quinta-feira, outubro 13, 2011

A polêmica afirmação de Mark Driscoll de que Deus odeia alguns.


Por Renato Vargens
O Portal Gospel Prime publicou  que o pastor norme americano Mark Driscoll ao dar continiuidade a série de mensagens no Livro de Lucas iniciada no início do ano, comentou sobre  a passagem de Lucas 22:42 quando, parecendo ecoar a célebre frase da Igreja Batista de Westboro, disse “God hates you” (Deus odeia você).  Ele se referia em especial aqueles que dizem não precisar da justiça de Jesus na cruz por serem “pessoas boas”. (Vale a pena ressaltar  que este sermão de Driscoll  (09.10.2011), que tem o título “Jesus Sweats Blood”, teve uma parte publicado no YouTube, com o título “Apart from Jesus, Ghandi is in Hell”,  mas que tem sido propagado sob o título “God Hates You”.)

Driscoll em seu vídeo afirma: “Você sabia que a Bíblia fala mais da ira de Deus que do amor? No Antigo e no Novo Testamento são 20 palavras diferentes, que aparecem mais de 600 vezes. Deus é amor, mas Deus não é O amor. Deus não é só amor… Ele é amor, e também é justiça… Meu trabalho é dizer-lhes a verdade. O trabalho de vocês é fazer uma escolha… Alguns de vocês… Deus os odeia. Alguns de vocês saibam que Deus está farto de vocês. Deus está frustrado com vocês. Deus está cansado de vocês. Deus já sofreu o suficiente por vocês. Ele não acha que está bom assim. Ele não acha que é engraçado. Ele não acha que sua desculpa é “boa o suficiente”.

Ele não se importa se você se comparar a alguém pior, Ele os odeia também. Deus odeia, agora, alguns de vocês, pessoalmente, odeia de maneira objetiva. Ele está cansado disso… A Bíblia não diz que Deus odeia apenas o pecado, ele odeia os pecadores. O pecado não é uma coisa pequena, um erro… Todos nós somos pecadores, logo somos todos objetos da ira de Deus” 

Caro leitor, bastou essas afirmações de Driscoll ganharem o mundo que rapidamente centenas de críticas surgiram na internet e trechos do sermão foram reproduzidos por blogs cristãos americanos como Beliefnet e American Jesus. 

Pois é,  por acaso você  já reparou  que existem milhares de pessoas entre os evangélicos que não entendem a ira de Deus? Já percebeu que o evangelho bonachão e universalista de alguns enfatiza invariavemente o amor de Deus,  esquecendo aquilo que as Escrituras falam sobre a ira do Senhor?

Prezado amigo, Deus trata o pecado com seriedade, o problema é que em mundo relativizado como o nosso, onde a filosofia do "politicamente correto" prevalece  sobre a verdade, falar sobre a ira de Deus é um grande absurdo. 

Ora, bem sei que os liberais vão considerar um ultraje a afirmação do pastor da Mars Hill Church, todavia, o que Driscoll afirma é mais profunda verdade! Deus odeia o pecado! Deus odeia o pecador que deliberadamente peca contra Ele. 

O problema de alguns em discordarem disso se deve ao fato da idéia de que Deus é tão amoroso que ele não julgará os homens pelos seus delitos e pecados, todavia, as Escrituras estão repletas (liberais odeiam as Escrituras)  de textos e mensagens que anunciam um Deus Justo e que tem compromisso com a verdade e com a justiça. 

Pense nisso!

Renato Vargens

Sandro Santos disse...

A gritaria e histeria quanto ao comentário bíblico e firme de Driscoll demonstra que a Verdade dói nos ouvidos dos ouvintes do Evangelho dos dias de hoje!

Deus tenha misericórdia da igreja contemporânea e sua fuga da autoridade das Escrituras...

Parabéns, mais uma vez, pela coragem de Driscoll em afirmar o que o Evangelho diz!

Ezequiel Gomes disse...

Esse tema é muito interessante de fato, e compreendê-lo é obra não somente de uma forma de pensar sadiamente sobre a Palavra, mas obra do Espírito Santo.

No contexto do pecado e de tudo que ele representa conta a vida e contra Deus é compreensível que a Palavra reflita a ira santa de Deus contra o pecado!

