terça-feira, novembro 23, 2010

Cristãos assassinados por amarem a Cristo.

Por Renato Vargens

Todos os anos milhares de cristãos são mortos por sua fé. A missão Portas Abertas tem relatado inúmeros casos onde crentes em Jesus são brutalmente assassinados. Um exemplo disto é o caso de Dois irmãos que foram mortos a tiros no norte do Iraque na segunda-feira, dia 22. Trata-se do último de uma série de crimes contra essa minoria religiosa no país.

Os irmãos Saad e Raad Hannah estavam trabalhando na loja de produtos automobilísticos deles, em Mossul, quando homens armados chegaram a atiraram neles, fugindo em seguida, segundo a polícia.

Um funcionário de um hospital de Mossul confirmou as mortes. As fontes pediram anonimato, pois não estavam autorizadas a falar com a imprensa. Vários cristãos estão deixando o Iraque, em meio ao temor por causa de uma série de ataques contra pessoas dessa religião.

Caro leitor, mais de 250 milhões de cristãos no mundo sofrem algum tipo de perseguição. Segundo a missão Portas Abertas a Coréia do Norte ocupa a primeira posição na classificação mundial de países por perseguição ao Cristianismo. O levantamento, organizado todos os anos pela Missão, é um referencial da liberdade religiosa no mundo e revela os Estados onde a Igreja sofre as piores restrições. Pela sétima vez consecutiva, o regime comunista do país asiático aparece como o maior opressor, seguido pelo reino muçulmano da Arábia Saudita e pelo Irã, cujo regime islâmico completa três décadas este ano.

A fé fundada por Maomé também é a religião oficial no Afeganistão, na Somália e nas Ilhas Maldivas, nações que ocupam a quarta, quinta e sexta posições, respectivamente. O Afeganistão subiu na lista este ano, como resultado do aumento da pressão por parte do movimento talibã ano passado. Embora tenha sido derrubado do poder pelas forças militares dos Estados Unidos em 2002, o grupo ainda é muito influente no país e extremamente violento em relação à Igreja Cristã. O Iêmen, também muçulmano, ocupa a sétima posição e o Laos, no Sudeste Asiático, permanece como o oitavo colocado da lista.

Dois novos países aparecem entre os dez primeiros: Somália e Eritréia. Na Somália, o número de incidentes contra cristãos aumentou dramaticamente em 2008, com relatos de pelo menos dez assassinatos, o que explica sua subida do 12º lugar para o quinto neste ano. Na Eritréia, não houve grandes mudanças na falta de liberdade religiosa para os cristãos, mas o deslocamento de outros países fez com que ela figurasse entre os dez piores. Já na comunista China, cujo governo ainda fecha igrejas, prenda e moleste fisicamente muitos cristãos, não houve relatos de crentes mortos por causa de sua fé.

O Butão, pequeno país budista da Ásia, deixou de integrar a relação dos dez primeiros porque adotou uma Constituição mais abrangente em termos religiosos. Em compensação, em 2008, a situação da liberdade religiosa para os cristãos piorou sensivelmente no Paquistão, Iraque, Mauritânia, Argélia, Nigéria (Norte), Indonésia, Bangladesh e Cazaquistão. A Índia, embora se denomine a maior democracia do mundo, assistiu a episódios de estrema violência contra os cristãos ano passado. Mais de mil deles foram massacrados por grupos radicais hindus no Estado de Orissa. Em muitas das nações listadas, o evangelismo é proibido por lei e muçulmanos que deixam a fé de Maomé para aderir ao Cristianismo podem até ser condenados à morte.

Diante disto, cabe a nós orarmos a Deus rogando misericórdia sobre milhões de irmãos que por causa de Cristo e so Evangelho sofrem todo tipo de perseguição.

Renato Vargens


LOÇÃO AHS. disse...

