quinta-feira, março 20, 2014

Uma perspectiva bíblica sobre o dízimo, por Hernandes Dias Lopes

Por Renato Vargens

O prática do dízimo tem sido um dos temas mais discutidos e polemizados pela Igreja Evangélica Brasileira.  Devido ao modo irresponsável e em alguns casos heréticos com que alguns tem tratado do assunto, um número significativo de pessoas relativizaram o ensino bíblico de contribuir com 10% da sua renda. Eu particularmente já escrevi sobre o tema (aqui), como também já publiquei um vídeo do Rev. Augustus Nicodemus (aqui). 

Visando enriquecer o debate, publico abaixo um outro vídeo, agora  protagonizado pelo Rev. Hernandes Dias Lopes.

Que Deus abençoe a Igreja Brasileira,

Renato vargens


HP disse...

Pastor Renato,

Li teu texto anterior sobre o dízimo, não pude assistir ao vídeo do Reverendo Hernandes, porém concordo com a galhofa que algumas instituições religiosas se tornaram, fazendo o nome de Cristo ser ridicularizado pela sociedade secular.

Agora sobre os 10% eu o considero como “medida pedagógica”.

Explico:
Vemos nos Evangelhos que Zaqueu após receber o Senhor Jesus, decidiu deliberadamente dar METADE (50%) do que tinha para os pobres além de restituir aqueles que tinha defraudado.
Também encontramos nos Evangelhos a oferta da viúva com suas duas moedas que representaram TUDO (100%) do que ela tinha.

Jesus nos ensina a sermos GENEROSOS, colaborando, compartilhando o que temos com todos. Por isto entendo que por vezes 10% pode ser muito ou pouco.

Uma família com 3 filhos, aonde o pai ganha um salário mínimo e tem que pagar aluguel, obrigá-lo pagar 10% de sua renda é colocar um peso de Lei, que nada tem a ver com Graça, pois este mesmo pai pode ser útil à comunidade em tantas outras maneiras, porém nem com muita dificuldade poderá ajudar de modo financeiro com 5% da sua renda…
Por vezes, uma família que tenha renda elevada, muitas vezes ajuda com 10% que não lhes fazem falta, e esbanjam 40% da renda de forma irresponsável até em coisas que prejudicam espiritualmente os próprios e até a igreja que congregam.

Portanto eu não me prendo aos 10%. Já houve momentos na minha vida que pude colaborar com mais do que isto e o fiz com alegria, como também houve momentos que não pude colaborar nem com 2% e da mesma maneira o fiz com alegria, sem peso na consciência.

Um abraço.

Eliseu disse...

É a exegese que se espera de um pastor, por mais respeitável que seja. Não abordam a integralidade da doutrina do dízimo, sua vinculação à generosidade, seu contexto histórico. Apenas afirmam que é mandamento. Ignoram que esse tipo de exegese serve para sustentar desvios e mal uso do dinheiros dos fieis. Ainda espero que um pastor respeitável tenha a coragem de dizer a verdade integral sobre a doutrina do dízimo, interpretando corretamente as palavras de Jesus sobre o tema e as de Paulo. Abraço.

Vinicius Alcantara disse...

Com todo AMOR e RESPEITO que tenho ao Rev Hernandes, com esta exposição, ele não conseguiu me esclarecer à luz do NOVO TESTAMENTO onde Paulo "afirma" que devemos continuar seguindo a lei do dizimo!
Na parte que ele cita o Senhor Jesus, mais uma vez me perdoe, mas ele esta TOTALMENTE equivocado em crer que o Senhor Jesus nos ordena a entregar Dizimo algum!
Obrigado por este espaço e desculpe se ofendi em algo!

Georges disse...

