segunda-feira, outubro 19, 2009

O perigo mora ao lado

Por Renato Vargens

O jornal O FLUMINENSE publicou neste domingo que as mulheres continuam sendo as maiores vítimas de violência no Estado do Rio de Janeiro. Segundo o jornal, em 2008, 1.016 mulheres receberam ameaças em Niterói, enquanto 1.848 sofreram lesão corporal e outras 10 foram mortas. Em São Gonçalo, os números são ainda mais preocupantes: 1.823 sofreram ameaças provenientes de violência doméstica, 2.314 foram agredidas e 20 foram assassinadas, de acordo com dados do Dossiê Mulher, divulgados pelo Instituto de Segurança Pública do Rio (ISP-RJ), este ano. O mais grave nessa cruel estatística é que cerca de 70% dos agressores são conhecidos ou muito próximos das vítimas, quando não seus próprios companheiros.

Caro leitor os altos índices de agressão contra a mulher no Brasil exigem de todos nós um posicionamento e atitude que traduza o compromisso ético, político e público de contribuir para a erradicação desse tipo de violência.

A violência contra a mulher é uma agressão ao Criador e em hipótese alguma as mulheres devem se sujeitar a qualquer tipo de abuso.

Isto posto afirmo que os batem em suas companheiras devem ser tratados com o rigor da lei sendo denunciados a polícia e respondendo publicamente pelos seus crimes. Para tanto, as mulheres devem enfrentar os pré-conceitos e as ameaças provinientes dos seus companheiros depositando no poder público a confiança de que seus agressores serão punidos pelos seus atos de violência.

Pense nisso!

Renato Vargens
☆★ คℓεxคทd૨ε ☆★ disse...

Excelente Blog.
Que Deus nos abençoe !

Anônimo disse...

É pastor,tenho visto "crentes" tratando as esposas de maneira tão grosseira, que quando isso ocorre perto de mim, chego a ficar com vergonha.

Carlos Gomes

Renato Vargens disse...

Prezado Gomes,

Infelzimente as estatisticas são péssimas ao afirmar que a violência doméstica é também uma marca dos chamados cristãos.

Abraços,

Gilbert Raposo disse...

Em Itaborai-Rj, tinha uma irmã que ia aos cultos duas vezes por semana, e quando chegava em seu lar o chicote cantava, seu marido não dava trégua até que um dia a irmã chegou ao seu pastor e disse: pastor eu não virei mais aos cultos porque cansei de apanhar, então o seu pastor lhe disse que não fizesse isso e que a partir daquele dia não aconteceria mais as sessões de pancadaria e que ela confiasse no espirito santo, ela assistiu o culto e quando acabou seguiu para casa e sem que ela percebesse o pastor à seguiu e quando ela adentrou em sua casa a pancadaria novamente começou, então o pastor bateu a porta e foi recebido pelo machão: o que quer ?
pastor: sua esposa frequenta nossa igreja e não é legal o Sr. a espancar, então pensei em conversarmos para que seu lar se torne um lar feliz, o machão disse: bato nela e em ti também, e levantou um soco em direção do pastor que defendeu e o arremessou ao solo, neutralizando-o,o pastor é faixa preta e o machão apanhou, passou alguns dias ele seguiu a igreja e todos pensaram em revide, mas o mais espetácular aconteceu, ele se converteu, é meus irmãos alguns precisam de tratamento de choque, e a verdade que esses que batem em mulher não são de nada, quando escutam uma voz grave põem o rabo entre as pernas.
As mulheres merecem respeito.
Gilbert Raposo, um aprendiz em Cristo Jesus.

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only