Não há nada de erado com isso, muito pelo contrário, isso é parte da verdade (João 17:17)

Mas quando a Bíblia diz sobre amor de Deus, ela o faz através de uma distinção radical e impressionante: Deus não apenas "ama" Deus é amor!!! (1 João 4:8,16)

Assim é que só podemos entender a ira de Deus sobre a dimensão de sua identidade como "amor" e sua santidade que grita contra as mazelas do pecado e dos pecadores que se identificam com ele de forma a não serem distinguidos um do outro!

Mas temos que ter cuidado em aplicar isso, pois todos são pecadores (1 João 1:8,10) e se pregarmos que Deus odeia os pecadores por seus pecados, deveremos pregar que Deus odeia a todos os seres humanos e ponto final!!!

Deus os abençoe em sua compreensão e prática da Palavra de Deus!!!

Walter e Évelyn disse...

Certamente a Ira de Deus é a resposta de um Deus Santo contra o pecado, e conforme Salmo 5:5, é a resposta contra os que praticam iniquidades. Deus não jogará no inferno o Adultério, mas os Adulteros, não jogará a bebida, mas os bêbados, não punirá o homossexualismos, mas os homossexuais e perversos. DEUS ODEIA PECADORES SIM.

Está é a forma correta de Deus amor seu povo, punindo e odiando os pecadores, pois com Ele não pode Habitar a Maldade (Salmo 5:4).

Pq Deus haveria de deixar um perverso sem punição em detrimento de um cristão que todos os dias de sua vida viveu para Deus. DEUS SERIA TÃO INJUSTO DE USAR DOIS PESOS PARA DUAS MEDIDAS?

A Ira dele contra os pecadores é resposta exata contra o pecado, e ao mesmo tempo a mais expressão de amor já existente. Se não aceitarmos isso, estaremos permitindo dizer que Jesus morreu em vão, pois Ele mesmo suportou a Grande Ira de Deus contra todos nós, pagou o pecado de nós todos e de uma vez por todas nos Fez Justiça de Deus, conforme Isaias 52 e Romanos 3.

A ira de Deus é manifestação do seu grande Amor. Incoerete não? NÃO. Nossa mente tende a ser racional, e não espiritual. Simples assim...

@walterkano
Soli Deo Glória

Música, Ciência e Teologia disse...

Ezequiel, e qual é o problema em se afirmar que Deus odeia todos os seres humanos?

Os que não são odiador por Deus não o são por causa da obra de Jesus Cristo. É em Cristo que Deus me ama. É em Cristo que Deus me salvou. É por Cristo que Ele vai preservar a minha salvação e preservar a mim mesmo.

Deus não precisa, além de mim mesmo, de nada para me odiar. Mas para me amar Ele precisa dEle mesmo, na pessoa de Seu Filho Jesus Cristo.

Até mais, Marcos.

hugo andre disse...

MUITO FELIZ FIQUEI QUANDO VI SUA OPINIAO SOBRE O VIDEO, EU JÁ HAVIA VISTO, E SABER QUE GRANDES HOMENS DE DEUS PENSAM EM CONFORMIDADE.
TOMARÁ QUE O CRISTIANISMO NO MUNDO ACORDE PARA AS VERDADES BIBLICAS.
PAZ

Música, Ciência e Teologia disse...

Walter, sua afirmação "Pq Deus haveria de deixar um perverso sem punição em detrimento de um cristão que todos os dias de sua vida viveu para Deus.", tem um pequeno problema.

Não é porque passo todos os dias de minha vida vivendo para Deus que serei poupado da punição eterna. É por causa de Jesus, Seu sacrifício e mediação, que serei salvo da minha justa punição.

Repito, é por causa do que Jesus fez que "somos aceitos no Amado".

Até mais, Marcos.

Joao Florentino DaSilva disse...

Renato, fico feliz pelo seu posicionamento aqui em conformidade com uma verdade dura, mas, ao mesmo tempo cristalina.
Glorias a Deus por isso! Creio em um Deus maior do que tudo o que esta escrito e infinitamente maior do que tudo o que possamos pensar sobre ELE. A Ele glorias para sempre!

Claudio disse...

Está aí uma grande heresia!

