domingo, junho 08, 2014

O que penso da lei da palmada

Por Renato Vargens

Depois de quatro anos de muita discussão, o Senado aprovou a Lei da Palmada, que recebeu o nome de Lei Menino Bernardo. O projeto proíbe os castigos físicos para crianças e adolescentes como também coíbe a disciplina dos pais a seus filhos. 

Caro leitor, na minha opinião o governo brasileiro está agindo de modo totalitário intromentendo-se na vida privada, desconstruindo a família  e desautorizando pais e mães na educação de seus filhos.  Ora, vamos combinar uma coisa? Esse não é o papel do Estado, antes pelo contrário, o Estado deveria cuidar da educação, da saúde, da segurança e da corrupção que em nosso país é edêmica e não invadir um espaço restrito a pais e mães. Ah! mas, talvez você esteja dizendo consigo mesmo: E os que espancam, violentam e matam os seus filhos? Para estes eu respondo dizendo: basta aplicar o código penal e os rigores da lei.

Veja bem, arrancar sangue de uma criança, esbofeteá-la, violentá-la ou deixá-la marcada com hematomas pelas agressões,  é um  erro inquestionável. Todavia, punir os pais e chamá-los de criminosos por educarem os filhos com palmadas, é arbitrário. Sem sombra de dúvidas a lei tem o direito de criar meios para proteger, assegurar, punir; mas, intervir na criação dos filhos dos outros, isso não. 
As Escrituras ensinam categoricamente que o que retém a vara aborrece a seu filho, mas o que o ama, cedo, o disciplina” (Provérbios 13:24), também diz  que “a vara e a disciplina dão sabedoria, e que a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe”. Alem disso, nos oirenta dizendo que filhos corrigidos trazem “descanso” e “delícias” à alma dos seus pais ( Provérbios 29.17).  
Prezado amigo, em minha casa, tanto eu como minha esposa usamos das orientações bíblicas disciplinando os nossos filhos, dando-lhes muitas vezes palmadas o que contribuiu para que eles entendesssem a importância de limites tornando-se homens justos, retos e de caráter. 
Termino este pequeno texto citando o filósofo Luis Filipe Pondé que disse: "O Estado quer destruir a relação moral familiar, impondo uma relação jurídica. Isso é fascismo!" 
Pense nisso!
Renato Vargens

Rafael disse...

A situação está ficando cada vez mais difícil. A história se repete. Na Alemanha nazista, os filhos denunciavam os pais ao governo, como foram orientados a fazer desde pequenos, nas escolas. No Brasil, o que está acontecendo não está sendo diferente, já existem casos de filhos denunciando seus próprios pais quando na tentativa de discipliná-los. Hoje denunciam porque os pais tentam discipliná-los, amanhã os denunciarão por serem cristãos ou por divergências políticas do partido no poder. Se chegamos a uma situação como a atual é porque nós, cidadão brasileiros, permitimos, inconsciente ou conscientemente. Infelizmente, pecamos por omissão. Se não temos coragem de denunciar heresias em nossos próprios templos quanto mais na sociedade.

Segue um vídeo de palestra esclarecedora do Padre Paulo Ricardo, na tentativa de elucidar o porque da sociedade estar nessa situação. Muito bom, recomendo a quem tiver tempo e interesse.
https://padrepauloricardo.org/aulas/o-fascismo-e-marxismo-cultural#nota-rodape-2

Ricardo disse...

►Querem usar o Antigo Testamento (velha aliança) para justificar agressão física em crianças?

Então hão de concordar que:

*Assim como Davi, Salomão, Jacó… os homens de hoje em dia podem ter várias mulheres. 1Timóteo 3:2,12
*É olho por olho, dente por dente… toma aqui, leva lá! Mateus 5:38-42
*O sacrificio de animais pelo seu pecado é necessário. Hebreus 10:9-18
*Circuncidem o seu pênis, e não o seu coração. Romanos 2:28-29
*Odeie o seu inimigo. Mateus 5:43-45

Portanto não façam mal uso da Palavra de Deus para justificar a sua falta de paciência (amor), e sabedoria para com uma criança.

Mateus disse...

Ricardo, infelizmente terei que discordar do que disse.
Em primeiro lugar o modo que você tratou o velho testamento é um pouco equivocada. O seu texto aparenta anular completamente todo o escrito do antigo, quando é sabido que muita coisa ainda é aproveitada. Um exemplo claro disse é a menção de textos da lei, feita por Paulo em suas cartas.
A segunda discordância é quanto a sua interpretação do texto feito pelo Rev. Renato Vargens. Ele deixa bem clara a diferença entra o ensino com a palmada e a agressão física. A palmada é usada pelo ensino com o amor (tal qual diz o texto bíblico, que Deus repreende a quem ama), enquanto a agressão física é exatamente o inverso, ou seja, é um modo de descontar a raiva momentânea na criança por meio abuso de força.

Não me tenha por soberbo, minha discordância é feita com amor, crendo que possa haver aqui um crescimento com o que expus.
Fique com Deus

Cheskys disse...

