quinta-feira, janeiro 29, 2015

O que penso sobre a "discussão" nas redes sociais entre calvinistas e arminianos?

Por Renato Vargens

Como todos sabem eu sou calvinista. Creio nas doutrinas da graça. Acredito nos decretos do Eterno, creio em um Deus Soberano que governa tudo e todas as coisas! Creio na eleição incondicional dos santos, na depravação total, na graça irressistível, na expiação limitada e na perseverança dos santos. Entretanto, o fato de crer nisto não me torna inimigo ou adversário de irmãos em Cristo que pensam e creem diferentemente de mim.

A história  nos traz inúmeros relatos de arminianos piedosos. Gente como Dwight Moody, John Wesley, Tozer, C.S.Lewis, Leonard Ranvenhill, David Wilkerson e Billy Graham são claros exemplos disso.

Particularmente eu conheço muitos arminianos que vivem a vida cristã com muito mais piedade do que os denominados calvinistas. Tenho a honra de ter entre os meus amigos, irmãos cuja linha teológica diferencia da minha. O pastor assembleiano Ciro Zibordi é um destes. Conversamos sempre ao telefone, almoçamos juntos, e compartilhamos o evangelho de Cristo, além de darmos boas risadas sobre as nossas diferenças teológicas.

Caro amigo, a luz disto afirmo sem titubeios que existem muito mais coisas que unem arminianos e calvinistas do que os possa  separar. Nossa luta é contra o adversário das nossas almas, como também contra os ensinos espúrios daqueles que afrontam as verdades FUNDAMENTAIS das Escrituras Sagradas disseminando entre os crentes  heresias destruidoras. 

Quanto ao resto? Ah! O resto é desnecessário!

Pense nisso!

Renato Vargens

OBS: Esse texto foi publicado originalmente em 2011 com o título: "Podem viver em paz calvinistas e arminianos". Devido as intermináveis discussões sobre calvinismo X arminianismo resolvi publicá-lo novamente com o título "O que penso sobre a "discussão" nas redes sociais entre calvinistas e arminianos?"

OBS 2: Em novembro de 2012, a Vinacc, organizou um Hangout com o tema: "Quem disse que calvinistas e arminianos não se entendem?  Você poderá assisti-lo (aqui)
Calebe Borges disse...

Posso ser bem sincero, não sei o que é Calvinismo!! uahsuhas :S

Philadelfia - Evangelismo e Louvor disse...

"Caro amigo, a luz disto afirmo sem titubeios que existem muito mais coisas que unem arminianos e calvinistas do que possa os separar".

O texto e a citação acima dispensam comentários.

Parabéns pela postagem!

Em Cristo,

Um armeniano que não tem os calvinistas como inimigo, aliás, nosso inimigo comum é o diabo.

Elian Soares
www.evangelismoelouvor.com

zwinglio rodrigues disse...

Caro colega Renato Vargens, paz!

Estou comentando demais em seu blog. Será que já virou um "vício" [rsrs]?

Quero concordar contigo que é possível sim. O Pr. João Marcos da IPB daqui de Vitória da Conquista é um companheiro com quem divido a mesa de debate da Melodia FM constantemente. Divergimos de montão. No entanto, nos respeitamos profundamente. E nossos encontros são sempre muito fraternos.

Simone Regina de Azevedo disse...

Com certeza, Aquele que nos une é maior do que doutrinas que nos separam!
A Ele pois, a Glória eternamente!

Renato Vargens disse...

Pr. Zwinglio,

O senhor é muiot bem vindo por aqui! Quero aproveitar e parabeniza-lo pela forma educada em debater o assunto das artes marciais.

Sou honrado pela sua participação, fineza e educação.

abraços,

Renato vargens

zwinglio rodrigues disse...

Pr. Renato Vargens,

obrigado pela recepção e pelas palavras elogiosas. Mas quero dizer-lhe que no passado já fui muito mal educado nas conversas nos blogs [rsr]. Caí na real e mudei. Só os loucos não mudam, não é mesmo?

Clóvis Gonçalves disse...

Pr. Renato,

Também sou calvinista dos "cinco pontos". E também tenho irmãos e amigos arminianos que respeito demais, pela amizade e por ver neles uma vida piedosa que me inspira. Talvez mais até que o irmão, pois sirvo numa igreja arminiana e os crentes e pastores de minha denominação são, em sua maioria, arminianos, conscientes ou não.