Concordo plenamente com o Vinicius. Entendo que quando Jesus nos diz que devemos exceder a lei dos fariseus, que dizimavam 10% de tudo (fora as outras ofertas da lei), precisamos ser generosos e esquecer esse negocio de 10%. Tudo pertence a Ele, não é o que ensinamos nas nossas lições sobre "mordomia"? E da mesma forma que olhar com intenção impura é pecado, desejar mal a uma pessoa equivale ao assassinato, da mesma forma a oferta voluntária excede em muito à ordenança da Lei. Essa é a lição da "oferta da viúva", que não tem a ver com dízimo, pois que o excede em muito, mas com "ofertar tudo"... voluntariamente. Ninguém pediu nada à viúva. Ninguém prometeu nada a ela. Ninguém a ameaçou com "devorador". Finalizo dizendo que no NT não há nenhuma menção a dízimo, exceto no contexto dos judeus, dos fariseus e sua hipocrisia. Na Igreja de Jesus não existe dízimo, "casa do tesouro", levitas, nem sacerdotes a que sustentar. Apenas se pede oferta em prol dos irmãos necessitados. Quando entendermos isso, acabam os parasitas da fé.

Célia Cristina disse...

Também concordo com a opinião do Vinicíus Alcantara, mesmo tendo um apreço muito grande pelo rev. Hernandes Dias Lopes. O assunto é mais extenso pra se tentar esclarecer em apenas 4 minutos de videos, e tem outras passagens bíblicas para serem analisadas e lidas em seu contexto, fato é que quando tocamos nesse assunto até mesmo os mais conservadores em relação as Escrituras tem um certo declínio a ensinar a doutrina dos 10% (SEM OFENSAS, DE MANEIRA NENHUMA), Sabemos que a igreja nos dias de hoje carece dos mesmos recursos que a igreja primitiva, mas temos que levar em conta de que se pregamos a Cristo de maneira plena e satisfatória, o desejo de semear é uma consequência dos benefícios e do entendimento adquiridos pela graça, como os da igreja primitiva que depositavam tudo aos pés dos apóstolos por ter entendido a missão do evangelho. Será que temos medo de não existir pessoas como as de antigamente e por esse medo ensinamos o dizimo como uma "certeza" de que teremos recursos parra realizar a obra?

HP disse...

Vi o vídeo do Reverendo Hernandes.

Na passagem de Mateus 23:23, o contexto é uma dura repreensão do Senhor Jesus aos Fariseus pela hipocrisia deles em dizimar pequenas ervas e negligenciar O MAIS IMPORTANTE que era Justiça, Misericórdia e Fidelidade.

Percebi que o Reverendo tratou como mais importante o Dízimo, numa clara manipulação desta passagem bíblica.

Gosto muito do Reverendo, mas manipular as Escrituras neste assunto foi LAMENTÁVEL.

--
"Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, E DESPREZAIS O MAIS IMPORTANTE DA LEI, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas.
Condutores cegos! que coais um mosquito e engulis um camelo."
Mateus 23:23-24

Andréa Costa disse...

Cara, concordo em número, gênero e grau.
Me admira um cara tão sábio como o Hernandes, interpretar dessa maneira. =/

Lineu Barros disse...

Concordo plenamente com vc, HP, o Senhor é o nosso pastor e nada nos faltará, é melhor dar do que receber, Jesus veio para cumprir a Lei, quando Ele falou o texto de Mateus 23.23-24, Ele ainda, não tinha dito na cruz - ESTÁ CONSUMADO e a Bíblia diz que Jesus cumpriu toda a Lei. Após isso, o que vemos é Paulo ensinando os novos pastores, como Timóteo e Tito, por exemplo, e em nenhum momento fala de dízimo, ou o que fazer com ele, muito pelo contrário se tiverem aonde comer, dormir e com o que vestir estejam satisfeitos.

Então vejo, com tristezas, que ainda, os Pastores (até mesmos os sérios) confiam mais nos dízimos que em Deus, que é o nosso Deus provedor.

