quinta-feira, novembro 19, 2015

Um debate sobre o movimento judaizante brasileiro à luz do livro de Gálatas

Por Renato Vargens

O vídeo abaixo é um debate que participei em Rio Branco, Acre. O vídeo trata sobre o movimento judaizante, a carta de Gálatas e a sua relevância para a igreja de hoje.

Renato Vargens


João Emiliano Martins Neto disse...

Nós cristãos, caros irmãos, não precisamos nos judaizar, não precisamos ser à imagem e semelhança de uma gente como esses tais judeus, os pérfidos judeus de todos os tempos, como ensina a Igreja Católica, que sempre foram homicidas contra os seus profetas e se mataram e odeiam a Cristo até hoje é porque o ministério profético de Cristo na pessoa de nós cristãos não passou e jamais passará como passaram o dos profetas hebreus passados.

Judeu tem uma doença moral, por isso são homicidas e até hoje não se tornaram cristãos. Simplesmente, então, deixemos eles pra lá e vivamos a liberdade dos filhos de Deus, por graça mediante a fé em Cristo não por obras, não pelo chicote de legalismos como fazem os escravos, para que ninguém se glorie.

João Emiliano Martins Neto disse...

Sem a graça divina, isto é, sem o único e privilegiado acesso ao Céu, mediante a fé em Cristo Jesus, porque o débito humano para com seu Criador é infinito, é na lata de lixo da História o lugar dos judeus como de qualquer outro povo, indivíduo, cultura ou época orgulhosos de suas realizações próprias e judeus são muito orgulhosos como sempre.

Carlos Roberto da Silva disse...

Cristianismo preconceituoso e arrogante.

João Emiliano Martins Neto disse...

Preconceituoso e arrogante é o homem achar que pode erigir uma torre de Babel com seus legalismos e costumes para chegar ao inatingível céu sem a graça, sem a fé em Cristo que nos justifica, que eleva imediatamente o homem a seu Deus, por graça e por fé, sem a necessidade das obras de quaisquer legalismos orgulhosos.

João Emiliano Martins Neto disse...

É claro que a Bíblia, a Sagrada Tradição e as definições dogmáticas do Magistério católico que inclusive condenaram os protestantes, na defesa desses da fé sozinha para a salvação, ensinam a necessidade de boas obras, de um certo apego ao cumprimento dos nomoi, a lei para usar o termo grego para lei, mas a defesa unilateral do legalismo como fazem os pagãos e os pérfidos judeus aí não dá. Como diz o Catecismo da Igreja Católica o primeiro passo foi de Deus para a nossa salvação, a centralidade da graça é total para um cristão. São, portanto, doentes ativistas toda essa raça de pagãos e judeus que pensam o contrário.

YANIV YSRAEL disse...

Todos os que escreveram a Biblia eram Judeus, não eram Cristãos.

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only