quinta-feira, novembro 13, 2014

5 razões básicas porque o crente não deve "ficar"



O comportamento do jovem cristão infelizmente não tem sido muito diferente do comportamento no não cristão. Na verdade, para tristeza e vergonha da igreja, uma enorme quantidade de jovens evangélicos tem desenvolvido o péssimo hábito de "ficar" com alguém, sem que isso necessariamente signifique comprometimento relacional e afetivo.

Os que agem desta forma acreditam que “ficar” é o primeiro passo para conhecer uma pessoa ou para começar um relacionamento e que o jovem para evitar decepções deve ficar quem lhe despertou o coração.

Isto posto, gostaria de elencar pelo menos três motivos pelos quais os jovens não devem ficar:

1- Ninguém tem o direito de instrumentalizar ou usar quem quer que seja para o seu próprio prazer. 

Em  um mundo egoísta e cada vez mais hedonista como o nosso, tornou-se absolutamente comum vislumbrarmos nas relações interpessoais a instrumentalização da vida, onde boa parte das pessoas no desejo de terem os seus sonhos e devaneios realizados, manipulam outras pessoas na vontade de experimentarem a tão sonhada satisfação pessoal. 

2- Ninguém possui o direito de usar pessoas descartando-as na lata do lixo quanto estas não lhes servem mais. 

Infelizmente, em nome do "amor", não são poucos aqueles que têm tomado posse do famoso bordão popular: “fazemos qualquer negócio”. A conseqüência direta disso é a coisificação do ser humano, onde pessoas tornam-se objetos descartáveis, prontas a serem jogadas no lixo quando por algum motivo não prestam mais.

3- Ninguém tem o direito de defraudar o irmão induzindo-o ao pecado bem como ao despertamento sexual fora do casamento. 

A "ficação" aflora a sexualidade. Numa relação sem compromisso, não existe respeito, limites ou consideração onde o que importa no final das contas é o desfrute do prazer.

4- Geralmente alguém se machuca em relacionamentos deste naipe

Como pastor tenho testemunhado inúmeros casos de moças e rapazes que se apaixonaram pelos seus "ficantes" e não foram correspondidos. Após o fim da "ficação"  enquanto um sai para outro "peguete", outro chora a dor de sem reservas ter se entregado, sem contudo ter sido amado.

5- A "ficação" não glorifica a Deus.

Num relacionamento cujo foco não é a glória de Deus e sim a satisfação humana, onde o que importa é a satisfação pessoal, relaciona-se com o ficante pelo prazer e não pela alegria de glorificar ao Senhor num namoro santo cujo objetivo final é o casamento.

Pense nisso!

Renato Vargens

p.a. disse...

falou bem, eu concordo.

sabe, não sei se você percebeu também, garotas estão numa febre de academia, complexadissimas com o corpo, com aquelas pernas de gladiador, haha.
eu vi a "transformaçao" de duas desse tipo. Meninas que eu admirava por uma demonstração de legitima humildade atraves do comportamento e maneiras normais de se vestir.
Hoje, de tão elogiadas, pois estão muito bonitas, foram aos poucos dando um jeitinho de camuflar sua vontade de ser admirada, elogiada, etc.
Você vê que até os grandes caem, por se acharem tão santos (uma delas dizia que nunca havia beijado um homem porque quer que seja o homem da vida dela, o que eu respeitava, mas soava presunção excessiva. Vejo hoje, elas continuando a querer manter esse "verniz" mas as pernocas torneadas estão sempre em destaque.
Elas são boas pessoas eu sei disso, mas você pode ver como uma gotinha de nanquim pinta todo o copo de água. o proprio satanas, pensando em como ele era excelente e tinha uma posição de extremo poder entre os anjos, se deixou corromper pelo desejo de que o "reconheçam superior", e o adorassem. "Vaidade, o meu pecado favorito." Disse Al Pacino, no final do filme "Advogado do Diabo" onde ele representava Lucifer.

eu não estou julgando a pessoa delas, estou dizendo a maneira que elas passaram a se apresentar fisicamente falando. Isso não traz absolutamente nenhum fruto bom, pelo contrario, naturalmente pode causar pensamentos de luxuria nos homens, é que nem passar com um pedaço de picanha suculenta na frente de um grupo de leões. isso me irrita

Amadeus Graciliano disse...

