segunda-feira, janeiro 14, 2013

Quando a mulher do pastor quer mandar na igreja

Por Renato Vargens

Existem mulheres de pastores que são complicadíssimas! 

Ouso afirmar que em nome do feminismo um número incontável de mulheres tem se insurgirdo contra o ensinamento bíblico de que a esposa deve auxiliar o marido na árdua, porém sublime tarefa de edificar a familia. Se não bastasse isso, muitas destas imbuidas por um "coronelismo" machificado decidiram mandar no lar, determinando arbitrariamente tudo aquilo que seu cônjuge ou filhos devem fazer.  Para piorar a situação não são poucas as esposas de pastores que em nome de uma espiritualidade deteriorada acreditam que devem e podem mandar na Igreja, atropelando a todos aqueles (inclusive o pastor) que porventura estiverem no seu caminho.

Há pouco eu soube de uma igreja onde a esposa do pastor mandava e desmandava. Nessa comunidade, era comum o pastor orientar a igreja de uma forma e a esposa de outra. Claro que não prestou! Em pouco tempo boa parte dos membros daquela igreja abandonaram a comunhão alegando que era muito dificil conviver com mulher autoritária.

Caro leitor, lamentavelmente situações deste tipo são muito comuns em algumas igrejas. Infelizmente muitas mulheres por possuirem uma visão distorcida do papel da feminilidade colocaram os pés pelas mãos trazendo sobre suas vidas, familias e igrejas, problemas quase que irremediáveis.

Sem a menor sombra de dúvidas a esposa do pastor tem um papel preponderante na edificação da Igreja, afinal de contas, ela está casada com o pastor. No entanto, apesar dela poder ajudar o marido nas demandas ministeriais é importante que entenda que a palavra final ou decisão pastoral cabe ao seu esposo e não a ela. Além disso vale a pena ressaltar que o fato de uma mulher auxiliar o marido na missão de criar filhos  não concede a ela AUTORIDADE sobre a Igreja de Cristo.

Isto posto, rogo as mulheres, esposas de pastores, que avaliem a luz das Escrituras de que forma tem se comportado na casa de Deus, mesmo porque, agindo dessa forma o nome do Senhor será glorificado.
 
Pense nisso!

Renato Vargens


Luciano Paes Landim disse...

Querido Rev. Renato Vargens, também conheci uma situação semelhante a esta que você descreveu. A mulher do pastor passava por cima da ordem do líder/servo da igreja e para piorar, estava também formando um "grupinho" que se opunha ao pastor. Confesso que tenho pena desse pastor que certamente deve ter uma esposa que não somente se opõe a ele na igreja, mas, também na família.

www.lucianopaeslandim.blogspot.com

Sabrina Cosiuc disse...

Sei bem como é isso,mas,no meu caso,a situação era ainda pior:fui membro de uma igreja por 5 anos onde quem mandava era a FILHA do pastor...

Izabel disse...

Eu tenho uma opinião formada sobre o papel da mulher de Deus, sendo solteira, mãe, esposa de pastor... o que for, para algumas pessoas é complicado entender mas para mim não.

Não dá para tentar "enfiar" na igreja, na vida cristã os padrões radicais do feminismo, da sociedade moderna.

Com sabedoria e "simancol" dá para a esposa do pastor ajudá-lo e muuuito, sem se deixar levar pela vaidade pela sede de poder.

Eu conheço esposas de pastor que embora pessoas falhas como todos nós, são fantásticas, aprendi muuito com elas. Mulheres sábias que ajudaram muito a igreja em momentos complicados, que permanecem sempre priorizando a família como família mesmo, não apenas como a entidade família do pastor; e nem por isso elas eram menores, menos importantes, ao contrário são muito admiradas.

Kairós disse...

Paz de Cristo Jesus!
Situação complicadíssima. Conheço caso em que a esposa do pastor manda até mais que o ministério (presbíteros e co-pastores) da igreja. É claro que não na hora do culto ou em reuniões, mas bem sabemos que elas exercem uma influencia maior sobre o marido-pastor do que o ministério, decisões que o ministério deveria ser participante e que não ocorre bem assim, a participante mesmo é a esposa. Lamentável a distorção por parte desses, que levam a igreja como uma empresa familiar.

Att.,
Cleiton Tenório
São Sebastião, Litoral Norte de São Paulo

Juliana Correia de Souza disse...

Amado pastor.Acompanho seus textos há algum tempo,e cada um é melhor do que o outro.Tenho uma opinião já formada sobre esse assunto, e penso que o que falta a essas irmãs,tanto esposas de pastor como servas sem esse 'titulo',e sensibilidade e aceitação do que nos ensina a Biblia sobre isso.
A mulher foi criada como auxiliadora do homem e não o contrário!O problema é que ao invés de se guiarem pela Biblia, essas irmãs tem dado ouvidos à sociedade que prega igualdade entre os sexos e se esquece que esse não é o padrão estabalecido por nosso Deus!Só com muita oração mesmo!

Thiago Ibrahim disse...

Fiz parte de uma comunidade por muito tempo onde quem mandava era a mulher do pastor. Na verdade, quem ainda manda lá é ela.

Primeiro, ela era "a profetiza mor" e responsável por endossar com uma "profecia" aquilo que o marido tinha acabado de falar do púlpito. Essa mulher não passava por cima das palavras do marido, mas manipulva o próprio, fazendo-o seguir o que ela achava certo.

Ela, armava-se de supostas visões e ditava o que queria pra igreja. E eu nunca vi o pastor se opor a nada do que ela dizia. Isso era triste, porque na grande maioria das vezes a decisão era totalmente arbitrária e desprovida de fundamentação bíblica e teológica.

