sexta-feira, outubro 11, 2013

Uma pequena palavra aos pastores que se acham a última Coca-Cola do deserto

Por Renato Vargens

Confesso que tenho ficado impressionado com o que tenho visto, ouvido e lido de muitos pastores brasileiros. Infelizmente não são poucos aqueles que se consideram a "última Coca Cola do deserto". Nessa perspectiva tais líderes advogam que antes deles nunca nada de bom aconteceu em suas cidades, estados ou até mesmo país.  Volta é meia ouço alguém dizendo: "Deus me revelou algo novo. Agora, sim, as coisas vão andar por aqui." ou ainda "Nunca na história da Igreja deste país aconteceu um mover deste tipo." Ou até mesmo: "O que recebi da parte de Deus é inédito. Ninguém na história teve essa revelação."

Pois é, ouso afirmar que se pastores brasileiros tivessem por hábito estudar e meditar na biografia de santos e piedosos homens de Deus seriam menos arrogantes. Na verdade, considero que uma excelente maneira dos pastores "baixarem a bola" é estudando a história daqueles que nos precederam. Eu particularmente estou lendo sobre o grande George Withefield. Confesso que ler sobre a vida e ministério desse grande orador tem servido para que eu entenda que diante de gigantes como o "pregador das multidões" não passamos de  pequenas e miseráveis formigas. Withefield foi um exemplo para nós pastores. Num tempo de grande decadência espiritual, ele por 32 anos pregou 10 vezes por semana ao ar livre para multidões de pessoas anunciando o simples evangelho da Salvação Eterna. George amava a Deus e a sua Palavra. Por dezenas de vezes ele leu as Escrituras, por milhares pregou as Escrituras. Foi perseguido, apedrejado e teve vezes que até os hotéis rejeitaram hospeda-lo. Whitefielfd foi um santo homem de Deus que odiava o pecado, pregava contra o pecado proclamando a salvação em Cristo Jesus. George Whitefield pregou em inúmeras nações, dentre estas, EUA, Pais de Gales, Holanda e até Portugal. Seus relatos de comunhão com Cristo são sublimes. Que exemplo de homem de Deus! Exemplo para mim, para os pastores, para a Igreja do Brasil.

Nosso Senhor contrapondo-se ao ensino de alguns dos pastores e apóstolos modernos instruiu os seus discípulos dizendo: "Bem aventurados os humildes de espírito, pois dos tais é o Reino dos céus”. Mt 5:03

Essa afirmação de Jesus Cristo foi um grande escândalo no primeiro século. Isto porque, tanto o pensamento como a filosofia greco-romana consideravam desprezíveis pessoas que valorizassem virtudes como a humildade. Tanto para os gregos como romanos, a humildade estava relacionada aos fracos, aos débeis, doentes e incompetentes.

Para a classe dominante, nunca, em hipótese alguma, pessoas bem sucedidas na vida, deveriam cultivar valores como simplicidade e humildade. No entanto, Jesus como Filho de Deus se contrapôs a valores como esses afirmando categoricamente, que o Reino de Deus não é propriedade dos soberbos e arrogantes desta vida, antes pelo contrário, só é possível herdá-lo mediante simplicidade e singeleza de coração.

Thomas brooks, afirmou certa vez: “Os homens mais santos são sempre os mais humildes”. Robert Leighton, disse: As melhores amizades de Deus são homens humildes. Em outras palavras isto significa, que quando mais próximos de Deus estivermos, menos arrogantes seremos.

Jonathan Edwards costumava dizer que um “homem verdadeiramente humilde é consciente da diminuta extensão de seu próprio conhecimento, da grande extensão de sua ignorância e da insignificante extensão de seu entendimento comparado com o entendimento de Deus. Ele é consciente de sua fraqueza, de quão pequena sua força é, e de quão pouco ele é capaz de fazer. Ele é consciente de sua distância natural de Deus, de sua dependência dele, da insuficiência de seu próprio poder e sabedoria; e de que é pelo poder de Deus que ele é sustentado e guardado; e de que ele necessita da sabedoria de Deus para lhe conduzir e guiar, e de Seu poder para capacitá-lo a fazer o que ele deve fazer para Ele.”

Na perspectiva do Reino é importante que entendamos que só alcançamos o trono do altíssimo descendo as escadas. Terminantemente as Escrituras afirmam que Deus exalta os humildes e abate os soberbos. Ora, o trajeto que os homens de Deus ao longo da história  traçaram nunca foi o caminho da presunção e da prepotência, antes pelo contrário, aqueles que nos precederam carregaram em si a marca indelével da humildade e da simplicidade. Portanto lembre-se: Os que agradam a Deus são aqueles que optaram por uma vida onde a simplicidade e humildade se fazem presentes.
 
Pense nisso!
 
Renato Vargens
Antonio Silva disse...

.
Mano, excelente texto, como sempre!

Os pastores(será que são mesmo?) brasileiros não estudam sequer a Bíblia, quanto mais a biografia de homens seríssimos, que nos antecederam e "pavimentaram" a estrada na qual estamos?

Hoje, o pragmatismo é tão real que se mede tudo por "resultados". Resultados são estatísticas e finanças. Os pregadores do passado, por esta ótica, são fracassados - para eles!!!!

Não enriqueceram, não fizeram "prosperar", não estavam na TV ou na Web. Não eram televangelistas....

Mas sigamos firmes, mano, fazendo o que fomos chamados para fazer.

Um grande abraço!!!

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only