Homens que deixaram de ser homens, uma tragédia para a família


Vivemos num tempo em que um número incontável de  jovens não amadureceram. Na verdade, alguns rapazes dessa nova geração podem ser denominados de "homeninos", isto é, homens que envelheceram, sem contudo abandonarem seus comportamentos juvenis. 

Na verdade, esse tipo de jovem,  por motivos diversos tem desenvolvido em sua cotidianidade uma vida de adolescente, desprovido de responsabilidade e maturidade emocional. Para piorar a situação, muitos destes "homeninos" tem adentrado ao casamento absolutamente despreparados, transportando para vida conjugal comportamentos completamente infantilizados, senão vejamos:

1-) "Homeninos" não assumem a responsabilidade de cuidar, proteger e amar as suas esposas. "Homeninos", não cresceram e em virtude disso, fazem de suas esposas um tipo de mulher-mãe cuja existência é  paparicar o homem não crescido.

2-) "Homeninos" não assumem o seu papel de provedor da família. Nessa perspectiva escondem-se na barra da saia de suas esposas ou pais, esperando que estes sejam os provedores do lar.

3-) "Homeninos" comportam-se como adolescentes. jogando perenemente vídeo-games, futebol, ou qualquer outra atividade inerente a fase da adolescência. Veja bem, não sou contra vídeo-games, longe disso. Sou contra a homens que em vez de dedicarem seu tempo a esposa e filhos, o gastam em jogos virtuais, deixando de lado àqueles que o Senhor os confiou.

4-) "Homeninos" são imaturos emocionalmente, fazem bico quando ouvem um "não", murmuram quando tem suas vontades frustradas ou até mesmo quando a esposa discorda de sua postura imatura.

5-) "Homeninos" são omissos na educação e disciplina dos filhos deixando a responsabilidade de corrigir, educar, admoestar e ensinar os filhos nas mãos de suas esposas.

6-) "Homeninos" são bananas (Leia aqui), não lideram suas casas, não conduzem seus lares no temor do Senhor , permitindo que suas esposas exerçam um papel que não foi determinado pelas Escrituras.

7-) "Homeninos"  relativizaram a masculinidade, desenvolvendo um comportamento "feminilizado". onde a ausência de firmeza é marca constante.

Caro leitor, verdadeiramente quando homens deixam de ser homens, a sociedade entra em colapso. 

Que Deus tenha misericórdia dessa geração!

Renato Vargens


34 comentários:

Muito bom, pastor Renato!

28 de janeiro de 2016 22:57 comment-delete

Excelente reflexão.
Tenho, a cada dia, percebido e combatido esse número cada vez mais crescente de "homeninos" mas, confesso, o desânimo já está tomando conta.
Que Deus continue te abençoando com graça e sabedoria, sempre.
Forte abraço.

28 de janeiro de 2016 23:07 comment-delete

Excelente

28 de janeiro de 2016 23:10 comment-delete

Muito bom

29 de janeiro de 2016 00:14 comment-delete

Esse processo de feminilizacao do homem orquestrado pelos movimentos feministas levarão a ruína da família.

29 de janeiro de 2016 00:18 comment-delete

Este fenômeno é o verdadeiro combustível do moderno movimento feminista. Ao contrário do que se pensa, o feminismo não surgiu devido à "violência" masculina, mas sim devido à frouxidão crescente dos homens, a qual, na maioria dos casos, manifesta-se sim como violência física e/ou emocional.

29 de janeiro de 2016 11:26 comment-delete

Ótimo texto, pura verdade a sociedade entra em colapso quando ambos invertem seus papéis.

29 de janeiro de 2016 14:14 comment-delete

Tem muitas pessoas precisando estudar sobre movimento feminista e para de ficar falando besteira.

29 de janeiro de 2016 14:14 comment-delete

Oi Renato, conhece o livro "Síndrome de Peter Pan", de Dan Kiley, psicólogo norte-americano? "A síndrome de Peter Pan se caracteriza por um conjunto de comportamentos apresentados por um homem, que não sabe ou não pode renunciar ser filho para se tornar pai, ou seja, são homens que não querem deixar de ser crianças. Sentem-se e vivem como crianças e esperam ser entendidos pelos demais!.

