terça-feira, novembro 25, 2008

Quando a aliança conjugal é quebrada.

Renato Vargens

A Lei do Divórcio completará agora em dezembro 31 anos. Antes da aprovação da Lei n° 6.515, de 26 de dezembro de 1977, só havia o desquite, que permitia a separação voluntária do casal depois de dois anos de casamento. Atualmente, até os cartórios podem realizar a separação quando há consenso entre o casal, e o processo pode levar apenas 15 dias para ser dissolvida a união. A novidade veio com a Lei 11.441/07, sancionada pelo presidente Lula. A única exigência é que o casal tenha mais de um ano separado e não possua filhos menores ou deficientes.

Três décadas depois de aprovada pelo Congresso Nacional, a opinião da sociedade brasileira quanto à separação dos casais brasileiros mudou substancialmente. Uma pesquisa encomendada pelo Datafolha revelou que 71% dos brasileiros se dizem favoráveis à dissolução do casamento. Dentre os católicos, o índice sobre para 74%. Até mesmo os evangélicos formam maioria quanto à aprovação do divórcio: são 59% entre tradicionais e pentecostais.

Caro leitor, assusta-me o fato de que cristãos evangélicos estejam relativizando substancialmente as relações conjugais. Confesso que me preocupo com as estatísticas apresentadas na pesquisa, cujos números apontam para o fato de que boa parte dos nossos irmãos tem aceitado com naturalidade a separação conjugal, não diferenciando em quase nada ao restante da sociedade brasileira.

Diante disto, não tenho a menor dúvida de que precisamos urgentemente repensar nossos comportamentos, até porque, em hipótese alguma nos é possível tomarmos a forma deste mundo, comportando-nos como indivíduos promíscuos e libertinos, jogando na “lata do lixo” alianças e compromissos conjugais. Infelizmente sei de inúmeros casos de crentes e pastores que em nome de Deus já casaram e descasaram algumas vezes, demonstrando através de atitudes como estas que a sociedade brasileira experimenta uma séria e grave crise familiar.

Pois é "cara pálida", mais do que nunca a igreja evangélica brasileira precisa rever seus conceitos e valores, até porque, se continuarmos deste jeito com certeza a vaca irá para o brejo.

Que Deus tenha misericórdia desta nação!

Renato Vargens
Gilbert Raposo disse...

Temos nossas respostas no tesouro que o SENHOR nos deixou, as escrituras sagradas. o problema é que somos imediatistas e quando temos uma crise ou problema não suportamos com resiguinação e bom ânimo, pois se o amor não acaba e sim esfria é por que a relação foi mal trabalhada então precisamos aprender a lutar e alcançar vitórias para nossas famílias.
Leitura para reflexão: 1 Cor cap: 7
Graça e paz, Gilbert Raposo.

Anônimo disse...

Gostei muito
Um grande abraço
Asaph

Anônimo disse...

Só Jesus irmãos!!! tenho tres anos e meio de casada e eu e meu marido tomavamos conta de um ministerio de louvor com 50jovens e ele é um levita, pois bem... satanas entrou com toda furia e ele quer se separar de mim!!! estou morando em outro local e ele com a mae!! o pior é que a familia dele tomou as dores e exique que ele se separe de mim.... diz que ele pode sim se casar novamente e trata como isso fosse normal...o pior é que a mae é dirigente de circulo de oração!!! e ao inves de aconselhar o filho, coloca todos os dias na cabeça dele que o mesmo nao pode mais viver comigo!!! os cristaos tem que ter mais temor de Deus e ver que casamento é algo muito serio...vai alem do que nos achamos... é uma coisa sagrada para Deus e que muitos nao estao enxergando isso!!
pesso que todos orem por mim, pois sei que Deus nao é Deus de separaçao e que estou firme nos seus caminhos e orando para que chegue o dia de ir agradecer em pupito a restauração do meu casamento!! fiquem na PAZ!!!

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only