Se Deus odeia o pecador qual a finalidade da obra da CRUZ?
Filhos, a Bíblia diz que Deus amou o mundo (as pessoas - os pecadores) de tal maneira que deu o seu FILHO unigênito para que todo que NELE crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
Diz, ainda, que Deus nos amou primeiro, sendo nós, ainda pecadores.
Creio, piamente, que Deus é irado! Porém, Cristo aplacou a ira de Deus! Claro que na vida daqueles que aceitou.
Achei o discurso raso: Quala definição de pecado? Pecado é errar o alvo. O alvo é Cristo!
Gente, sejamos bereianos, não pense que a heresia virá pelas pessoas que desacreditamos, e sim, daquelas em que creditamos alguma coisa.
Meu irmão, se Deus odeia o pecador não me resta esperança pois sou o maior dos pecadores! E tem erros que cometo em minha vida deliberadamente e nem assim ouvir ou sentir que Deus deixou de me amar, pelo contrário, ELE sempre me mandou levantar e tentar outra vez. O problema de levar uma vida em pecado não está na ausência de perdão por parte do PAI, e sim, em nós mesmos... Sendo assim, pecar é perigoso, pois, endurece o nosso coração e ficamos próximos da apostasia.
Graça e paz!!!

Juan de Paula disse...

Quem não concorda com o fato de que Deus odeia pecadores não entendeu de fato o que é o Evangelho e o que significou a ira de Deus derramada no Filho inocente, Jesus, na cruz do Calvário. Não entendeu a imputação da justiça de Cristo, sem pecado, obediente total a lei moral e a morte de cruz.

Não entendeu os atributos perfeitos de Deus como sua santidade, justiça, retidão e pureza - por isso que odeia o pecado e o pecador mas que também há is atributos do amor, graça, compaixão e misericórdia onde toda a ira é derramada em Jesus na cruz por aqueles que são objetos do amor de Deus em reunir um povo para adora-lo e glorifica-lo.

O problema é que alguns não conseguem entender quem é Deus a luz da sua própria revelação (Bíblia) e quem é o homem pós-queda a luz da revelação e acreditam no mito da bondade humana. Por entenderem que o homem é bom, entendem que Deus é devedor do homem quando este age com bondade. Falácia.

Para complementar o vídeo de Driscoll indico alguns textos:

1 - O do irmão Solano Portela em seu blog: http://tempora-mores.blogspot.com/2009/10/deus-odeia-o-pecado-mas-ama-o-pecador-e.html

2 - O artigo do pastor Filipe Niel na Revista Ipródigo: Seria Deus bipolar? http://iprodigo.com/noticias/conheca-a-revista-iprodigo.html

3 - Um texto em PDF de John Piper, aproveitando ainda sua recém estada no Brasil: http://www.monergismo.com/textos/expiacao/defendendo_ira_piper.pdf

4 - Talvez o mais importante e clássico aqui, Jonathan Edwards em seu sermão "Pecadores nas mãos de um Deus irado".

Com isso, vamos ser chamados de fundamentalistas, ultrapassados, obscuros e outros. Chegamos em um tempo que falar do Evangelho para "evangélicos" virou escândalo.

Que Deus nos dê graça e firmeza na verdade e não nos entregue aos nossos próprios corações.

Renato Vargens disse...

Juan,

Acho que vc sintetizou tudo com uma frase. "Chegamos em um tempo que falar do Evangelho para "evangélicos" virou escândalo."

Renato vargens

Walter e Évelyn disse...

Musica , Ciência e Teologia

Vc tem razão, mas o erro é pq eu não fiz ua afirmação, foi uma questão, mas faltou a interrogação (?). De Qualquer forma, não a justiça humana que está em questão, mas o peso único de Deus em julgar e beneficiar àqueles que creram em Jesus e morreram pra si mesmos todos os dias. Não trata-se de auto-justiça.

veja bem, se todos os mártires derramaram sangue pra ter o tesouro eterno, como nos explica John Piper, pq hj achamos que teremos o mesmo tesouro não com o mesmo processo, sangue derramado, mas o alcançaremos com poupas de flores e ouro? Seria Deus tão injusto com tais mártires? Essa não é uma questão de análise por auto-piedade e justiça própria, pois só Jesus é o meio de ter o tesouro, mas é tb uma questão de lógica. Tanto vc, quanto eu e qualquer outro, na nossa justiça caída e pervertida, diriamos que é injusto tal recompensa pompada com ouro e purpura. Deus não seria mais justos do que nós?