Abs,

29 de janeiro de 2016 14:21 comment-delete

Excelente post

29 de janeiro de 2016 15:58 comment-delete

muito bom mesmo !

29 de janeiro de 2016 17:45 comment-delete

Um tanto quanto machista este texto. Os homens não precisam ser provedores do lar, mas sim compartilhar as obrigações financeiras e afetivas com suas esposas, sem deixar de lado suas particularidades. Independentemente do que cada um gosta de fazer o que está faltando hoje em dia é a responsabilidade familiar e isso vale tanto para os homens quanto para a mulheres. A educação dos filhos acaba sendo deixada nas mãos de terceiros por falta de planejamento e dedicação dos pais em prover não apenas o bem material para o lar, mas também o bem moral. E isso independe do sexo. Por que não as mulheres trabalharem e os homens cuidarem das crianças? Por que os homens tem que ser durão e as mulheres carinhosas? Por que não os dois trabalharem e os mesmos compartilharem as obrigações do lar? São essas reflexões que temos que fazer na sociedade atual.

30 de janeiro de 2016 12:44 comment-delete

Verdade. Tenho observado isso faz um tempo. Vejam as propagandas direcionadas aos homens, ou quanto há uma encenação entre um casal. Ou o homem é representado como banana ou como menino.
O latino tem restrição ao amadurecimento. Compare os famosos europeus com os brasileiros.

30 de janeiro de 2016 16:21 comment-delete

Não discordo que é um problema dessa sociedade hoje, mas o foco da reportagem não devia estar nos ingredientes e caminhos para corrigir, justamente nas soluções, e recursos para orientar essas famílias?

2 de fevereiro de 2016 09:50 comment-delete

Também acho kkkkk

NN
2 de fevereiro de 2016 11:23 comment-delete

Bom mesmo era quando os homens era autoritários, machistas, sem comunicação com as esposas e filhos, fechando-se no seu mundo onde a autoridade máxima da casa, o provento e todas as nescidades eram providas por ele. Onde se o filho (a), não tinha acesso a ele, onde a esposa não podia opinar nas decisões de casa. Onde muitas vezes, sendo um homem cristão, passava por cima dos valores cristão para fazer prevalecer sua vontade acima de tudo e de todos. Bom mesmo, era quando os homens chegavam em casa bêbados, agredindo suas esposas e filhos e os mesmos eram refens do medo causado por esse "macho alpha" provedor, varão, homem de Deus. Bom mesmmo, era quando por várias e várias vezes os HOMENS, chegavam em casa depois de um fim de semana todo fora de casa, traindo suas esposas e o sagrado matrimônio.

O problema não esta num homem jogar um videogame em casa (inclusive com suas esposas e filhos), jogar bola com seus amigos, ter um tempo pra si! Por quê não minha gente? O que foi que aconteceu aqui? Sempre houve homens e MULHERES assim. Imaturos, mimados, despreparados, dependentes de seus pais e esposas. E vise e versa. Não DEMONIZEM uma geração inteira por alguns acéfalos que vem e vão. Não importa o período em que vivamos!
Maturidade vem com o tempo e onde há amor, há paciência! Ninguém estará 100% maduro!
Que isso? EU tenho que ter a maturidade e sabedoria de um homem/mulher de 60 anos de idade? Por favor, cidadão!

Por que não enfatizam o fato das "mulherninas"? Meninas que não desapegam do aconchego do seu lar! Não assumem a responsabilidade de esposa, o papel de mãe! E tudo o que um homem de fato também deve fazer!


Lixo de matéria! Lixo de abordagem! Vaga! Sem base! Totalmente tendenciosa!

Vem dizer que o mau de uma geração esta nesses homens! Sério? Se o problema de toda uma geração perdida, fossem seus pais "imaturos" que jogam videogame, seria muito bom! Bastavam alguns work's shop ou congressos. Pronto caro amigo!

Sempre houve e sempre haverá homens e mulheres imaturos que entram em casamentos despreparados! Parem de querer achar um culpado só para a lástima que esta acontecendo!

