sexta-feira, julho 29, 2016

Mulheres: Deus as chamou a feminilidade e não ao feminismo


O feminismo, bem como a sua ênfase no empoderamento da mulher, tem tido um papel preponderante no fato das mulheres estarem perdendo a capacidade de exercerem em seus relacionamentos interpessoais, doçura, ternura maternal como também meiguice e beleza interna.  

No intuito de conquistar espaço no mercado de trabalho, ou até mesmo competir com os homens, não são poucas as mulheres que "machificaram" a vida tornam-se por conseguinte pessoas, amargas e de difícil relacionamento. 

Ora, antes de qualquer coisa, vale a pena ressaltar que não sou contra a mulher estudar ou mesmo trabalhar fora, mesmo porque, acredito que homens e mulheres se complementam, contribuindo assim para a construção de uma sociedade mais equilibrada. Todavia, confesso que me preocupa o fato de que muitas mulheres cristãs em nome
 da igualdade, tem jogado na lata do lixo, qualidades e virtudes relacionadas a feminilidade. 

Ora, a feminilidade é um comportamento projetado e criado por Deus o qual é um presente dado pelo Senhor a humanidade.  Uma  mulher feminina não se resume apenas em sem cuidar, vestir ou pintar-se como uma mulher.  Feminilidade é bem mais que isso. Na verdade, feminilidade é um conjunto de atitudes e comportamentos, é  um estilo de vida pelo qual a família e a sociedade experimenta doçura, amabilidade, afetividade e outros atributos mais. 

Lamentavelmente, em nossos dias as mulheres não tem se  preocupado em serem femininas, e sim feministas. Nessa perspectiva se uma mulher tem pensamentos e comportamentos diferentes dos defendidos pelo feminismo, desejando assim, obedecer os ensinamentos bíblicos,  são execradas e rotuladas como ultrapassadas, subservientes e outros adjetivos mais. Se não bastasse isso, a sociedade como um todo, tem  incentivado a mulher a competir com o homem levando-a assim a abandonar toda e qualquer possibilidade de constituir família e criar filhos. Para piorar a situação, o feminismo, influenciado pelo marxismo cultural tem desconstruído conceitos, princípios, bem como valores cristãos numa mulher como decência, pudor, doçura e submissão. 

Isto posto, concluo este texto, conclamando as mulheres que amam a Deus e sua Palavra a se contraporem aos conceitos deste mundo que de todo jeito tem tentado desconstruir os ensinamentos bíblicos quanto a importância e valor da mulher na família e sociedade, até porque, mulheres foram chamadas por Deus a uma vida cheia de beleza, graça e  feminilidade.

Pense nisso!

Renato Vargens



Lindalva Cordeiro disse...

Ser feminina é ser segura de sua condição humana, Deus não faz acepção entre homens e mulheres. E não temos que ser subs, já que somos seres humanos e temos, como condição de sermos imagem e semelhança de Deus, como qualquer ser do sexo masculino, de sermos autônomas, de não vivermos subjugadas por ninguém. Ser feminina não é ser tapada, engolir sapos, violência, arrogância de homem. Ser feminina é ter consciência de seu valor igual a qualquer homem e jamais deixar que qualquer pessoa te mantenha subjugada, em segundo plano, temos o direito, sim, de dar a última palavra, dirigir em condições de igualdade a sociedade, a Igreja e nossa casa.

Lindalva Cordeiro disse...

Muitos confundem feminilidade com subserviência, passividade, não ter opinião. Ser feminina é ter consciência, que como qualquer pessoa do sexo masculino, somos imagem e semelhança de Deus, por isso temos autonomia, não temos que viver na condição de sub, de subserviência, subdesenvolvimento. Temos, sim, direito de dirigir em conjunto com os homens, a sociedade, a Igreja e o lar. Autonomia e feminilidade precisam andar juntas, chega de "engolir sapos", arrogância, prepotência masculina em nome de uma "condição feminina" que não condiz com o que Deus escolheu para nós, como SERES HUMANOS que somos.

Unknown disse...

Muito bom o texto! O problema, hoje em dia, é que as pessoas querem que o feminismo seja bom, sendo que não é. As mulheres pensam "mas o feminismo é igualdade", só que não buscam saber as origens, os propósitos... Querem que o movimento seja aquilo que elas pensam que é. Podemos ser contra a violência contra a mulher e etc, e não necessariamente ser feministas. Cristianismo é igualdade, e não feminismo. Jesus é suficiente, sem mais. Parabéns pelo blog!

Luis Carlos Silva de Souza & Viviane B. Correa de souza disse...

Cristianismo não condiz com machismo e muito menos com feminismo. Ser feminista não parece ser a busca pela igualdade entre homens e mulheres em seus direitos, pois só se falam sobre direitos, esquecendo dos deveres à eles atrelados. Ser feminista parece ser a busca cega em se sobrepor ao machismo, tomar o seu lugar, assumir esse papel tão repugnante e dito combatido.Ser feminista está na verdade tomando forma de nazismo e inquisição, onde qualquer pensamento contrário é motivo de massacre público insentivados por quem tem a mídia a seu favor.

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only