A lei fala em AGRESSÃO FÍSICA e não em PALMADA, quem criou este estereótipo de palmada foram os opositores da lei, esta lei, assim como a lei MARIA DA PENHA serve para acelerar o processo para que não aja absurdos contra crianças,minha esposa trabalha em posto de saúde quando falou para um pai que o filho não poderia chupar bala naquele dia por um motivo qualquer que eu não sei, quando o pai vira para a criança, que deveria ter por volta de 7 anos e diz:
-Você ouviu, não? se chupar bala hoje te dou um tiro no pé!!
É para acabar com este tipo de violência que serve esta lei, não só violência física, mas também com torturas psicológicas.
Não é uma questão de NÃO dar uma palmada ou de não corrigir a criança e sim COMO faze-lo!!!

FLAVIA VITÓRIA disse...

A apresentadora de programa "infantil" deu até telefone pra que se façam denuncias sigilosas. Filhos estarão denunciando pais. Sou contra qualquer tipo de violência contra criança, mas corrigir as vezes é necessário. Acho que a população está adormecida, ainda não acordou ou se despertou para o que o governo está querendo fazer com a família brasileira. Querem enfiar ensinamentos demoníacos as crianças, e seus país não poderão corrigir, ou disciplinar. Que Deus tenha misericórdia dessa nova geração que está surgindo.

Filipe Santos disse...

Cheskys, Graça e Paz.

Creio que a Lei não fala em palmada, realmente.
Mas proíbe castigos físicos que provoquem dor. Isso é muito amplo.
Não acho que a melhor forma de tratar o problema da agressão infantil seja esse.
Campanhas educativas são uma saída melhor para casos leves. Para os graves já existe lei. Além disso, se os pais acham que devem dar uma palmada para educar seus filhos, não vou julgá-los. Uma lei que regulamente as relações familiares é realmente algo muito complicado.

Que Deus nos abençoe!

IHC disse...

Pois continuarei dando palmadas nos meus filhos para corrigir se preciso for. Se brincar darei uma palmada até em quem inventou essa lei....rsrs

Cheskys disse...

Filipe, Paz

Mas é isso que eu disse, uma palmada para educar não está na lei, não é a dor física que preocupa e sim agressões, dezenas de crianças são levadas a hospitais e postos de saúde vitima de agressão dos pais e familiares e nada é feito, Conversei com um delegado de polícia e ele estava me explicando algumas coisas a respeito desta lei, o que ela faz, nenhum delegado de polícia em sã consciência abriria um processo contra um pai que deu uma palmada em um filho para educar, mas um que deixou vários hematomas e lacerações tem que ser investigado.
A lei MARIA DA PENHA foi criada porque apesar de existir uma lei que proíbe agressões físicas em qualquer pessoa, era necessário que se desse velocidade a certos processos para que o agressor não ficasse impune, assim como esta lei foi criada para que se agilize o processo investigativo para se coibir agressões físicas as crianças.

Athos Oliveira Carvalho disse...

Ricardo, antes de falar uma coisa dessa, estude mais um pouco. Já que vc não deve aplicar nada do antigo testamento na sua vida, leia Hebreus 12. 4-13 e veja o que o novo testamento fala sobre o assunto.

Thiago Zambelli disse...

Irmão, concordo contigo, porém com uma única exceção. Prefiro ser literal e usar a "vara" ao invés da mão (palmada). Quando eu levantar a mão para meu filho, minha expectativa é que ele espere por carinho.

Que nós continuemos a proclamar toda o Reino de Deus, com centralidade no Rei. Ainda há muitos de nossa família celestial que não foram orientados a disciplinar debaixo das orientações de Deus.

Thiago Zambelli disse...

Querido irmão, concordo contigo, tendo, no entanto, uma única exceção. Os textos bíblicos que claramente nos ensinam sobre disciplina física refere-se a um instrumento: a vara. Por essa razão eu descordo da palmada, ou seja, o uso das mãos como primeira solução. Quando eu levantar minha mão para meu filho, minha expectativa é que ele sempre aguarde por carinho.

Continuemos a proclamar todas as virtudes do Reino de Deus, focados no Rei, pois há muitos irmãos e irmãs que ainda não foram orientados ou têm negligenciado o procedimento que Deus chama de sabedoria.

Filipe Santos disse...

Então, se for para dar agilidade contra processos de agressão, concordo. Mas não é essa a intenção da lei: é coibir tudo, inclusive as palmadas educativas, pelo que percebo do texto. O que o delegado disse é bom senso, por quem deve aplicar a lei.
Contemos então com esse bom senso, e com a proteção de Deus.

Filipe Santos disse...

Então, se for para dar agilidade contra processos de agressão, concordo. Mas não é essa a intenção da lei: é coibir tudo, inclusive as palmadas educativas, pelo que percebo do texto. O que o delegado disse é bom senso, por quem deve aplicar a lei.
Contemos então com esse bom senso, e com a proteção de Deus.

Emanuel Lins disse...

Gostei da matéria.

https://www.youtube.com/watch?v=slJvJf4EXpc

Gilmar Batista disse...

Palmada na Lei e não Lei da palmada! Cada dia que passa a nossa geração estará descendo ao mais profundo abismo, com essas Leis que estão contribuindo para que os princípios bíblicos sejam esquecidos. Lamentável!!! Ora vem Senhor Jesus....

favourite category

...
test section describtion

Whatsapp Button works on Mobile Device only