quinta-feira, dezembro 13, 2012

A relação entre alguns crentes e a Sindrome de Estocolmo

Por Renato Vargens 

A Síndrome de Estocolmo ecebe seu nome em referência ao famoso assalto de Norrmalmstorg do Kreditbanken em Norrmalmstorg, Estocolmo que durou de 23 a 28 de Agosto de 1973. Nesse acontecimento, as vítimas continuavam a defender os sequestradores mesmo depois dos seis dias de sequestro ter terminado e mostraram um comportamento reticente nos processos judiciais que se seguiram. O termo foi cunhado pelo criminólogo e psicólogo Nils Bejerot, que ajudou a polícia durante o assalto, e se referiu à síndrome durante uma reportagem. Ele foi então adoptado por muitos psicólogos pelo mundo fora.

As vítimas começam por identificar-se emocionalmente com os sequestradores, a princípio como mecanismo de defesa, por medo de retaliação e/ou violência. Pequenos gestos gentis por parte dos sequestradores são frequentemente amplificados porque, do ponto de vista do refém é muito difícil, senão impossível, ter uma visão clara da realidade nessas circunstâncias e conseguir medir o perigo real. As tentativas de libertação, são, por esse motivo, vistas como uma ameaça, porque o refém pode correr o risco de ser magoado. É importante notar que os sintomas são consequência de um stress físico e emocional extremo.

Caro leitor, salve as suas proporções, as vezes sou levado a pensar que alguns dos nossos irmãos em Cristo sofrem desta sindrome. Deixe-me explicar por que:

Ora, os caras são massacrados pelos apóstolos da modernidade, humilhados, ultrajados, espizinhados e mesmo assim continuam defendendo seus algozes. Lamentavelmente tem gente que mesmo descobrindo a verdade e conhecendo os pressupostos bíblicos cristãos continuam debaixo do jugo da servidão com medo de afrontar seus "sequestradores."

Pois é, infelizmente os sequestradores da saúde cristã tem feito um estrago na vida de muita gente querida. Não são poucos aqueles que tiveram suas consciências violadas e ainda assim permanecem manietados aos seus algozes.

Prezado amigo, o Evangelho de Cristo nos libertou dos rudimentos deste mundo, nosso Senhor não deseja com que vivamos um cristianimo "matrixado", onde a realidade não passa de uma grande fantasia, antes pelo contrário, Cristo nos fez livre, portanto, celebremos a vida e vivamos longe das opressões dos sequestradores da paz.

Isto posto, quero incentivá-lo a acreditar que você é livre para abandonar as estruturas maquiavélicas travestidas de igrejas, além é claro de deixar para trás todo tipo de falso pastor que comportamento de lobo tem escravizado sua alma.

Pela graça de Deus tem ainda tem muita gente séria no Brasil. Pela misericórdia de Deus ainda temos muitas igrejas comprometidas com o evangelho.

Procure uma delas e definitivamente abandone essa síndrome.

Pense nisso!

Renato Vargens



Daniel W. Coelho disse...

Procure por "stockholm syndrome", disco do Derek Webb. Fantástico.

Robson Lelles disse...

A maior dificuldade está em identificar em si mesmo a ocorrencia dessa síndrome. Pode levar anos até que um evento fortuito deixe inequivocamente claro que é hora de fugir do cativeiro.

fisioxande disse...

Isso explica muita coisa...

Obrigado por mais um brilhante texto Pr. Renato Vargens!

Alexandre
http://www.facebook.com/Lixandri?ref=tn_tnmn

fisioxande disse...

Isso explica muita coisa...
Obrigado por mais outro excelnte texto Pr. Renato Vargens!!!

André Ferreira disse...

penso que talvez não seja um problema de reconhecimento de se estar ou não nesta condição. E sim de opção. muitos(não todos) entram nessa onda não por serem seqüestrados por um intelecto mais forte, mas, por se entregarem a este por livre vontade.E baseado no texto de 2 Timóteo capitulo 4: verso 3. Paulo, nos dá uma breve visão de comportamento que talvez possa descrever o que acontece nestes casos.
concordo com sua visão Pastor. Mas não acho que estas pessoas, seja totalmente vitimas de seus algozes. De uma maneira bem sutil são mal conduzidos sim. mas a opção é deles. Deus o Abençoe por este texto inspirado! muito obrigado, por nos fazer pensar.

1 Conjuro-te diante de Deus e de Cristo Jesus, que há de julgar os vivos e os mortos, pela sua vinda e pelo seu reino;

2 prega a palavra, insta a tempo e fora de tempo, admoesta, repreende, exorta, com toda longanimidade e ensino.

3 Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos,

4 e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas.

5 Tu, porém, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério.

marcelo ferreira disse...

essa é infelizmente a nossa maior realidade dentro das nossas igreja
libertados por cristo presos por homens .

marcelo ferreira disse...

parabéns ótimo texto

Dani Lima disse...

Gostei muito! Sem falar do no "visu" ainda não tinha visto! Abraço

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only