Caro Renato,

O engracado que este problema nao so afeta aos jovens, como muito me parece ser e que é alardeado por muitos pastores, não que seja o seu caso, mas este problema atinge outras faixas etárias mais maduras e experientes. Basta analisarmos rapidamente as estatísticas de divórcios no Brasil, vertiginosamente encabeçada por pessoas que se declaram evangélicas. Muitos desses já estão no seu 2 ou 3 matrimônio e nada se ten falado sobre isso na igreja. Não estou aqui a defender a descoberta da sexualidade dos jovens prematuramente, acredito que tudo tem o seu tempo, mas, por que sempre se falam somente a respeito dos jovens? Taxando-os como únicos e exclusivos alvos da "ficacao". O que vejo é que a igreja vive de extremos, ora con movimentos fundamentalistas de pureza sexual ora com a libertinagem. Falta a igreja de modo geral mais instrução e menos taxação. Quando se caracteriza isso tão somente aos jovens vem a mente aqueles que são casados na igreja e vivem como solteiros fora dela. Menos taxação e mais pro atividade no ensino e isso não somente para uma camada do povo de Deus, os jovens, mas para todas.

p.a. disse...

os jovens são a geração seguinte, sendo assim parece sensato gastar mais energia nesse nicho

Luís Fernando disse...

Bem, o engraçado disso tudo é que a geração mais nova, sempre aprende com a geração mais experiente. Se os erros da geração mais antiga são ignorados e aliviados pela igreja, como exigir, isso da mais nova? Há um problema real na igreja! E isso não é problema de nicho! De Exortações inquisitivas somente aos jovens, que volto a repetir são taxados de muitas coisas, mas diz respeito a comunidade de crentes. Problemas relativos à sexualidade atingem todos. Minha critica reside ao fato de os cinco pontos elencados estarem TÃO SOMENTE, atribuído aos jovens, sem pontuar e contextualizar que tais pontos dizem respeito a TODA A COMUNIDADE de crentes.

p.a. disse...

Boa Luís, concordo com você !!

Naiara Evan disse...

Muito importante esta exposição sobre o este tema, a um tempo atras levei-o para a minha antiga igreja, pois aconteceu um bom de moças e rapazes da igreja que ao se interessar estavam "orando". Então uma semana estavam "orando" com um(a), na outra, "orando" com outro(a), era simplesmente uma camuflagem do ficar uma forma de distorcer o sentido da pratica.

Vivi Gomes disse...

Para vc conhecer a pessoa vc já vai namorar ?
As vezes o "ficar" não é relacionado a relação sexuais , e sim de beijar. Desde que vc não fique com um em cada dia...😃

Wesley Silva disse...

Os jovens de hoje em dia, estão com uma facilidade muito grande de conhecer pessoas, esse conhecer de pessoas não é diretamente em ver a pessoa pessoalmente, e sim de conhece-lá através das redes sociais(Facebook, Instagran, Twitter e etc), as redes socias em si não são ruins, mas o mal uso delas! Através dessas redes socias, um jovem A, marca um encontro com o jovem B, e daí quando eles se encontram, a uma atração entre eles, mas essa atração é momentânea, daí conversa daqui e de lá, quando menos se percebe, eles "ficam". O problema é que nessa " ficaçao" algum desses jovens pode se apaixonar ( como foi dito pelo autor) e isso que é o problema! Pois um pode até de esquecer com quem ficou, mas o outro pode se lembrar! Na época de Moisés, não tinha essa de "ficar" e se fosse pra ficar, era a vida toda, e não como hoje em dia...

favourite category

...
test section describtion

Whatsapp Button works on Mobile Device only