segunda-feira, fevereiro 22, 2010

Eram os apóstolos ricos?


Por Renato Vargens

Os defensores da teologia da prosperidade advogam a causa de que a prosperidade e as riquezas são características inquestionáveis àqueles que seguem a Cristo. Para estes, o fato do cristão não experimentar prosperidade em sua vida aponta de forma exclusiva para a ausência da bênção de Deus.  Segundo os adeptos desta funesta teologia, o sinal de que a graça do Senhor está sobre o crente é a sua prosperidade. Nesta perspectiva, quanto mais rico, mais abençoado, ou quanto mais abençoado, mais rico.

Pois é, fico a pensar como seria se Pedro, Paulo e Tiago e os demais apóstolos vivessem entre os apóstolos do século XXI. Possivelmente seriam estigmatizados, desqualificados e repudiados por sua incapacidade em realizar ou decretar atos sobrenaturais de fé, como também confrontados pelos profetas da confissão positiva pelo fato de terem fracassado financeiramente.

Caro amigo, por favor, pare, pense e responda: Por acaso eram os apóstolos ricos? Possuíam eles as riquezas deste mundo? Advogaram o ensino de que todo discipulo de Cristo deve ser rico? Ora, se fosse realmente verdade o que ouvimos e lemos dos bispos, apóstolos, paipostolos e mercadores da fé que Deus quer que os seus filhos tenham sucesso e riquezas, então porque Ele não fez que Jesus nascesse numa família extremamente rica? Porque então Ele não escolheu doze apóstolos milionários, ou pelo menos não lhes conferiu riquezas? Não seria muito mais fácil conquistar o mundo assim?

Prezado leitor, vamos combinar uma coisa? Os apóstolos modernos fundamentam suas doutrinas em pressupostos absolutamente anti-bliblicos. Para justificarem seus gastos pomposos, afirmam que Jesus era rico, que suas roupas eram nobres, que o burrinho usado na entrada de Jerusalém era novo, e que tinha muito dinheiro na bolsa do tesoureiro.

Infelizmente diferentemente dos apóstolos do primeiro século os que tomam para si o titulo de apóstolo gloriam-se de suas megas igrejas, de suas riquezas, sucessos e popularidade. Lamentavelmente esse povo se comporta como celebridades desfilando por esse "Brasil de meu Deus" com seus carros blindados, cercados de seguranças, pregando um evangelho absolutamente mercantilista.

Pois é meus amados irmãos, dias complicados os nossos! Diante do exposto acredito piamente que os conceitos pregados pelos reformadores precisam ser resgatados e proclamados a quantos pudermos. Sem sombra de dúvidas necessitamos desesperadamente de uma nova reforma, por que caso contrário a vaca vai para o brejo.

Soli Deo Gloria,

Renato Vargens
Filipe Bento disse...

A abusiva teologia da prosperidade é um câncer! Até quando Deus guardará sua ira?

Gilbert Raposo disse...

Esses camaradas que pensam em acúmulos materiais querem a volta de JESUS já ?
Creio que não, portanto vivamos nós satisfeitos com o que temos hoje com muita gratidão, 99% dobram joelhos para petições, 1% para agradecer.
Gilbert Raposo, um aprendiz em Cristo Jesus.

Tiago disse...

Quero enfatizar que Deus pode permitir que passemos por privação e provação. E, se isso acontecer, devemos manter a nossa fé e continuar dando glória a Jesus. A Palavra do Senhor diz que nada — absolutamente nada — pode nos separar do amor de Cristo: nem a tribulação, nem a angústia, nem a perseguição, nem a fome, nem a nudez, nem o perigo, tampouco a espada (Rm 8.35-39).

Georges disse...

Meu irmão... já ouvi cada coisa... mas em 35 anos de Evangelho nada como ns últimos 5, mais ou menos... por exemplo, que Jesus entrou em Jerusalém num burrico porque o burrico era como se fosse hoje um Cadillac, não era pra qualquer um não; que Pedro era empresário do ramo da pesca, porque tinha vários barcos, sócios, era muito próspero, etc. Que Jesus era cercado por ricos, que o sustentavam, mulheres ricas, José de Arimatéia, Lázaro e suas irmãs, etc... parece até papo da Amway. Misericórdia.

LUCA disse...

Concordo com todas as palavras querido pastor. Mas, o Cristão pode ser próspero?