Na Internet, convivo com irmãos que divergem convictamente de mim, e desfruto de suas amizades. O Pr. Ciro é um deles. É possível encontrar no Cinco Solas artigos que refutam artigos dele, e no blog dele, artigos que rebatem o que eu creio. Mas eu o respeito e vez ou outra recomendo e comento favoravelmente seu blog. Outra pessoa que divergimos diretamente, em artigos e debates, é o Pr. Zwinglio, que pelo nome está predestinado a ser calvinista.

Enfim, assino sem reservas o seu artigo.

Em Cristo,

Clóvis
Editor do Cinco Solas

Pensamentos disse...

Quer dizer então que as Doutrinas da Graça não são essenciais? Então me diga o que é essencial?? - Essa idéia de não ser "inimigos" pode se estender a todas as religiões - não somos inimigos ninguém - o que não quer dizer que abriremos mão da verdade - Dizendo que doutrinas como a Soberania de Deus não é essencial - para obtermos simpatia. É assim que a verdade se esvai. "Paz se possível, a Verdade a qualquer preço" Lutero - O semi-pelagianismo está também no centro da doutrina católica - Por que não os inclui? Se não somos firmes é melhor ficarmos quietos.

Diego disse...

Pr. Zwinglio, que pelo nome está predestinado a ser calvinista.
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK, muito boa.

Bem, já fui arminiano criado da AD, passei a ser calvinista ainda na AD. Hoje sou calvinista congregando na Batista, mas meus melhores amigos são arminianos, mesmo com todas as diferenças teológicas.

Apesar das divergências, creio que ambos podem viver e trabalhar juntos.

Galante disse...

Uma contribuição Teológica para os irmãos:

http://pt.scribd.com/doc/44864787/Ordus-Salutis-A-Ordem-da-Salvacao-nas-Diferentes-Tradicoes-Cristas

Os Cinco Pontos do Calvinismo para Evangelização:

http://pt.scribd.com/doc/44778362/TULIP-As-Doutrinas-da-Graca-5-pontos-do-Calvinismo

Rodrigo Rezende disse...

Excelente texto, sempre acreditei nesse relacionamento, mas infelizmente ouvimos pouco sobre isso e praticamos ainda menos.
Que possamos viver unidos naquele que nos fez um.

Norman Lima disse...

Eu achei isso bem desnecessário... como 'muitas' no mundo virtual...

Queria ver se fosse 'crente e católico'...

Roberto Vargas Jr. disse...

Caro Renato,

Tive um bate papo ainda hoje a este respeito quando uma pessoa me perguntou o que penso da “pluralidade dentro do cristianismo”, isto é, de seus “vários segmentos”. Minha resposta foi algo parecido com isso:

Sou bastante radical quanto à doutrina, mas sou bastante aberto quanto a isso que você chama "pluralidade". Por exemplo, creio na salvação do católico, mesmo de alguns daqueles adoradores ferrenhos de Maria. Creio na salvação do arminiano, mesmo com toda sua ênfase no homem. Creio que adventistas podem ter um encontro verdadeiro e até que neopentecostais não tenham, enfim, a "vitória" por seu deus. Mas "brigarei" com todos eles, salvos ou não, pela Verdade.

E ele insistiu: “Qual o conselho que você daria pra alguém não se tornar tão ‘radical’? Isto é, por radical quero dizer: pessoas que não conseguem conviver com pessoas que pensam diferente”. Ao que retruquei:

Lewis disse nas Crônicas: "você é um filho de Adão, isso é vergonha suficiente para que qualquer rei baixe a fronte e glória suficiente para qualquer mendigo caminhe ereto" (paráfrase minha, não lembro dos termos corretos). A questão é a seguinte... Você conhece a Verdade e tem a razão redimida. Mas ainda é contingente e ainda está neste século. Então humildade epistêmica é fundamental. Verdadeira humildade, não aquele "amor" que não passa de tolerância moderna. Sobre esta pluralidade, veja só: gosto muito de Lewis e de Tolkien. O primeiro é bem liberal (teologia) e o segundo é católico. Estou certo que os encontrarei no porvir.

Quer concordem em tudo comigo ou não, isto vai bem ao encontro de sua postagem. E também pode responder alguns de seus interlocutores.