Ele o é, e é o que lemos por consequencia em Lucas 11:13.

Solo Christi

João Emiliano Neto disse...

Olá irmão Vargens, graça e paz seja com você, com sua família e no seu ministério.

Bem, eu gostaria de sugerir aos irmãos predestinados para irem para o Céu leitores de seu blog, caro irmão, o que aprendi de um de meus verdadeiros pais na fé e que acho que poderia ajudar muito para evitarmos a ira divina pessoal contra a gente e que foi o escopo da lição do Pr. Driscoll. O que aprendi foi o seguinte, o cristão deve começar confessando de forma geral, mas sincera de que é pecador e, então, todo o resto daqueles pecados que tivermos consciência por piores que sejam, virão à tona e por nossa própria boca! Com tudo isso, ora, como nos acharíamos pessoalmente tão bons assim para causarmos até mesmo a ira divina pessoal contra a gente? Impossível para alguém, de fato, predestinado por Deus para ir para o Céu, concorda, caro irmão Vargens?

Espero ter ajudado, acima, aos irmãos com uma boa sugestão.

Que Deus nos perdoe e abençoe.


ABRAÇOS!


Sola gratia!

Soli Deo gloria!

Cristao Peregrino disse...

Para complementar o tema recomendo a dificil doutrina do amor de Deus, do Carson.

Walter e Évelyn disse...

Juan de Paula & Renato vargens... Concordo. Virou escândalo pregar pra evangélicos. rs rs

Concordo com Leonard Ravenhill qd diz que "quando a algo na Bíblia que os cristãos e as igrejas não gostam eles o chamam de legalistas, bem como os que os seguem".

Eu sou Legalista, com orgulho!!!!

Abaixo o Falso ensino, Abaixo os falsos lideres... Abaixo os melindrosos....

Wanderson Nascimento disse...

Para entender melhor como o Amor de Deus e o ódio de Deus coabitam nos pecadores tem um texto do Carson excelente...mas tá em inglês:

http://theologicalmeditations.blogspot.com/search/label/D.%20A.%20Carson

é pequeno,vale apena ler...

Leandro disse...

Se Deus odeia os pecadores, por que eu deveria amá-los?

Thiago e Teresa disse...

A paz Pastor Renato!!


Não acho que o que o pastor Mark Driscoll falou seja motivo pra escândalo, pois falou claramente e dentro das escrituras. As pessoas é que não querem ouvir a verdade.

Quem tem ouvidos para ouvir ouça...

Solano Portela disse...

Caro Renato:

Excelente postagem. Impressionante a crítica ferrenha em cima do Driscoll e a distorção que se está fazendo do seu sermão (na realidade série de sermões), como se ele não falasse do abundante amor de Deus, também. A verdade é que o pensamento politicamente correto do cristianismo contemporâneo tem uma rejeição enorme à doutrina bíblica da justiça de Deus e de como essa justiça se traduz em ira contra o pecado e contra aqueles que, submersos nele são somente salvos pela misericórdia e graça divina. Não se consegue enxergar que um Deus de Justiça e um Deus de amor não são visões contraditórias, mas complementares.
Abs
Solano

Davi Luan disse...

Irmãos, graça e paz!

A questão da ira de Deus é claramente exposta nas Escrituras, apesar da pouca ênfase que os pregadores modernos dão a esse assunto. Disso não há dúvida alguma. Aliás, vou mais longe: é impossível uma compreensão clara do Evangelho da graça sem, antes, entender a realidade da ira divina. Percebe-se isso, por exemplo, na exposição evangélica de Paulo em Romanos 1-12, onde o apóstolo começa falando da justiça de Deus, da ira divina, da culpa de todos homens, e somente depois disso ele passa a expôr as misericórdias de Deus em Cristo, em Rm 3.21.

Contudo, fico um pouco incomodado quando a ira é tratada como um sinônimo de ódio. Geralmente aqueles que falam do ódio de Deus usam um termo pelo outro, sem maiores explicações. Mas será que é isso mesmo? Tenho dúvidas a esse respeito. Por exemplo: nós, que somos salvos, éramos alvos da ira de Deus antes de nossa conversão (Ef 2.1-3), mas não há indícios de que éramos alvo de Seu ódio, pois Ele nos amou desde antes da fundação do mundo (Ef 1.4, Rm 8.29).