PORTANDO DISCORDO DO REV. HERNANDES E CONCORDO COM O PASTOR AUGUSTUS QUE FOI COERENTE, QUANDO ELE DIZ QUER CHAMAR DE DÍZIMO CHAME, MAS TEM IGREJA QUE É 10%, outras, 5%.

VEJAM ESSE VÍDEO SOBRE DÍZIMO (curto) do pastor TIM CONWAY (concordo com ele em genero, número e grau) E SE POSSÍVEL ASSISTA A PREGAÇÃO INTEIRA QUE FALA DOS MITOS NAS IGREJAS SOBRE DINHEIRO -

http://youtu.be/BAhCPcVNEgI

EU NÃO DÍZIMO, NO MEU CORAÇÃO TUDO É OFERTA, AS VEZES COLOCO MINHA OFERTA NO ENVELOPE DE DÍZIMO, PARA MIM TANTO FAZ.....AH! NUNCA FUI DEVORADO PELO DEVORADOR, MUITO PELO CONTRÁRIO, DEUS É MEU PROVEDOR AMADO E NUNCA ME DEIXA PASSAR NECESSIDADE, TODA GLÓRIA LOUVOR E HONRA A DEUS SEMPRE.

Marcelo Lopes disse...

Meu Deus, como as pessoas são mãos de vaca com o Reino de Deus. Arranjam desculpas e mais desculpas "teológicas" pra não cooperar na Obra de Deus. E depois falam mal dos hereges, como se a omissão do bolso não fosse tão ruim para a propagação do evangelho quanto falsas doutrinas. Por isso que Cristo diz que abreviaria a Sua vinda, senão não sobraria um.

HP disse...

Marcelo,

Confesso que não queria te perguntar, porém não resisti:

O que é "Obra de Deus" para você?
Igreja (como corpo de Cristo) são denominações?

Dar dinheiro para denominações evangélicas é "cooperar na Obra de Deus"?

--
A Igreja de Cristo não é formalizada como instituição. A Igreja de Cristo são pessoas que deveriam possuir o senso que por ora está sendo direcionada às instituições.

O crente em Jesus deveria usar de sua renda para ajudar aos irmãos em necessidade. Ao invés disto, ele “faz a sua parte” depositando na conta da igreja (denominação) ou de qualquer outra organização evangélica.

Isto lembra bem o papel dos ricos no Velho Testamento, que possuindo posses, criaram uma grande confusão entre os discípulos de Jesus, quando o Mestre disse: “É mais fácil entrar um camelo pelo fio de uma agulha do que um rico nos céus”.
Os discípulos ficaram perplexos, pois os ricos eram aqueles que ajudavam, faziam caridades, ajudavam em obras assistenciais e tantas coisas. Tendo o Mestre dito que “a salvação seria um milagre de Deus”

Claro que sabemos que a salvação está em Cristo. Porém são muitos os cristãos que se contentam em “FAZER A SUA PARTE” ajudando financeiramente no caixa da “igreja” ao invés de colocar as mãos na massa e trabalhar SENDO IGREJA de Cristo no mundo.

Neste mesmo pensamento, em Cristo todos fomos feitos Sacerdotes (segundo a ordem de Melquisedeque), portanto ainda que eu entenda que haja a necessidade de pastores (e os mesmos serem sustentados), os pastores deveriam guiar o povo para os últimos terem um relacionamento direto com Cristo, fato que infelizmente vemos que não ocorre na maior parte das denominações, aonde os Pastores tem sido constantemente vistos (mesmo que de forma não esperada) como “Intermediários” entre Deus e os Homens, Porta-vozes da Palavra.


Discordo quanto à Institucionalidade das “Igrejas”. Penso que elas deveriam ser o mínimo possível, para que realmente a IGREJA sejam as pessoas e estas saibam se relacionar diretamente com Cristo, amando ao próximo como a si próprias, compartilhando o pão com o necessitado, ajudando aqueles que no modelo atual acabam sendo desprezados.

Um abraço

HP disse...