No amor do Senhor,
Roberto

PS: Vou publicar no meu blog este comentário e sua postagem.

LEKNHA disse...

Amigos, me lembro bem, que, na carta aos romanos 5.10, Jesus entregou-se quando eramos inimigos seus, logo por nossa vez o cristão verdadeiro se desprende de todas inimizades assim ensinados por Cristo, a não ser o diabo conforme Ef 6.12.
Queridos sou arminiano, aprendo muito com os irmãos calvinistas, isso não me faz menos arminiano, mas sim um Cristão se tornando maduro....

Mizael Andrade Reis disse...

Pr Renato,

A concordar com alguns e a discordar de outros que acima me antecederam eu creio que, tal como o pr Renato assim pontuou na salvação de autênticos arminianos. A razão pela qual digo isso é que existem inúmeras denominações ditas arminianas que não são arminianas e sim semi-pelagianas. Sua compreensão da humanidade pós-queda diverge do ponto de vista genuinamente arminiano pendendo para a compreensão semi-pelagiana. Essa divergência não pode ser tolerada, como sendo um meio pelo qual o tal, a despeito de sua via distorcida, poderá ser salvo. A superestimação do logro humano em demasia, como fazem muitas igrejas renovadas, entre as quais os neopentecostais não poderão se eximir, impede que os tais compreensão o evangelho da graça. Wesley, Moody, Tozer dentre outros, eram de fato arminianos que, a despeito de sua sinergia, souberam como arminianos descrever o evangelho pelo qual foram salvos. Posso parecer intolerante, mas é sempre bom lembrar que a heresia vem montada nos lombos da ignorância. Faço parte da Assembleia de Deus desde que nasci, e tenho plena consciência que no meio ao qual estou inserido existem muitos que foram alcançados por Deus, porém, infelizmente existem muitos que estão sucumbindo na salvação pelas obras, ditada pelo semi-pelagianismo que impera nessa denominação. Por exemplo, se alguém que se diz arminiano, ao descrever o que pensa sobre o pecado e a redenção não incluir a tal "graça preveniente", não há alternativa, sua compreensão ou será pelagiana ou semi-pelagiana, muito embora se julgue ignorantemente um arminiano.

Devemos ser tolerantes sem negociarmos a doutrina.

Graça e Paz
Mizael Reis

Roberto Vargas Jr. disse...

Caro Mizael,

Pois eu não vejo diferenças significativas entre pelagianos, arminianos e semipelagianos. Mas ainda que eu considerasse tais diferenças como realmente significativas, todos estão em erro, o qual combaterei.

Porém, Deus é poderoso para salvar o mais racionalmente torto dos homens. A Verdade nunca será afetada pela má compreensão daquele que crê, aquele a quem Deus deu fé. E é aí que devo, além de ser epistemicamente humilde (pois estarei eu realmente compreendendo tudo assim tão bem?), lembrar que é pela fé que reconheço meus pecados e deles sou salvo (e cada um luta contra os seus, uns mais outros menos...). Assim pode ser com qualquer um, mesmo que este um não venha a entender bem o Deus que o livrou de si mesmo.

Não estou a dizer que discordamos. Até porque lutaremos contra o erro qualquer seja ele. Apenas que seu comentário me deu esta deixa para complemento do meu.

No Senhor,
Roberto

zwinglio rodrigues disse...

Roberto, paz!

Acho que digno de nota é a sua ênfase à uma 'episteme humilde' nessa discussão proposta pelo pr. Renato Vargens.

Apenas assim poderemos nos aproximar e ficarmos juntos aprendendo um com o outro.

Caso contrário, viveremos repetindo Zwinglio e Lutero que, em Marburgo, concordaram em 14 pontos, discordaram em 1 e, por conta disso, jogaram na lata de lixo o amor, virtude apresentada na Santa Ceia, razão da querela e separação definitiva entre eles.

Abraços!

Anônimo disse...

Olá Pr., olá grupo!



Infelizmente, o povo de Deus está dividido por conta de doutrinas; por sua vez, os grupos que representam tais doutrinas (as denominações) estão alocados em divisões menores, como por exemplo, pentecostais/tradicionais e outros, como esses por você citados.



