segunda-feira, julho 13, 2009

Ô louco meu!

por Renato Vargens
É exatamente isso que os paulistas dizem ao serem surpreendidos por algum fato inusitado.

Pois é, confesso que tenho ficado perplexo com algumas das novas práticas evangélicas. Ultimamente tem sido comum encontrar em alguns dos nossos arraiais ênfases a um evangelho judaizante, isto porque, parte dos denominados discípulos de Cristo têm introduzido práticas vetero-testamentárias nos cultos e liturgias de nossas igrejas. Na verdade, tais pessoas têm declarado que tal método doutrinário é uma revelação de Deus a igreja contemporânea, cujo slogan é “Sair de Roma e voltar para Jerusalém”

Nesta perspectiva o toque do shofar tem sido inserido em nossos cultos, isto porque, segundo os adeptos do “berrante judaico”, o simples fato de tocá-lo atrai à igreja a presença de Deus. Para os judeus messiânicos o toque do Shofar, anuncia um tempo para arrependimento, do juízo de Deus e da volta de Cristo, além obviamente de proporcionar o despertar de um grande avivamento espiritual.

Caro leitor, como já afirmei inúmeras vezes não existem pressupostos bíblicos para que a igreja de Cristo, queira “recosturar” o véu do templo. Entretanto, alguns dos crentes atuais teimam em transformar em realidade aquilo que deveria ser uma simples sombra. Foi o Apostolo Paulo quem afirmou: "Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber ou por causa de dias de festa, ou de lua nova, ou de sábados. Estas são sombras das coisas futuras; a realidade, porém, encontra-se em Cristo", Colossences 2.16-17.

As leis cerimoniais judaicas, os ritos sacrificiais, as festas anuais, foram abolidas definitivamente por Cristo na cruz do calvário(o significado de cada uma delas se cumpriu em nosso Senhor). Por esse motivo, mesmo os judeus que se convertem hoje ao cristianismo estão dispensados das leis cerimoniais judaicas. É por esta razão que crentes em Jesus, não fazem sacrifícios de animais, não guardam o sábado, não celebram as festas judaicas, e nem tampouco fazem uso do shofar.

Nossa mensagem, vida e testemunho deve ser Cristo, o Evangelho pregado deve ser o evangelho de Cristo, nossa mensagem central deve ser para a gloria e o engrandecimento do nome de Cristo.

Pense nisso!

Renato Vargens

Anônimo disse...

é rapaz... estou vendo sua ignorância a respeito de que o sábado (7º dia da criação) nunca foi uma lei cerimonial instituída aos judeus. Ele foi instituído na criação, onde não existiam denominações, povos, etc. Gen. 1 e 2.
Nosso Deus deixou-nos um exemplo de que esse dia é separado dos outros (santo, no real sentido da palavra), e ainda mostra em apocalipse que seu povo remanescente guarda os mandamentos de Deus (e não alguns deles).
Definitivamente o sábado não foi abolido em canto nenhum, o próprio Jesus afirmou que veio para cumprir e não para abolir!
PESQUISE UM POUCO MAIS "PASTOR" ANTES DE CONDUZIR SUAS OVELHAS PARA A MENTIRA, OK?
Que Deus o ilumine.

Renato Vargens disse...

Prezado sr. anônimo sabatista,

Infelizmente o senhor não teve coragem de assinar o seu nome em seu post, o que demonstra sua insegurança em defender suas doutrinas distorcidas, judaizantes, heréticas.

assinando o meu nome,

Renato Vargens

augusto elias disse...

O texto do senhor me lembrou um assunto no café do Augusto que é realizado na minha casa,uma vez por semana,sem hora e dia pré fixado.A conversa foi a seguinte:Satanás,sujo,imitador e mentiroso,aplica nos espíritas a questão do sacrifício de animais.Deus,lá no antigo testamento e em sua infinita sabedoria mandava e explicava o motivo do tal sacrifício.Jesus veio com as boas novas para abolir isto e outars coisas,pois o rabudo veio imitando com as suas infinitas maldades.Nós da igreja Cristã da Aliança sabemos que o sábado é do Senhor Jesus.Agora,meu irmão ANÔNIMO,EXPLICA-ME,por exemplo,visto que o seu comentário tornou-se para mim algo dubitável,pois o que o senhor(a)??? escreveu sobre o que está na bíblia quando diz que Cristo veio para cumprir e não para abolir? Sabemos que Ele veio cumprir,como também sabemos que Ele veio para dar continuidade a algumas ordens que Deus ,lá no antigo testamento ,nos ensinou.Ele não aboliu nada?Foi isto que o senhor(a)??????? escreveu.Jesus não pregou boas novas?
QUE DEUS NOS GUARDE!!!

Luiz Carlos disse...

Infelismente os guardadores do sabado é que colocaram a mão na espada para sacrificar o Filho de Deus eles não vêem o Evabgelho Santo onde o Cristo de Deus afirma ser Ele o Senhor do Sabado! Porque eles quiseram lhe matar?
Marcos 2:23 a 28; Evangelho segundo João 5:18, se queres seguir na Benção da graça! Leia os evangelhos, caso não queira, continue a esperar o messias teu, porque o Meu e de muitos Ja veio e esta voltando em Glória... Paz ao seu coração e procure se converter se queres fazer parte da Igreja do Senhor Jesus.

setjave disse...