O que vocês acham, meus amados? Tem alguma luz para essa minha dúvida?

Abraços,
Davi.

Juan de Paula disse...

Cristão Peregrino,

obrigado amado irmão: excelente dica.

Don Carson é ótimo para explicar temas das Escrituras com profundidade e firmeza bíblica.

http://www.livrariacpad.com.br/A-dificil-doutrinado-amor-de-deus/Doutrinas-biblicasestudos/Livros/152280.html?acao=DT&dep=4732&secao=14840&prod_id=207410&orig=gooxml

Segue o link do livro citado.

Abraços,
Juan

Solano Portela disse...

Caro Leandro:
Porque você não é Deus, irmão!
Solano

Leandro disse...

Entendi, caro Solano: faça o que eu digo (amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem) mas não faça o que eu faço...

yorrana.thaina.shenna disse...

Pastor Renato, o Senhor pode mostrar passagens bíblicas que mostram que Deus odeia o pecador, porque sinceramente até onde eu li na bíblia, a ira de Deus está sobre quem peca, mais não que ele odeia quem peca. Por que Deus mandaria sua igreja amar até os inimigos, e não ter ódio de ninguém,se ele mesmo não cumprisse isso, Deus estaria sendo contraditório mandando a sua igreja fazer algo que Ele mesmo não faz.
Deus é amor e é justiça, eu creio nisso, mais Ele enviou o seu filho para que todo aquele que Nele crer não tenha a condenação eterna. Eu creio que é Deus que escolhe uma pessoa para a sua salvação, e outras não, isso eu não consigo compreender agora,pois para mim todos os homens não merecem nada de Deus,mais sei que no céu eu irei compreender.
Pastor admiro muito o Senhor, só queria tirar essas dúvidas, pretendo fazer teologia,em um tempo próximo.

Claudio disse...

Acho graça da intolerância dos irmãos fortes com os irmãos mais débeis com eu. Só pode ser pelo fato destes acredirtarem que Deus não ama os fracos, ou melhor, Deus os odeia.
Não é pra gente ser imitador de Deus?
E quem odeia não comete homicídio?
Talvez, o sentido seja este: Deus odeia aqueles que erraram/errarão o alvo!
Que ainda assim, não soa bem. Só chegaremos próximos de compreender este questionamento, quando alguém que amamos cometer um delito grave, um flho seria um bom exemplo. O pai deixa de amar o filho porque ele cometeuu um erro grave? Amigos, se nós conseguimos amar mesmo reprovando o ato, o nosso Deus não é maior que nós? Vejamos o filho pródigo. Este é o meu medo da pre-destinação: Já que Deus os odeia, eu serei indiferentes a eles.
PAz e graça! Daquele que não entende e busca entender.

Música, Ciência e Teologia disse...

Irmãos, não podemos ser indiferentes com as pessoas. Jesus não foi e nem ficou indiferente. Ser indiferente significa que não há nenhuma relação entre nós e a outra pessoa. A nós, não nos é dado a prerrogativa de odiar as pessoas na mesma dimensão que Deus odeia.

A causa do ódio de Deus é o pecado, a natureza do pecado e a prática diária contumaz dos pecadores. Pecadores esses que também somos nós, ainda que alcançados pela graça de Deus.

Não há incoerência nenhuma em Deus ser amor e odiar os pecadores. Não há incoerência nenhuma da parte de Deus em exercer Seu amor e Sua ira ao mesmo tempo. Do mesmo jeito que não há nenhuma incoerência em Deus punir o pecado - na pessoa de Seu Filho - e resgatar os pecadores do pecado - também na pessoa de Seu Filho.

Até mais, Marcos.

Claudio disse...

A questão não é a ira de Deus, acho que é um conssenso comum entre a maioria aqui no site. O ponto distoante é o fato de Deus odiar. Será que a ira é fruto do ódio ou é fruto da justiça de Deus?
Entendo a ira como algo que o próprio homem escolheu para si. Afinal, Jesus morreu por toda a humanidade, porém, sabemos que alguns serão salvos.
Paz

Neryvan Felipe disse...