Há muito tempo, acontece entre nós algo semelhante ao que acontecia em Corinto, quando os irmãos daquela cidade definiam-se como de Pedro, Apolo e Paulo. Afirmações do tipo “eu sou ‘X’” (leia se “x”, como a denominação/divisão) ou do tipo “eu sou arminiano”, reforçam essa divisão entre o povo de Deus, ainda que muitas vezes, prevaleça entre nós o amor mútuo.



Eu aceito a predestinação, e houve um tempo em minha vida, que eu me definia como “calvinista” e ainda dizia que a denominação/divisão que eu participava era a melhor de todas. Hoje, eu entendo que a doutrina da eleição existe antes de Calvino, ela é do Senhor Jesus; participo de outra igreja hoje, mas não sigo sua doutrina, mas sim a palavra de Deus.



Ainda acredito que seja possível minimizarmos essas divisões existentes entre nós!



Um abraço a todos, fiquem com Deus!



Márcio

Tiago JP/PB disse...

Tiago, JP/PB

Tozer arminiano??
tenho um livreto dele chamado a procura de Deus onde ele fala sobre a soberania como nenhum outro. e de forma altamente calvinista

Renato Vargens disse...

Tiago,

Veja o que TOZER diz sobre livre-arbítrio, no livro Esse cristão incrível , capítulo 7 (O Livre-Arbítrio):

“É inerente à natureza humana que a sua vontade tem de ser livre. Feito à imagem de Deus, que é completamente livre, o homem deve gozar certa medida de liberdade. Esta o capacita a escolher os seus companheiros para este mundo e para o porvir; capacita-o a sujeitar sua alma a quem ele quiser, a aliar-se a Deus ou ao diabo, a continuar pecador ou tornar-se santo. E Deus respeita esta liberdade [...] Para Deus, passar por cima da liberdade do homem e forçá-lo a agir contrariamente à sua vontade seria escarnecer da imagem de Deus no homem. Deus jamais fará isso. [...] Deus dará nove passos em direção a nós, porém não dará o décimo”.

Nesse trecho fica bem claro o que Tozer pensa sobre livre-arbítrio e como a eleição incondicional é impossível em sua teologia arminiana.

abraços,

Anônimo disse...

Alguém um dia disse que toda unanimidade é burra, porém a unanimidade em JESUS é a sabedoria que devemos adotar, seja arminiano ou calvinista, tradicionais ou pentecostais, creu que JESUS CRISTO é o salvador e que a biblia é a única regra de fé, vamos juntos em frente rumo ao alvo, direções teológicas, denominações é coisa do homem, mas como digo que ninguém chega ao acerto sem erros, então aprendamos uns com os outros, salmos 133:1
Gilbert Raposo, um aprendiz em CRISTO JESUS.

Roberto Vargas Jr. disse...

Caro Zwinglio e demais,
Já faz um bom tempo que não nos falamos.
Pois é, não podemos abrir mão de nossas convicções. Mas também não podemos deixar de avaliar a nós mesmos pelo Padrão. Assim, o contraponto da posição que nos contradiz é de utilidade para nós, se a soubermos usar.

Caro Renato e demais,
Quanto a alguns comentários de quem pretende dizer que não segue doutrina alguma, digo que isso é ingenuidade (há maldosos também, mas aqui tenhamos boa fé e não falemos deles). Ou ignorância (refiro-me à própria fé, ou, em sentido mais lato, crenças).
É impossível ver o mundo sem as lentes de nossos pressupostos. O "simples ler a Bíblia" a que alguns se referem não está livre disso. É claro que nossa lente pode ser corrigida (para melhor ou para pior), mas nunca estaremos livres delas.

No amor de Cristo,
Roberto

Pr. Flavio Muniz disse...

Como cristãos apenas devemos seguir este provérbio muito verdadeiro: "Unidade no essencial, tolerância no secundário, e amor em tudo!"

Que possamos pregar o Evangelho, e deixar seus mistérios para o porvir, pois assim fica mais fácil. Enquanto isso, que cada um se baseie na bíblia de modo fidedigno concordando com suas doutrinas essenciais.

Que Deus abençoe a todos rica e abundantemente,

Pr. Flavio Muniz

Jean Patrik disse...

Pastor Renato,

O senhor acha que essa indiferença causante de tamanha barreira entre o arminianismo e calvinismo, seja devido à quantidade de textos ou artigos postados em blogs calvinistas?