O toque do SHOFAR não é doutrina, nem mesmo ordenança ou mandamento, mas é um ato de adoração a DEUS e é figura de nós mesmos, crentes em JESUS, nós somos shofar nesta terra e quando oramos, louvamos e adoramos somos como trombetas de DEUS. É isso que representa o toque do shofar.
Agora me diga: É PECADO TOCAR SHOFAR EM NOSSAS IGREJAS E EM REUNIÕES CRISTÃS?? SE É PECADO FAVOR ME MOSTRAR O TEXTO BÍBLICO.

Renato Vargens disse...

pecado não é. Mas vamos combinar uma coisa? Onde no NT encontramos a orientação de que Deus somente se faz presente na adoração através do toque do shofar? Por que essa mania de querer "juidazar" o evangelho de Cristo?

abraços,

Renato Vargens

GILBERT RAPOSO disse...

Anonimo,
procure o SENHOR enquanto se pode achar, abandone a religiosidade, rituais, glorifique ao SENHOR todos os dias de sua vida, todos nós que estamos em Cristo, para Cristo e com Cristo, nos mostramos para todos que nos envolvem, tenho certeza que com JESUS vc deixará de se esconder assinando como " anonimo ".
Que DEUS te abençõe,
Gilbert Raposo, um aprendiz em Cristo Jesus.

Luiz Carlos disse...

A Música na Igreja de Jesus Cristo
Há muito tempo, aqueles que se aproximavam das reuniões da igreja ouviam música. Era a música de vozes que cantavam “salmos, hinos e cânticos espirituais” (Efésios 5:19 Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos e salmodiando ao Senhor no vosso coração...). Com essas vozes ali, subia ao céu uma música refinada demais para os ouvidos humanos ouvirem. Observamos que nesta menção não cita a instrumentalização na igreja. Nem banda, nem orquestra nem coral e etc e tal.
Acompanhando essas vozes, que prestavam um louvor audível a Deus (Hebreus 13:15), estava a música suave de seus corações. Esse era o acompanhamento musical. Harpas e trombetas eram igualmente desconhecidas nesses cultos sagrados (Colossenses 3:16).
O que dava vida aos cânticos que entoavam era o seu significado. Efésios 5:19 descreve esse ato como “falar entre vós”. Dessa forma, ensinavam e admoestavam uns aos outros. Cantar, falar, ensinar e admoestar era todas funções superiores à capacidade de instrumentos mecânicos. Era assim o culto evangélico no que diz respeito aos cânticos; a música na igreja era a música de vozes humanas e o acompanhamento eram corações comovidos e em adoração. Era uma música simples, mas espiritual quanto à natureza e sagrada quanto ao propósito. As artes dos homens não podem se comparar a essa música. Foi Cristo quem a escolheu, o Espírito Santo a ordenou e Deus a aceitou. O homem pode substituí-la, mas não pode sobrepujá-la. O mesmo se aplica à igreja de Cristo hoje, porque ela executa essa mesma música na adoração. Nesta questão e em todas as demais questões, é um prazer saber que…
A igreja de Cristo foi estabelecida há quase dois mil anos e ainda tem a mesma organização, as mesmas expressões de adoração e a mesma doutrina.
Diferentemente, as seitas adotaram um sistema que emudece os corações dos crentes e a instrumentalização mecânica toma corpo e a alma se afasta para dar lugar à heresia.

claudio pimenta disse...

Aqui no ceara dizemos arre-egua! pedao eu dizia quando era increu! quando me tornei crente dizia miseri-queima! agora que sou cristao-protestante! so a graxa!


www.exejegues.blogspot.com

setjave disse...

Caro Pastor Renato,

De onde o Sr. retirou essa afirmativa ?? Creio que, com o devido respeito a seus comentários (alguns muito salutares e prudentes por sinal), o Sr. coloca todo mundo no mesmo saco o que, pela própria bíblia, é um erro julgar tudo por jurisprudência e no atacado.

Há erros, distorções e farizeismos, até mesmo entre os cristãos tradicionais, e creio que o Sr. é ciente disso, podemos ver isso até mesmo nos cometários radicalíssimos sobre a música cristã tecidos aqui nesta página.

Jesus veio por meio de um povo, e esse povo foi separado por DEUS com a razão única de gerar o nosso Salvador (JESUS CRISTO).

Amar Israel (nação/povo/cultura) não é "judaizar" a Igreja, é sim, prestigiar e honrar aqueles que foram escolhidos por DEUS para trazer o messias, JESUS, para nos salvar (gentios e judeus em um só corpo).

Não podemos nos desprender de Israel, até porque o Apóstolo Paulo diz que devemos honrá-los com bens/orações já que por meio deles somos participantes do CORPO DE CRISTO e das Bençãos e Promessas de DEUS, além do que, o cristianismo, em tese, cresceu como uma seita judáica (Seita do Caminho).

É nítido em Atos dos Apóstolos que o Apóstolo Tiago e os irmãos judeus seguiam as recomendações de Moisés, enquanto Paulo tinha visão mais aberta e definida do "mistério de Cristo" registrado nos Capítulos 1 e 2 da Carta aos Efésios.

Desta forma identificamos duas vertentes do cristianismo primitivo: a judáica como forma de salvar o remanescente de Israel e oferecer nova oportunidade para o povo reconhecer o messias; e a gentílica onde o mistério de Cristo foi revelado a Paulo no caminho de Damasco, em virtude da morte de Estevão.

Mas sim.... o que tudo isso tem a ver com o Shofar ???? Bom... nada... mas no conjunto de acontecimentos a partir de 1948... muito...

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only