Querido Pastor,
Muito interessante! Quanta gente tem rasgado páginas da bíblia, ou não lêem, ficam só repetindo o que os outros dizem!
Querem mudar até o dicionário, chegam a dizer que ÓDIO e IRA são distintos. Já um pastor disse em seu blog que Deus suporta o pecador, não é ódio!

Como disse S. Portela: É impossível separar o PECADO do PECADOR, como se o pecado fosse uma entidade com vida indepndente, q apenas se utiliza do corpo e da mente.

Percebi que a maioria os arminianos não concordam com essa mensagem do Driskoll. Já teve outro que seria injustiça de Deus! Querem ser cristãos rejeitando partes da escritura, se selecionando o que agradam.

Engraçado é que fiz um simples comentário de defesa calvinista no Blog do Ciro, e ele não postou, e ainda me bloqueiou no twitter! Já pensou quanta ignorância?

Sobre a quem DEUS AMA confira nesse link: http://pecadorarrependido.blogspot.com/2011/09/o-que-as-escrituras-dizem-sobre-o-amor.html

A verdade é dura, mas tem que ser dita!

Cristao Peregrino disse...

Juan,
O Carson faz uma excelente analise sobre o amor de Deus, bem na linha de falacias exegeticas, uma analise nocampo sintatico, semantico e teologico da palavra amor, e como o amor de Deus se manifesta na trindade e em relação a nos.

Deus ama os pecadores e tambem odeia os pecadores.

Josué de Oliveira disse...

"Deus odeia alguns de vocês", afirma Driscoll.

Concilie isso com o "Amai os vossos inimigos" ordenado por Jesus. Vamos. Tente conciliar.

Acho a afirmação uma bobagem das grandes. Se eu acredito realmente que Deus odeia quem afirma não precisar de sua justiça, não tenho motivos pra seguir a ordenança de Jesus.

Boa sorte na tentativa de conciliar dois discursos tão opostos.

Livia_Figueiredo disse...

A Biblia cita claramente:

"Mas, a todos quantos o [Jesus] receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus" (João 1:12).

Todos são filhos de Deus? A resposta é não.
Sim, Deus odeia muita gente, mas também ama.

Vandim disse...

Como conciliar quem nunca brigou???
rsrsrsr
Deus revela sua ira (ódio) pelos transgressores de sua lei, reservando-os para o castigo e suportando-os com longanimidade no templo presente (assistindo-os com sua graça comum). É esse amor longânimo q devemos imitar.

Se Deus continuasse amando eternamente os pecadores não arrependidos e os lançasse no inferno, Deus sofreria eternamente e mais do os condenados.

Davi Luan disse...

Cláudio, você disse:
"A questão não é a ira de Deus, acho que é um conssenso comum entre a maioria aqui no site. O ponto distoante é o fato de Deus odiar."

Concordo plenamente. A questão é que Driscow e muitos reformados usam a ira como sinônimo de ódio. Usam textos que falam da ira para provar que Deus odeia.

Essa relação de ira e ódio que gostaria de entender. Parecem-me coisas diferentes, como também coloquei no meu primeiro comentário.

Davi Luan disse...

Esse é um assunto polêmico e estou ainda em processo de formação de opinião. Precisamos ter opiniões fortemente arraigadas nas Escrituras, e não em homens, mesmo quando se trata de pessoas que admiramos.

Diante disso, vejam outro ponto interessante sobre essa questão do ódio.

Algumas pessoas citam Romanos 9.13 para dizer que Deus odeia. Eu, como bom reformado, entendo esse texto como uma grande referência à eleição incondicional. Contudo, será que podemos dizer, com base nele, que Deus odeia alguém, mesmo os répobros?

Eu tenho um palpite que não. Pelo menos não com base nesse texto. Digo isso porque, Em Lc 14.26, nós encontramos a mesma palavra grega que em Rm 9.13, traduzida por "aborrecer", "odiar", etc.

Pensemos juntos: será que Lc 14.26 ensina que devemos, literalmente, odiar nossos familiares? Ou será que a idéia do verbo não seria a de "amar" menos, ou "estimar" menos, ou ainda "preterir em relação a algo maior"?

Se, em Lc 14.26, esse é o sentido, será que não deveríamos entender da mesma forma Rm 9.13? Ou seja, Rm 9.13 trataria de Deus amando Jacó de uma forma especial e privando Esaú desse tipo de amor, e não necessariamente odiando Esaú.

