sexta-feira, abril 07, 2017

04 motivos porque eu decidi não "entrar na cabana"

Por Renato Vargens

 O livro " A Cabana" foi escrito pelo canadense William P. Young. 

O livro foi lançado em 2007 nos EUA, chegando no ano seguinte para os brasileiros, e desde então "encantou" uma multidão de evangélicos que se deixaram envolver com as bobagens retratadas pelo autor. 

Em virtude do "sucesso" de vendas, o livro ganhou a sua adaptação para o cinema estreando no Brasil no dia 06 de abril. 

Isto posto, de forma rápida e sucinta resolvi elencar quatro motivos porque preferi não "entrar na cabana":

1-  A Cabana relativiza as Escrituras trazendo ao leitor uma visão distorcida a respeito de Deus.

2- A Cabana ao tratar da Trindade o faz de forma banal, imprecisa e disforme, destoando de forma acintosa da revelação das Escrituras.

3-  A cabana traz uma visão depreciativa sobre o ensino bíblico da Trindade.  A Cabana se contrapõem  de forma clara as verdades reveladas pelas Escrituras quanto a pessoa de Deus e seus atributos.

4- A Cabana proclama ideias absurdas e equivocadas quanto a soteriologia, cristologia, harmatiologia,  incentivando àqueles que com ela se "relaciona" uma percepção absolutamente equivocada da revelada pelas Escrituras.

Pois bem, ao ler este texto, talvez alguém esteja dizendo: "Pastor, deixe de ser chato, tanto o livro como o filme não passam de uma obra de ficção, que mal tem isso? Ademais, dizem alguns: "Qual o problema de me divertir assistindo um filme que fala sobre Deus?"

A estes eu respondo:

Ora, em primeiro lugar,  bem sei que se trata de uma ficção, mas infelizmente não é dessa forma que as pessoas encaram e muito menos o autor do livro. Na verdade, os evangélicos brasileiros são rasos em sua teologia, tornando-se em virtude disso, fáceis de serem iludidos e enganados por doutrinas cuja aparência é bela, mas, que no fim, gera e produz morte. Em segundo lugar,  pergunto: Como considerar um livro/filme que destila veneno como um instrumento de diversão? Pode porventura um copo com veneno saciar a sede de alguém? Penso que não, não é mesmo?

Por esses e outros motivos eu prefiro não entrar na cabana.

Renato Vargens
rodrigo freitas disse...

Excelente pastor!

Milena Tavares disse...

Eu cheguei a ler esse livro, pastor. Ele passa uma visão equivocada, distorcida e bem "light" de Deus: justamente o que a maioria quer. Encarei-o como ficção, não alterou em nada a minha convicção, mas tenho consciência de que a leitura tem efeito danoso na vida de quem não tem o embasamento bíblico correto alicerçado.

Jefferson Nogueira disse...

A paz de Jesus. Irmãos, João 4 e João 21, revelam exemplos de que o nosso Deus é pessoal e se preocupa com o sofrimento emocional do Homem também.
Eu vivi uma experiência parecida com a do filme e chego a uma conclusão: o Deus de toda Graça, quer também, curar nossa alma. Quantos de nós não estava despedaçado quando Cristo nos encontrou? Apesar de ficção, é clara a ação de Deus pra cuidar de seu servo. Vi tantos traços da Graça nesse filme: convite, a revelação de Deus, o ensinar de Deus, a alegria de Deus, o perdão de Deus, a empatia de Deus...
Não gosto de encaixotar Deus ao ponto de limitar o que Ele pode fazer na vida do seu eleito, sabe?! Enfim, essas foram minhas conclusões. Abraço carinhoso. Deus lhes abençoe abundantemente. Jefferson/RJ

Campos disse...

Eu li,extrai o que foi bom ,o surreal realmente influência, acredito que a intenção do autor tenha sido passar a mensagem do arrependimento da nossa ignorância bíblica. Para quem não lê a bíblia nossa!Há um universo de informações que envolve a psique de quem assite.O filme retrata nada mais nada menos que ignorância de uma sociedade que não conhece seu Deus. O FILME é cofificado ,e para os que entendem é a resposta de Deus pra que você, homens doutrinários façam a integração da verdade aonde ela está morta.
Tantas coisas do Reino para nos preocupar,vidas para restaurar e nos preocupamos com coisas supérfluas.Ainda prefiro ver pessoas assistirem o filme do que assitir a Globo,o BBB.

Unknown disse...

O pastor está bom informado sobre o livro o filme.
Não li o livre mas tenho planos de ver o filme.
Alguns evangélicos fazendo propaganda do filme.
Vou assistir e tirar minha conclusões.

TIAGO OLIVEIRA disse...

Tive uma esperencia e pela graça de Cristo Jesus cheguei a uma cura interior através dessa ferramenta o " livro A cabana" e o filme foi impactante lindo...
Eu entraria sim na cabana .

Rafael Brandão disse...

O evangelho é simples mas infelizmente a religiosidade quer torna-lo difícil e penoso.

Eva Moreno disse...

Li diversos comentários abordando o assunto, gostei da forma direto a qual está dando esse contexto que trás entendimento daquilo que deturpa quem é Deus e seus desígnios. Infelizmente não é um livro que aborda sobre Deus de uma forma correta, bem sabemos que existem outras denominações que abordam Deus da forma que eles acham correta. Mas a única correta forma de conhecermos Deus é a Bíblia, não há outra maneira. Graça e paz Pastor. Edificante!

Peregrinando Eu Vou disse...

Paz!

Reconheço sua sensatez e seu zelo pelas escrituras. Acredito que suas críticas são pautadas na leitura do livro e em ter visto o filme. Infelizmente, não consigo ter a mesma visão que o sr tem.
Diante disso, você poderia me esclarecer, tendo em vista que é uma obra ficcional, quais são seus erros?

1) Deus é entendido de forma distorcida , mas aonde especificamente?

2) Qual seria a melhor forma de retratar a trindade?

3) Em qual parte a trindade é depreciada? Quais atributos Divinos são negados?

4) Quais são esses absurdos teológicos?

Eu entendo que é uma ficção, e que podemos tirar bons proveitos dela, vejo erros, mas para mim não me abalam em nada, e não consigo ver algo de tão nocivo. Mas como acredito na sinceridade de sua devoção, sei que o sr deve ter bons motivos.

Edson Portil disse...

Analogamente,a Cabana figura a tentativa dos amigos de Jó em tentar consolá-lo ou justifica-lo de seu sofrimento.

Carla Thomazi disse...

Pastor, com todo o respeito, concordo que voce foi "chato" mesmo em sua critica.....30 anos de vida crista e liderança na obra me permitem dizer que esta historia ficticia pode trazer muito mais bençaos sobre a vida das pessoas que distorçoes, e que podemos receber estas pessoas despertadas atraves desta historia em nossas congregaçoes e ajuda-las a entender o amor de Deus por elas e a verdade do Evangelho. De qualquer forma, respeito sua opiniao e oro por voce, sua familia e sua obra!

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only