado como uma pessoa que nada tem de Onisciente, Onipotente e Onipresente. Os profetas do Teísmo Aberto afirmam que Deus não conhece o futuro completamente, e pode mudar de idéia conforme as circunstâncias, ou seja, Ele é tão falível como Suas criaturas.

Estou fora desse tipo de teologia, pois o Senhor Jesus admoestou os judeus: “Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus. Portanto, aquele que se tornar humilde como este menino, esse é o maior no reino dos céus. E qualquer que receber em meu nome um menino, tal como este, a mim me recebe”. (Mateus 18:3-5). Quero conservar minha fé infantil, conforme Cristo nos ordenou.

Não preciso de uma teologia dissecando Deus, como se Ele fosse um cadáver a ser estudado numa Escola de Medicina ou Enfermagem. Para mim, Ele é Santo demais e por isso, limito-me a me curvar humildemente diante grandeza da Verdade, que é a Sua Palavra Santa para me sentir garantida.

O escritor René Kivitz diz em sua obra - O Livro Mais Mal-Humorado da Bíblia: "Devemos acabar com essa ideia de vida cristã" ... "Quando a vida nos decepciona, ou a gente corre para o divã, para um prosecco [ele quis falar de um vinho seco?] ou para o divino. O problema é que Deus também decepciona”.

Curioso é que Deus nunca me decepcionou, talvez por causa da minha fé infantil, que Nele confia inteiramente e sempre espera o melhor da parte dEle, conforme podemos ler em Tiago 1:7, 3:17 e 4:10) - “Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação... Mas a sabedoria que do alto vem é, primeiramente pura, depois pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade, e sem hipocrisia... Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará.”

Depois de enveredar pelas teologias liberais, os escritores americanos conduziram o povo ocidental à descrença na Divindade de nosso Senhor Jesus Cristo, o mesmo tendo acontecido na União Européia, onde 99 entre 100 pregadores entregam nos púlpitos um Jesus equiparado a Buda, Maomé e Confúcio, portanto apenas um grande pregador e líder religioso.

No dia em que eu não mais acreditar em Hebreus 1:1-4: “Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo. O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas; feito tanto mais excelente do que os anjos, quanto herdou mais excelente nome do que eles”, vou rasgar a Bíblia, que leio em três idiomas, e nunca mais vou citar o Nome de Jesus Cristo.

continua...

Anônimo disse...

continuação...

Provavelmente, irei me dedicar a escrever sobre moda e beleza. Quem não crê que Jesus Cristo é Deus e que Deus é Absolutamente poderoso e tão cheio de amor a ponto de ter enviado o próprio Filho para nos salvar da morte eterna, para mim é um incrédulo. Em vez de continuar escrevendo sobre religião cristã, um pastor liberal deveria ganhar a vida em outro ramo, deixando de lado a pregação da Palavra e o ofício de pastor. Pregar a Teologia Relacional é conduzir as ovelhas à apostasia da fé cristã e explorar o Nome Santo de Jesus Cristo com o objetivo de ganhar dinheiro e viver confortavelmente à custa do humanismo secular travestido de Cristianismo.

Pior ainda, é aceitar dízimos e ofertas dos membros de uma igreja que cresce espalhando a HERESIA de que Deus não se relaciona conosco em Seus atos, nem se incomoda com o que nos acontece, contrariando o que Jesus disse aos Seus seguidores judeus: “Mas não perecerá um único cabelo da vossa cabeça”. Se Ele não é Deus, ou é um Deus relativamente fraco para controlar as forças da natureza, então o Livro do Apocalipse é um fiasco e a Bíblia é um livro de lendas e superstições judaicas, conforme a Teologia Relacional.

Caros profetas do Teísmo Aberto: vocês erraram a vocação. Tentem conseguir um bom emprego federal, ganhem sua vida honestamente numa ocupação secular, deixando o púlpito para quem ainda crê na Onipotência, Onipresença e Onisciência de Deus. E podem continuar usando essas palavras bonitas e desconhecidas dos leitores “medíocres” (como eu), porém deixem de minimizar o valor da Palavra Santa, porque este pecado vai conduzir vocês a uma agonia sem fim...

Mary Schultze, 05/01/2010 – www.maryschultze.com

Ricardo Mamedes disse...

Concordo em tudo com a Mary, acima: esse deus do teismo aberto não é mesmo Deus, pois não tem os atributos que lhe dão a Sua essência.

Ricardo

amaury disse...

ricardo gondim referiu-se certa vez ao "mito do Éden". é uma pena que ele tenha chegado ao nível que chegou. acreditei por um tempo que o gondim seria um dos que renovariam o pensamento cristão brasileiro, mas ele se deixou levar pelo esquerdismo e pela teologia relacional.