E você, caro pastor: O que tem feito EFETIVAMENTE para preparar adolescentes e jovens maduros para serem futuros homens maduros? Se você assume essa responsabilidade pra você, você se torna responsável por essa geração. Se essa geração falhar, então caro amigo, é porque você como homem de Deus, Anjo da Igreja, falhou. Vão assumir esse fardo então? Ótimo! Sejam homens maduros e tomem pra si essa responsabilidade, haja visto serem dos mais velhos, ensinarem aos mais novos o "B, A, BÁ" da vida a dois e assim por diante.

3 de fevereiro de 2016 00:10 comment-delete

É a mais dura e triste realidade da modernidade, famílias desestruturadas têm criado "filhotes eternos"... Digo isso com propriedade por ser professora de adolescentes e pré adolescentes e esposa de pastor. Dando aulas e acompanhando diversos aconselhamentos por mais de uma década tenho notado essa tragédia eminente. Parabéns ao PR Renato por continuar alertando a causa de muitos problemas contemporâneos e ter paciência e resistência para lidar com os críticos de plantão e alienados.
Deus o abençoe e tenha misericórdia das famílias...

3 de fevereiro de 2016 07:07 comment-delete

Nossa esse eu quero ler...faz todo sentido no nosso contexto e sociedade.

3 de fevereiro de 2016 07:11 comment-delete

"A mulher precisa de um homem, tanto quanto um peixe precisa de uma bicicleta"
Simone de Beauvoir


Acho que já basta, não?

3 de fevereiro de 2016 07:30 comment-delete

A coisa é tão grave que a anos o cinema vem retratando personagens e protagonistas mulheres como seres superiores, mais preparados e mais fortes do que os homens. Ultimamente isso tem sidi um fato evidente em filmes influentes como Jogos Vorazes, Divergente, Exterminador do Futuro, Avatar, Star Wars, Resident Evil, Tomb Raider, Branca de Neve e o Caçador, Saga Crepúsculo & Amanhecer, Supergirl, Mulher Gato, Ex- Men, Quarteto Fantástico, Salt, Velozes e furiosos, Kill Bill, As panteras e muitos e muitos outros filmes, séries e desenhos também.

3 de fevereiro de 2016 08:18 comment-delete

Boa Tiago. Também não entendi esse texto aí! Totalmente ultrapassado! Quer dizer que só o homem decaiu em valor e a mulher não? Tanto homens e mulheres ficaram cada vez mas irresponsáveis.

O motivo disso é a TV, o fato de que uma criança não pode levar palmadas quando necessário, uma criança não pode receber trabalho em hipótese alguma, a tecnologia que os tornou mais preguiçosos e por fim mas, não menos importante, O Governo que ao retirar a educação dessas crianças, quando se tornam adultas não tem adquirido o conhecimento necessário para saber se comportar quando chegam a fase adulta. Pode haver mais fatores, mas esses acima citados são evidentes.

E como o Tiago falou, tanto homem quanto mulheres podem assumir e dividirem o mesmo trabalho... Não tem essa de um foi feito pra uma coisa e o outro pra outra.

3 de fevereiro de 2016 10:00 comment-delete

É o tal "conflito de gerações" somado à preguiça de tentar entender as mudanças entre elas. A crítica ao videogame, ainda mais pueril do que qualquer suposta atribuição ao mesmo, é um reflexo direto disso.

Existem ineptos em todas as gerações. O que define é a criação, e esse cerne continua sendo ignorado na maior parte do tempo, com os pais preferindo manter os filhos dentro de uma bolha do que deixando eles sofrerem cicatrizes necessárias ao amadurecimento. Só se busca fazer algo quando é tarde demais.

Péssimo texto de fato, que só vai ser bem aceito por quem tem tanto vento na cabeça quanto os "homeninos".

3 de fevereiro de 2016 11:48 comment-delete

Claro, mais um para a legião que atribui todo o fracasso da sociedade aos homens, exclusivamente, e se esquece que as mulheres em sua maioria são tudo que não se espera de uma esposa hoje. Me pergunto depois de ler isso se ser homem é ter posicionamentos contra si e seus semelhantes.

