O que penso da cusparada de Jean Wyllys em Jair Bolsonaro



Depois da instalação por parte da Câmara do impeachment da presidente Dilma Rouseff o assunto foi o episódio ocorrido entre Jair Bolsonaro e Jean Wyllys.

Como os brasileiros assistiram ontem pela televisão, Bolsonaro em seu voto invocou o coronel Ustra e as torturas por ele protagonizadas na época da ditadura militar. Além disso, o o deputado do PSC, agrediu verbalmente o deputado do PSOL, chamando-o de "veado e queimador de rosca." o que proporcionou a Wylys o ato inconsequente de cuspir em seu desafeto. ( existem divergências sobre a veracidade do fato - veja aqui)

Imediatamente a este episódio,  as Redes Sociais  receberam uma enxurrada de posts defendendo um e acusando outro.  

Pois bem, à luz deste episódio gostaria de repetir as palavras da professora Norma Braga que disse:

"Bolsonaro e Wyllys têm mais em comum do que se pensa. Um puxa para o autoritarismo de direita, o outro, para o autoritarismo de esquerda. Pois é, sinto dizer, mas Bolsonaro está muito longe de um conservador típico do jeito que o entendo (leia Burke, Roger Scruton, Pereira Coutinho). Nenhum conservador típico louvaria em público um torturador da ditadura militar. Há um autoritarismo entranhado em nossa matriz cultural de que TODO brasileiro precisa se arrepender, sem exceção, para ser um conservador típico."

Caro leitor, se  por um lado Bolsonaro, agride e ofende os que dele discordam, por outro encontramos Jean Wyllys comportando-se  da mesma maneira, não medindo palavras para desqualificar, bem como ridicularizar os seus opositores.

Apesar de concordar com  Bolsonaro na defesa dos valores relacionados ao conservadorismo moral, acredito que ele esteja bem longe de ser um candidato ideal a presidência da República.   Na minha opinião falta ao parlamentar fluminense, estabilidade emocional, bom senso, e condições para implementar um governo liberal no país. Em contra-partida, Jean Wylys é a antítese de tudo aquilo que como conservadores defendemos. Seus discursos são ofensivos, seus projetos de lei repulsivos e sua arrogância condenável.

Isto posto concluo dizendo que o autoritarismo de Bolsonaro e Wyllys fazem mal a democracia e ao Brasil. Afirmo também que se Bolsonaro desejar em 2018 concorrer a presidência da República terá que crescer e amadurecer muito deixando de lado as agressões e ofensas que por anos tem pautado sua vida e carreira. Já Jean Wyllys, não vejo muita esperança, visto que sua alma está encharcada de  um esquerdismo doentio o qual fez e faz muito mal ao Brasil.

Pense nisso! 

Renato Vargens


12 comentários:

Sr Renato, você não está com a verdade, não averiguou os fatos, um farsante e mentiroso. Existem varios videos que o Dep. Jair Bolsonaro disse tchau querida, tchau e não palavras que ofendam o deputado jean wyllys. Existe ainda uma leitura labial em que ele premedita isso falando com o deputado chico alencar do seu partido que iria cuspir em jair bolsonaro.

Então diga a verdade...

Agora quanto ao Comandante Ustra, veja o video da Vera Magalhaes onde ela diz que em 68 partiram para luta armada e treinavam guerrilha urbana em cuba, vietna, albania e URSS. Deixa de ser covarde e conte a verdadeira Historia, que matavam, sequestravam, era guerra.

Eng Rogério Sampaio

18 de abril de 2016 17:38 comment-delete

Rogério,

Acho que você precisa aprender a interpretar texto, até porque eu não estou defendendo Bolsonaro, como também não o faço quanto a Jean Wyllys.

Renato Vargens

18 de abril de 2016 18:07 comment-delete

Comecei a ler crendo que iria me irritar, pois até então sou um provável eleitor do Bolsonaro se candidato for. Infelizmente tenho de concordar com o texto. Bolsonaro não é um político tradicional e creio que tenha muitas virtudes mas realmente precisará amadurecer e ter muito mais inteligência e sabedoria e cautela em todas as suas ações e palavras que quiser realmente ser levado a sério.

18 de abril de 2016 19:54 comment-delete

Sr Renato, compreendo o Rogério, porém, vejo uma arrogância e palavras desmedidas em seu comentário, gostaria de simplificar, o que Bolsonaro fez lembrando Ulstra foi dizer que o período militar foi um período de guerra, onde os que hj são a esquerda brasileira e estavam no poder, passavam a perder novamente, e que Ulstra assim como todos os generais, não eram esses tiranos que a esquerda pinta, mas sim homens que defenderam nosso país, da guerrilha comunista por mais de 20 anos, e hoje os que antes eram terroristas e estão sendo tratados como heróis, estão com os dias contados no poder.