Flavio Alcantara disse...

Eu não sou um seguidor do "teísmo Aberto", mas confesso que alguns iténs são relevantes. Não questiono o poder de Deus, nem que ele não tempoder de fazer todas as coisas. Ele é sim onipresente, onisciente e onipotente, mas ele também é um ser pessoal, que usa as emoções para tomar suas decisões, sim. Basta ver o caso de Ezequias, que iria morrer, mas Deus lhe dá mais 15 anos em meio ao pranto, ou quando várias vezes Deus declara em relação à Israel: "Quantas vezes quis ajuntar...", "Quantas vezes...etc", se ele tomasse as decisões só baseadas em razão ele faria pronto e acabou, e nunca enviaria Jesus que é a demonstração máxima do Amor de Deus. Creio num Deus todo poderoso que quis se relacionar comigo por intermédio do Amor, um sentimento nobre, e quando ele abre mão de coisas, ou resolve fazer outras, tenho certeza que este amor faz parte das decisões. Não quero acreditar que sou apenas uma marionete nas mãos de Deus, condenado a seguir um script predestinado ao céu ou condenado ao inferno. Acredito que Deus me amou, enviou Jesus para que morresse por mim, e agora preciso pegar minha cruz e segui-lo, ajudando a escrever as páginas da minha história. Acredito assim, mas respeito as opiniões dos demais. Pr Vargens, parabéns pelo blog.

Flavio

Dump de Memória disse...

Humm.

Sem criar nenhuma questão de suposto "desafio" aqui, mas de acordo com Flávio Alcântara (provavelmente Arminiano), o Calvinismo é um conceito errado.

Mas, resumindo em poucas palavras, o Arminianismo é uma teoria com boas porcentagens, digamos assim, do deus de Tom Honey.

Pois, este suposto *deus* não tem poder suficiente para o tempo futuro, já que ele *não sabe* quem vai se salvar.

A idéia do arminianismo, é prega que um suposto *deus*, faz todas as coisas, mas não sabe quem vai se salvar, já que não tem este poder.

Armando Marcos disse...

sabe pastor Renato, uma coisa boa que me aconteceu ao ver esse vídeo do Honey? ter achado essa muito boa mensagem do Billy Graham! hehehe coloquei lá no meu blog! dá uma olhada quando puder! http://armandomarcos.blogspot.com/2010/01/billy-graham-fala-sobre-tecnologia-fe-e.html

Abraços
Armando Marcos

Flavio Alcantara disse...

Respondendo ao caro Dump de Memória...

Ainda na expectativa de não criar nenhuma questão de "desafio", confesso que o grande problema de toda a essa discussão são estes tais rótulos que você é obrigado a ter: Arminiano, Calvinismo, Luteranismo, Teólogo aberto, Téologo ortodoxo, pentecostal... Na boa, com o perdão da palavra, mas isto é uma babaquice sem precedentes. O cristianismo moderno pressupõe que temos que astear uma bandeira e defende-la até morte, precismos ter todos os versículos pra defende-la, e todas as respostas para eventuais questionamentos. Não, meu amigo, não sou Arminiano, não tenho nada contra o Calvinismo e não sou nenhum desses rótulos que o senhor conhece. Até porque nenhum desses movimentos tem todas as respostas finais sobre coisa nenhuma. Tem pontos bons, outros divergentes e outros contraditórios. Prefiro ficar com a Biblia que diz: "Ouve tudo,retem o que é bom", por isso não venho aqui e escrevo que o teismo aberto é de todo uma droga, pois em alguns aspectos não são. E não faria o mesmo com qualquer outro movimento cristão. Tento tirar sempre o que de bom ele tem. Vivo assim e sou feliz, desenvolvendo minha espiritualidade e vida cristã, sem se preocupar com a bandeira que tenho que defender, além daquela asteada por Jesus chamada cristianismo. No dia que existir um movimento cristão que tem todas as respostas para todas as coisas sobre Deus, o sofrimento humano, nossas vidas, ai sim posso pensar em defender algum, mas por enquanto ( e sei que não vai ocorrer ) fico com isso, tenho liberdade, e não vou ficar preso a rótulos.
Flavio

Dump de Memória disse...

Olá "amigo" :

Eh estranho o que pessoas com algo já pronto escrevem, e depois se arrependem sempre tentando "ganhar a conversa".

Eu o coloquei que você provavelmente é arminiano, e se você entender o que eu digo, realmente deve ser, porque não crê na predestinação.

Como eu disse, é um problema seu crer no que quer e no que quiser, é um direito que o país nos dá.

Se você acredita que não temos já os nossos destinos traçados, você é sim ou Arminiano ou algo parecido com isto, que foi o que eu digo.