10 de fevereiro de 2016 19:33 comment-delete

E nesse processo todo que vc descreve, a mulher está isenta de culpa??? A problematização toda é apenas masculina? São comportamentos indignos de pessoas que colocam uma redoma de cristal ao redor do "sexo frágil" para protegê-la e atacar apenas os homens que tudo está como está. Mulher nunca tem culpa de nada, não passarão por essa mudança que vc descreve? Estou esperando a segunda metade do seu post pois aqui só há meia-verdades. Abraço.

10 de fevereiro de 2016 19:42 comment-delete

Prezado pastor,
Seu texto pontua corretamente uma geração de mimados, que é a nossa. Tanto homens como mulheres. Porém o ginocentrismo de nossos dias estraga tudo. Colocas unilateralmente a responsabilidade dos problemas nas costas dos homens. E as mulheres, com seu comportamente súper exigente e arrogante? Já parou pra pensar quantos homens trabalhadores simplesmente não se encaixam nas exigências absurdas? Depois de muita rejeição, é natural que uma geração toda simplesmente se volte para seus interesses. Se o nobre pastor se der ao trabalho de procurar, vai descobrir que no primeiro mundo (Japão, Europa), muitos homens simplesmente se fecham em seus mundos. A coisa é mais complexa do que sua simplificação grosseira e machistóide de "vire homem". Se o nobre pastor ler de novo as cartas de Paulo, verá que existem responsabilidades para o homem E a mulher. Ou o senhor acha que o homem deve bovinamente assumir uma mulher que não o respeita, que teve um passado de promiscuidade? Seu texto entra na galeria de textos feministas.

10 de fevereiro de 2016 21:02 comment-delete

Perfeito!

26 de fevereiro de 2016 07:37 comment-delete

Você vê que a situação está realmente grave quando homens cristãos ficam "sensibilizados", "ofendidos", quando um pastor os aconselha a "Virar homem"...

17 de novembro de 2016 00:57 comment-delete

Essa é a mais pura verdade.

17 de novembro de 2016 17:17 comment-delete

Melhor cometário Gilnei!

19 de novembro de 2016 12:52 comment-delete

O texto não é machista. Entendam: O foco do texto é a ausência da figura masculina na sociedade conjugal. Se o objetivo fosse abordar algo relacionado à sociedade conjugal em sí, sim, o texto seria machista.

Um ponto interessante da resposta de vocês é que, alguns pressupostos nortearam o texto, como todos sabem que o Renato (autor do texto) é cristão, e como cristão, crê na inerrância das Escrituras, da Bíblia, ou seja, a Bíblia é a verdade última sobre toda a existência (frase de C.H. Spurgeon). Se a Bíblia diz que a FUNÇÃO da mulher é a de cuidar dos filhos, e a do homem de prover o sustento da família, e crê-se que a Bíblia é a verdade, estando erradas todas as afirmativas contrárias à mesma, não há o que se questionar. É tudo uma questão de pressupostos.

Creio sim que a mulher pode e deve administrar o lar (a casa, educação dos filhos, vida espiritual do casal...) junto com o marido.

Apenas pensem que a Bíblia nunca disse que a mulher é inferior ao marido e vice versa, nem procede o contrário. A Biblia fala de funções diferentes. Não se fala em capacidade, a mulher até administra melhor o lar na verdade. Mas Deus quis assim. Fora que a função da mulher é bem mais importante e impactante na sociedade como um todo. Leiam a Bíblia e não intérpretes.

De último vale ressaltar mais uma vez que se Deus assim o quis, agir em desacordo vai gerar problema. Pensem na nossa república. Pode um magistrado legislar? Não, apenas negativamente. Pode um deputado julgar? Não, não tipicamente. Porque? Porque fere o ordenamento jurídico brasileiro, fere o pacto federativo, fere a "Bíblia" do nosso país, a Constituição. Pensem nisso!

27 de novembro de 2016 19:11 comment-delete

As mulheres virão tudo sapatao e a culpa é do homem ??

