terça-feira, agosto 04, 2009

Qual é coroa? Mania de garotão?

Por Renato Vargens
Infelizmente em um mundo onde os valores se relativizaram, o comportamento dos homens cristãos em quase nada tem se diferenciado do comportamento dos homens não cristãos. Na verdade, ouso afirmar que existe um número impressionante de crentes, que ao atingirem a meia idade, movido por rompantes irresponsáveis, abandonam seus casamentos e filhos com a desculpa de estarem loucamente apaixonados por uma outra e mais nova mulher.

Assusta-me o fato de que inúmeras pessoas movidas por uma pseudoteologia, descartam relações usando de pressupostos bíblicos, aos quais não existem o menor fundamento. Tais pessoas advogam que o amor deve ser a razão essencial para que o casal esteja junto, e que quando ele acaba, deve-se romper a relação, ainda que com isso, seja necessário jogar na lata do lixo histórias, filhos e família. Na verdade, o comportamento de alguns homens de meia idade é parecido com o comportamento adolescente, isto porque, tanto envelhescente como adolescente questionam valores, relativizam conceitos, protagonizam rebeldia, rompem paradigmas, além de lidarem com as crises relacionadas à nova fase da existência. Como Já dizia Mario Prata, a envelhescência nada mais é que uma preparação para entrar na velhice, assim com a adolescência é uma preparação para a maturidade.

Adolescentes e envelhescentes se parecem em muitos aspectos. Por acaso você já percebeu que ambos possuem vocação para a incompreensão? Já se deu conta de que assim como ninguém entende determinadas atitudes dos adolescentes, também ninguém entende determinadas atitudes dos envelhescentes? Já reparou que ambos são irritadiços, se enervam com pouco, achando que já sabem de tudo e que ninguém absolutamente ninguém tem nada com sua vida?

Em boa parte das vezes, adolescentes e envelhescentes são movidos e dirigidos pelo egoísmo umbilical, onde o que interessa é a satisfação pessoal, ainda que isso implique machucar severamente alguém.

Assim como a adolescência a envelhescência passa, e ao passar, dependendo dos atos e atitudes, o estrago feito por ações emotivas, baseada numa paixonite aguda e irresponsável, tornará quase que impossível o resgate de uma vida familiar bela, rica e profícua.

Pense nisso!

Renato Vargens
Anna. disse...

Falo sempre sobre isto com meus pacientes. Muito mais dificil tratar com o envelhecente. é como o ditado que diz que é "dificil ensinar truque novo para cavalo velho".
Precisamos lembrar que envelheceremos e precisamos aprender a sermos flexíveis e abertos, agora, já!

Sandra Santos disse...

Não vou generalizar dizendo que são todos, mas uma boa porcentagem dos homens, principalmente em nossa cultura, agem de maneira irresponsável (em relação à família e principalmente os filhos - crendo serem de total responsabilidade apenas a mãe). E fico boba em ver como é aceita tal atitude como se fosse o normal do homem. Não precisa ser jovem e nem muito coroa para agirem assim não. Algumas posturas diante da irresponsabilidade de alguns homens qdo constituem família muito me entristece. E o que mais me entristece é que muitas pessoas acham normal.

mabapst7 disse...

"Eis a figura do convencido e nada de convertido." psiu... o juizo não e utopia.
Pr. Mário

favourite category

...
test section describtion

Whatsapp Button works on Mobile Device only