segunda-feira, maio 18, 2009

Quando “probrema” é diferente de “pobrema”

Renato Vargens

Estava em um ônibus quando ouvi a conversa de duas adolescentes: - Você sabe qual é a diferença de “probrema” para “pobrema”? Não, disse a segunda adolescente. Pois é, replicou a que fez pergunta dizendo: “probrema” é aquilo que você causa nos outros. Já “pobrema” é aquilo que os outros causam em você.

Caro leitor confesso que fico assustado com o nível de ignorância de nossos adolescentes e jovens. Não é a toa o que índice de analfabetismo funcional em nosso país é de 70% da população economicamente ativa. Já no restante do planeta, existem aproximadamente 900 milhões de indivíduos que não conseguem interpretar um texto sequer.

Os analfabetos funcionais são pessoas com menos de quatro anos de escolarização; mas pode-se encontrar, também, pessoas com formação universitária e exercendo funções-chave em empresas e instituições, tanto privadas quanto públicas! Elas não têm as habilidades de leitura compreensiva, escrita e cálculo para fazer frente às necessidades de profissionalização e tampouco da vida sócio-cultural.

Como já escrevi anteriormente a Igreja de Cristo precisa posicionar-se de forma prática e objetiva auxiliando o estado e a sociedade civil no combate ao anafalbetismo funcional. Fico a pensar o quanto poderíamos contribuir positivamente com a sociedade brasileira se colocássemos a disposição da comunidade nossos prédios e salas de escola dominical. Aliais, por acaso você já percebeu que a maioria dos nossos equipamentos ficam ociosos durante a semana só sendo utilizados aos domingos? Pois é, infelizmente essa tem sido a realidade de boa parte de nossas comunidades eclesiásticas.

Creio que como cristãos podemos colaborar significativamente proporcionando aos nossos adolescentes e jovens a singela possibilidade de desfrutar de dias melhores. Para tanto, torna-se indispensável que nos engajemos na importante luta de informar e formar essa alegre meninada, levando-os a um nível mais alto de sabedoria e cultura.

Pense nisso!

Renato Vargens
Augusto Elias disse...

É estarrecedor,porém lamentável os números que o senhor nos mostra no texto,isso sem contar o então diálogo dos adolescentes no coletivo.Pastor Renato reafirmo o comentário que fiz em uma oportunidade no seu blogger,onde deixei bem claro que a igreja precisa ir ao povo.Acredito seguramente que nós podemos fazer a diferença nessa área social.Não somente a igreja que faço parte,mas todas deveriam pensar e praticar desenvolvendo trabalhos voltados para o social como cursos,saúde,esporte, lazer e incentivar ao estudo de um modo geral.Deus não quer somente o "feijão com arroz",até porque ele tem algo a mais para os filhos,Ele nos dá mais do que pedimos ou pensamos.O Senhor espera que possamos desenvolver a nossa capacidade física e mental para ajudar no combate aos PROBLEMAS que aflingem as pessoas,principalmente os carentes.Adolescentes e jovens precisam de investimentos.Ha mais de cinco anos fundei uma escolinha de futibol chamando alguns amigos para ajudar no desenvolvimento desse trabalho no Largo da Batalha,tirando a meninada da ociosidade,hoje ela é composta por aproximadamente 100 crianças .Isso só foi possível com esforço e determinação, a minha persistência é para que todas elas estejam inseridas no corpo de Cristo.O evangelho traz mudanças aguçando a mente para o estudo.Se nos unirmos,veremos a mudança em prol da sociedade,é preciso que o povo de Deus saiba que temos capacidade para mudar,o analfabetismo por exemplo.Precisamos ser oposição a este século, mas com discernimento, afim de que essa GAROTADA posssam desfrutar de um futuro melhor.A igreja pode fazer isso acontecer!Que Deus nos ajude!

vagner luiz disse...

O"pobrema" é que somos hipócritas, falamos,falamos,falamos e fazer mesmo.....
Tenho visto algumas igrejas praticando atividades extremamente salutares em áreas de extrema nescessidade como :
Tribos indígenas, moradores de rua e comunidades carentes.
Acredito que mesmo com os nossos irmãos batalhando em algumas áreas temos feito muito pouco é importante contribuir físico e financeiramente, é financeiramente, se nos unirmos de coração o nosso pouco se multiplicará e o nosso amor estará desenvolvendo as características do amor de Cristo para com a humanidade.
Pastor agradeço mais uma vez a Deus por nos dar a oportunidade de protestar contra a hipocrisia humana e dizer também que sou seu aliado nessa luta.
Chega de blá, blá, blá a verdade de Cristo está no sangue derramado na cruz e nas ações de amor a Ele e ao próximo da comunidade dos "SANTOS".

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only