Confesso que isso me incomoda muito, calvinista e mais calvinista se gabando e subestimando os pontos teológicos dos arminianos.

Se há realmente coisas que nos unam mais do que nos afastam peço que os calvinistas escrevam menos sobre os cincos pontos, pois essa atitude exacerbada de muitos de vocês tem trazido antipatia ao calvinismo.

Paz do Senhor Jesus!

Jean Patrik

Marcus Bittencourt disse...

Paz! "Uns dizem; Eu sou de Paulo, outros de Pedro, outro dizem ser de Apolo. ACASO ESTÁ CRISTO DIVIDIDO." Parabéns pelo post e Deus o conserve em entendimento e sabedoria. Um abraço.

Keile Eduardo Passos disse...

Concordo plenamente com você.

Anônimo disse...

Pastor!
Digo com muita humildade, sou ignorante no conhecimento Bíblico (pois sou uma eterna aprendiz), dos homens e não discuto, pois quanto mais eles se profundo mais confusa fico...cheguei a estudar teologia,em Recife, para conhecer mais a DEUS, e fiquei mais confusa com a Historia da Igreja Matamos roubamos, enganamos, mentimos pecamos e ainda queremos pregar que temos o conhecimento da verdade....DEUS nos diz em sua palavra que o seu povo perece por falta de conhecimento. Através de séculos descobri que o assim chamado Cristianismo...pela doutrina de homens cometeu os erros mais absurdo possível e continua cometendo, sem se importa com o que realmente a PALAVRA-DEUS quer passar...sou ignorante quanto ao conhecimento de doutrinas de homens, mas procuro viver conforme o conhecimento que tenho Bíblico, pois esta é a verdade absoluta...

Mozart Paulino disse...

Parabéns pelo texto. Tomei a liberdade de publicá-lo em emu blog. Paz.

andré disse...

Roberto,

vc disse: "É impossível ver o mundo sem as lentes de nossos pressupostos"

Exatamente! Sejam os pressupostos calvinistas ou arminianos! O problema é cada um pensa que está certo.

Roberto Vargas Jr. disse...

E daí, André, que cada um pense estar certo? Não é este o problema. Nem mesmo o embate em busca da Verdade. O problema é fazer do "pensar estar certo" absoluto, ao invés de buscar o próprio Absoluto para o pensar. Ou, ao contrário, porque todo mundo apenas "pensa estar certo" abandonar-se ao desespero cético.

Eu já mostrei em meu blog a impossibilidade lógica de uma terceira posição, mas, supondo que houvesse, temos que arminianos e calvinistas estão ambos errados ou apenas um dos dois está correto. E a Verdade é, então, com ele. Não é uma questão de menor monta, portanto.

Agora, a indefinição da terceira posição é ingenuidade, ignorância ou desonestidade. Calvinista você não é. Arminiano, talvez. Mas se nem um nem outro, espero que seja por umas das duas primeiras possibilidades. Mas isso é com você.

Quanto ao embate entre arminianos e calvinistas, se o embate é mesmo pela Verdade, por ferrenha que o embate seja neste século, a Verdade se manifestará em glória a ambos. E então suas diferenças perderão todo o sentido. E então nos abraçaremos em fraterno amor cantando eternamente ao Santo.

NEle,
Ronerto

Johnnÿ Sleazer disse...

Fico feliz como arminiano em ler um texto maravilhoso como esse. Não importa como vemos a questão da salvação, o q importa é saber q salvação só em Jesus Cristo e Seu precioso sangue vertido na cruz no monte Caveira, e que somos instrumentos de Deus para mostrar Sua glória na Terra, e por isso devemos buscar a santidade e a seriedade do Evangelho.

Soli Deo Gloria!

El Misionero Matsuura Junichiro disse...

Só me permita discordar de uma coisa: Billy Graham, na verdade, é um endemoninhado-filho-do-capeta disfarçado de pastor.

Hyourising disse...

Parabéns pelo texto, Pr. Renato. Me considero no "plano" entre as duas teologias, simpatizo tanto com a doutrina calvinista quanto com a doutrina arminiana, mas no essencial, só se resume à uma unica Verdade: Que Jesus Cristo morreu por nós e para que possamos vir à Ele.