Mas jamais rotulei você. Se ficou irritado porque disse que Arminius DIMINUI Deus, como o R. Godin por exemplo, infelizmente é a verdade.

Eu por exemplo, jamais utilizaria o "ouve tudo, retendo o que é bom", pois senão, deveria nem dar ouvidos a este blog do Pr. Renato Vargens, não é mesmo :

Forte abraço "amigo" ;->

Bom Perfume de Cristo disse...

Pessoal será que é dificil depois de assistir este video pensarmos apenas um pouco em todas essas vidas que se perderam neste desastre.

Vamos parar de ter respostas prontas para tudo... porque não choramos como Jesus diante de Jerusalém...

Vivemos achando que as pessoas não são nada.. servem apenas para um propósito... que tudo já está arrumado... que os que tem resposta pronta para tudo iram povoar e o céu e pronto...

Poxa talvez possamos chorar e dizer eu não sei, não entendo, não compreendo...

Afinal Jesus mesmo disse que não fez mais milagres em Cafarnaum por causa da incrudulidade do povo...

Como Deus pode ficar impossibilitado de fazer algo...

Abraços.

Vagner Tavares disse...

Não compreendo o porquê de criticarem tanto Ricardo Gondim, ou posições como a de Tom Honey. Se de um lado denunciamos os absurdos em nome da fé, que concordo, também criticam homens como Ricardo Gondim, que simplesmente procuram nos tornar mais cristãos e humanos, teólogos, que além de teólogos, são pastores. Não vejo nada de herético em Tom Honey e Ricardo Gondim, são homens, cristãos, que se solidarizam com a dor do outro. Não vejo as posições de Honey, Gondim, Kivitz, fazerem Deus menor, pelo contrário, vejo a grandeza de Deus, que como Soberano, resolve está lado a lado conosco na nossa jornada.

Diego Cosmo disse...

Primeiramente a postura de Deus em não controlar todas as coisas não significa que Ele seja surpreendido quando acontece algo como o tsunami. Se nada foge ao propósito de Deus e ele estar no controle de tudo, como vc diz, quer dizer então que todas essas mortes por catástrofes naturais, as meninas estupradas, os assassinatos, os mortos do dia 11 de setembro etc, fazem parte do propósito de Deus??? E ainda mais um Deus de amor...
Um Deus que usa a vingança ou o poder, creio que não seja um Deus de amor. Crer nessa postura de Deus, não é crer num Deus de amor!
O amor de Deus, creio que está acima de qualquer outro sentimento que ele possa sentir, principalmente soberania, poder ou qualquer uma desse tipo.

Deus nos deu a liberdade, "cristo nos libertou para que sejamos de fato livres", e se não fosse Cristo teria morrido em vão! E é exatamente essa liberdade que qualifica o nosso relacionamento com Ele, pois onde não há liberdade, não há amor!

"fazendo dos dramas da existência um profícuo instrumento de amplificação, cujo propósito é falar ao coração dos homens sobre a brevidade da vida". Convenhamos que se Ele quisesse nos conscientizar da brevidade da vida ele iria nos advertir a curti-la com todo o amor, num bom sentido, ao máximo possível e não diminuir mais ainda o tempo de vida que seria uma contradição em sua tentativa de avisar-nos que a vida é curta... ¬¬

Dump de Memória disse...

Realmente a questão do arminianismo é algo totalmente fora dos padrões que, na minha opinião, não podem sequer ser considerados uma Heresia, mas sim uma afronta.

Agora, dizer que Deus foi "surpreendido", chega ao cúmulo do ridículo.

Este não é o meu Deus, aquele que fez tudo, e controla tudo.

Provavelmente deve ser um dos deuseszinhos, por aí.

Triste

josé d.c. disse...

È..Vou lendo textos,mais textos,e conhecendo atravéz deles pessôas bem
conceituadas com as letras,e bem relacionadas com as heranças filosóficas das embrematicas religiosa.Mais no meio de tudo isso se
nóta que;diante de tanta nomicratura e rótulos,ha uma enorme inconssistençia,e divergencia quando o assunto é Deus,e sua mistériosidade.Eu creio que não é preciso entender Deus, para saber-mos
que ele é bom e justo,e faz quilo que lhe apraz,e que jamais vamos entende-lo.É inquestionavél em todos seus feitos.A quem expôs os seus
projetos para aprovação?OU para emitir parecer?Não será Em vão querer
servir,ou conhecer a Deus por via de escola de pensamento de homem?Mais com certeza o espirito santo revélará no coração de cada cristão,Deus
assim como ele é.Não importa o que aconteça pelo mundo afóra,ele foi e sempre será, um deus de amor, e justiça. É imprecionante tenho assinado
todos os meus comentarios assim,e sõa aceitos.

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only