Oficialmente ela não governava a comunidade, mas, na verdade, tudo o que acontecia, tinha que passar, extraoficialmente, pelo crivo dela.

Lamentável.

Comunidade Evangélica Boston disse...

O problema não está na esposa que manda, mas no esposo que é um marionete

El Misionero Matsuura Junichiro a.k.a. Marcos Freybert disse...

Eu tinha esse problema. A filha do meu pastor (uma fedelha abusada, diga-se de passagem) vivia se metendo a me dar bronca. Até o dia em que eu a chamei num canto, e disse umas poucas e boas para ela. Foi o bastante para acabar a palhaçada. Ser humilde não é ter sangue de barata.

Fҽɾղɑղժɑ silva disse...

A igreja a onde me congrego a esposa do pastor e líder em conversa e fofoca tudo q contamos pra ela,ela conta pra outras irmães,resultado q ninguém comfia as nela,e o pior q vive falando q ai daqueles q se levanta contra a vida dos pastores, isso já e uma argumentação do capeta, Só estamos nessa igreja pq o nosso foco e Deus e fechamos os olhos pra essa situação. Mas estamos orando pra Deus nos mostrar outro ministério.isso e triste d mais

LucasGamer disse...

Caro reverendo,

É claro que a situação posta decorre do feminismo que alimenta a nossa sociedade; infelizmente, também alimenta a igreja de Cristo. Quando afirmo isto, não me refiro apenas ao cargo de "pastora", mas incluo todas aquelas mulheres que insistem em não serem dirigidas por seus respectivos esposos. Percebo mulheres extremamente ativas na "obra de Deus", mas que mal conseguem educar os filhos em casa. Sequer leem a Bíblia com eles! Conduzem as crianças aos trancos e barrancos. Não bastasse isso, não respeitam o marido, desobedecem insistentemente direção dada por eles. Sem falar naquelas que preferem um chefe que as oprima do que ajudar o marido no governo do lar!
É um verdadeiro contrassenso. Dá nojo verificar que o feminismo atual tem lugar de proeminência nos púlpitos e corredores de nossas igrejas.

Unknown disse...

Vim de uma igreja assim é como resultado teve lá uma bagunça dos diabos

Jacksom Deivid disse...

Vim de uma igreja assim é como resultado teve lá uma bagunça dos diabos

Rafael Tavares disse...

Já fui membro de uma igreja assim, a esposa do pastor se auto intitula "pastora" mas nunca estudou pra isso e fica achando que Deus é o carrasco dela, ameaçando quem pensa diferente falando que Deus vai castigar essas pessoas, essas não sabem nada da Palavra, que Deus livre a igreja dessas lobas.

lidia Pereira disse...

Terrível essa situação, na igreja que eu fazia parte tem uma dessas, tomei a decisão mais errada que foi me afastar, pois a igreja não é dela, a igreja sou eu! A esposa do pastor é tão complicada, quer mandar em tudo, só as ideias dela que é melhor, só quem faz melhor é ela, e o pior de tudo, é que ela adora uma fofoca, ama os alminhas que levam umas fofocas pra ela, e como cristão, e esposa do pastor, ao invés de consultar o irmão e aconselhar, acaba criando contendas e julgando os membros e congregais da igreja! Horrível a situação, 80% por dos jovens saíram, porque não aguentava ela, julgando-os como se ela fosse Deus.

Weliano Pires disse...

Conheço algumas assim.

Cristiany Monteiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cristiany Monteiro disse...

Já presenciei muito isso, sendo terrível. E quando as ditas, se denominam pastoras porque é casadas com o pastor? Fica pior ainda.

Pastor Bruce disse...

Infelizmente situações assim tem se tornado cotidianas nas congregações hoje em dia e não é uma situação tão fácil de administrar como muitos pensam, a esposa tem um papel muito importante na vida pessoal, profissional e ministerial do marido, quando a palavra de Deus fala que a esposa é a coroa do marido isso tem um significado muito forte, a coroa na época da Monarquia era a joia mais preciosa de um reino, quando esse Rei a colocava sobre a sua cabeça ele era dotado de uma autoridade, e não uma autoridade entre autoridades ele se tornava a autoridade maior de um país, ou de alguns reinos, a coroa não só dá autoridade, autonomia como é o objeto mais cobiçado e mais valioso de um Reino, pois além do alto valor, e da condição que ela outorga para quem a usa, ela ocupa um lugar de muito destaque, não é a toa que fica na cabeça do maior líder.Ou seja a mulher tem um papel fundamental na vida do Pastor, mas isso não significa que ela deva exercer autoridade na Igreja e muito menos sobre o seu marido.

Rosália Bezerra disse...

Excelente texto. Depois que fui para conciencia crista esse ano em campina grande e tive a oportunidade de conhecê-lo, passei a a companhar suas publicaçoes. Em relaçao a esposas de pastores que mandam na igreja, me faz refletir o seguinte, essas esposas assim como pastor deveriam passar por um seminario tbm, por que muitas delas nao estao preparadas para serem esposa de pastor, e mesmo que se acham preparadas, deveriam estudar mais.... Sou espeosa de esposa, mas eu entendo que o pastor aue deve exercer o papel de liderança, principalmente nas decisoes. A mulher deve acompanha-lo, cuidar dele e de sua familia. Mas é claro aue nao tem problema a sua esposa ajudá-lo no ministerio.

Unknown disse...

Disse bem Izabel!

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only