Unção apostólica? O que é isso?

Por Renato Vargens
Com lágrimas nos olhos sou obrigado a confessar que alguns dos evangélicos no quesito criatividade têm conseguido se superar. Se não bastasse os diversos tipos de unção espalhadados por todo Brasil, nesses últimos anos de modo alarmante, tem-se multiplicado neste tupiniquim país essa tal de unção apostólica.

Inúmeras vezes fiquei a me perguntar, o que seria isso, ou, o que representava possuir essa unção, ou até mesmo, o que ela tem de especial?

Após detalhada observância do discurso por parte dos apóstolos modernos, entendi que para estes, possuir a unção apostólica representa ter recebido da parte de Deus um poder especial o qual capacita o crente a viver a vida acima da média. Para o apóstolo Cesar Augusto ser apostólico "é valorizar a presença de Deus, é ser fiel, é crer que Deus pode transformar, é ter uma unção especial para conquistar o melhor da terra e, por fim, é crer que Deus age hoje em nossas vidas." Já o apostolo Carlos Monteiro ensina que "a unção apostólica vai ao encontro das carências das pessoas de forma indireta, através de levá-las a possuírem o chamado e propósito de Deus para suas vidas. Isto faz com que se crie uma energia dentro das pessoas para vencer suas próprias carências através de sua fé. Esta ênfase apostólica está baseada no entendimento que Deus nos comprou e salvou com o preço de seu precioso sangue para que sejamos úteis para Ele e façamos sua vontade em nossas vidas. Esta visão leva os cristãos para longe de si mesmos direcionando-os para as prioridades e o estilo de vida do Reino de Deus enquanto Deus se ocupa com suas necessidades primárias."

Pois é, se não bastasse tanta bobagem em nossos arraiais, há pouco ouvi o relato de pessoas afirmando que o crente que não possui a tal unção pode ser considerado crente de “segunda categoria”. E para piorar as coisas, tais pessoas afirmam que nos dias atuais não basta ter o Espírito Santo somente, é necessário possuir a tal unção, até porque somente assim pode-se conquistar o melhor de Deus.

Ora, essa tal de unção apostólica não passa de mais uma mercadoria apresentada nos balcões da fé. Aliás, por acaso você já percebeu que a moda agora é ser apostólico? O culto é apostólico, o louvor é apostólico, as ofertas são apostólicas, tudo absolutamente tudo é apostólico.

Prezado leitor, com dor no coração sou obrigado a confessar essa gente não têm pregado o evangelho do reino. Antes pelo contrário, o evangelho o qual estes têm pregado é humanista, megalomaníaco e patológico.

Tenho a impressão de que o fato de enfatizar em suas mensagens um conteúdo “apostólico” é nada mais, nada menos do que uma sutil tentativa de diferenciar o produto deles daquilo que é oferecido por outras igrejas. Na verdade, é extremamente comum observar em tais movimentos, uma ênfase exagerada na tal unção.

Ah, meu amigo, como inúmeras vezes tenho falado não agüento mais a efervescência da graça barata, o mercantilismo gospel, a banalização da fé. Não agüento mais, as loucuras e os atos proféticos feitos em nome de Deus. Chega! Basta! Quero viver e pregar o evangelho, quero ver uma igreja, santa, ética, justa e profética, quero ver uma igreja, que não se corrompe diante loucuras dessa era, quero ver uma igreja reformada e reformando, quero ver uma igreja PROTESTANTE!

Soli Deo Gloria

Renato Vargens

10 comentários:

É triste ver a quantas andam o povo que se chama Evangélico (ou Gospel) no Brasil.
Certa vez ao falar com um pastor, meu amigo desde a infancia, o pai dele foi meu pastor, questionei do por quê dele aceitar participar de uma associação de pastores. Ele respondeu que havia uma unção que somente quem é apostolo experimenta.
Lamentavelmente não vejo com otimismo tal "unção".
Esta tal "unção" discrimina os servos de Deus.
Daí fica patente a verdade daquela brincadeira evangelica:

A QUESTÃO DA UNÇÃO É QUE "UNS SÃO" E OUTROS NÃO SÃO!

Abs
Pr. Caleb Castellani

5 de novembro de 2009 19:33 comment-delete

Pr. Calebe,

Lamentável isso. Infelzimente nossos pastores estão completamente despreparados.

Dias dificieis os nossos!

Abraços,

5 de novembro de 2009 19:38 comment-delete

Eu conheço um rapaz persuasivo, pregador novo, loquaz, eloquente, de viés completamente neopentecostal, que cita muito essa tal 'unção apostólica' - dentre tantos outros chavões comuns entre os dito cujos. Confesso que eu sempre quis saber o que isso significava (pelo menos pra eles), assim, o artigo foi esclarecedor. Agora já sei!

Em Cristo.