Eduardo disse...

não vejo uma inimizade entre arminiano e calvinistas. eu como calvinista vejo uma inimizade contra uma teologia não biblica que estao pregando hj em dia, uma teologia humanista. Se pregarmos, e seguirmos a PALAVRA de Deus não importo se é calvinista ou arminiano se ele é Cheio do ESPIRITO SANTO e prega a PALAVRA de Deus, somos irmao. (não odeio os arminianos (do seculo XXI, que pregam coisas não biblicas) odeio essas pregações e ensinamestos humanistas q exaltam o homem, e que vc não vê no novo testamento. A PAZ

Robson Lelles disse...

E quanto aos "calminianos" - seriam apenas uma quimera estéril? rsrs

suede santos disse...

Não era melhor sermos todos somentes biblicos? Sem partidarismo ou vai descaradamente dizer que isso não é partidarismo? Esta cristo dividido?

O Bereiano - Pr Ilton Gonçalves disse...

POrque será que muitos calvinistas insiste de que os arminianos não crem na soberania de Deus?
É muita maldade, é torcer os fatos.
Eu creio na soberania de Deus, só não creio na salvação limitada a um grupo seleto.

Sobre o Evangelho (evangelização), se eu cresse na salvação limitada, seria como alguém que recebe um presente para ser entregue a alguém que não sei quem, e correndo o risco de alguém recebê-lo dizendo que quer o presente e no final alguém tomá-lo de volta dizendo, esse presente é pra pessoas especias, infelizmente voce não é, dá-me de volta.

É dificil, onde está a simplicidade do Evangelho?

Todo aquele que cre será salvo e ponto final.

Profeta Conspirador disse...

Caro Pr. Renato,

Se o post era para gerar um clima de "paz" entre os irmãos divididos entre "sou de armínio" e "sou de calvino", não entendo porquê o irmão colocou aquela imagem de uma suposta discussão entre as duas facções com o arminiano apelando por desespero.
Me desculpe, mas isso não ajuda em nada na questão.
Sobre essas discussões, não me considero nem de Calvino, nem de Paulo, nem de Apolo, ou Armínio... abomino todas essas divisões no Corpo.

Abraços fraternos a todos.

giuliano miotto
servo
http://vozdoqueclamananet.blogspot.com.br/

Silas Roberto Nogueira disse...

Caro Renato,

Concordo com o que você disse acima e quero dizer uma coisa - se o nosso calvinismo nos faz romper os laços de comunhão com irmãos genuínos, embora arminianos, nosso calvinismo precisa ser revisto.

Forte abraço,
Silas Roberto Nogueira

Congregação Batista de Fé Reformada disse...

Eu em particular creio que possamos viver bem sim, porém no meu caso já fazem cerca de 4 anos que devido ao meu posicionamento quanto as doutrinas da graça eu e minha familia sofremos muita perseguição, por arminianosnão que não aceitam essas verdades biblicas tivemos que receber apoio de uma igreja de cerca de 380km de Ilicinea e hoje somos a missão Batista de Fé Reformada, mediante aos fatos eu em particular penso da seguinte forma VIVO EM PAZ com eles lá e eu cá, pregando expositivamente.

Ventura Neto disse...

Meu querido irmão em Cristo Pastor Renato quero parabenizá-lo por seus edificantes comentários, eu compartilho com sua postura. Que o Espírito Santo continue trabalhando no sentido de entendermos essas questões fundamentais do evangelho.

Maykon Johny disse...

Que a Paz de Cristo Jesus esteja com todos vocês!

Acredito que esta questão de conciliar controvérsia teológica com boa convivência tem sido muito mal pensada pelo povo de Deus, até mesmo pelo fato de ser uma questão altamente complexa e difícil de ser administrada.

Enquanto uns disseminam ódio até mesmo contra aqueles que têm discordância em pontos secundários, outros acabam tornando tudo secundário em prol de uma unidade que não é fundamentada na verdade.

Sendo assim, digo o seguinte:

Sou Protestante de linha reformada e discordo dos que pensam que os pontos que separam a teologia reformada da arminiana são questões de importância secundária. Ouso até mesmo dizer que o Arminianismo é praticamente outra religião, totalmente distinta da Leitura Reformada do Cristianismo - que penso ser a correta -, na mesma medida como são o Mormonismo ou o Catolicismo Romano.