Renato Vargens disse...

Prezado Luca,

Pode ser próspero sim. Todavia, a prosperidade vem pelo trabalho. Deus abençoa o trabalhador e sua labuta fazendo-o prosperar.

Abraços,

Amarildo Rocha disse...

O grande problema que vejo são as pessoas fracas, que se converte, você trabalha meses e meses na evangelização, ela não consegue prosperar financeiramente, e ainda tem sua visão ofuscada não enxergando grandes evoluções que por ventura alcançaram em outras áreas, e deviam.
Em Cristo:
Amarildo

Joao disse...

Bem, se a tal prosperidade se destinasse para o povo, e Eles tivessem uma vida estável, mas nao de riquezas, ai, talvez as coisas se minimizavam, mas, infelizmente essa gente anda a acumular riquezas que, certamente, na sua maioria eståo a caminho do inferno. Alguns såo sinceros, já que todo mundo sabe o que eles ostentam, e os seus negócios såo do dominio publico, mas, existem outros que såo propretarios de cadeias de hoteis pelo mundo fora, e praticamente o povo nao sabe.



JOAO MAPIE
MAPUTO-MOÇAMBIQUE

Blog do Discípulo disse...

Neste momento acabei de ouvir um tele pregador americano, afirmando que Deus nos criou para termos sucesso, e que o propósito de Deus é que todo cristão seja bem sucedido em todas as áreas da vida.

Logo pensei nos apóstolos e agora ao ler este artigo, penso que infelizmente estamos vivendo em tempos, que algumas igrejas estão pregando o evangelho hrizontal, somente para esta vida. Muito triste!

Jairinho disse...

Amados não vou responder que eram ricos ou nem que eram pobres. Porém posso afirmar com bases bíblicas de que não eram pessoas sem nenhuma condição financeira. Se o servo do Senhor é de classe alta, média ou baixa, isto não importa; o importante é nos dedicarmos a sua palavra com toda oração e súplica a Deus, afim de tornar forte ao fraco, de levar liberdade ao cativo e saúde ao enfermo. Infelizmente neste evangelho da prosperidade muito se fala em bens materiais e pouco ou quase nada na verdadeira essência do reino de Deus. Precisamos lembra o que disse nosso Cristo, "...onde esta o seu tesouro, também estará o seu coração". Que os discípulos, pelo menos Pedro, entre alguns outros tinham sua condição mais favorecida em meio sua comunidade, tinham. Exemplo: Segundo Historiadores após a pesca maravilhosa O apóstolo Pedro entre outros, tiveram sua vida estabilizada financeiramente. Maria Madalena por sua vez tinha um vidro de perfume caríssimo guardado em sua casa. Entre outros exemplos que encontramos na bíblia. Mas não estou aqui defendendo a teoria da prosperidade, mas também como já ouvi muitas pregações de que para se fazer a vontade do nosso Senhor Jesus e pregar sua palavra temos que abandonar nossos compromissos, deveres e obrigações, para com nossa família, trabalho e igrejas. Que o evangelho é feito de renuncias nós sabemos, agora que pra se obter vitória e louvar a Deus temos que ser inresponsáveis com nossos afazeres isso não! Temos que executar o Ide de Cristo com toda garra, responsabilidade e fé. Porque o único intuito da permanência da igreja aqui é o de arrebatar almas das garras de satanás e conduzi-las ao reino de Deus. Deus os abençoe! Amém!!!!!

Rafaela Tatagiba disse...

Lucas, creio que nós podemos ser sim prósperos na parte financeira. Mas desde que este $$$ não seja o seu "deus". Usando de forma coerente o que Deus te fez ganhar ATRAVÉS do seu trabalho e boa administração do seu dinheiro. Exemplo: Pq os grandes pastores, apóstolos etc e etc que pregam isso, não ajudam missionários? Não fazem clínicas de reabilitações de drogas e viciados sexuais? Ou até mesmo os membros que curtem a teo da prosperidade, pq não pensam desta forma? Foi como falara, quanto mais rico, mas abençoado vocÊ é. Como se Deus fosse um homem que trabalha a base da troca.
Que sejamos sim prósperos. Mas espiritualmente em SER em Deus do que TER em Deus.
Por favor, alguém me corrija (no amor!) se eu tiver equivicada. paz

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only