Nestes lugares não existem Silas Malafaia's, Marcos Feliciano's, Edir Macedo's e etc, neste lugares quem prega a Cristo é por amor a Ele, pelo amor que Ele gera para que estas pessoas morram para levar a palavra a outras pessoas e assim trazer a salvação a milhares, louvo meu Deus por que isso acontece, em lugares onde nada disso acontece, muitas vezes o evangelho está morto, apagado, como na Europa por exemplo, e surgem pessoas que "pregam o evangelho de gizuis" e não do Nosso Senhor Jesus Cristo, infelizes daqueles que usam da palavra para beneficio próprio, honra aqueles que verdadeiramente seguem o evangelho.

"Pois, quem quiser salvar a sua vida por amor de mim perdê-la-á; mas quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á."
Mt 16.25

Anônimo disse...

Pastor,

Os tempos tem se tornado difíceis exatamente como as Escrituras nos alertam, posso até ser chamado de pessimista, mas parece que a perseguição tem se tornado maior aos cristãos em muitos lugares e já chegou por aqui, pastor sendo preso, manifestação de homossexuais contra intituições cristãs.

A paz de Cristo

Luis

Anônimo disse...

O que nos consola é q para essas pessoas que sofreram por Cristo é o reino dos céus!!
pois sofreram tanto pelo evangelho aqui na terra q agora estão felizes junto a Cristo.

Ruy Cavalcante disse...

Paz Pr renato Vargens,

Confiante na sua permissão, reproduzirei esta postagem em meu blog com os devidos créditos. Deus o abençoe por esse trabalho tão maravilhoso que desenvolve no blog e na vida real. Precisando de um irmão aqui pelo Acre saiba que estou à sua total disposição.

Renato Vargens disse...

Prezado Ruy,

Fique a vontade!

Abraços,

Pr. Renato Vargens

Samuel Borges disse...

Amados em Cristo,

I - Sem eximir a responsabilidade dos humanos (fazem escolhas, tomam decisões e seguem suas verdades ou mentiras), olhando para a História, há uma nítida articulação de grandes proporções do arqui-inimigo, levando os seres criados por Deus, a se destruírem, por motivos bélicos, políticos e religiosos. Este é um olhar macro, o qual não podemos deixá-lo de tê-lo. As atrocidades, com tamanho grau de crueldade que se tem praticado, desde governos ditatoriais, no Romanismo (as Inquisições), fundamentalismo islâmico, entre os Hindus e outros, no volume das vidas eliminadas, NÃO CREIO QUE SEJA APENAS A MALDADE HUMANA.

II - Há um ditado que diz: ”O que os olhos não ver o coração não sente”. Daí o indiferentismo, principalmente dos cristãos ocidentais. O que falta-nos mesmo é a visão ampla de Reino de Deus, o que atribuo ao denominacionalismo exacerbado e excludente. E com isso a visão do todo está embasada. Quando se fala na Igreja perseguida, há até quem nos acuse de masoquismo, tamanha é a insensibilidade insana.

III - Cada contexto tem sua leitura, realidade e necessidades. Não podemos nos sentir, falar, comportar-se, projetar ações, planos como se tivesse debaixo do fogo serrado da perseguição, quando não estamos.(digo naqueles proporções) A questão é sentir-se Corpo de Cristo e atuar nessa perspectiva, articulando ações em prol de nossos irmãos sob perseguição, uma vez que estamos dentro de outra realidade que nos permite socorrê-los, orando, apoiando efetivamente, a exemplo da Missão Portas Abertas e outras entidades de cunho missionário além fronteiras. E nessa direção, cada cristão pode canalizar esforços e recursos (espirituais e materiais). Havendo lideranças com esta visão, muito mais faremos em prol daqueles que estão sendo mortos pela Causa Cristo.

IV- Questões como: trabalho escravo, tráfico de mulheres, drogas lícitas e ilícitas, intolerância religiosa, conflitos bélicos, prostituição, assistência a pessoas com necessidades especiais, liberdade sexual opcional, lideranças sem submissão a outra autoridade, tudo isso requer de nós discernimento para o entendimento das reais causas, focando o mundo espiritual, pois o que vemos e assistimos não é o nível nem padrão moral, social, emocional e espiritual, de Deus para com o homem.

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only