sexta-feira, outubro 23, 2009

Fui traída e agora?

Por Renato Vargens
De vez enquanto recebo emails de mulheres cristãs que compartilham a dor de terem sido traídas pelos seus maridos. Em longos e chorosos textos elas abrem o coração contando que a descoberta da traição é um dos piores sentimentos que uma pessoa pode ter. Na verdade nenhuma delas poderia imaginar que a pessoa escolhida para partilhar a vida, poderia um dia quebrar a aliança de amor, intimidade e fidelidade envolvendo-se em uma relação extraconjugal.

O choque da descoberta é implacável, até porque, a pessoa traída é incapaz de compreender o motivo que levou seu companheiro a envolver-se física, emocional e intimamente com outra pessoa. A impressão que se tem é que um caminhão passou por cima da vida destruindo sonhos, quimeras e esperanças, jogando no fundo do poço todas as lembranças de um tempo de alegria. Neste momento é comum sentir raiva e ódio do tempo gasto em galanteios, das palavras ditas, das juras de amor, dos sorrisos dados, das promessas apaixonadas.

A conseqüência direta disso é o surgimento do desejo da vingança. Neste instante a fúria cega a razão, impedindo a pessoa ofendida de pensar de forma clara e racional, sobre o grave problema vivido.

Diante disto o mais sábio não é criar retaliações, gerar ofensas ou prejudicar o parceiro, até porque, tomar atitudes baseadas nas emoções e na dor podem provavelmente levar a pessoa traída a fazer coisas sobre as quais mais tarde vai arrepender-se.

Isto posto afirmo que o melhor caminho em meio a dor e desilusão é buscar forças no Senhor, deixando com que sua graça opere em meio ao sofrimento. Somente após a ação do Espírito Santo, e de um momento de singela reflexão a pessoa ofendida, deverá decidir à luz das Sagradas Escrituras o melhor a ser feito. Vale a pena ressaltar que na multidão de conselheiros há sabedoria, e que homens e mulheres de Deus podem ajudar substancialmente no melhor caminho a ser traçado.

Pense nisso!

Renato Vargens
Alexandro disse...

A paz dor Senhor,

Gostaria de comentar sobre algo que profundamente atinge o meio cristão e que tem devastado lares.

Concordo com o texto o caminho é voltar-se para o Senhor.

Mas também é preciso confidenciarmos isso com alguém, pessoas confiáveis e dipostas a ouvir e sofrer com você.

O expurgo emocional é necessário para a cura , leitura de
bons livros e e essencialmente o perdão, para que haja reconciliação emocional.

Parabéns pelo seu blog. e pelo tema.
Alexandro

Wlademir disse...

Pr. Renato

Como sempre lucido, esclarecedor, abençoador. Seu texto suave auxiliará muitos que passam por essa experiência. Infelizmente na Igreja isso vem tornando-se comum.
Que o Senhor tenha misericórdia.
Parabéns, amado do Senhor

Wlademir

Claudete disse...

Paz do Senhor irmão, concordo perfeitamente com o irmão, pois passei por isso a 5 anos atrás e confesso que so Deus me deu forças
para perdoar e voltar a viver.
Amo a Jesus e estou muito feliz.
Abraços.
Clau

Anônimo disse...

atitudes devem ser tomadas.. e verificar se nao causamos essa traição.muitas vezes nao damos assistencia afetiva ou sexual ao parceiro e isso leva a traição.cristão ou nao.. tem que verificar os lados do casamento. pra nao fazer do parceiro vitima de tentações e isso por os dois a perder.

Joao disse...

Infelizmente, hoje tornamo-nos simplesmente frequentadores de igreja, por isso, o adultério tornou-se em algo normal. Uma coisa é certa, motivos para adulterar existem em qualquer lugar, mesmo se o(a) nosso(a) parceiro(a) cuidar-nos perfeitamente. O que faz um homem de Deus fugir da imoralidade é o seu caracter como homem de Deus, e nåo porque as tentaçoes deixam de existir quando há bons tratos em casa. Quem é de Deus por mais que tenha problemas em casa, nåo vende a sua alma ao Diabo adulterando, mas sim, antes prefere esperar e procurar resolver os seus problemas, para nåo perder a sua salvaçåo.
QUEM NAO TEM FIDELIDADE PARA CONSIGO MESMO, NUNCA SERA PARA COM OS OUTROS.
COSTUMO DIZER QUE O CRENTE QUE NAO SE ABSTEM AO SEXO ANTES DO CASAMENTO, NEM DEPOIS VAI SUPORTAR A AUSENCIA DO(A) ESPOSO(A).

Keile Eduardo disse...

Concordo com o João, tentação todos os casais enfrentam, por melhor que seja o casamento.
A unica coisas que pode nos impedir de cair e o temor ao Senhor, é querer agradar a Deus acima de tudo em minha vida.
E quando acontece a traição, é só o Senhor Jesus que pode ajudar a enfrentar toda a dor, desilusão e mágoa. Só a presença Senhor em nossa vida pode abrandar o nosso coração.

Danilo disse...

Renato, eu fui traido e queria saber se por acaso eu poderia me separar da minha mulher, afinal... eu perdi a confiança total dela !

Rubens disse...

Renato, glória a Deus por sua vida. Posso sentir compaixão em cada letra.
Que Deus te conserve assim. Batalhando pela verdade do Evangelho, mas nunca abandonando o fruto do Espírito, que alguns, caindo em um criticismo infrutífero, também esqueceram da purificação dos pecados, como diz lá em I Pe.
Você, porém, tem feito diferente.
Que Deus continue te abençoando.

gabriel cerqueira disse...

Se traiu, Pole fora, não é legal sofrer em noma da ''moral religiosa'' não adianta levar pra frente algo que já não é mais como antes e nem há confiança, liberte-se pule fora, não sofra em nome de vontades denominacionais, moralismos cegos. graça e paz

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only