29 de dezembro de 2016 03:12 comment-delete

Com violência ou sem violência!você está querendo mudar o conceito da origem do feminismo! !????

29 de dezembro de 2016 03:13 comment-delete

BetoFloripa, não entendi direito sua posição. Mas vou colocar algo aqui, do autor Douglas Wilson, que colabora para o que o Heberti quis dizer.

"Dada esta revelação ser divinamente ordenada, podemos ver que o feminismo é uma forma extremamente destrutiva de falso ensino. Mas devemos também ser capazes de ver que a verdadeira origem do feminismo não está nas mulheres. Embora seja verdade que o moviemtno feminista é representado por porta-vozes femininas, elas nada mais são que maquiadoras de uma mentira masculina. em sua base, o feminismo é obra das mãos de dois tipos de homens - por um lado, tipos destrutivos e opressores; e, por outro, homens frouxos. Por causa do modo como Deus fez o mundo, os homens são sempre responsáveis por tudo que acontece no universo feminino - quer eles queiram ou não essa responsabilidade, e quer as mulheres queiram ou não saber disto. Consequentemente, o feminismo não é primariamente produto de mulheres insatisfeitas; é obra de homens ímpios.
Quando um casal chega para uma seção de aconselhamento matrimonial, minha suposição básica é sempre que o homem é completamente responsável por todos os problemas. Alguns podem se inclinar a reagir negativamente a isso, mas é importante notar que responsabilidade não é o mesmo que culpa. Se uma mulher está sendo infiel ao marido, é lógico que a culpa do adultério é dela. Mas, ao mesmo tempo, o marido é responsável por isso.
como ilustração, suponha que um marinheiro novato desobedeça as ordens e, no meio da noite, encalhe o navio. O capitão e o piloto estavam dormindo e não tinham nada a ver com a atitude irresponsável do marinheiro. Quem é, no fim das contas, o responsável? O capitão e o piloto são os responsáveis pelo acidente.Eles são oficiais de carreira, e a carreira deles está arruinada. O jovem marinheiro estaria, de qualquer forma, deixando a marinha após seis meses. Isso pode parecer injusto para muitos, mas não há dúvidas de que esse é o modo como Deus fez o mundo. O marinheiro é culpado; o capitão é responsável.
Sem esse entendimento de responsabilidade, a autoridade se torna algo tirânico e sem significado. Os maridos são responsáveis pela esposa. Eles são cabeça da esposa assim como Cristo é cabeça da igreja. Fazer um voto pactual de se tornar um marido envolve assumir responsabilidade pelo lar. Isso significa que os homens, sejam tiranos ou relapsos, são responsáveis por qualquer problema que ocorra no lar.
Se os homens cristãos amassem a esposa assim como Cristo ama a igreja, se guiassem a esposa, se aceitassem dela a ajuda necessária para cumprir a vocação que receberam de Deus, jamais haveria espaço para qualquer tipo de pensamento feminista dentro da igreja. Homens cristãos que abdicam da autoridade dada por Deus, ou que se envergonham dela, estão deixando a esposa sem proteção."

(Douglas Wilson, Reformando o casamento, páginas 35-36 )

Um abraço!

7 de junho de 2017 13:11 comment-delete

Fiquei admirada ao ler um texto desse escrito por um "Homen", só mesmo um cristão e servo do Senhor para perceber o quanto os homens de hoje em dia não se assumem mais, as mulheres se casam e tem que ajudar na parte financeira porque eles não se sentem mais na obrigação, é sempre vem com a desculpa do "feminismo", enquanto a mulher continua fazendo seu papel de cuidar da casa, agora temos o dobro de trabalho porque eles não assumem nem uma coisa nem outra, se lavam uma louça estão nos ajudando porque a brigaçao mesmo é nossa! Mas chega na hora de pagar as contas da casa e afins eles não são mais os provedores, ou seja, para que serve um homem na relação hoje em dia? Posso dizer que para nada? Porque se for para casar com "homeninos" melhor que as mulheres permaneçam solteiras que assim terão muito menos trabalho!

15 de julho de 2017 04:09 comment-delete