O que os irmãos pensam sobre isso? Alguém versado em grego poderia nos ajudar?

Abraços, fiquem no amor do Senhor!

George Gonsalves disse...

Sinceramente, não vi em nenhum comentário argumentos bíblicos que comprovem a afirmação de que "Deus odeia alguns". Não acredito que ironia possa ajudar em um debate tão sério. Quem discorda da frase logo é tachado de arminiano (quase um palavrão) ou liberal. Até parece que nenhum cristão sincero pode ter dúvivas a respeito.
Que Deus nos ajude.
Abraços!

Eduardo Kusma disse...

Bom eu acho que quando a Bíblia fala de ira o faz metaforicamente não sendo de fato ira, mas uma expressão de justiça a aqueles que rejeitaram o amor de Deus para com o homem, isso é real e fato.
Deus é amor, mas não um amor romantizado que passa por cima de sua própria justiça Ez 18 explica muito bem esse tópico.
Outrossim, a "ira de Deus" nada mais é uma coroação de sua justiça para com aqueles que tiveram toda uma vida para abdicar de seus maus atos e receber de bom grado a salvação em Cristo mas preferiram continuar imersos na maldade.
De fato antes da justiça sempre haverá uma tentativa de misericórdia (o que dura toda a nossa vida na terra), isso sim é Amor de verdade!

Soli_Deo_Gloria disse...

huahhahuahua... Gostei da franqueza do Solano Portela - (Leandro) "Se Deus odeia os pecadores, por que eu deveria amá-los?" (Solano)"Porque você não é Deus, irmão!"

Essa foi muito boa rsrsrs. Falando sério. Esta tentativa de argumentação em que coloca-se Deus e o Homem no mesmo nível de essência é absurda e sempre fadada ao fracasso. Deus Odeia os pecadores porque eles amam o pecado. Deus tem motivos reais e justos para odiar o delinquente amanante e seguidor da "Antiga Serpente". E nós, qual nosso motivo de ódio aos semelhantes? Motivo justo não temos nenhum. Somos tão carentes da graça quanto qualquer mera criatura.

Allan Acioly.

David Romer disse...

É necessário reconhecermos a harmonia com que os atributos perfeitos de Deus se manifestam a todo tempo.

Se imaginássemos apenas uma humanidade caída em sua miséria desavisada a respeito da santa ira de Deus e das terríveis consequências de seu ódio ao pecado. Nos encontraríamos todos no final de nossa jornada no inferno.

No entanto as manifestações dos sentimentos de Deus e de suas ações ao longo da história são também expressões de seu amor. Pois revelando e demonstrando o quanto odeia o pecador ele nos desperta para nossa real condição e destino. E assim corremos para a cruz!

Leonardo Gonçalves disse...

Em relação ao pecado, é certo afirmar que Deus odeia o ímpio:

Salmos 5:5 - Os loucos não pararão à tua vista; odeias a todos os que praticam a maldade

No entanto, em certo sentido, também é correto afirmar que Deus o ama, visto que ele ama "a sua criação".

O problema é quando as pessoas sobre-enfatizam uma parte dessa verdade, excluindo todo resto. Ignoram o paradoxo e superenfatizam suas teses prediletas.

Em situações como essa, vale lembrar a maxima do herege mais brilhante: "O paradoxo não é fortuito, mas essencial ao cristianismo". Quem quiser negar isso, acabará surtado, e mais cedo do que se pensa.

Leonardo

Mauro Renato disse...

Creio firmemente na doutrina da Ira de Deus. Deus é Santíssimo e sua Ira " se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça", isso é um fato. Como só existe pecado por causa dos pecadores, então a ira de Deus é, sem dúvida, sobre Pecadores. Mas, para mim, ficaram uns questionamentos a respeito das palavras usadas por Driskoll.:

1)A não ser que ele tenha usado de Antropopatismos (Atribuir sentimentos humanos a Deus) em sua pregação, podemos afirmar que IRA (Wrath) e ódio (hate) são coisas diferentes, principalmente quando falamos a respeito do caráter Santo de Deus. Os pouquíssimos textos que ligam o termo ódio a Deus, claramente podem ser traduzidos de modo diferente (ou colocados na conta do Antropopatismo). Digo isso porque ódio nas Escrituras é claramente uma manifestação da natureza pecaminosa do homem e produz consequências pecaminosas. Mas no caso da “Ira de Deus” é repetida usar as palavras de Arthur Pink que diz que “a ira de Deus é uma perfeição divina tanto como a sua fidelidade”. O ódio é antagônico ao Amor, já a ira convive com sentimento do amor em vários momentos nas Escrituras (Ex 4.14, Salmo 89.30-33). A questão é: “Deus ama apenas aqueles que Ele salva ou salvará?”. Se graça é consequência do amor de Deus, que dizer da doutrina da “graça comum” (que é a graça derramada a eleitos e não eleitos)? Cremos que em Cristo habitava toda plenitude da Divindade, portanto, Cristo se irava contra pecadores tanto quanto o Pai. Não obstante esse fato, na passagem do Jovem Rico, vemos alguém que não fora salvo por Jesus, e que não se arrependera, mas antes de Jesus mostra o quanto o rapaz era transgressor, lemos o seguinte: “E Jesus, fitando-o, o amou”.

2)Outro ponto é quando Driskoll diz que “Deus está frustrado com você”. Aqui não temos um problema que a meu ver fere diretamente a Soberania de Deus! Frustração significa “deceção (sic) causada pela não satisfação das expectativas; desapontamento; malogro”. A pergunta é: Em que sentido, Deus que não apenas conhece tudo que vai acontecer pode ser “frustrado”? para sermos mais precisos, como Deus pode se desapontar com ações que em última análise, são determinadas por Ele. O fato do homem ser responsável por suas atitudes não muda a verdade das Escrituras perfeitamente resumida por Jó: Bem sei que tudo podes, e nenhum dos teus planos pode ser frustrado. (Jó 42:2)
Note que minha discordância das palavras de Driskoll, não é a dos liberais, que creem que o homem é essencialmente bom e em um deus com somente um atributo, o amor. Creio em um Deus Supremo. Soberano em todos os seus Atributos. Assim sendo, Deus pode se irar e amar ao mesmo tempo, mas não dá para odiar e amar ao mesmo tempo. Deus é justo sempre e é amor sempre; é Longânimo sempre e eficiente e preciso sempre (2 Pd 3.9). Nenhum de Seus Atributos é tolhido por causa do outro.

Sei que Driskoll crê na Soberania de Deus, mas, na minha opinião, sua tentativa de comunicar ao povo com palavras simples, fez que ele se equivocasse no uso das mesmas.

Anônimo disse...

O que Driskol disse está correto é biblíco,quem tiver duvida sobre isso deveria ler um sermão classico que tem por titulo "pecadores nas mãos de um Deus irado.(Jonatas Edwards)

Samuel,Brasilia.

Mauro Renato disse...

Não sei a observação acima foi ao que escrevi. Se foi gostaria de dizer que não apenas li “Pecadores nas Mãos de um Deus Irado”, como o li algumas vezes. E sinceramente não me lembro dele usar palavras que diminuem a Soberania de Deus do modo como Driskoll usou! O sermão de Edwards é maravilhoso. Mas Edwards não escreveu apenas esse sermão, escreveu inúmeros outros, E não obstante, a precisão teológica do mesmo, os eruditos são concordes que esse sermão está longe de representar toda a teologia do grande mestre de Northampton. Sugiro a você que leia também “O Dom Maior”. E verás que Deus nos ordena a amar os nossos inimigos (ordem de Jesus). Mas a capacidade de fazê-lo vem do Espírito do Santo que pelo seu poder nos habilita para tal. A pergunta é: porque o Espírito Santo nos habilitaria a fazer algo de que Ele é incapaz. Não! Nós somos capazes de amar nossos inimigos, porque Deus é capaz disso. Alias sabemos que o amor é um atributo comunicável de Deus. Leia um pouco mais de Edwards!

Vinicius Leal disse...

Teologia laureada de puritanismo! O que muitos aqui se vangloriam de ser dizendo que são conservadores, só mostram que os séculos pelo qual a igreja viveu em uma escuridão, sendo dominada por um discurso ditatorial, cheio de sincretismos religiosos, ainda se faz muito presente! Impressiono-me ainda de saber que alguns seguem pseudo religiosos cristãos e seus discursos obstantes da verdade!

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only