Este mesmo comentário eu fiz ao Reverendo Augustus Nicodemus em seu blog. Até hoje sem resposta...

http://tempora-mores.blogspot.com/2014/01/contribuindo-para-o-reino-de-deus.html

Georges disse...

Concordo, Célia Cristina. Pregador que pede 10% "para o sustento da obra" é, no fim das contas, um incrédulo, pois ele não tem fé que Deus o sustentará, se realmente foi chamado para o ministério. Se ele ensinasse (mas antes teria que aprender) a ser generoso, o povo ofertaria voluntariamente e como no milagre dos pães e peixes, com sobras. Mas na sua incredulidade esses pregadores querem "garantir" o seu quinhão e por isso fazem como os filhos de Eli, "metem o garfo na marmita e retiram a melhor parte antes que seja queimada"...

Georges disse...

Marcelo Lopes, não use texto fora de contexto...

Marcelo Lopes disse...

A real é que a maioria que fala que deveríamos ajudar os necessitados, não estende a mão pra ajudar ninguém.

Eu sinceramente já fui assim, aí percebi que na realidade eu era um mesquinho, que usava desculpas "teológicas" pra não cooperar com a igreja. E meu amigo, há tantas instituições sérias e corretas, que fazem trabalhos fantásticos. Mas vc vai dizer que não, vai se fechar nesse mundinho que vc mesmo criou, onde ninguém presta além de vc.

Marcelo Lopes disse...

Pra encerrar... Se vc ajuda muita gente, se vc usa parte do seu salário para ajudar necessitados, se vc contribui para um mundo mais igual, para o Reino de Deus... Parabéns!

Agora, se vc não faz nada disso, e ainda por cima dá discursinho contra o dízimo e ofertas, vc é só um mesquinho.

HP disse...

Se foi para mim o comentário, "Obrigado".

Deus abençoe você.

Filipe Santos disse...

Graça e Paz!

Irmãos, eu não creio no dízimo cristão. Isso é antigo testamento. Veja que Paulo afirma que cada um contribua de acordo com a prosperidade que Deus der a cada um. Todos devem contribuir, mas o cristão não está preso aos 10%.

Deus os abençoe.

alba valeria disse...

Jesus resulmiu a atitude dos fariseus, assim: Antes de voce dar o seu dizimo, vá ao teu irmão e peça-lhe perdão; se voce deve á alguem, guarde o seu dizimo e vá pagar o qye deves; se voce fez mal a alguem, va pedir perdão e se alguem lhe fez mal, perdoa-lhe. Contra estas coisas não á lei...

Cristina Fiuza disse...

Tudo bem que o dizimo seja uma forma de adoração, obdiencia, desprendimento e tudo mais. Quando o dizimo foi instituído ao povo de Israel,a finalidade era sustento do templo,sacerdotes e também como o governo era teocrático,o dizimo também era destinado às necessidades sociais,que hoje em dia e de responsabilidade do governo do nosso país.afinal,pagamos impostos altíssimos.
Mas ainda tem a igreja,que diz que temos que também devolver 10% do que ganhamos para ajudar no sustento da obra de Deus.
O governo leva uns 40% +10% para igreja ,ficamos mensalmente mais ou Menos com 50% do que ganhamos para pagar nossas contas e nos alimentarmos.
Só que não fica só nisso,ainda tem as ofertas,para missões, para a obra da igreja que não acaba nunca,para a troca do ar condicionado,para comprar um instrumento musical.
Se bobear já vai ai 65% .
E crente não pode ficar devendo ninguém.
Estou com muitas dificuldades para manter minhas contas e ser fiel nos dízimos e ofertas.Ainda bem que Deus é bom e tem suprido minhas necessidades. Mas eu não posso comprar uma roupa,dar um presente para meus netos. Desculpem mas acho que tá tudo errado.

favourite category

...
test section describtion

Whatsapp Button works on Mobile Device only