18 de abril de 2016 21:24 comment-delete

Adriano,

Você está equivocado. Não há arrogância. Quanto a tortura e violência compartilho o que publiquei no Facebook:

"Eu repudio a violência. Eu repudio a tortura praticada na ditadura militar. Eu manifesto meu repúdio ao deputado Jair Bolsonaro por "mencionar" durante a votação do impeachment da presidente, o Coronel Ustra, o qual em nome do Estado torturou de forma bárbara, inúmeras pessoas."

Agora, o fato de eu repudiar a tortura não significa dizer que me identifico com a esquerda, até porque, tenho sido extremamente critico com ela. Tortura e violência a vida afronta o criador e eu como ministro do Evangelho não posso concordar com atos covardes feitos por quem quer que seja.

Paz sobre a sua vida,

Renato Vargens

18 de abril de 2016 21:30 comment-delete

Há desinformação equívocos neste artigo, Bolsonaro NÃO chamou Jean Wyllys de "veado queimador de rosca" (sendo que seria perfeitamente normal, visto que é verdade é o próprio Jean disse em entrevista que gosta de ser chamado de "veado"), Bolsonaro diz "tchau querida, tchau amor", tentar justificar o ato covarde do Jean Wyllys é, no mínimo, mau-caratismo. Muitos deputados rasgaram elogios à assassinos, genocidas, sequestradores como: Che Guevara e Carlos Marighella, mas, ninguém se chocou ou condenou o ato. Coronel Ustra, em tempos de GUERRA, torturou sim, mas torturou bandidos feito Dilma Rousseff. Ustra lutou contra o comunismo, Ustra merece honra. Penso eu que, aquele que luta contra o comunismo (que matou mais do que todas as grandes guerras e catástrofes naturais juntas, cerca de 100 milhões) presta, indireta ou diretamente um serviço serviço ao Reino de Deus.

19 de abril de 2016 02:20 comment-delete

No Brasil e em outras democracias mundo afora poder-se-iam instituir medidas disciplinadoras ao que com simplismo a Esquerda chama de "tortura". A idéia seria que, como na Idade Média contra os hereges, tais medidas fossem aplicadas nos canalhas de maneira estratégica com a instrução de médicos para fazer os suspeitos entregarem às autoridades seus comparsas e cúmplices.

São Paulo escreveu aos romanos que a função das autoridades é punir os malfeitores, então, certos tipos de tapinhas estratégicos na malandragem, são apenas o direito divino sendo respeitado.

19 de abril de 2016 05:28 comment-delete

Olá caro pastor Renato,

Gostei muito do seu texto nos leva a refletir realmente que tipo de governo queremos para essa nação; infelizmente ainda encontramos no país pessoas que aplaudem atitudes de tortura e violencia ou de humilhação.
Particularmente entre votar em Jair ou em Jean com certeza votaria no Jair, mas coloco a ressalva de nao por ele ser um bom politico o que está dificil de se encontrar nos dias atuais (Minha opiniao).
Cada vez mais vemos a direita e a esquerda e manifestarem de forma vergonhosa, e particularmente fico a me perguntar: Qual educação esse povo teve ?
Sei que muitas pessoas que tem Jair como Mito ou Jean como exemplo vao vir de contra qualquer opinião que não endeusar o seu politico preferencial... mas a verdade é bem clara; está se tornando cada vez mais impossivel encontrar um politico que deixe sua batalha pessoal para se preocupar com o nosso país.
Deus abençoe o Brasil!!!

19 de abril de 2016 08:57 comment-delete

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

19 de abril de 2016 09:52 comment-delete

Prezado Renato,

Como sempre, um excelente post.
Concordo, sem variáveis, com seu posicionamento. Completamente imparcial e apartidario ( sem puxasaquismos rs).

As ideias (a bandeira) que Wyllys defende, não coincide com meu ideais, e nem com os ideias Cristaos.

Bolsonaro, que tanto defende o conservadorismo, percebo que não possui domínio próprio para expressar suas ideias e através delas convencer as pessoas em um estado democrático.

Corramos e prossigamos em conhecer a Cristo!

Sds

19 de abril de 2016 13:29 comment-delete

Um bom exemplo histórico e moral a favor da dita tortura é o de Henrique II, Rei da Inglaterra (século XII), que mandou matar seu melhor amigo, o Arcebispo de Cantuária, Santo Tomás Becket, mas Henrique II arrependeu-se e humildemente pediu para ser "torturado" sendo açoitado, levou umas belas chicotadas, bem à vista de seus súditos.

20 de abril de 2016 05:39 comment-delete

Com gratidão eu louvo a Deus pela vida do pastor. É muito bom saber que existem pessoas que não se deixar levar por uma pensamento dualista político que gera conflitos desnecessários e nada mais, mas abraçam antes de qualquer coisa a genuína fé cristã e o bom senso.

Em Cristo,
Natanael da Costa
www.mqdomingo.wordpress.com

4 de maio de 2016 15:21 comment-delete