Ricardo

5 de novembro de 2009 21:57 comment-delete

Prezado colega Pr. Rentato,
acredito que essa coisa apostólica também sirva para aumentar o cachê de quem prega, pois, dá a entender que apóstolo é superior a pastor. A tentativa de dissiminar essa cultura apóstolica é pernóstica e doentia e vem evidenciar a fragilidade da estrutura doutrinária e teológica das igrejas. Esses apóstolos autofabricados são doenças autodegenerativas no corpo. Creio que precisamos de uma unção nova de moralidade, ética, justiça e retidão. Mas como em todos os tempos o joio cresceu junto com o trigo, aguardemos a grande colheita.
Parabéns pelo excelente artigo. Claro, conciso e atual.
Um abraço

http://ministerioforcaparaviver.blogspot.com

5 de novembro de 2009 22:15 comment-delete

eu concordo com vc estou cansada da venda da palavra de Deus, as vezes me deparo com situações que me fazem relembrar o tempo da iquisição onde um pedaço do ceu era vendido...hoje oq vemos qdo ligamos a tv é pastoras vendendo oleo urgindo para prosperidade para isso e aquilo uma vergonha mesmo... Mas fico feliz em ver pessoas se levantando contra isso ... e pregando um verdadeiro evangelho de Cristo... Pessoas como o pastor Piper entre outros vários!!!
Pazzz
http://adnajovem.blogspot.com/2009/11/um-jovem-segundo-o-coracaoo-de-deuss.html

5 de novembro de 2009 22:41 comment-delete

Bem, acho que muitos procuram titulos para terem mais credibilidade no meio do povo. Eu tenho um amigo, pastor brasileiro que, quando abandonou a igreja måe, logo abriu outra com outros pastores Moçambicanos, e dois meses depois foi consagrado apóstolo, e fiquei sem entender o por quê desse titulo. Hoje abandonou a nova igreja que fundou, filiou-se noutra, e perdeu o titulo de apóstolo.

6 de novembro de 2009 02:18 comment-delete

Bom, tenho recebido vários e-mails deste Blog, e é com muito pesar que vejo tantos questionamentos com relação a fé de terceiros ou o que é pior!, dos mesmos. Eu como Cristão tenho aprendido com a Bíblia e com o próprio Senhor Jesus, que esse tipo de comentário é coisa de fariseu!
Creio que em uma sociedade imunda a qual vivemos, nós precisamos e que a igreja de Cristo esteja unida, e não com discórdias sobre quem está ou não está certo ou errado!
Venho com muita tristeza no coração deixar esse comentário, a muitos dias venho observando os meus irmãos em Cristo, e o que mais vejo é esse tipo de atitude.
Que o Senhor Jesus tenha Misericórdia do seu povo.
E, se um reino se dividir contra si mesmo, tal reino não pode subsistir; Marcos 3:24
Daniel Ferreira de Lima
Araxá MG.

6 de novembro de 2009 09:26 comment-delete

É mais uma mercadoria. Uma grande igreja aqui de Brasília propõe em TV aberta a "Rede de negócios." Ou seja, se vc entra na Rede , vc não é apenas um crente empresário da igreja, vc é um parceiro cristão da Rede de Negócios!! A comunhão deu lugar à segregação!!

6 de novembro de 2009 11:46 comment-delete

Graça e paz!

Pr. Renato.
Lí no blog do Pulpito Cristão sua msg falando sobre o bispo Rodovalho...lembrei que qdo eles eram SAra Nossa Terra, antes da divisão, gostava muito dos corinhos Pr. Bené...mas fico pensando e como o senhor pastor não entendo como alguem que pregava a Palavra pura e simples, pode transformar o Evangelho da Salvação de nosso Senhor Jesus nisso que tá ai...?? mas o pior pr. Renato é que tem muitas, muitas outras pior ou igual a dele, cheias de heresias...me converti em 94, faz um bom tempo que to sem congregar, to cheia de perder meu tempo e ouvir sobre properidade, ninguem quer fazer o que Jesus falou..."quem queiser em seguir negue a sí mesmo, tome sua cruz...

Deus te abençoe.

no amor de Jesus, a única Verdade.

araci goulart
7 de novembro de 2009 20:35 comment-delete

A paz de Deus á todos!

Eu sou apostólico. Mas não de acordo com o descrito pelos pastores neste artigo. Vou aqui dizer o que é de fato ser Apostólico.
Ser apostólico é acreditar na ação do Espírito Santo. Quando aconteceram os milagres através da vida dos discípulos, foi o Espírito Santo quem operou e então eles foram reconhecidos como Apóstolos. Jesus disse que enviaria um outro igual à ele e se crêssemos, faríamos obras ainda maiores que Ele fez.
Atos 2 foi quando a unção desceu sobre os 120 e depois com os quase 3 mil convertidos na pregação do Apóstolo Pedro.
A unção apostólica é sim o diferencial. Só quem tem é quem crêr no agir do Espírito Santo.

12 de novembro de 2013 11:41 comment-delete