Mas penso também que é necessário fazer os seguintes questionamentos:

1. O que, afinal de contas, isso tem a ver com boa convivência?

2. Desde quando é necessário que eu considere como "irmãos de fé" aqueles que acreditam em algo totalmente distinto das minhas convicções para que eu possa conviver bem com eles?

Tenho amigos que são arminianos, neo-pentecostais, católicos romanos, agnósticos e ateus também. Mas isso nunca foi motivo para eu deixar de conviver bem com eles. Afinal, se as Escrituras Sagradas nos mandam amar nossos inimigos, por que não deveríamos fazer o mesmo com nossos amigos "diferentes"?

Porém, todos os meus amigos “diferentes”, que não considero como “meus irmãos na fé”, sabem que há profundas divergências de pensamento entre nós em pontos que consideramos altamente relevantes e também sabem que não negocio minhas convicções por nada. Mesmo assim, até hoje, nada disso me impediu de ter boa convivência com eles, e jamais precisei dizer "que no fundo, somos todos filhos de Deus" para podermos comer um pastel na feira juntos, por exemplo.

Será que é tão difícil assim de amar os “diferentes” que eu preciso negar aquilo que eles sejam e projetar a minha própria imagem neles para que possamos conviver bem? Será que só os nossos iguais, só os “irmãos na fé” devem ser amados por nós e considerados dignos do nosso respeito e de uma boa convivência?

Por fim, se os colegas discordarem do que disse, não será mais do que meu dever, enquanto cristão, de responder com amor, longanimidade, paciência e sorriso no rosto: “tudo bem, eu discordo de você também. Que tal comermos um pastel na feira enquanto trocamos nossas figurinhas? Eu pago!”.

Um abraço a todos.... Maykon

Paulo César disse...

Deixo para o irmão (os irmãos também) a leitura de Romanos 5:18: "Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo SOBRE TODOS OS HOMENS PARA A CONDENAÇÃO, assim também por um só ato de justiça veio a graça SOBRE TODOS OS HOMENS PARA A JUSTIFICAÇÃO DE VIDA" Se a depravação é total por causa da ofensa de um, logo a graça não é total por um ato de justiça de um homem (O Senhor Jesus)? Explique-se a luz de Romanos 3:15, 18-20.

Recomendo o blog: www.pregaiboasnovas.blogspot.com

Fabiano Junio de Azevedo disse...

Parabéns Renato pelo texto!
Recomendo aos irmãos este blog também: www.radarcalvinista.blogspot.com

RonPaiva Blog disse...

Pastor, faço de suas palavras as minhas!
Creio que no céu teremos muitas surpresas! Não veremos Calvinistas ou Arminianos, mas sim pessoas transformadas que com seus corações quebrantados e pasmos diante da glória e majestade do Senhor, estarão unísonas rendendo glórias ao único que é digno de recebe-las.

William Roberto Zani disse...

Deveriam encaminhar esse texto para o pastor João Flavio Martinez. Ele tem considerado os calvinistas inimigos de evangelho.

Jesus é o Senhor! disse...

Sou arminiano convicto, e nos meus anos de crente, já ví até irmãos brigando de forma física por causa dessa discussão, quando não, ficam sendo irônicos e arrogantes. Uma pena ver tanta ignorância e falta de respeito entre aquele que afirmam crer no Príncipe da Paz

Agradeço a Deus pela vida de meus amigos calvinistas e arminianos, pois, a piedade está entre os crentes, e não entre as diferentes formas de entender a salvação.

Ah, se esse povo que fica conversando "besteira" na internet se juntasse para orar e evangelizar, seria uma benção nas mãos do Senhor.

Moises Pereira disse...

Certissimos.a verdade é a verdade e só pode ter uma..calvinismo e arminianismo não podem andar juntos. .me refiro a doutrina... Eu particularmente acho uma insanidade crer num Deus que escolheu uns pró céu e. A maioria pró inferno.baseado na sua Soberania..Soberania tem que estar aliado com amor e justiça.. Calvinistas colocaram um placa no céu NÃO HA VAGAS.. Não há calvinismo no velho testamento dificilmente eles citam o velho testamento como TB em relação a Israel e aterra prometida a maioria e contra .apóiam a ensino da teoria da substituição de que Deus substitui Israel pela igreja...jamais vou crer nisso no calvinismo..

favourite category

...
test section describtion

Whatsapp Button works on Mobile Device only